Notícias



CREF2/RS participa de evento alusivo ao mês do idoso
Postado em 21/10/2021
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS participou no Paço dos Açorianos de Porto Alegre nesta quarta- feira, 20 de outubro, do Movimente-se, evento alusivo ao mês do idoso. A ação foi uma parceria entre o Conselho, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana e a EPTC, com apoio do Gabinete da 1ª dama de Porto Alegre e da Secretaria Estadual de Esporte e Lazer (SEL).

Durante o evento, a coordenadora da assessoria técnica da SEL e conselheira de CREF2/RS Carla Pretto (CREF 006564-G/RS) e o conselheiro federal do CONFEF Cláudio Franzen (CREF 003304-G/RS) ministraram uma aula de ginástica a um grupo da terceira idade. Após a atividade, os idosos foram servidos de frutas, pão e café. Também foram entregues 325 quilos de alimentos e 127 peças de roupas ao Gabinete da 1ª dama, resultado da campanha de arrecadação promovida pelo CREF2/RS.

O presidente do CREF2/RS, José Edgar Meurer (CREF 001953-G/RS) ressaltou a importância do exercício físico na terceira idade, sempre ministrado por profissionais de Educação Física. "A atividade física proporciona melhorias significativas no equilíbrio, na velocidade de andar, no reflexo, além de prevenir a osteoporose e suas consequências degenerativas".

Segundo o secretário adjunto de Mobilidade Urbana, Mateus Aires, a pandemia aumentou o sedentarismo, causando perda de relexos, em especial na terceira idade. "É muito importante a introdução da atividade física junto ao projeto de mobilidade física da EPTC objetivando a redução das lesões dos idosos em transporte públicos".

Carla Pretto, coordenadora da assessoria técnica da Secretaria Estadual de Esporte e Lazer (SEL) explicou a parceria do CREF2/RS com o projeto Pedestre Idoso. "Esta ação conjunta demonstra a importância da atividade física na terceira idade como forma de prevenção da morte por atropelamento, devido a perda de ação e reação, o desequilíbrio e os acidentes no interior de transportes coletivos. A parceria entre o CREF2/RS e a EPTC apontam para uma melhora dos índices de equilíbrio dentro do transporte coletivo, bem como da reação e dos relexos".

De acordo com o 2º vice-presidente do CREF2/RS, Alessandro Gamboa (CREF 001534-G/RS), uma das missões do Conselho é firmar parcerias com os órgãos públicos visando a divulgação da atividade física na sociedade, sempre com orientação do profissional de Educação Física. “Com isto, além de promover a saúde, fortalecemos a profissão”.


Movimente-se



Chapa 1 é vencedora nas eleições do CREF2/RS 2021
Postado em 07/10/2021
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS, em atendimento ao artigo 66 do seu Regimento Eleitoral, divulgou os resultados da eleição para seus membros realizada no dia 1º de outubro e homologada pelo Plenário do CREF2/RS em 6 de outubro de 2021. Com 1.661 votos válidos, foi declarada vencedora a Chapa 1 – GESTÃO E COMPROMISSO PROFISSIONAL – POR UM CREF DE TODOS, composta dos seguintes profissionais:
Membros Efetivos:
Alessandro de Azambuja Gamboa (CREF 001534-G/RS), Alexandre Gonçalves de Oliveira (CREF 000836-G/RS), André Luiz Lopes CREF (008061-G/RS), Augusto Winkel Saleh (CREF 010277-G/RS), Claudia Fachin Guarda CREF (012270-G/RS), Dayan Lazzaretti (CREF 006852-G/RS), Felipe Gomes Martinez (CREF 003930-G/RS), Kim Samuel Tavares (CREF 007425-G/RS), Tobias Adam de Sá (CREF 014070-G/RS), Vinicius Kaster (CREF 001548-G/RS)
Membros Suplentes:
Liliane Lamperti (CREF 008800-G/RS), Liege Pereira Gauterio (CREF 017513-G/RS), Renata Schaefer (CREF 023977-G/RS) e Sonia Maria Waengertner (CREF 007781-G/RS).

