Notícias



CREF Serra chancela autodeclaração de profissionais de Caxias do Sul e Farroupilha para vacina do COVID-19 novamente nesta sexta-feira
Postado em 05/05/2021
Fonte: CREF2/RS

A Prefeitura de Caxias do Sul e a Prefeitura de Farroupilha ampliaram, mais uma vez, o agendamento da primeira dose da vacina contra o COVID-19 para os profissionais de Educação Física. Para garantir a vacina, é obrigatório comprovar a atuação em serviços de interesse à saúde, conforme determina o Ministério da Saúde (segundo Ofício Circular Nº 57/2021/SVS/MS, de 12 de março de 2021).

Serão vacinados profissionais de Educação Física que cumprirem os seguintes requisitos:

1) Cédula de Identidade Profissional válida;
2) Atuação na área do Bacharelado;
3) Declaração preenchida e chancelada pelo CREF2/RS - clique aqui para baixar o formulário de Caxias do Sul e aqui para baixar o formulário de Farroupilha;
4) Idade superior a 28 anos (pré-requisito somente para a cidade de Caxias do Sul)
5) Inclusão na lista feita pelo CREF2/RS e encaminhada à Secretaria.

Para chancelar a declaração, os profissionais de Educação Física incluídos nestes critérios deverão agendar o atendimento no CREF Serra para esta sexta-feira, dia 7 de maio, das 10h às 15h (horário exclusivo para atendimento referente à vacinação). Clique aqui para fazer o seu.

Durante este atendimento, será necessário portar a Declaração preenchida e assinada, um comprovante trabalhista (contracheque da empresa que presta serviço assistencial à saúde - com CNAE de saúde ou CNES - ou três atestados de clientes que necessitam do exercício físico como tratamento não-farmacológico.

Para a vacinação, é exigida a apresentação da Declaração chancelada pelo CREF2/RS e a Cédula de Identidade Profissional (ou certidão de registro emitida pelo Portal de Autoatendimento do site do CREF2/RS).

O Ofício Circular Nº 57/2021/SVS/MS ainda ressalta que “trabalhadores dos demais estabelecimentos de serviços de interesse à saúde (exemplos: academias de ginástica, clubes, salão de beleza, clínica de estética, óticas, estúdios de tatuagem e estabelecimentos de saúde animal) não estão contemplados nos grupos prioritários elencados inicialmente para a vacinação”.


vacina vacinação covid-19 farroupilha caxias do sul



CREF Serra chancela autodeclaração de profissionais de Caxias do Sul e Farroupilha para vacina do COVID-19 nesta sexta-feira
Postado em 27/04/2021
Fonte: CREF2/RS

A Prefeitura de Caxias do Sul e a Prefeitura de Farroupilha ampliaram, mais uma vez, o agendamento da primeira dose da vacina contra o COVID-19 para os profissionais de Educação Física. Para garantir a vacina, é obrigatório comprovar a atuação em serviços de interesse à saúde, conforme determina o Ministério da Saúde (segundo Ofício Circular Nº 57/2021/SVS/MS, de 12 de março de 2021).

Serão vacinados profissionais de Educação Física que cumprirem os seguintes requisitos:

1) Cédula de Identidade Profissional válida;
2) Atuação na área do Bacharelado;
3) Declaração preenchida e chancelada pelo CREF2/RS - clique aqui para baixar o formulário de Caxias do Sul e aqui para baixar o formulário de Farroupilha;
4) Idade superior a 35 anos (pré-requisito somente para a cidade de Caxias do Sul) 5) Inclusão na lista feita pelo CREF2/RS e encaminhada à Secretaria.

Para chancelar a declaração, os profissionais de Educação Física incluídos nestes critérios deverão agendar o atendimento no CREF Serra para esta sexta-feira, dia 30 de abril, das 10h às 16h (horário exclusivo para atendimento referente à vacinação). Clique aqui para fazer o seu.

Durante este atendimento, será necessário portar a Declaração preenchida e assinada um comprovante trabalhista (contracheque da empresa que presta serviço assistencial à saúde - com CNA de saúde o CNES - ou três atestados de clientes que necessitam do exercício físico como tratamento não-farmacológico.

Para a vacinação, é exigida a apresentação da Declaração chancelada pelo CREF2/RS e a Cédula de Identidade Profissional (ou certidão de registro emitida pelo Portal de Autoatendimento do site do CREF2/RS).

O Ofício Circular Nº 57/2021/SVS/MS ainda ressalta que “trabalhadores dos demais estabelecimentos de serviços de interesse à saúde (exemplos: academias de ginástica, clubes, salão de beleza, clínica de estética, óticas, estúdios de tatuagem e estabelecimentos de saúde animal) não estão contemplados nos grupos prioritários elencados inicialmente para a vacinação”.


vacinação covid-19 farroupilha caxias do sul



Prefeitura de Farroupilha estende vacinação a profissionais de Educação Física do município
Postado em 16/04/2021
Fonte: CREF2/RS

A Prefeitura de Farroupilha, depois da reunião realizada entre o secretário de saúde Clarimundo Gründamann e a conselheira do CREF2/RS Carla Pretto (CREF 006564-G/RS), irá ampliar o agendamento da primeira dose da vacina contra o COVID-19 para os profissionais de Educação Física do município. Para garantir a vacina, é obrigatório comprovar a atuação em serviços de interesse à saúde, conforme determina o Ministério da Saúde (segundo Ofício Circular Nº 57/2021/SVS/MS, de 12 de março de 2021).

Serão vacinados profissionais de Educação Física que cumprirem os seguintes requisitos:

1) Cédula de Identidade Profissional válida;
2) Atuação na área do Bacharelado;
3) Declaração preenchida e chancelada pelo CREF2/RS - clique aqui para baixar o formulário;
4) Inclusão na lista feita pelo CREF2/RS e encaminhada à Secretaria.

Para chancelar a declaração, os profissionais de Educação Física incluídos nestes critérios deverão agendar o atendimento no CREF Serra para o dia 23 de abril, das 11h às 16h (horário exclusivo para atendimento referente à vacinação).

Durante o atendimento, será necessário portar a Declaração preenchida e assinada um comprovante trabalhista (contracheque da empresa que presta serviço assistencial à saúde ou três atestados de clientes que necessitam do exercício físico como tratamento não-farmacológico.

O agendamento para atendimento no dia 23 de abril foi aberto nesta sexta-feira, dia 16 de abril. Clique aqui para fazer o seu.

Para a vacinação, é exigida a apresentação da Declaração chancelada pelo CREF2/RS e a Cédula de Identidade Profissional (ou certidão de registro emitida pelo Portal de Autoatendimento do site do CREF2/RS).

O Ofício Circular Nº 57/2021/SVS/MS ainda ressalta que “trabalhadores dos demais estabelecimentos de serviços de interesse à saúde (exemplos: academias de ginástica, clubes, salão de beleza, clínica de estética, óticas, estúdios de tatuagem e estabelecimentos de saúde animal) não estão contemplados nos grupos prioritários elencados inicialmente para a vacinação”.


vacinação covid-19 farroupilha



Vice-presidente do CREF2/RS visita o Parque Ramiro Souto
Postado em 20/10/2020
Fonte: CREF2/RS

Na manhã de hoje, 20 de outubro, o vice-presidente do CREF2/RS Giovanni Bavaresco (CREF 001512-G/RS) esteve no Parque Ramiro Souto, localizado dentro do Parque Farroupilha, em Porto Alegre. Com a visita no local, que tradicionalmente reúne diversos usuários para a prática de atividades físicas, Giovanni observou, na prática, como estão sendo conduzidas aulas e atividades ao ar livre, principalmente em relação a ações para atendimento dos protocolos de segurança do COVID-19.

"As atividades aqui iniciam cedo, por isso viemos no primeiro horário da manhã, para ouvir os profissionais de Educação Física que atuam no parque. Percebi que os colegas estão respeitando todos os protocolos recomendados de prevenção do coronavírus, para que os alunos sejam atendidos com segurança e por profissionais devidamente habilitados", destacou o Vice-presidente. Na ocasião, ele encontrou o profissional João Reichert (CREF 017820-G/RS), que ministrava aulas no local, e conversou sobre a situação atual da Educação Física e demandas da categoria.


cref2rs



Conselho realiza segunda edição do Conversando com o CREF2/RS nesta semana
Postado em 31/08/2020
Fonte: CREF2/RS

Nos próximos meses, o Conselho vai realizar uma série de encontros virtuais com os profissionais de Educação Física. O evento “Conversando com o CREF2/RS” contará com a participação dos integrantes do Comissão de Orientação e Fiscalização (COF) e do assessor de fiscalização Samuel de Almeida (CREF 013510-G/RS), tendo como tema principal as ações que estão sendo feitas pelo CREF2/RS durante a pandemia.

A segunda edição desta atividade vai ocorrer nesta quinta-feira, dia 3 de setembro, e será dedicada àqueles que atuam em Caxias do Sul, Capão da Canoa, Taquara e demais cidades destas regiões. O evento vai iniciar às 20h, pelo Instagram do CREF2/RS.

A COF é composta pelos conselheiros Alessandro Gamboa (CREF 001534-G/RS), Carla Pretto (CREF 006564-G/RS), Carlos Castilhos (CREF 000877-G/RS), Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) e Luciane Citadin (CREF 000100-G/RS). A programação completa do “Conversando com o CREF2/RS” está disponível aqui.

Conversando com o CREF2/RS – Caxias do Sul, Capão da Canoa e Taquara
3 de setembro, quinta-feira, às 20h
Convidados: Alessandro Gamboa, Carla Pretto e Samuel de Almeida

Cidades contempladas:

Região Caxias do Sul: Alto Feliz, Antônio Prado, Bento Gonçalves, Boa Vista do Sul, Bom Jesus, Bom Princípio, Campestre da Serra, Canela, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Coronel Pilar, Cotiporã, Esmeralda, Fagundes Varela, Farroupilha, Feliz, Flores da Cunha, Garibaldi, Gramado, Guabiju, Guaporé, Ipê, Jaquirana, Linha Nova, Monte Alegre dos Campos, Monte Belo do Sul, Muitos Capões, Nova Araçá, Nova Bassano, Nova Pádua, Nova Petrópolis, Nova Prata, Nova Roma do Sul, Paraí, Picada Café, Pinhal da Serra, Pinto Bandeira, Protásio Alves, Santa Tereza, São Jorge, São José dos Ausentes, São Marcos, São Vendelino, União da Serra, Vacaria, Vale Real, Veranópolis, Vila Flores e Vista Alegre do Prata.

Região Capão da Canoa: Arroio do Sal, Balneário Pinhal, Capão da Canoa, Capivari do Sul, Caraá, Cidreira, Dom Pedro de Alcântara, Imbé, Itati, Mampituba, Maquiné, Morrinhos do Sul, Mostardas, Osório, Palmares do Sul, Santo Antônio da Patrulha, Tavares, Terra de Areia, Torres, Tramandaí, Três Cachoeiras, Três Forquilhas e Xangri-lá.

Região Taquara: Cambará do Sul, Igrejinha, Parobé, Riozinho, Rolante, São Francisco de Paula, Taquara e Três Coroas.


conversando com o cref caxias do sul capão da canoa taquara



Rio Grande torna atividade dos profissionais de Educação Física serviço essencial
Postado em 11/08/2020
Fonte: CREF2/RS

A Prefeitura de Rio Grande acabou de aprovar a inclusão da atividade dos profissionais de Educação Física na lista dos serviços essenciais da cidade. A Lei Municipal 8.520, já em vigor, é de autoria do vereador Filipe Branco.

A sugestão de criação desta lei foi encaminhada ao Vereador pelo Comitê Estadual da Educação Física no Enfrentamento da COVID-19, grupo que o CREF2/RS faz parte ao lado de outras instituições, como a APEF-RS, a ACAD Brasil, o SINPEF/RS, a FIEP-RS e o Conselho Municipal do Desporto de Caxias do Sul.

Além de Rio Grande, Pelotas e Farroupilha são outras cidades que já aprovaram a inclusão da Educação Física no rol dos serviços essenciais. Já São Marcos, Caxias do Sul, Camaquã e Porto Alegre têm projetos de lei similares em andamento, cuja tramitação interna está ocorrendo nas respectivas Câmaras Municipais.

O Comitê Estadual da Educação Física no Enfrentamento da COVID-19 também é responsável pela elaboração e pelo encaminhamento do PL 144/2020, de autoria da deputada estadual Fran Somensi, que tenta incluir a atividade dos profissionais de Educação Física na lista dos serviços essenciais de todo o Rio Grande do Sul.


lei covid-19 rio grande



Câmara Municipal de Porto Alegre protocola projeto de lei para tornar Educação Física serviço essencial
Postado em 05/08/2020
Fonte: CREF2/RS

Na última semana, a Câmara Municipal de Porto Alegre protocolou o PLL 094/2020, que busca incluir a atividade dos profissionais de Educação Física na lista dos serviços essenciais do município. O projeto de lei, de autoria do vereador Paulinho Motorista, foi uma sugestão encaminhada pelo Comitê Estadual da Educação Física no Enfrentamento da COVID-19, que conta com a participação do CREF2/RS e de outras entidades representativas da área.

O ato de entrega do PLL contou com a presença do 2º vice-presidente do CREF2/RS Alessandro Gamboa (CREF 001534-G/RS) e da conselheira Carla Pretto (CREF 006564-G/RS), ambos representantes também do Comitê. O projeto, que já tramita internamente na Câmara, tem o objetivo de reconhecer a prática da atividade física e do exercício físico, ministrados por profissionais de Educação Física, como essenciais para a população em tempo de crises ocasionadas por moléstias contagiosas. O documento também visa garantir o funcionamento de estabelecimentos prestadores deste tipo de serviço, como academias e centros de treinamento. Você pode acompanhar o andamento do PLL 094/2020 aqui.

Além do CREF2/RS, participam do Comitê Estadual da Educação Física no Enfrentamento da COVID-19 representantes da APEF-RS, da ACAD Brasil, do SINPEF/RS, do Conselho Municipal do Desporto de Caxias do Sul e da FIEP-RS. O grupo também é responsável pela elaboração e pelo encaminhamento do PL 144/2020, de autoria da deputada estadual Fran Somensi, que tenta incluir a atividade dos profissionais de Educação Física na lista dos serviços essenciais de todo o Rio Grande do Sul. Este outro projeto tramita na Assembleia Legislativa desde o final de junho. Mais informações nesta notícia.

São Marcos, Caxias do Sul, e Camaquã são municípios que protocolaram projetos de lei similares ao PLL de Porto Alegre. Pelotas, Farroupilha e Rio Grande, por outro lado, até já conseguiram aprovar os projetos que tornam a atividade dos profissionais de Educação Física um serviço essencial, nos seus respectivos municípios. Todas estas ações partiram de uma iniciativa do Comitê, em parceria com vereadores de cada região.


covid-19 crise comitê



Academias de Caxias do Sul promovem campanha beneficente contra COVID-19
Postado em 04/05/2020
Fonte: CREF2/RS

Desde a última sexta-feira, dia 1º de maio, diversas academias de Caxias do Sul estão promovendo uma campanha beneficente, com o intuito de arrecadar e doar alimentos às comunidades carentes e mais prejudicadas com a pandemia do coronavírus na Serra. A iniciativa, batizada com o nome “Academias Unidas”, se estenderá até o próximo domingo, dia 10 de maio.

Todos os interessados em participar devem fazer a sua entrega de alimentos não perecíveis em uma das academias listadas abaixo. A campanha tem o apoio do CREF2/RS:

Villagio Fitness (CREF 005110-PJ/RS)
Rua Santo Verggani, 442

Performa Academia (CREF 001883-PJ/RS)
Rua Moreira César, 1685

Raiar – Unidade Cinquentenário (CREF 000128-PJ/RS)
Rua Alcides Maya, 294

Raiar – Unidade São Pelegrino (CREF 005049-PJ/RS)
Rua Augusto Pestana, 296

Pranadar – Unidade Panazzolo (CREF 000127-PJ/RS)
Rua Daltro Filho, 2277

Pranadar – Unidade Sagrada Família (CREF 003397-PJ/RS)
Rua Atílio Andreazza, 3355

Fit Club Gold – Unidade Matriz Villagio Iguatemi (CREF 005335-PJ/RS)
Avenida Terezinha Pauletti, 172

Fit Club Gold – Unidade Esplanada (CREF 005336-PJ/RS)
Avenida Bom Pastor, 2217

Fit Club Gold – Unidade Cruzeiro (CREF 005337-PJ/RS)
Rua Luiz Michielon, 1610

Academia Bem Viver – Unidade Diamantino (CREF 004968-PJ/RS)
Rua Madre Bárbara, 806

Academia Bem Viver – Unidade Farroupilha (CREF 005122-PJ/RS)
Rua Padova, 187

Academia Base Ativa (CREF 003196-PJ/RS)
Rua Dr. Calixto Maximiliano Rassia, 773

Personal Fit Academia (CREF 005123-PJ/RS)
Rua Victor Sanvitto, 47

Bohrer Sports (CREF 001046-PJ/RS)
Rua Antônio Ribeiro Mendes, 2800

Vida Sports Academia (CREF 002194-PJ/RS)
Rua Pinheiro Machado, 2569

Academia Vidativa – Unidade Ana Rech (CREF 000389-PJ/RS)
Rua José Geraldo Basso, 50

Academia Vidativa – Unidade Planalto (CREF 002164-PJ/RS)
Rua Marcopolo, 199

Bio Center Academia – Unidade Santa Catarina (CREF 000205-PJ/RS)
Rua Jacob Luchesi, 1887

Bio Center Academia – Unidade São Pelegrino
Rua Júlio de Castilhos, 3176

Academia Corpus Move (CREF 001731-PJ/RS)
Rua Camaleão, 451

Studio Corpus Fit (CREF 004569-PJ/RS)
Rua André Michelon, 156

Motivida (CREF 002381-PJ/RS)
Avenida Dr. Assis Antônio Mariane, 648

Academia Energia (CREF 005121-PJ/RS)
BR 116, 1104, Galópolis

SixGym Premium (CREF 002776-PJ/RS)
Rua Sinimbu, 386

Academia Exerce Fitness (CREF 002128-PJ/RS)
Rua Vereador Otto Scheifler, 31

Cia do Corpo (CREF 001305-PJ/RS)
Rua Luiz Michelon, 2121/Sala Superior

Power Premium Evolution (CREF 004735-PJ/RS)
Rua Visconde de Pelotas, 2038

Hideale (CREF 003396-PJ/RS)
Rua Pedro Tomasi, 1017

TchêCrossFit (CREF 002161-PJ/RS)
Rua Mariana Prezzi, 910

Academia Titan (CREF 000394-PJ/RS)
Rua Luiz Michelon, 445

King’s Gym Academia (CREF 004069-PJ/RS)
Rua Pinheiro Machado, 1510

Sportscenter Academia (CREF 003093-PJ/RS)
Rua Avelino Antônio de Souza, 552

Ge Training Club (CREF 004262-PJ/RS)
Rua Jacob Luchesi, 1944

Power Fitness Academia (CREF 003480-PJ/RS)
Rua João Venzon Netto, 70

Academia Hulk's Gym (CREF 004654-PJ/RS)
Rua Matheo Gianela, 740

Academia Repúblyca Fitness (CREF 003033-PJ/RS)
Rua Quintino Bocayuva, 1021

Academia Bora Bora (CREF 003013-PJ/RS)
Rua Manoel Eugênio Oliveira Soares, 23

Academia Evolution (CREF 003355-PJ/RS)
Rua Sarmento Leite, 3392

Center Life Academia (CREF 002970-PJ/RS)
Rua Jacob Luchesi, 3854

Espaço Integrado Tisiane Tieppo (CREF 015991-G/RS)
Rua Vinte de Setembro, 2712/Sala 3

O2 Academia (CREF 002957-PJ/RS)
Rua Silveira Martins, 1799

Schubert Fitness (CREF 003740-PJ/RS)
Rua Hugo Luciano Ronca, 2335

Rasia Pro Trainer (CREF 005081-PJ/RS)
Rua Sinimbu, 1536/Sala 57

Fast Training Academia (CREF 001378-PJ/RS)
Rua Sarmento Leite, 1161

Studio Personal Marina Parenti (CREF 016519-G/RS)
Rua Bortolozani, 240/Sala 1

Onix Studio Personal (CREF 027290-G/RS)
Avenida Hércules, 1991

Vitta & Salute Academia (CREF 001894-PJ/RS)
Avenda Arthur Perottoni, 1185

Fight Center – Fernanda Pazini (CREF 025215-G/RS)
Rua Sinimbu, 2440

ATIVE Academia (CREF 004862-PJ/RS)
Rua Nilceu de Melo Catarina, 2849

Studio de Treinamento Funcional Viver Bem (CREF 012964-G/RS)
Rua Aurélia de Carli Andreazza, 1162

Body Academia (CREF 001896-PJ/RS)
Rua Feijó Júnior, 1023/Sala 4

R3 Fitness Academia (CREF 002207-PJ/RS)
Rua Fábio Formolo, 1596

Centro de treinamento Julião Tora (CREF 000717-PJ/RS)
Avenida Rosseti, 345

RedRocks Academia (CREF 001450-PJ/RS)
Rua Marechal Floriano, 1548

Happy Sports Kids Club (CREF 005333-PJ/RS)
Rua Os Dezoito do Forte, 457

Academia Vinhedos Fitness (CREF 002760-PJ/RS)
Rua Honey de Bertussi, 1130

Moviment Academia (CREF 001925-PJ/RS)
Avenida França, 1212, Bela Vista

Escola de Judô KuseDojô – Miguel Kuse (CREF 011310-G/RS)
Rua Venâncio Aires, 157

Academia Motivação (CREF 004709-PJ/RS)
Rua Oscar Bertoldo, 234

Denique Club e CrossFit Caxias do Sul (CREF 004013-PJ/RS)
Rua Carlos Dutra Viana, 261

Woman Fitness Academia (CREF 001729-PJ/RS)
Avenida Rio Branco, 957/Sala 2

Academia Life Company (CREF 003094-PJ/RS)
Avenida Itália, 417/6º Andar


Academias Caxias do Sul Beneficente



CREF2/RS mantém lista de normativas estaduais e municipais
Postado em 02/04/2020
Fonte: CREF2/RS

Diante da pandemia do coronavírus (COVID-19), o CREF2/RS tem recebido diversos questionamentos sobre como proceder quanto ao funcionamento das empresas registradas. Mesmo diante desta situação atípica, o Conselho não pode ordenar o fechamento, a abertura ou restringir o funcionamento dos locais que ofertam serviços na área de atividades físicas que estão devidamente regulares com a legislação vigente. Por isso, foi publicada, no dia 17 de março, uma Nota Técnica com orientações gerais para o exercício da profissão de Educação Física neste período.

O Conselho ressalta que a recomendação é que os estabelecimentos sigam as determinações dos órgãos federais, estaduais e municipais responsáveis. Diversos municípios do Estado estão publicando, diariamente, normativas com medidas que alteram o funcionamento de diferentes tipos de estabelecimentos, como academias, clubes e centros de treinamento.

Atento às demandas dos profissionais e proprietários de empresas da área, reunimos aqui as normativas estaduais e municipais disponíveis sobre o assunto, que afetam diretamente as atividades dos registrados. A lista não contempla a totalidade de cidades do Estado, mas está sendo atualizada constantemente. Caso tenha conhecimento de novas normativas em cidades do Rio Grande do Sul, envie as informações para o e-mail contato@crefrs.org.br e auxilie na atualização dos dados.

Rio Grande do Sul - Decreto 55.154

Alvorada
Bagé
Bento Gonçalves
Bom Jesus
Cachoeirinha
Canela
Canoas
Capão da Canoa
Capão do Leão
Carazinho
Caxias do Sul
Cotiporã
Eldorado do Sul
Erechim
Esteio
Farroupilha
Flores da Cunha
Garibaldi
Gravataí
Gramado
Ijuí
Lajeado
Liberato Salzano
Não-Me-Toque
Nova Petrópolis
Novo Hamburgo
Osório
Passo Fundo
Pejuçara
Portão
Porto Alegre
Salto do Jacuí
Santa Cruz do Sul
Santa Maria
Sant’Ana do Livramento
Santiago
Santo Antônio da Patrulha
São Borja
São Leopoldo
São Marcos
Sapiranga
Tapes
Taquara
Torres
Três Passos
Uruguaiana
Vacaria

Última atualização: 03/04


coronavírus



CREF2/RS mantém lista de normativas estaduais e municipais
Postado em 20/03/2020
Fonte: CREF2/RS

Diante da pandemia do coronavírus (COVID-19), o CREF2/RS tem recebido diversos questionamentos sobre como proceder quanto ao funcionamento das empresas registradas. Mesmo diante desta situação atípica, o Conselho não pode ordenar o fechamento, a abertura ou restringir o funcionamento dos locais que ofertam serviços na área de atividades físicas que estão devidamente regulares com a legislação vigente. Por isso, foi publicada, no dia 17 de março, uma Nota Técnica com orientações gerais para o exercício da profissão de Educação Física neste período.