Entre as propostas da chapa vencedora, estão a abertura de uma sede do CREF2/RS em Pelotas, com o intuito de atender a região sul do estado; aproximar e valorizar os profissionais do Paradesporto perante o CREF2/RS; integração dos clubes esportivos junto ao Conselho e defender a importância da profissão e a efetividade de suas demandas nas políticas estaduais de educação, saúde, esporte e lazer.


ELEIÇÕES RESULTADO



Eleições do CREF2/RS acontecem em clima de tranquilidade
Postado em 01/10/2021
Fonte: CREF2/RS

O desafio de elaborar um processo eleitoral democrático, transparente e participativo nas eleições para conselheiro 2022/2024 foi alcançado com êxito pelo CREF2/RS. O processo de votação presencial ocorreu dentro da normalidade, respeitando o Regimento Eleitoral do Conselho. Disputam a eleição a chapa 1 Gestão e Compromisso Profissional – Por um CREF para Todos e a chapa 2 Mudança e Inovação.

O profissional de Educação Física Valmir Duarte Martins (CREF 002142- G/RS) votou pela manhã na sede de Porto Alegre. Segundo Martins, sua participação na eleição faz com que ele esteja realmente inserido na categoria. "Meu voto é pela boa prática e pela honestidade no exercício da profissão, e também por um Conselho que fiscalize estes atributos".

De acordo com o presidente da Comissão Eleitoral Jaques Hidalgo (CREF 002325-P/RS), a eleição tranquila e participativa é resultado da organização e do amadurecimento profissional da categoria. "Estas condições refletem diretamente no número de votantes, que vêm superando a eleição passada até o presente momento".

Para o fiscal da chapa 1 Alexandre Oliveira (CREF 000836-P/RS), toda eleição espelha a justiça e a valorização da profissão. "Cada processo eleitoral fortalece preceitos fundamentais da nossa profissão, como o registro de todos profissionais e pessoas jurídicas, além de fiscalização diuturna contra o exercício ilegal da profissão".

Segundo Francisco Menezes (CREF 000075), fiscal da chapa 2, o processo eleitoral manifestou que o profissional demanda fiscalização intensa para coibir irregularidades. "Isto demonstra uma categoria ativa e consciente, em um processo em contínuo aprimoramento".

O resultado do pleito deve ser anunciado nos próximos dias, após o cumprimento dos ritos elencados no Regimento Eleitoral.


ELEIÇÕES



CREF2/RS lança campanha de arrecadação de alimentos e roupas
Postado em 26/08/2021
Fonte: CREF2/RS

Em mais uma ação relativa ao Dia do Profissional de Educação Física, o CREF2/RS lança uma campanha de arrecadação de alimentos não-perecíveis e roupas nas duas sedes do Conselho (Caxias do Sul e Porto Alegre) e também em estabelecimentos parceiros da ação, tanto na capital como no interior. A adesão à campanha é facultativa e reservada às empresas com registro ativo no CREF2/RS.

Posteriormente, o material arrecadado será destinado às respectivas prefeituras e também para instituições previamente indicadas. As doações serão remetidas a organizações que auxiliam famílias carentes em todo Rio Grande do Sul. O período de doações vai de 1º de setembro a 30 de setembro, e a adesão será por meio online.

Os estabelecimentos que aderirem à campanha terão os locais de recolha divulgados nas redes sociais do CREF2/RS. Ao final da ação, serão divulgadas fotos e os resultados do total arrecadado. Quem optar por doar alimentos não-perecíveis, ou seja, os que podem ser armazenados por longos períodos de tempo, podem doar arroz, feijão, lentilha, macarrão, leite em pó, milho e outros assemelhados. Já as roupas precisam estar em boas condições de uso.

O Brasil iniciou o ano de 2021 com um aumento na taxa de pobreza extrema. Isto significa que o país tem atualmente mais pessoas na miséria do que antes da pandemia e em relação ao começo da década passada, em 2011. De acordo com os cálculos do Centro de Pesquisa Social da Fundação Getúlio Vargas (FGV Social), quase 27 milhões de pessoas estão nessa condição neste começo de ano, mais que a população da Austrália.