O Conselho ressalta que a recomendação é que os estabelecimentos sigam as determinações dos órgãos federais, estaduais e municipais responsáveis. Diversos municípios do Estado estão publicando, diariamente, normativas com medidas que alteram o funcionamento de diferentes tipos de estabelecimentos, como academias, clubes e centros de treinamento.

Atento às demandas dos profissionais e proprietários de empresas da área, reunimos aqui as normativas estaduais e municipais disponíveis sobre o assunto, que afetam diretamente as atividades dos registrados. A lista não contempla a totalidade de cidades do Estado, mas está sendo atualizada constantemente. Caso tenha conhecimento de novas normativas em cidades do Rio Grande do Sul, envie as informações para o e-mail contato@crefrs.org.br e auxilie na atualização dos dados.

Rio Grande do Sul Decreto 55.154 Decreto 55.184 Decreto 55.240

Agudo
Alvorada Decreto 29 Decreto 78
Bagé Decreto 050 Decreto 053 Decreto 055 Decreto 057
Bento Gonçalves
Bom Jesus
Cachoeirinha Decreto 6860 Decreto 6876
Canela
Canoas
Capão da Canoa
Capão do Leão
Carazinho
Carlos Barbosa Decreto 3.536 Decreto 3.539
Caxias do Sul
Cotiporã Decreto 3.719 Decreto 3.726 Decreto 3.732
Eldorado do Sul
Erechim
Esteio
Estrela
Farroupilha
Flores da Cunha
Garibaldi
General Câmara Decreto 024 Decreto 041
Gravataí
Gramado
Ijuí
Joia
Lajeado
Liberato Salzano
Não-Me-Toque
Nova Petrópolis
Novo Hamburgo Decreto 9.197 Decreto 9.206
Osório
Passo Fundo Decreto 32 Decreto 18/05 - Academias Decreto 18/05 - Serviços Gerais
Pejuçara
Portão
Porto Alegre Decreto 20.534 Decreto 20.562 Decreto 20.564 Decreto 20.583 Decreto 20.608 Decreto 20.623 Decreto 20.625 Decreto 20.639 Decreto 20.683
Rio Grande
Rolante
Salto do Jacuí
Santa Cruz do Sul
Santa Maria
Sant’Ana do Livramento
Santiago
Santo Antônio da Patrulha
São Borja
São Leopoldo Decreto 9.428 Decreto 9.591 Decreto 9.598
São Marcos
Sapiranga
Tapes
Taquara
Torres
Três Passos
Uruguaiana
Vacaria
Viamão

Última atualização: 11/08


coronavirus



CREF2/RS reabre CREF Serra em abril
Postado em 02/04/2019
Fonte: CREF2/RS

Atendendo uma das principais demandas dos profissionais que atuam no interior do Estado, o CREF2/RS está reabrindo o seu posto avançado em Caxias do Sul, no dia 12 de abril. O CREF Serra, que tem o intuito de facilitar o dia a dia dos mais de três mil registrados que moram na região, é a primeira iniciativa do Conselho dentro da sua proposta de descentralizar o atendimento que é feito na sua sede de Porto Alegre e nas visitas do Interiorizasul.

Fora de atividade desde 2017, o CREF Serra está retornando para auxiliar não só os profissionais que trabalham em Caxias do Sul, mas todos que residem ou atuam nas cidades próximas, como Bento Gonçalves, Carlos Barbosa e Farroupilha. A intenção do Conselho é fazer com que aqueles que precisavam se deslocar até Porto Alegre, para renovar a sua Cédula de Identidade Profissional ou para fazer o registro de sua empresa, não precisem mais ter o custo de uma viagem até a Capital, dando assim mais agilidade e comodidade aos atendimento.

“O CREF Serra está sendo reaberto porque, desde o início da nossa gestão, sentimos a necessidade de descentralizar os serviços e as ações de fiscalização. No futuro, também pretendemos abrir um posto de atendimento na zona sul do Estado e outro na fronteira”, explica o presidente José Edgar Meurer (CREF 001953-G/RS). “Nós estamos conhecendo cada vez mais a realidade dos profissionais que atuam no interior e que precisam se deslocar da sua região até Porto Alegre. Com uma sede em Caxias do Sul, poderemos estar mais perto dos registrados da Serra, orientando a atividade profissional de forma mais direta e reduzindo o tempo e o dinheiro que são gastos por eles”.

Neste primeiro momento, o CREF Serra irá funcionar com atendimentos pré-agendados, nas terças e nas quintas-feiras, das 14h às 18h. Oferecendo os mesmos serviços que estão à disposição na sede em Porto Alegre, o local está preparado para emitir a Cédula de Identidade Profissional, realizar reuniões de Câmaras Técnicas e audiências com profissionais, assim como para receber e analisar documentos para registro de Pessoas Físicas e Jurídicas. “O trabalho do CREF Serra não envolve somente o atendimento aos profissionais, aos recém-graduados e à sociedadel. Com a presença física do Conselho em Caxias do Sul, também estamos programando uma fiscalização mais efetiva na região, o que vai contribuir de maneira muito significativa para a valorização de toda a profissão”, avalia Meurer.

CREF Serra
Atendimento nas terças e nas quintas-feiras, das 14h às 18h
Endereço: Avenida Rio Branco, 840/703 – Bairro São Pelegrino
Agendamento neste link


CREF Serra



Conselho comemora 40 anos da Ginástica Laboral no Brasil com workshop neste sábado
Postado em 30/11/2018
Fonte: CREF2/RS

Em celebração aos 40 anos da implantação da Ginástica Laboral no Brasil, o CREF2/RS irá realizar no sábado, dia 1º de dezembro, o workshop “Ginástica Laboral: Os Desafios e Oportunidades do Mercado”. O evento, com entrada gratuita e aberto para profissionais e acadêmicos de Educação Física, ocorrerá das 9h às 12h, na FADERGS, em Porto Alegre. As inscrições poderão ser feitas diretamente no local.

O workshop vai iniciar às 9h, com a palestra “Como Criar e Comercializar Programas de Ginástica Laboral”, ministrada por Alessandro Gonçalves (CREF 005863-G/RS). Com larga experiência na área, o conselheiro do CREF2/RS reforçará a prerrogativa dos profissionais de Educação Física como protagonistas da Ginástica Laboral, bem como discorrerá sobre a melhor forma de planejar e vender programas de Ginástica Laboral. A partir das 10h30, ocorrerá um workshop prático de execícios, com o encerramento das atividades previsto para as 12h.

Graduado em Educação Física pela UFRGS, Gonçalves é mestre em Reabilitação e Inclusão pelo IPA e também pós-graduado em Ergonomia do Trabalho e em Gestão de Pessoas Estratégicas e Negócios. Atualmente é diretor da GPA Soluções m Educação e Saúde Corporativa, empresa com 15 anos de atuação no mercado da Ginástica Laboral.

Workshop Ginástica Laboral: Os Desafios e Oportunidades do Mercado
Data e horário: 1º de dezembro, sábado, das 9h às 12h
Local: FADERGS – Sala 204
Endereço: Avenida João Pessoa, 1107 – Bairro Farroupilha
Inscrições gratuitas no local (com emissão de certificado aos participantes)


palestras eventos



Ginástica Laboral faz 40 anos de existência no Brasil
Postado em 27/11/2018
Fonte: CREF2/RS

Em 2018, o Sistema CONFEF/CREFs, em conjunto com a sociedade brasileira, celebram os 40 anos da implantação no país da Ginástica Laboral, uma ferramenta extremamente importante para a manutenção da saúde dos trabalhadores. Tanto em nível mundial, como nacional, a evolução desta atividade esteve intimamente ligada às transformações do mundo do trabalho e às demandas relativas à saúde dos trabalhadores. O novo ritmo de produção imposto pela Revolução Industrial, que implementou linhas de produção em série, através de grandes cadeias de produção seriais, forçaram os operários a realizar diariamente milhares de movimentos repetitivos. Ao mesmo tempo que esse gigantesco desenvolvimento manufatureiro aumentou em muito a eficiência e a produtividade, gerou em contrapartida o crescimento exponencial de novas doenças laborais, como Lesões por Esforço Repetitivos (LER), Distúrbios Osteo-Musculares (DORT), além de acidentes no chão de fábrica. Este quadro preocupante alertou pesquisadores, médicos, empregadores e sindicatos ao redor do mundo para os sérios prejuízos à saúde dos trabalhadores, acarretados pela produção massiva que se estendeu pelas cidades e campos.

O afastamento do trabalho por problemas de saúde ainda é uma realidade crescente no Brasil. De acordo com o Anuário do Sistema Público de Emprego e Renda do Dieese compilado a partir de informações do Ministério do Trabalho, em 2015, foram contabilizados 181,6 mil casos de natureza diretamente relacionada ao ambiente profissional – o que representa uma alta de 25% comparado aos dez anos anteriores.

Para elaborar uma resposta aos novos problemas laborais e proporcionar um ambiente mais sadio e seguro aos trabalhadores, fez-se necessário um estudo profundo de cada seção de trabalho, do quadro funcional, dos turnos, das características da organização e dos seus diversos setores. Estava nascendo a Ginástica Laboral, que em seus primórdios era denominada “ginástica de pausa”, implantada na indústria europeia com o objetivo de dar repouso ativo aos operários por alguns períodos durante sua jornada de trabalho. A partir deste momento histórico, a ideia toma força e se dissemina pelo mundo.

No Brasil, o Rio Grande do Sul foi pioneiro oficial na implantação do programa, quando no dia 22 de novembro de 1978, tendo como protagonista a Escola de Educação Física da FEEVALE-RS, efetivou-se o primeiro contrato com uma empresa da região para a implantação de um programa de Ginástica Laboral, baseado em análises biomecânicas e estruturada pelos profissionais de Educação Física da instituição, bem como através de parcerias com o SESI da região. A data virou um marco histórico para a atividade, tanto que em vários estados do país, o dia 22 de novembro é oficialmente considerado o Dia da Ginástica Laboral, referência importante para reforças ao conjunto da sociedade sobre o valor que estes programas têm para a saúde e para a produtividade sustentável.

Como observa o conselheiro do CREF2/RS e Ergonomista do Trabalho, Alessandro Gonçalves (CREF 005863-G/RS), o atual modelo de Ginástica Laboral representa uma importante ferramenta ergonômica e exerce papel fundamental no equilíbrio entre a saúde, produtividade e qualidade de vida dos trabalhadores envolvidos nos programas. “Utilizar a Ginástica Laboral de forma estratégica, alinhada com ações de ergonomia e segurança ocupacional é um diferencial competitivo em empresas que entendem o passado, trabalham o presente e constroem o futuro”, assegura. Alessandro explica que a atuação do profissional de Educação Física frente a programas de Ginástica Laboral exige conhecimentos em diversas áreas. “Entender o contexto em que as organizações estão inseridas irá atribuir um ganho de competitividade aos profissionais, já que a função exige identificação com o sistema de trabalho das empresas clientes. Também é obrigatório conhecer as cadeias musculares, exercícios de alongamento, relaxamento e fortalecimento muscular. Além disso é preciso entender os componentes da música, a ludicidade, o equilíbrio, a propriocepção e as rotas metabólicas”, enumera.

Alessandro argumenta que a Ginástica Laboral é aplicável onde houver trabalho, pois sempre haverá riscos biomecânicos envolvidos, portanto os programas de GL têm vários ambientes para se desenvolver. Um novo mercado a ser explorado são as zonas agrícolas. “Apesar de ainda não estar muito difundida, a prática de Ginástica Laboral em ambientes rurais pode garantir aos trabalhadores e empregadores os mesmos benefícios encontrados e já mensurados nas empresas, cujas sedes encontram-se em locais urbanizados”.

É o que acontece em Américo Brasiliense (SP), onde cerca de 200 cortadores fazem diariamente Ginástica Laboral antes de começar a trabalhar. O objetivo é prevenir doenças como lesão por esforço repetitivo, que atinge com frequência os cortadores de cana. O projeto foi criado depois de uma norma regulamentadora de 2005 exigir das empresas melhoria nas condições de trabalho e ações de prevenção a acidentes de trabalho. Isso ocorre também nas grandes empresas da cadeia produtiva do frango no Rio Grande do Sul, como a Perdigão, a Doux/Frangosul e a Minuano, que oferecem uma ampla gama de benefícios assistenciais aos seus funcionários, entre eles programas de Ginástica Laboral nas suas linhas de produção.  

De fato, são os resultados quantitativos na melhora da saúde do trabalhador e do consequente aumento da produtividade, advindo do bem-estar proporcionado pelo programa, que tornaram a Ginástica Laboral em uma atividade econômica consolidada no mercado. Segundo a presidente da Associação Brasileira de Ginástica Laboral (ABGL), Cynara Cristina Pereira (CREF 068042-G/SP), o programa está implantado em inúmeras empresas de diversos segmentos por todo o país e cresce na medida em que profissionais de Educação Física tem se especializado para desenvolver os programas, a partir da publicação e da demonstração científica dos indicadores de resultados, e se fortalece quando inovações bem sucedidas são aplicadas nos ambientes corporativos. “Dados científicos informam que o passivo gerado pelas das doenças laborais, os afastamentos e o absenteísmo oneram três vezes mais a empresa que todos os custos somados de produção, aí inclusos matéria-prima, os insumos, os salários e a logística. Portanto, é muito mais inteligente investir em programas de promoção da saúde e qualidade de vida no trabalho”, avalia.

O Rio Grande do Sul, além de ter sido vanguarda na implantação da Ginástica Laboral no país, sedia empresas com sólida cultura de promoção da saúde dos trabalhadores. Um destes exemplos é o Banrisul S/A, cujo programa de Ginástica Laboral, de acordo com a conselheira do CREF2/RS e supervisora de Ginástica Laboral e Fitness do Banrisul Cláudia Lucchese (CREF 002358-G/RS), foi construído a “quatro mãos”. “Foi em 1999 que se formou uma comissão paritária de saúde, composta de membros representando os empregados indicados pelo Sindicato da categoria e membros representantes da Empresa, dando início a um projeto piloto em algumas agências, que após seis meses já tinha indicativo de expansão às mais de 500 agências do Banrisul”, constata. Cláudia esclarece que o objetivo do programa é a prevenção das Lesões por Esforços Repetitivos – LER, especificamente os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho – DORT e promoção da saúde ocupacional dos empregados da empresa.

Conforme a supervisora, desde a implantação poucas vezes ocorreram interrupções no programa. “Até porque esta atividade faz parte do acordo coletivo selado pelo Sindicato com o Banco". O maior problema, explica Claudia, se dá por conta da morosidade nas licitações públicas, acarretadas pelo formalismo no procedimento. “Importante ressaltar que por ser um programa qualitativo, o banco nunca buscou medidas de resultados em produtividade. A questão maior sempre foi a percepção subjetiva do empregado em relação ao programa. O quanto a prática da Ginástica Laboral colabora para a qualidade de vida no trabalho”, especifica. Os dados levantados entre os participantes pela supervisora demonstraram que 95% destes entendem que quando participam das atividades, sentem-se mais ativos, como menos desconfortos em relação às posturas exigidas no seu posto de trabalho. Também consideram que levantar da cadeira e mobilizar seu corpo e relaxar a mente tem sido o grande ganho com esse programa. “Hoje a média de participação no Banrisul é de 65% dos empregados. No momento, passamos novamente por um processo de licitação pública”, relata a supervisora.

Outro grande referencial para o setor é o Serviço Social da Indústria (SESI), pioneiro na área e grande divulgador da Ginástica laboral no país, constantemente reconhecida pelos serviços prestados em segurança e saúde no trabalho. Premiado com o Marca Brasil no período entre 2006 a 2017, distinção que reconheceu a excelente atuação do SESI em Ginástica Laboral, Medicina Ocupacional e Serviços para Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho (Sipat), o SESI ainda teve sua Ginástica Laboral eleita por 12 anos consecutivos como o melhor programa de GL do País.

Para o superintendente do Sesi-RS, Juliano Colombo, a Ginástica Laboral busca atuar como ferramenta de promoção de saúde do trabalhador, interagindo com a política corporativa da empresa. "Nosso objetivo é contribuir para a educação postural e adaptação funcional, além de estimular o exercício físico e o comportamento saudável. Com as ações de promoção da saúde, o Sesi-RS busca contribuir para o bem estar e o aumento da produtividade da indústria. A atividade começou no Brasil, em 1978, em parceria do Sesi gaúcho com a Feevale, com o projeto Ginástica Laboral Compensatória. Hoje atuamos com o Programa Sesi Ginástica na Empresa, em 114 companhias, alcançando cerca de 8.700 trabalhadores no estado", explica. Em todo o país, o SESI Ginástica na Empresa atende diariamente 750 mil trabalhadores de 2,5 mil indústrias.

Tendo em vista a importância da Ginástica Laboral para os trabalhadores e como mercado para os profissionais de Educação Física, o CREF2/RS irá comemorar os 40 anos da implantação da Ginástica Laboral no Brasil realizando na manhã do dia 1º de dezembro o “Workshop Ginástica Laboral: Os Desafios e Oportunidades do Mercado”. O evento, com público-alvo nos profissionais e estudantes de Educação Física, inicia às 9h, com a palestra "Como criar e comercializar programas de Ginástica Laboral" ministrada pelo conselheiro Alessandro Gonçalves (CREF 005863-G/RS). O conselheiro reforçará em sua fala a prerrogativa dos profissionais de Educação Física como protagonistas da Ginástica Laboral, bem como discorrerá como realizar um planejamento sólido para criar e comercializar programas de Ginástica Laboral. A partir das 10h30min, ocorrerá um workshop prático de execícios, com encerramento das atividades previsto para as 12h.

Workshop Ginástica Laboral: Os Desafios e Oportunidades do Mercado
Data e horário: 1º de dezembro, sábado, das 9h às 12h
Local: sala 204 da FADERGS
Endereço: av. João Pessoa, 1107, bairro Farroupilha, Porto Alegre/RS
Inscrições gratuitas e mais informações podem ser obtidas pelo site http://crefrs.org.br/eventos/laboral2018/. As vagas são vagas limitadas, e encerram no dia 29 de novembro, quinta-feira
Contato: 51-3288 0200
Organização: CREF2/RS
Apoio: FADERGS


Ginástica Laboral



DEFOR autua 15 estabelecimentos irregulares na primeira semana de novembro
Postado em 21/11/2018
Fonte: CREF2/RS

Os trabalhos do Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do CREF2/RS prosseguiram na primeira semana de novembro. Os agentes realizaram neste período 46 visitas de fiscalização, ações que resultaram em 15 estabelecimentos autuados por alguma irregularidade. Deste total, nove deles não possuíam registro da empresa e sete funcionavam sem profissional presente no momento da visita. Também foram flagrados sete academias permitindo a atuação de leigos em exercício ilegal da profissão.

Entre os dias 4 e 9 de novembro, os fiscais autuaram 17 pessoas, dentre elas nove leigos estavam em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio. Os agentes também constataram que três profissionais atuavam fora da área de formação e infringiam o Código de Ética Profissional, bem como quatro Responsáveis Técnicos descumpriam obrigações inerentes as suas funções e infringindo o Código de Ética Profissional, além de um diplomado atuando sem registro profissional.

Os municípios visitados durante o período foram Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires, Rio Pardo, Torres, Capão da Canoa, Xangri-lá, Osório, Farroupilha, Flores da Cunha, Casca, Marau e Água Santa. Qualquer denúncia de irregularidade pode ser encaminhada ao DEFOR pelo formulário disponível neste link.


DEFOR



CREF2/RS celebra os 40 anos da implantação da Ginástica Laboral no país promovendo um Workshop
Postado em 20/11/2018
Fonte: CREF2/RS

Em comemoração aos 40 anos da implantação da Ginástica Laboral no Brasil, o CREF2/RS realizará na manhã do próximo dia 1º de dezembro o “Workshop Ginástica Laboral: Os Desafios e Oportunidades do Mercado”. O evento, com público-alvo nos profissionais e estudantes de Educação Física, acontecerá das 9h às 12h, na sala 204 da FADERGS, em Porto Alegre. As inscrições são gratuitas até o dia 29 de novembro e as vagas limitadas. O evento terá carga horária de três horas e serão emitidos certificados online aos participantes.

O evento inicia às 9h, com a palestra "Como criar e comercializar programas de Ginástica Laboral" ministrada pelo conselheiro Alessandro Gonçalves (CREF 005863-G/RS). O conselheiro reforçará em sua fala a prerrogativa dos profissionais de Educação Física como protagonistas da Ginástica Laboral, bem como discorrerá como realizar um planejamento sólido para criar e comercializar de programas de Ginástica Laboral. A partir das 10h30min, ocorrerá um workshop prático de execícios, com encerramento das atividades previsto para as 12h.

Alessandro é pós-graduado em Ergonomia do Trabalho e em Gestão de Pessoas Estratégicas e Negócios, além de mestre em Reabilitação e Inclusão, com mais de 15 anos de experiência na área da Ginástica Laboral e saúde do trabalhador. Alessandro também é sócio-diretor da G2 Sports e consultor de academias.

Workshop Ginástica Laboral: Os Desafios e Oportunidades do Mercado
Data e horário: 1º de dezembro, sábado, das 9h às 12h
Local: sala 204 da FADERGS
Endereço: av. João Pessoa, 1107, bairro Farroupilha, Porto Alegre/RS
Inscrições gratuitas e mais informações podem ser obtidas pelo site http://crefrs.org.br/eventos/laboral2018/. As vagas são vagas limitadas, e encerram no dia 29 de novembro, quinta-feira
Contato: 51-3288 0200
Organização: CREF2/RS
Apoio: FADERGS


Ginástica Laboral



CREF2/RS autua sete estabelecimentos irregulares no final de outubro
Postado em 09/11/2018
Fonte: CREF2/RS

Os agentes do Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do CREF2/RS realizaram, entre os dias 21 de 27 de outubro, 17 visitas de fiscalização, atendendo totalmente oito denúncias, o que resultou em sete estabelecimentos autuados por uma ou mais infrações. Os fiscais constataram que três estabelecimentos não possuíam registro da empresa e dois funcionavam sem profissional presente no momento da visita. Além disso, outras quatro academias permitiam a atuação de leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio.

Os agentes também autuaram oito pessoas por inúmeras infrações, sendo flagrados seis leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE, um Responsável Técnico descumprindo obrigações inerentes a suas funções e infringindo o Código de Ética Profissional, além de um diplomado atuando sem registro profissional. As cidades visitadas foram Porto Alegre, Caxias do Sul, São Leopoldo, Sapucaia do Sul, Farroupilha, São Marcos e Flores da Cunha. Qualquer denúncia de irregularidade pode ser encaminhada ao DEFOR pelo formulário disponível neste link.


DEFOR



CREF2/RS fecha cinco academias irregulares
Postado em 22/08/2018
Fonte: CREF2/RS

Entre os dias 15 de julho e 4 de agosto, os agentes do Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do CREF2/RS realizaram 129 visitas de fiscalização, que resultaram no fechamento de cinco academias irregulares por não apresentarem nenhum profissional assumir as atividades no momento da visita. Foram atendidas totalmente 67 denúncias, com 17 estabelecimentos autuados por uma ou mais infrações. Deste total, nove deles não possuíam registro da empresa, 16 funcionavam sem profissional presente no momento da visita e outros sete permitiam a atuação de leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio. Ficou constatado que quatro academias descumpriam o Termo de Cooperação firmado com o Conselho.

Nestas três semanas, os fiscais também autuaram 19 pessoas, sendo sete leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio, seis profissionais atuando fora da área de formação e infringindo o Código de Ética Profissional, além de quatro responsáveis Técnicos descumprindo obrigações inerentes a suas funções e infringindo o Código de Ética Profissional, além de três diplomados atuando sem registro profissional. Também foi flagrado um profissional atuando com seu registro baixado. Os municípios visitados durante o período foram Porto Alegre, Gravataí, Caxias do Sul, Farroupilha, Passo Fundo, Canoas e Estância Velha.


DEFOR



Câmara Técnica de Corrida de Rua avança na elaboração da Cartilha de Trail run
Postado em 17/08/2018
Fonte: CREF2/RS

A Câmara Técnica de Corrida de Rua, presidida por Cláudia Ramos Lucchese (CREF 002358-G/RS), realizou sua reunião mensal no dia 15 de agosto, na sede do CREF2/RS, contando com representantes de empresas organizadoras de Trail run e membros das equipes de corrida desta modalidade. Na reunião, prosseguiu-se aprofundando a discussão dos tópicos que estarão presentes na Cartilha de Trail run, que será editada pelo CREF2/RS, e dirigida à divulgação aos praticantes, à sociedade e aos profissionais de Educação Física das noções de boas práticas para competir nesta modalidade, respeitando o meio ambiente e, principalmente, permitindo uma prática segura do esporte.

Anderson Freitas (CREF 025561-G/RS), membro da equipe Winners, explicou que durante a reunião os integrantes analisaram os itens obrigatórios que constarão na publicação. “Entre os objetos usados nas trilhas, constarão apitos localizadores, mochila ou cinto de hidratação, mantas térmicas e indicações de modelos adequados de tênis. Num primeiro momento, estes itens não serão obrigatórios, mas sim recomendados". Freitas argumenta que como no Rio Grande do Sul o esporte não está consolidado, e as empresas que organizam estes eventos ainda estão captando clientes, a imposição de muitas restrições prejudicaria a difusão do Trail run. “A solução encontrada pela Câmara foi a publicação desta cartilha de boas condutas, com o intuito de iniciar uma cultura de segurança nos competidores", acrescentou.