Portanto, neste grave momento pelo qual passa grande parte da população do país, sua solidariedade pode fazer a diferença na mitigação do sofrimento de várias famílias. Seja mais um parceiro desta campanha!
|
Utilize o formulário de inscrição para participar.


1º de Setembro



CREF2/RS realiza IX Fórum dos Coordenadores de Curso de Educação Física
Postado em 21/06/2021
Fonte: CREF2/RS

Na última sexta-feira, dia 18 de junho, a Comissão de Educação Física e Ensino Superior do CREF2/RS realizou, via online, seu IX Fórum dos Coordenadores de Curso de Educação Física do Rio Grande do Sul, que teve como tema Novas diretrizes da Educação Física - experiências na implementação. Nesta edição, o evento contou com três palestras nas quais foram apresentados resultados, achados e adequações, considerando os pontos negativos e positivos das Novas diretrizes da Educação Física.

O primeiro palestrante, Luís Eurico Kerber, coordenador da FEEVALE, explicou que a aplicação do novo modelo começou a ser gestado em 2015, com a reestruturação das licenciaturas. A partir deste momento, surge a Resolução que ampara a reformulação do currículo da Educação Física, período no qual a instituição é envolvida por inteira neste processo. Luís Eurico afirma que o curso ficou mais robusto, porém com o desafio de manter o colegiado com maior diversidade, considerando o enxugamento dos alunos.

Daniel Carlos Garlipp, coordenador da ULBRA, afirmou que a instituição teve que montar o currículo de 1600 horas comuns e dividir entre licenciatura e bacharelado. "Formamos dois currículos, ambos com 3420 horas. Neles entram as atividades integradoras, a partir de uma análise do que seja possível inserir sem que seja algo a parte”. No entanto, com a alteração na carga horária das disciplinas para mais, algumas disciplinas foram cortadas do currículo.

O coordenador da UNILASSALLE, Patrick explica que objetiva que o aluno consiga desenvolver uma melhor compreensão das principais áreas de atuação do profissional de Educação Física. “No projeto integrador 1, que vai acontecer no quarto semestre, o aluno vai passar pelo contexto da saúde, do condicionamento físico, pelo esportivo e pelo escolar, para que daí sim ele faça o que se pede na Resolução, ou seja, sua escolha por escrito da habilitação que ele queira seguir profissionalmente”.

Atualmente, o Fórum dos Coordenadores de Curso de Educação Física do Rio Grande do Sul, promovido pela Comissão de Educação Física e Ensino Superior do CREF2/RS, é considerado o principal canal de diálogo entre coordenadores sobre temas como políticas públicas, futuro da profissão, ocupação de espaços e formação profissional.


Fórum dos Coordenadores de Curso de Educação Física



CREF2/RS não compactua com manifestação com aglomeração e desrespeito aos protocolos sanitários
Postado em 03/03/2021
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS, assim como as demais entidades que integram o Comitê Estadual da Educação Física do Rio Grande do Sul, acredita que a melhor forma de alcançar os objetivos é através das ações que demonstrem aos governantes a importância do profissional de Educação Física como promotor de saúde neste momento de pandemia. 

O Projeto de Lei 144/2020, que busca tornar a Educação Física um serviço essencial em todo o Estado, também foi enviado para mais de 140 cidades, sendo aprovado em mais de 20 municípios. Este é o melhor caminho para chegarmos ao resultado esperado.


covid-19



Pesquisa busca identificar impacto do COVID-19 no mercado fitness
Postado em 19/08/2020
Fonte: CREF2/RS

A Universidade Europeia, com a colaboração de diversos pesquisadores brasileiros, está aplicando um questionário para identificar o impacto do COVID-19 no mercado fitness. O trabalho terá o seu resultado final disponibilizado de maneira pública, por meio de um relatório, que poderá auxiliar as organizações, as empresas e os profissionais de Educação Física a sistematizarem a gestão do seu trabalho num futuro próximo, no cenário pós-pandemia.

Você pode participar da pesquisa clicando neste link.