Segundo Anderson, outros tópicos da cartilha abordarão são a conduta dentro da trilha, o condicionamento físico adequado para a prática do Trail Run, qual a orientação correta a ser dada pelos profissionais de Educação Física aos competidores nestas provas, como se postar corretamente com o bastão da caminhada, qual o procedimento para a entrada e a descida nas trilhas, pois no ambiente em que ocorre o Trail Run, haverá pedras, limo, buracos e outros obstáculos naturais. Também será abordado qual o comportamento adequado ao avistar cobras, aranhas, escorpiões, colmeias de abelhas e outros animais silvestres nas trilhas Outro ponto debatido e que será incluído no documento é a sugestão ao competidor que informe seu Responsável Técnico no momento da inscrição nas provas. “Como ainda estamos num processo de migração de atletas de rua para o Run Trail, tentamos demonstrar que esta informação lhes dará segurança tanto física como legal, e será uma referência importante para que os organizadores saibam que o competidor está apto para a prova, chancelado por um profissional de Educação Física”, assegurou.

Anderson ressaltou que todos estes cuidados visam a implantação do esporte com o máximo de profissionalismo, cuidados pessoais e preservação ambiental no nosso estado. "Como a cultura do Trail run não está consolidada, já houve casos de risco para os competidores, como no caso em que uma mãe queria fazer uma trilha com seu filho acomodado em um carrinho de bebê, atitude barrada pelo organizador, dado o grau de riscos à que a criança estaria exposta. Ficando em apenas um exemplo hipotético, um incidente com abelhas no meio da trilha poderia provocar óbito do bebê rapidamente”, exemplificou. Anderson prevê que essa Cartilha, que visa a orientação dos novos esportistas e conscientização da sociedade e dos profissionais de Educação Física, reflete o esforço inicial, e que deverá ser constante, na educação e orientação dos participantes da modalidade, permitindo a assimilação desses bons hábitos que são sugeridos, permitindo aos competidores que ponderar qual a atitude mais recomendada às situações que ocorrem durante os percursos.

“Neste sentido, colocamos às empresas que neste primeiro momento eles até podem perder clientes, mas que isto será um filtro que revelará quais competidores estão realmente aptos para praticar o Trail Run, fato que trará mais segurança, tanto física dos competidores como jurídica dos organizadores. Neste sentido, já estamos planejando que a Câmara de Corrida de Rua institua um ranking para estas provas, que indicariam o nível de segurança e organização, baseados nos tópicos da cartilha”, complementa.

“A explosão do segmento Trail Run acontecerá a partir do momento em que as empresas se tornarem altamente profissionalizadas, o que me leva a crer que em dois anos teremos empresas de altíssimo nível no Sul do país. No momento, percebo que as equipes ainda não têm segurança em relação às exigências das empresas, pois os grupos de corrida estão no processo de migração do asfalto para a trilha”. Anderson constata que as empresas gaúchas ainda trabalham com um público restrito, com competições girando em torno de 200 atletas, e que podem alcançar 500 competidores em provas de maior destaque no calendário. No Rio Grande do Sul, o profissional cita alguns pontos mais conhecidos para competições de Trail Run locais como o Morro da Borússia, em Osório, o Salto Ventoso, em Farroupilha, o Ninho da Águias, em Nova Petrópolis, algumas trilhas de Taquara e o Morro da Apamecor, em Porto Alegre.

Freitas também analisou o processo de transição dos atletas de corrida de rua da capital gaúcha para as competições nas trilhas. "Pelas características urbanas de Porto Alegre, com sua geografia plana, ao percorrerem trilhas, o cliente inicialmente desfruta mais o meio ambiente e as belezas das trilhas, do que propriamente a competição, que demandaria fazer o trecho no menor tempo, levando equipamento para necessidades básicas de sobrevivência”, esclarece. Anderson acredita que este contato inicial com o esporte tende a ser mais lúdico porque em determinadas competições em trilhas exigem do atleta uma demanda de energia que pode chegar ao dobro ou até mesmo o triplo da utilizada em corridas de rua, trabalhando outro tipo de musculatura e outra rota metabólica, inclusive com passadas diferentes para cada tipo de terreno.

A próxima reunião da Câmara Técnica de Corrida de Rua está marcada para o dia 13 de setembro na sede do CREF2/RS. Na pauta serão estudados detalhadamente todos os tópicos da cartilha, com novas inserções de informações e orientações e adaptações de texto.


Câmara Técnica de Corrida de Rua



Evento na ULBRA traz experiências sobre alto rendimento esportivo
Postado em 06/07/2018
Fonte: CREF2/RS

O Elite Training Experience é um evento científico e prático que tem como objetivo levar até o profissional e estudante a melhor e mais profunda experiência sobre alto rendimento esportivo. O evento reúne um time de experts para proporcionar a vivência do alto rendimento em um dia inteiro de palestras. Profissionais registrados e em dia com o CREF tem 10% de desconto ao inserir o cupom 2020. Será exigida a apresentação da carteira profissional e a quitação da anuidade 2018.

A edição Ulbra Canoas terá a presença dos profissionais Andre Lopes, PhD em Ciências do Movimento Humano pela UFRGS, fisiologista da equipe de Judô do Clube SOGIPA, coordenador da Pós-Graduação em Fisiologia do Exercício da Faculdade SOGIPA, Daniel Carrasco, especialista em Fisioterapia esportiva, Fisioterapeuta da seleção brasileira de Judô, Fernando Raiser, professor de Educação Física, mestre pela Universidade de São Paulo, especializado em biomecânica de alto rendimento, autor de diversos artigos nacionais e internacional sobre desempenho e exercício físico, Tatiana Galdino, nutricionista esportiva com experiência em esportes de longa duração, como triátlon e maratonas, Ricardo Rambo, especialista em treinamento Físico pela Universidade de Moscou, desenvolvedor do método Russo de formação e treinadores, Valentim Magalhães, nutricionista com vasta experiência com atletas de diversos esportes e crítico científico e Wagner Zaccani, preparador físico da seleção brasileira de Judô.

Elite Training Experience
Data e horário: 14 de julho, das 8h30min às 17h30min
Local: Prédio 11 da Ulbra Canoas
Endereço: Avenida Farroupilha, 8001 - São José, Canoas – RS
Profissionais registrados e em dia com o CREF tem 10% de desconto ao inserir o cupom 2020 - Será exigida a apresentação da carteira profissional e a quitação da anuidade 2018.
Inscrições e mais informações neste link.


Eventos



CREF2/RS fecha três academias e autua outras 27 em duas semanas
Postado em 23/04/2018
Fonte: CREF2/RS

Em 14 dias, entre 25 de março a 7 de abril, os agentes do Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do CREF2/RS realizaram 74 visitas de fiscalização na semana, fechando três academias localizadas nas cidades de Alvorada, Canoas e Machadinho. Eles estavam irregulares pois não contavam com a presença de um profissional de Educação Física orientando as atividades. Para retornarem a funcionar normalmente, os proprietários deverão regularizar sua situação perante o CREF2/RS. Além disso, foram destaque as 32 denúncias encaminhadas à Comissão de Ética Profissional – DCE, os oito processos encaminhados de Denúncia Crime – DCL por exercício ilegal da profissão, além das 38 multas enviadas para empresas que descumpriram o Termo de Cooperação firmado com o Conselho.

Ao total, 37 denúncias foram totalmente atendidas, com 27 estabelecimentos autuados por uma ou mais infrações. Deste total, 10 deles não possuíam registro da empresa, 10 funcionavam sem profissional presente no momento da visita e outros seis permitiam a atuação de leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio. Duas academias descumpriam o Termo de Cooperação firmado com o Conselho.

Além do fechamento e autuação das academias, os fiscais também autuaram 22 pessoas por alguma infração, sendo seis leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio, dois profissionais atuando fora da área de formação e infringindo o Código de Ética Profissional, além de cinco responsáveis Técnicos descumprindo obrigações inerentes a suas funções e infringindo o Código de Ética Profissional e quatro diplomados atuando sem registro profissional.

Os municípios visitados durante o período foram Porto Alegre, Nova Petrópolis , Canela, Viamão, Alvorada, Canoas, Gravataí, Caxias do Sul, Boa Vista do Sul, Farroupilha, Agudo, Novo Cabrais, Sobradinho, Cachoeira do Sul, Marcelino Ramos, Machadinho, Barracão, Piratuba/SC e Ipira/SC.


DEFOR



DEFOR fecha três academias irregulares na primeira semana de setembro
Postado em 15/09/2017
Fonte: CREF2/RS

Entre os dias 3 e 9 de setembro, agentes do Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do CREF2/RS fecharam três academias nos municípios de Arroio Grande, Porto Alegre e Canoas. Elas estavam irregulares pois não contavam com a presença de um profissional de Educação Física orientando as atividades. Para retornarem a funcionar normalmente, os proprietários deverão regularizar sua situação perante o CREF2/RS.

Ao total, foram efetuadas 67 visitas de fiscalização no período, quando quatro denúncias foram totalmente atendidas e 19 estabelecimentos autuados por uma ou mais infrações. Dentre estes casos, cinco academias não possuíam registro da empresa; nove funcionavam sem profissional presente no momento da visita e oito permitiam atuação de leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio.

Além do fechamento e autuação das academias, os fiscais também autuaram 15 pessoas por alguma infração, entre eles oito leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio; cinco Responsáveis Técnicos descumprindo obrigações inerentes a suas funções e infringindo o Código de Ética Profissional além de dois diplomados atuando sem registro profissional.

Em seu trabalho interno, o DEFOR emitiu duas notificações para empresas e pessoa que não se regularizaram/justificaram após vencido o prazo de suas autuações, nove denúncias encaminhadas à Comissão de Ética Profissional – DCE e foram abertos quatro novos Processos Administrativos de Fiscalização – PAD FIS para empresas reincidentes em infrações gravíssimas. br>
Os municípios visitados na primeira semana de setembro foram Porto Alegre, Canoas, Esteio, Cachoeirinha, Pelotas, Pedro Osório, Arroio Grande, Caxias do Sul e Farroupilha.

Qualquer denúncia de irregularidade pode ser encaminhada ao DEFOR pelo formulário disponível neste link.


DEFOR



CREF2/RS fecha duas academias e autua outras 32 irregulares nas últimas duas semanas
Postado em 08/09/2017
Fonte: CREF2/RS

As equipes de fiscalização do DEFOR realizaram de 27 de agosto a 2 de setembro 41 visitas, quando autuaram 13 estabelecimentos por uma ou mais infrações, sendo que três academias não possuíam registro da empresa; três funcionavam sem profissional presente no momento da visita e cinco permitiam a atuação de leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio. Na ação, também foi fechada uma academia na cidade de Viamão, por não apresentar nenhum profissional para assumir as atividades.

Ao todo, 13 pessoas autuadas por alguma infração, sendo cinco leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio; sete Responsáveis Técnicos descumprindo obrigações inerentes a suas funções e infringindo o Código de Ética Profissional e um diplomado atuando sem registro profissional.

Os municípios visitados durante o período foram Caxias do Sul, Alvorada, Esteio, Viamão, Porto Alegre e Canoas.

Entre os dias 20 e 28 de agosto, foram autuados 19 estabelecimentos por uma ou mais infrações, sendo que destes seis academias não possuíam registro de empresa, oito funcionavam sem profissional presente no momento da visita e uma permitia atuação de leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio. O CREF2/RS também fechou uma academia em Porto Alegre, por não apresentar nenhum profissional para assumir as atividades.

Nesta ação, 19 pessoas autuadas por alguma infração, sendo 13 leigos em exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio; duas delas atuavam fora da área de formação e infringindo o Código de Ética Profissional e sete Responsáveis Técnicos descumpriam as obrigações inerentes as suas funções, infringindo o Código de Ética Profissional.

Os municípios fiscalizados na última semana de agosto foram Porto Alegre, Caxias do Sul, Farroupilha, Flores da Cunha, Antônio Prado, São Marcos, Sapucaia do Sul e Esteio.


DEFOR



CREF2/RS fecha quatro academias irregulares e autua 40 estabelecimentos
Postado em 11/05/2017
Fonte: CREF2/RS

O Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do CREF2/RS, em sua missão de proteger a saúde e zelar pela profissão, visitou 21 municípios entre os dias 23 de abril e 6 de maio, fechando oito academias irregulares distribuídas entre Porto Alegre, Triunfo, Viamão, Guaíba e Três Coroas. Os estabelecimentos não apresentavam profissional habilitado para orientar as atividades. Para voltar a funcionar, a empresa terá que, primeiramente, regularizar a sua situação.

Nas diligências, os agentes do DEFOR realizaram 81 visitas de fiscalização, autuando 40 estabelecimentos por alguma irregularidade, sendo 20 deles pela falta de registro no CREF2/RS, além de constatarem em outras 17 empresas a falta de profissional presente no momento da visita. Ao todo, foram autuadas 24 pessoas, destas 13 por exercício ilegal da profissão, além de oito Responsáveis Técnicos autuados por descumprir as obrigações inerentes à função, além de um diplomado sem seu registro profissional.

Foram visitados os municípios de Novo Hamburgo, Sapucaia do Sul, Campo Bom, Dois Irmãos, São Leopoldo, Nova Petrópolis, Caxias do Sul, Farroupilha, Porto Alegre, Viamão, Gravataí, Alvorada, Guaíba, Triunfo, Charqueadas, Sapucaia do Sul Sapiranga, Gramado, Três Coroas, Taquara, Rolante, Cruz Alta, Panambi e Não-Me-Toque.


DEFOR



CREF2/RS lamenta o falecimento do presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo
Postado em 29/11/2016
Fonte: CREF2/RS

A diretoria do CREF2/RS lamenta o falecimento e se solidariza com os familiares de Roberto Py Gomes da Silveira, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul (CAU/RS) e 2º vice-presidente Fórum dos Conselhos Regionais e Ordens das Profissões Regulamentadas do RS (FÓRUM-RS). Ele morreu aos 79 anos neste domingo, 27 de novembro, em Porto Alegre. O presidente lutava contra o câncer e estava afastado há sete meses para tratamento.

Roberto Py, entre outras atividades, foi diretor do Instituto do Patrimônio Histórico do Rio Grande do Sul (IPHAE), de 1991 a 1992, e do Colégio Farroupilha de Porto Alegre, de 2000 a 2009. Entre as contribuições para a capital gaúcha está o importante projeto desenvolvido para Prefeitura de Porto Alegre do Viaduto dos Açorianos, que liga a zona sul ao centro da cidade.


Nota de falecimento



UCS reúne profissionais da Serra durante I Seminário de Educação Física Escolar
Postado em 25/10/2016
Fonte: CREF2/RS

A universidade de Caxias do Sul (UCS) realizou, nos dias 22 e 23 de setembro, o I Seminário de Educação Física Escolar. O evento, que contou com as palestras da conselheira do CREF2/RS Marcia da CRUZ (CREF 007542-G/RS) e dos conselheiros do CONFEF Antônio Catunda (CREF 000001-G/CE) e Elisabete Laurindo (CREF 002036-G/SC), foi dedicado aos profissionais que atuam na rede municipal de Caixas do Sul e nas entidades de ensino pertencentes à 4ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE).

Com o objetivo de contribuir com a prática pedagógica dos docentes e proporcionar, através da troca de conhecimento, o repensar da Educação Física escolar, o Seminário iniciou com a palestra “Educação no Brasil – Contribuições da Educação Básica e recomendações para Educação Física Escolar”, ministrada pela Conselheira do CREF2/RS. Na sua apresentação, além de destacar os avanços obtidos pelo Sistema CONFEF/CREFs nos últimos anos, Marcia também salientou que a Educação Física precisa ser trabalhada de maneira ainda mais ampla nas escolas, para contribuir com a formação cidadã e com a saúde de todos os alunos.

Na parte da tarde, o evento prosseguiu com a palestra “Educação Física – Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental”, ministrada por Elisabete. Durante a sua apresentação, ela mostrou como a Educação Física pode contribuir para a apropriação de todas as linguagens e destacou que a ação dos professores devem proporcionar desafios às crianças, através de interações e brincadeiras. Segundo Elisabete, isto precisa ocorrer, sobretudo, porque “os professores necessitam assumir a defesa da Educação Física na escola”, declarou.

O segundo dia de Seminário iniciou, na parte da manhã, com a palestra “Educação Física Escolar – Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio”, ministrada por Catunda. O conselheiro do CONFEF propôs um diálogo acerca da responsabilidade pedagógica e das estratégias para o ensino, visto que o aluno passa a maior parte do tempo de aula realizando atividades que não são consideradas didáticas. Na sua apresentação, também foram expostos alguns aspectos da Declaração de Madrid, do European Mhysical Education Association, destacando que “não há educação sem Educação Física”. “O professor deve assumir o compromisso com a responsabilidade e com a qualidade da aula. Não adianta infraestrutura se o professor não está motivado para ensinar”, analisou.

No encerramento do Seminário, Marcia agradeceu a presença de todos e destacou a mobilização dos profissionais de Educação Física pertencentes à 4ª CRE, que foi representada por professores de 12 municípios da região da Serra: Caxias do Sul, Flores da Cunha, Picada Café, Nova Petrópolis, Nova Pádua, São Marcos, São Francisco de Paula, Cambará, Gramado, Canela, Farroupilha e Antônio Prado. Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), presidente do CREF2/RS; e Miryam Brauch (CREF 006834-G/RS), presidente da Comissão de Educação Física Escolar do Conselho; também estiveram presentes no evento.


Educação Física Escolar Seminário



Fiscalização realiza ações em conjunto com Crefito5 e visita evento em Novo Hamburgo
Postado em 15/09/2016
Fonte: CREF2/RS

O Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do CREF2/RS realizou, entre os dias 5 e 10 de setembro, diversas ações em todo o Estado. Em parceria com o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 5ª Região (Crefito5), por exemplo, foram feitas visitas em estabelecimentos localizados nas cidades de Antônio Prado e de Caxias do Sul, para verificar o funcionamento destas empresas e para orientar a maneira correta de trabalho, dentro das atribuições de cada profissão.

Além disto, o CREF2/RS também compareceu ao evento MIXturado, realizado em Novo Hamburgo. O objetivo desta visita foi tirar as dúvidas dos alunos, que participavam deste curso de formação, e esclarecer para o público que as atividades fitness somente podem ser ministradas por profissionais habilitados – bacharéis em Educação Física com registro no Sistema CONFEF/CREFs. Para Fernanda Rodrigues (CREF 009604-G/RS), coordenadora do DEFOR, a presença do Conselho em eventos como este é muito válida, pois é possível estar mais perto da sociedade: “Muitas pessoas não sabem que existe um órgão fiscalizador, que defende a sociedade e que tem o objetivo de só permitir que profissionais capacitados estejam no mercado”, comentou.

A Fiscalização também visitou as cidades de Viamão, Presidente Lucena, Farroupilha, Flores da Cunha, Cachoeirinha, Gravataí, Morro Reuter, Gramado, Três Coroas, Taquara e Campo Bom. Neste período, 23 estabelecimentos foram autuados por algum tipo de infração e duas academias tiveram as atividades suspensas, uma em Novo Hamburgo e outra em Igrejinha, por não apresentar um profissional habilitado no local e possuir registro de Pessoa Jurídica. Nestas ações, 23 pessoas foram autuadas, sendo 14 delas por exercício ilegal da profissão.


Fiscalização



DEFOR fiscaliza 57 municípios em julho e fecha cinco academias irregulares
Postado em 03/08/2016
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS divulgou nesta quarta-feira os dados relativos às fiscalizações realizadas em julho pelas equipes do Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR). A intensa movimentação dos fiscais, que visitaram 57 municípios nas mais diversas regiões do Estado, resultou em cinco academias fechadas. Ao todo, foram 297 visitas realizadas, que em algumas situações contou com o reforço do Conselho Regional de Nutricionistas (CRN-2) e do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO5).

Durante as diligências, 101 estabelecimentos foram autuados por uma ou mais infrações, sendo que destes 44 empresas estavam sem registro e em 35 PJs não havia profissional presente no momento da visita. Os fiscais autuaram 70 pessoas por alguma infração, destas 25 decorridas do exercício ilegal da profissão ou estagiários sem o TCE – Termo de Compromisso de Estágio, oito profissionais fora da área de atuação e 24 Responsáveis Técnicos descumprindo suas obrigações inerentes às funções.

Em seu trabalho interno, o DEFOR prestou 131 atendimentos ao público; protocolou 75 novas denúncias e 81 justificativas; foram enviadas 13 multas para empresas por descumprimento de Termo de Cooperação e 23 avisos de encaminhamento de empresas não registradas no Conselho para Ação Civil Pública, além de 15 novos Processos Administrativos – PAD FIS abertos.

Os municípios visitados pelo CREF2/RS em julho foram Caxias do Sul, Nova Pádua, Campestre da Serra, Porto Alegre, Cachoeira do Sul, Santana da Boa Vista, Candelária, Novo Cabrais, Paraíso do Sul, Cerro Branco, Araricá, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Nova Hartz, Ivoti, Rio Grande, São José do Norte, Pinto Bandeira, Nova Araçá, Guaporé, Farroupilha, Vacaria, Erechim, Estação, Getúlio Vargas, Campinas do Sul, Jacutinga, Barão de Cotegipe, Paulo Bento, Portão, Estância Velha, Campo Bom, Santo Ângelo, Porto Xavier, São Nicolau, Guarani das Missões, Sapiranga, Alecrim, Tuparendi, Tucunduva, Novo Machado, Porto Mauá, Porto Vera Cruz, Eldorado do Sul, Guaíba, Canoas, Sapucaia do Sul, Nova Santa Rita, Esteio, Aceguá, Hulha Negra, Candiota,Pinheiro Machado, Bagé, Dom Pedrito, Pedras Altas e Viamão.


DEFOR



CREF2/RS fecha duas academias na segunda semana de julho
Postado em 21/07/2016
Fonte: CREF2/RS

Os agentes do Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do CREF2/RS visitaram 20 municípios na segunda semana de julho, fechando duas academias; uma localizada em Portão, outra em Guaporé. Ambas tiveram suspensas suas atividades por permitirem o exercício ilegal da profissão e por não manter profissional habilitado orientando as atividades. Neste período, houve fiscalizações conjuntas com o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional – Crefito5.

De 11 a 15 de julho, foram realizadas 91 visitas de fiscalização, com 22 denúncias plenamente atendidas. Ao todo, 27 estabelecimentos foram autuados por uma ou mais infrações, dentre elas quinze empresas sem registro no Conselho, sendo que doze delas não havia profissional presente no momento da visita. Também houve dois descumprimentos de Termo de Cooperação, o que acarretará multas às academias autuadas por reincidirem em infrações gravíssimas.

No total, foram abertas doze denúncias éticas para profissionais que não se regularizaram após autuação por infringir o Código de Ética do Profissional de Educação Física. Estes terão de responder perante a Comissão de Ética do Conselho. Os municípios visitados foram Pinto Bandeira, Nova Araçá, Guaporé, Farroupilha, Vacaria, Erechim, Estação, Getúlio Vargas, Campinas do Sul, Jacutinga, Barão de Cotegipe, Paulo Bento, Portão, Novo Hamburgo, Estância Velha, Ivoti, Nova Hartz, Campo Bom, São Leopoldo e Porto Alegre.


DEFOR



CREF2/RS fecha mais cedo na quinta-feira
Postado em 06/07/2016
Fonte: CREF2/RS

Em razão da passagem da Tocha Olímpica nas proximidades do CREF2/RS, o horário de funcionamento do Conselho, amanhã, dia 7 de julho, será das 9h às 16h.
O CREF Serra abrirá no seu horário habitual.

A passagem da tocha olímpica por Porto Alegre vai gerar impacto no trânsito. Serão 77 condutores que percorrerão 15 quilômetros pelas ruas da cidade, entre 15h15min e 19h, passando por pontos turísticos como os parques Moinhos de Vento, Farroupilha e Marinha do Brasil, a orla do Guaíba e o Mercado Público, além do Largo Glênio Peres, onde será realizada a festa de celebração. Saiba qual o trajeto da Tocha aqui e vá prestigiar este símbolo olímpico.


Horário de atendimento



Fiscalização fecha academia em Minas do Leão e autua nove por exercício ilegal da profissão
Postado em 23/03/2016
Fonte: CREF2/RS

O Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do CREF2/RS fechou mais uma academia, desta vez em Minas do Leão. A ação, realizada entre os dias 29 de fevereiro e 11 de março, interditou o estabelecimento por não possuir registro no Conselho e um profissional habilitado orientando as atividades durante a visita. Para voltar a funcionar, a empresa terá que, primeiramente, regularizar a sua situação.

Os agentes fiscais do Conselho também estiveram, neste período, em cidades como Erechim, Marcelino Ramos, Antônio Prado, Flores da Cunha, Farroupilha, Porto Alegre, Caçapava do Sul, Minas do Camaquã, Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires, Dois Irmãos e Estância Velha. Foram atendidas 47 denúncias e, em consequência disto, outros 27 estabelecimentos acabaram sendo autuados por algum tipo de irregularidade.

Entre estes dias, nove pessoas também foram autuadas por exercício ilegal da profissão e dois profissionais por estarem atuando fora da sua área de formação – licenciados como instrutores de academia. Além disto, foram abertos 18 novos Processos Administrativos de Fiscalização, em virtude de irregularidades identificadas anteriormente e não sanadas até o momento ou de reincidências em infrações graves ou gravíssimas.

Números de 29 de fevereiro a 11 de março:

Academias vistadas em situação regular: 32
Denúncias atendidas: 47

Academias irregulares e autuadas: 28
Pessoa Jurídica sem registro no CREF2/RS: 10
Sem profissional de Educação Física presente no momento: 7

Exercício ilegal da profissão e estagiários sem termo de estágio: 9
Profissionais fora da área de atuação: 2
Processos Administrativos de Fiscalização abertos: 18


Fiscalização



Fiscalização do CREF2/RS fecha três academias em novembro
Postado em 20/11/2015
Fonte: CREF2/RS

Atendendo cerca de 70 denúncias e realizando visitas de rotina em diversos municípios do Estado, o Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do CREF2/RS já fechou três academias em novembro. Os estabelecimentos, localizados em Capitão, Esteio e Eldorado do Sul, tiverem as atividades suspensas por não possuírem registro junto ao CREF2/RS e não contarem com profissionais de Educação Física, devidamente habilitados, orientando as atividades físicas nos respectivos locais. Para voltarem a funcionar, estas empresas devem regularizar a sua situação.

Neste mês, a Fiscalização do CREF2/RS também compareceu ao 1º Workshop de Dança Fitness, realizado no Clube Caixeiros Viajantes, em Porto Alegre. Como as atividades do evento foram corretamente ministradas somente os profissionais habilitados, o CREF2/RS não realizou nenhuma autuação. A visita, entretanto, serviu para que o DEFOR esclarece as dúvidas dos profissionais presentes no local e salientasse, para todos que participaram do Workshop, a importância das atividades físicas serem ministradas exclusivamente por profissionais de Educação Física.

Em cidades como Caxias do Sul, Farroupilha, Passo Fundo, Carazinho, Gravataí Santa Cruz, Venâncio Aires e Guaporé, a Fiscalização do CREF2/RS também contabilizou diversas autuações por exercício ilegal da profissão, por profissionais atuando fora da área de formação e pela ausência de profissional habilitado no momento da visita. Outros municípios visitados em novembro foram Bento Gonçalves, Muçum, Gravataí, Soledade, Colinas, Roca Sales, Vera Cruz e Triunfo.


Fiscalização



Duas academias são fechadas pela fiscalização do CREF2/RS
Postado em 17/08/2015
Fonte: CREF2/RS

Entre os dias 10 e 14 de agosto, agentes do Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do CREF2/RS fecharam uma academia em Porto Alegre e outra no município de Pinto Bandeira. No primeiro caso, o estabelecimento não possuía certificado de registro junto ao Conselho, nem contava com a presença de profissional habilitado orientando as atividades físicas, constatando-se o exercício ilegal da profissão. Em Pinto Bandeira, a academia fiscalizada não possuía profissional habilitado para orientar os praticantes das atividades, tampouco para o acompanhamento obrigatório do estagiário que se encontrava no local. Para retornarem a funcionar normalmente, os proprietários deverão regularizar sua situação perante o CREF2/RS.

O DEFOR também visitou neste período os municípios de Caxias do Sul, Farroupilha, Nova Petrópolis, Palmares do Sul, Torres, Capivari do Sul, Capão da Canoa, Tramandaí, Viamão e Alvorada. O CREF2/RS está à disposição para receber, averiguar e encaminhar irregularidades praticadas por Pessoa Física ou Jurídica em exercício ilegal ou irregular da profissão ou que não zelem pela saúde física de seus clientes.


DEFOR



Fiscalização interdita academia em São Leopoldo
Postado em 29/07/2015
Fonte: CREF2/RS

Na última semana, uma ação de fiscalização realizada pelo CREF2/RS fechou uma academia em São Leopoldo, cidade da região metropolitana de Porto Alegre. O estabelecimento, que não possuía a presença de um profissional de Educação Física habilitado, também permitia o exercício ilegal da profissão no local.

Para voltar a funcionar, a academia deverá, primeiramente, regularizar a sua situação junto ao Conselho. Por se tratar de uma infração reincidente, o Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) deu o devido andamento interno ao caso.

Alvorada, Porto Alegre, Viamão, Sapiranga, Novo Hamburgo, Canoas, Sapucaia do Sul, Esteio, Farroupilha e Caxias do Sul são algumas das cidades que também foram visitadas na semana passada. Em algumas delas, o CREF2/RS contou com a parceria do Conselho Regional Nacional de Nutricionistas (CRN-2) para realizar fiscalizações conjuntas, com o intuito de coibir a presença de profissionais fora da sua área de atuação.

Na Serra Gaúcha, o CREF2/RS fiscalizou também um evento de Zumba Fitness. Na ação, cinco pessoas foram autuadas por exercício ilegal da profissão.


Fiscalização



Troféu Destaque 2015 abre votação na próxima quarta-feira
Postado em 09/07/2015
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS, com o objetivo de apoiar e valorizar os profissionais e estabelecimentos registrados no Conselho, está realizando mais uma edição do Troféu Destaque, em comemoração ao Dia do Profissional de Educação Física, celebrado em 1º de setembro. A votação ocorrerá de maneira online, pelo site do Conselho, entre os dias 15 de julho e 9 de agosto. A votação será aberta nas seguintes categorias, com os profissionais concorrentes abaixo:

Categoria Profissional de Escola:

GABRIEL LUIS DE ABREU (CREF 014587-G/RS)
Possui graduação pela UCS e, desde 2010, é professor da rede municipal de Farroupilha, onde atua na Escola de Ensino Fundamental Antonio Minella e treina o time feminino mirim de futsal do colégio. Trabalha também na rede municipal de Caxias do Sul, na Escola Renato João Cesa.

LUIS EURICO KERBER (CREF 001203-G/RS)
Possui graduação pela Feevale e pós-graduação em Ciências da Atividade Física – Aspectos da Medicina do Esporte. Atua na Educação Básica desde 2002 e como professor universitário da Feevale desde 2005. Trabalha também na rede municipal de ensino de Ivoti. Já desenvolveu projetos de atividades físicas de aventura na natureza e de promoção da saúde na escola.

VIRGINIA ROLIM WOLFFENBUTTEL (CREF 000055-G/RS)
Possui graduação pela UFRGS e atua na Educação Física escolar há 30 anos. Na Escola Estadual Mariz e Barros, em Porto Alegre, coordena há mais de 10 anos a equipe de handebol masculino Jovem Talentos, que já participou e venceu diversos campeonatos municipais e estaduais.

Categoria Profissional do Esporte Educacional:

JORGE LUIZ BRANDLI FERNANDES (CREF 001674-G/RS)
Possui graduação pela UFSM e mestrado em Ciência do Movimento Humano. É técnico de handebol das equipes Margaria Lopes/ASH e ASH/Praxis AS e professor do curso de Educação Física da Ulbra Santa Maria. Possui também experiência como atleta profissional e árbitro de handebol.

LUIZ AFONSO GOMES (CREF 000484-G/RS)
Possui graduação pelo IPA, mestrado em Ciências Sociais e especialização em Basquete e em Futebol. É o docente mais antigo do IPA, onde atua desde 1980. Coordena o curso de pós-graduação Futebol e Futsal: do Treinamento à Gestão e atua na área de ensino-aprendizagem em treinamento, performance, avaliação e motivação.

RICARDO BASTOS SIKILERO (CREF 002835-G/RS)
Possui graduação pela UFRGS e especialização em Gestão no Esporte. É coordenador de esportes e professor do Colégio La Salle São João, de Porto Alegre, e da Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul, onde é responsável pela organização dos Jogos Escolares (JERGS – 1ª CRE). Como técnico desportivo, já atuou no Lindóia Tênis Clube, na Associação Leopoldina Juvenil, no Grêmio Náutico Gaúcho e no Teresópolis Tênis Clube.

Categoria Profissional de Paradesporto e Atividade Adaptada:

FABIANE PEREIRA PÓVOA (CREF 008729-G/RS)
Possui graduação pela Ulbra e especialização em Arte, Corpo e Educação. É professora de dança em cadeira de rodas, desde 2013, da Escola Paralímpica Gaúcha, vinculada ao RS Paradesporto. Já atuou no Centro de Estudos da Atividade Motora Adaptada, da Ulbra, e na Associação Canoense de Deficientes Físicos. Desde 2014, trabalha também na APAE Eldorado, com dança e Educação Física adaptada.

FELIPE DE OLIVEIRA MOTTA (CREF 006765-G/RS)
Possui graduação pela UFPel e é professor da Escola de Educação Especial José Alvares de Azevedo, em Rio Grande, que atende deficientes visuais. É técnico de atletismo pelo Comitê Paralímpico Brasileiro e já participou de três Paralimpíadas Escolares: duas como treinador da equipe de atletismo do Rio Grande do Sul e uma como staff de goalball do Estado.

TIAGO JOSÉ FRANK (CREF 015592-G/RS)
Possui graduação pela UCS e é coordenador do setor de Paradesporto e Lazer Inclusivo da Secretaria Municipal do Esporte e Lazer de Caxias do Sul. Atuou como supervisor do Centro Integrado das Pessoas com Deficiência (CIDEF/UCS) e como técnico da seleção brasileira sub-21 de basquete em cadeira de rodas, tornando-se campeão Parapanamericano em 2013. Dedica-se ao desenvolvimento e promoção de atividades de esporte e lazer para pessoas com deficiência.

Categoria Profissional de Recreação e Lazer:

DESIRE LACRETA MARIDAKIS (CREF 006536-G/RS)
Possui graduação e especialização pelo IPA, é ex-atleta profissional de voleibol e funcionária, desde 1985, da Prefeitura Municipal de Canoas. Atua há 26 anos no Centro Olímpico Municipal (COM), que oferece programas de atividade física, de esporte, de lazer e escolinhas esportivas à comunidade.

JAIME ZORZI (CREF 000207-G/RS)
Possui graduação e pós-graduação pela UFRGS e experiência de mais de 30 anos na Secretaria Municipal de Educação e na Secretaria Municipal de Esportes, Recreação e Lazer de Porto Alegre. Foi coordenador do Parque Ramiro Souto, na Redenção, que oferece diversas atividades à população, como brinquedoteca, caminhadas orientadas e ginástica.

REJANE PENNA RODRIGUES (CREF 002150-G/RS)
Possui graduação pela Escola Superior de Educação Física de Cachoeira do Sul e foi, durante três gestões, secretária de Esportes, Recreação e Lazer de Porto Alegre. É ex-secretária Nacional do Desenvolvimento de Esporte e de Lazer, vinculada ao Ministério do Esporte, e ex-diretora de operações e serviços da Autoridade Pública Olímpica, no Rio de Janeiro.


CREF2 RS



CREF2/RS em Revista: a gravidade da obesidade infantil
Postado em 18/11/2014

Reportagem publicada originalmente no CREF2/RS em Revista nº 7. A publicação pode ser lida na íntegra aqui.

A obesidade é considerada hoje uma epidemia. De acordo com pesquisa publicada pela revista científica Lancet, em maio deste ano, aproximadamente 2,1 bilhões de pessoas estão acima do peso no mundo inteiro. O número não para de crescer e já é motivo de preocupação entre os cientistas. Se em 1980 eram "apenas" 875 milhões de indivíduos nesta faixa, a instituição norte-americana National Survey Data prevê que em 2030 51,1% da população do planeta – porcentagem estimada em cerca de 4 bilhões de seres humanos – será formada por pessoas com excesso de peso.

"A obesidade está relacionada com as maiores pandemias modernas, como depressão, alguns tipos de câncer, diabetes e doenças cardiovasculares", salienta Amélio Matos, médico do Instituto de Diabetes e Endocrinologia do Rio de Janeiro, no documentário "Muito Além do Peso". Se os números atuais e a perspectiva para o futuro já são motivo de atenção entre os adultos, o quadro se torna ainda mais preocupante quando é avaliada apenas a população infantil. No Brasil, em 1989, 4,1% dos meninos de 5 a 9 anos foram classificados como obesos, segundo pesquisa realizada pelo IBGE. Os dados do mesmo estudo, feito em 2008 e 2009, apontaram que 16,6% desta população apresentava o mesmo problema. O índice registrou, portanto, que a obesidade infantil aumentou 300% só nos últimos 20 anos. Por quê?

"A obesidade é o distúrbio mais comum na infância hoje e, na minha opinião, o fato de ter aumentado tanto nos últimos anos está associado às mudanças no estilo de vida da população", avalia Rafael Gambino (CREF 009460-G/RS), professor de Educação Física da Prefeitura Municipal de Esteio e mestre em Ciências do Movimento Humano. "A má alimentação e o consumo exagerado de alimentos hipercalóricos, associada às rotinas apressadas das famílias, são fatores responsáveis pelo excesso de peso e colaboram para agravar o problema", completa.

E não é só isso. As crianças deixaram de brincar como antigamente e praticar esportes. Para elas, hoje em dia, o lazer é muito mais sinônimo de computador e videogame do que de atividade ao ar livre. "O exercício físico ficou em segundo plano, porque falta espaços apropriados, há violência e falta de segurança. Além disto, os pais não têm tempo para levar os filhos para brincar", explica Fabiani da Silveira (CREF 002949-G/RS), professor de Educação Física dos colégios Farroupilha e Sinodal do Salvador, ambos em Porto Alegre. "A atividade física deve andar paralela às demandas diárias, como a escola. Uma não exclui a outra, muito pelo contrário. O estudo e o exercício físico são fundamentais para a formação de nossas crianças".

ATIVIDADE FÍSICA NO AMBIENTE ESCOLAR

A rotina apressada dos pais passa para a escola parte da responsabilidade de incentivar a prática de atividade física e de tornar isto frequente no dia a dia das crianças. "O professor de Educação Física tem que mostrar que exercício é importante para a vida toda. A base da saúde está relacionada a ter hábitos saudáveis", explica Luiz Fernando Kruel (CREF 002211-G/RS), professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e coordenador do Grupo de Pesquisa em Atividades Aquáticas e Terrestres (GPAT)."O único profissional da área da saúde que atua regularmente junto às crianças em idade escolar é o profissional de Educação Física. Muitos não se dão conta disto", reforça.

Para muitas crianças, a aula de Educação Física é o único momento da semana em que é praticado algum tipo de exercício. Por isto, "o professor deve estimular o interesse do aluno com aulas dinâmicas, intensidades adequadas e, principalmente, promovendo a inclusão das crianças com sobrepeso e obesidade nas aulas", defende Adriane Vanni (CREF 003918-G/RS), professora do curso de Educação Física da URI – Campus Erechim. Kruel vai mais além e mostrar que a situação é ainda mais complexa. "Para elas, a obesidade pode ser só um problema estético e social, mas no contexto escolar atrapalha muito. Os estudos mostram que compromete o desempenho em aula e as crianças acabam sendo marginalizadas também. A questão do bullying é muito presente e precisa ser bem administrada em aula", explica.

Por esta perspectiva, o profissional de Educação Física passa a ser mais do que apenas o professor responsável pela disciplina. "Ele deve ser o ponto central deste processo, deixando claro para o aluno os benefícios da prática esportiva a favor da saúde e contra os problemas ocasionados pelo sedentarismo e pela obesidade", salienta Bettega Lopes (CREF 020725-G/RS), pesquisador e mestre em Fisiologia. "O papel da Educação Física é estimular nas crianças o gosto pela prática, de formas e maneiras diversas, contemplando o maior número de estímulos diferentes. A vida saudável e equilibrada decorre da boa iniciação que, basicamente, começa na escola com o profissional da área", complementa Silveira.



DOENÇAS DE ADULTOS

O GPAT, em trabalho feito em 2009, avaliou a evolução de crianças com sobrepeso, de sete a dez anos de idade, da rede municipal de Porto Alegre. O índice piorou com o passar do tempo, quando a amostra atingiu a faixa de 11 a 14 anos. "Elas saíram da infância e foram para a adolescência em quadro muito preocupante. O nível de obesidade, que era 25%, passou a ser 50% grave", relata Kruel. A síndrome metabólica, que era antes considerada doença apenas de idosos, passou a ser vista, pela primeira vez, também entre as crianças. "Nós começamos a achar alguns dados alarmantes. Além de hipertensos, a concentração de insulina no sangue ficava em 22,5 mg/DL, quando o normal é de aproximadamente 10 mg/dL. Isto sobrecarrega o pâncreas de maneira assustadora, levando ao que podemos classificar como diabetes tipo 2".

Como é possível perceber, os números apresentados relataram problema de saúde muito grave. A criança, já hipertensa, começa a ter resistência à insulina, o que passa a configurar quadro de síndrome metabólica na adolescência. Das crianças obesas analisadas pelo GPAT, 51% já tinham três ou mais fatores de risco. Se o ponto de corte é diminuído para um, a taxa passa a ser superior a 90%. "A gente não vê ninguém tratando isto. Nem na escola, que seria responsabilidade da Secretaria de Educação, nem nos postos de saúde", critica Kruel. "O que seria ideal? O trabalho conjunto para reverter este quadro. A gente percebe que estas crianças são todas sedentárias. A aula de Educação Física não é adaptada para que têm obesidade", complementa.

Para Kruel, o que é preciso diminuir são os problemas causados pelo sedentarismo. Não há dúvidas de que os fatores de risco podem ser amenizados com atividade física. "A importância do profissional de Educação Física é muito grande, principalmente daquele que atua na escola", explica. "O que a gente vê é a criança obesa que, por causa do bullying e de outras coisas, abandona a atividade física e passa a ser ainda mais sedentária. Nós tivemos conquista muito grande, principalmente em Porto Alegre, quando foi aprovada lei municipal que obriga a presença do profissional de Educação Física nas séries iniciais. Nós temos agora que dar um passo adiante e oferecer formação adequada e especializada para este profissional, para que ele saiba lidar com isto".

Por mais que a criança passe boa parte do dia na escola, a responsabilidade pelo combate à obesidade precisa ser estendida também aos pais, que devem se portar como exemplo. "Os adultos precisam, com urgência, rever suas posturas frente a estas questões básicas que fazem parte da formação inicial das crianças", analisa Silveira. "Prevenir é a palavra-chave. Oferecer estrutura básica, como boa alimentação e acompanhamento médico, além de espaços para brincadeiras, convívio social e exercício físico, é contribuição fundamental que deve vir de casa". "A família é a base para a mudança no estilo de vida. A criança que vive em ambiente onde todos agem de forma desregulada e desregrada tende a se incluir nesta rotina", complementa Gambino.

ALIMENTAÇÃO

Não é só o sedentarismo que preocupa os pesquisadores e profissionais de Educação Física. A alimentação das crianças também tem sido objeto de estudo de nutricionistas. "O que mais assusta é a oferta inadequada e precoce de doces, guloseimas e alimentos com alto teor de sódio e gordura, como salgadinhos, bolachas recheadas e sucos artificiais", analisa Ana Carolina Terrazan (CRN2 8330), nutricionista da Clínica Nutriossoma e especialista em Nutrição Infantil. "Em muitos casos, as famílias demoram a entender que a alimentação correta desde o princípio, ou seja, desde a gestação, é fundamental para a saúde da criança", complementa.

A nutricionista Camila Vargas (CRN2 8264) acredita que o ambiente escolar colabora também de outra maneira no controle da obesidade infantil. "A escola poderia inserir a disciplina de Educação Nutricional desde as séries iniciais. Trabalhos educativos que envolvam o tripé nutrição, saúde e doença pode conscientizar e elucidar a importância de se manter bons hábitos alimentares", defende. "É possível criar formas de incentivar isto, buscando envolver a criança no contexto da alimentação saudável, sempre associando à atividade física".



POSSÍVEIS SAÍDAS

Há diversas alternativas para amenizar – ou até mesmo solucionar – o problema da obesidade infantil no país. "Acredito, que o primeiro passo, antes de tudo, é pensarmos de que forma isto pode ser contido, para não nos depararmos mais com esta realidade que a cada dia é mais frequente", explica Lopes. O estímulo da prática esportiva é consenso entre todos os profissionais de Educação Física. "Não só em casa, mas também nas escolas, como forma de instituir hábitos e costumes mais sudáveis, como forma de prevenção aos inúmeros problemas que são consequência do sedentarismo", complementa.

Além disto, o combate à obesidade não pode começar apenas quando o aparecimento de doenças cardiovasculares, como a hipertensão, se torna quadro inevitável. "A questão que penso ser mais pertinente é: como prevenir?", alerta Silveira. "As nossas crianças necessitam de muito mais atenção em todos os aspectos, afinal, elas não são responsáveis por elas mesmas", complementa. A opinião é compartilhada por Gambino. "A principal prevenção é a manutenção do peso que, no caso das crianças, deve se dar com alimentação adequada associada à prática de atividade física regular. As crianças precisam se movimentar".

Para Ana Carolina, é possível criar formas de incentivar a boa alimentação também entre os pais. "Informação é sempre a melhor estratégia e mostrar os resultados também é importante. Os familiares gostam muito de ver que o esforço e as mudanças realmente fizeram diferença", explica. A conscientização dos pais é importante também na visão de Kruel, já que muitos não conseguem enxergar o problema dos filhos. "Em nossa pesquisa, das 213 mães que tinham filhos obesos, só 50 os viam nesta condição. Muitas classificaram como normal ou abaixo do peso", revela. "Os adultos, geralmente, têm dificuldade de aceitar que a criança precisa emagrecer. Nós temos notado isto. Em alguns casos, só a criança querer não é suficiente. Ela não possui tanta independência para saber o que é certo e o que é errado e decidir o que ela vai ou não fazer".

Outra coisa que deve mudar é a percepção de que atividade física para fazer efeito precisa ser difícil. "A criança obesa não tem que sofrer", considera Kruel. "Se o profissional de Educação Física souber dosar a carga do exercício, é possível ter atividade eficiente sem sofrimento. Desta forma, começa a ter aderência ao programa e os resultados definitivamente aparecem". Para Kruel, o caminho seria procurar atividades de baixo impacto e que sejam prazerosas. "Apesar de muitos já serem adolescentes, eles querem algo lúdico, que não seja aquela coisa monótona de ir para a academia. Ou seja, tem que ser uma atividade que eles se sintam brincando", conclui.

Para Rafael Gambino, é importante também que todas as crianças tenham a oportunidade de experimentar várias modalidades, individuais e coletivas, para decidir com qual se identifica. A atividade física pode ser competitiva, mas precisa ser aquela que a criança quer praticar. "Ela precisa explorar e experimentar todos os jogos e esportes. A criança precisa ser estimulada e participar o máximo possível de vivências motoras até que consiga se identificar e optar pela que mais desperta interesse", avalia. Para a aderência, a criança tem que sentir vontade e não ser obrigada a participar. "Os pais não podem considerar que a sua vontade será a mesma de seu filho. Os profissionais de Educação Física devem oferecer aos alunos a mais diversificada oportunidade de movimentos. Quando a criança optar por uma, de forma espontânea, não tenho dúvidas de que ela dará continuidade por longo período".

O último alerta fica para os pais. "Os adultos estão atrás das demandas do momento. Muitos acreditam que estar numa boa escola, que invista no lado cognitivo e ensine uma língua estrangeira, já é suficiente para a formação básica. Nós, profissionais de Educação Física, sabemos que isto é importante, mas só parte do contexto todo", comenta Silveira. "A prática de atividade física formativa e saudável, o investimento em alimentação correta e o acompanhamento da saúde é o que deve ser feito. As instituições responsáveis pelo trabalho com crianças necessitam desenvolver projetos para que os pais possam perceber que toda esta formação de base será fundamental para o futuro longe da obesidade".

PARA ASSISTIR: MUITO ALÉM DO PESO



O documentário "Muito Além do Peso" foi lançado em novembro de 2012, com objetivo de criar amplo debate sobre a qualidade da alimentação das crianças brasileiras e os efeitos da comunicação dirigida a elas. O filme, dirigido por Estela Renner, é reflexo do trabalho do Instituto Alana, organziação que busca sensibilizar e mobilizar a sociedade sobre os problemas decorrentes do consumismo na infância. "O documentário mostra que as crianças desconhecem o que é alimentação saudável, aprendem a comer de forma equivocada desde muito", conta a nutricionista Camila Vargas.

A obra mergulha no tema da obesidade infantil ao discutir porque 33% das crianças brasileiras pesam mais do que deviam. As respostas envolvem a indústria alimentícia, a publicidade, o governo e a sociedade de modo geral. Com histórias reais e chocantes, de crianças com menos de dez anos que já apresentam quadros graves de diabetes, hipertensão e colesterol, o filme promove interessante discussão sobre o tema, dando voz a especialistas do mundo todo. "Quando se fala de obesidade infantil, vemos que as crianças não brincam mais na rua, las ficam com só seus polegares em iPhones e iPods. Elas não se exercitam mais", comenta William Dietz, um dos entrevistados pelo documentário. Ele é diretor da Divisão de Nutrição, Atividade Física e Obesidade do Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos.

"Muito Além do Peso" pode ser assistido aqui.