A realização deste trabalho conta com o apoio do Sistema CONFEF/CREFs, da startup GymCode, do Projeto Inteligência Esportiva da UFPR, do Grupo de Pesquisa e Estudos em Comunicação e Marketing no Esporte da USP e do Núcleo de Estudos em Gestão e Marketing Esportivo da UDESC. A participação é voluntária e anônima.


pesquisa covid-19



Comitê Estadual de Crise da Educação Física na COVID-19 articula novas ações
Postado em 22/06/2020
Fonte: CREF2/RS

O Comitê Estadual de Crise da Educação Física na COVID-19, formado por membros do CREF2/RS, da APEF-RS, da ACAD Brasil, do SINPEF/RS e da FIEP-RS, esteve reunido de maneira online na noite do último domingo, dia 21 de junho, para planejar as próximas ações que serão tomadas para a manutenção das atividades dos profissionais de Educação Física no Rio Grande do Sul. O objetivo principal do grupo é garantir que todos os estabelecimentos da área permaneçam abertos, proporcionando espaços de promoção da saúde para a população.

Os integrantes do Comitê são Alessandro Gamboa (CREF 001534-G/RS), Luciane Citadin (CREF 000100-G/RS), Rogério Menegassi (CREF 001080-G/RS), Ubirajara Brites (CREF 000416-G/RS), Carla Pretto (CREF 006564-G/RS), Fernando Sassen, Sílvio Silveira (CREF 001529-G/RS) e Everton Deiques (CREF 008538-G/RS).

De acordo com Gamboa, o Comitê Estadual de Crise da Educação Física na COVID-19 aproveitou o encontro remoto para definir um uma nova estratégia de atuação, que visa incluir a atividade dos profissionais de Educação Física no rol dos serviços essenciais do Estado. “A importância e os benefícios do exercício físico, sobretudo neste momento que vivemos, é um consenso, inclusive por parte do Governo Federal. Nos próximos dias, teremos encontros com representantes do Poder Público para que tenhamos este mesmo reconhecimento no Rio Grande do Sul, garantindo o funcionamento permanente das academias e dos estúdios”, frisa.

Na reunião, o grupo também avaliou como positivo o resultado da primeira ação do grupo, que barrou a proposta da Prefeitura de Porto Alegre, para que as academias voltassem a atender apenas um aluno por vez. “A articulação de um diálogo com a Câmara Municipal foi essencial para que a nossa área, assim como a sociedade, não tivesse ainda mais prejuízos. O esforço conjunto é para que o Comitê consiga ampliar esta conquista para o restante do Estado, respeitando sempre as medidas de segurança definidas pelos órgãos de saúde”, finaliza Gamboa.


covid-19 crise comitê



Comitê Estadual de Crise da Educação Física na COVID-19 é criado para enfrentar os desafios da pandemia
Postado em 19/06/2020
Fonte: CREF2/RS

Devido à longa duração da pandemia no país, o CREF2/RS, a Associação dos Profissionais de Educação Física do Rio Grande do Sul (APEF-RS), a Associação Brasileira de Academias (ACAD Brasil), a FIEP-RS e o Sindicato dos Profissionais de Educação Física do Rio Grande do Sul (SINPEF/RS) montaram o Comitê Estadual de Crise da Educação Física na COVID-19. O objetivo do grupo é batalhar pela profissão, resguardando os profissionais e as Pessoas Jurídicas, mantendo os estabelecimentos abertos e proporcionando espaços de promoção da saúde para a população.

Os membros do Comitê Estadual de Crise da Educação Física são Alessandro Gamboa (CREF 001534-G/RS), Luciane Citadin (CREF 000100-G/RS), Rogério Menegassi (CREF 001080-G/RS), Ubirajara Brites (CREF 000416-G/RS), Carla Pretto (CREF 006564-G/RS) e o empresário Fernando Sassen.

Segundo Gamboa, a primeira ação com resultados positivos do Comitê foi a sensibilização dos vereadores para que barrassem a proposta do Prefeito de Porto Alegre, de que as academias voltassem a atender apenas um aluno por vez, e não uma quantidade reduzida em relação à sua área, como está vigorando. “Iniciamos um intenso diálogo com a Câmara Municipal na sexta-feira, dia 12 de junho. Já no dia 15, os vereadores demoveram a ideia do Prefeito”, afirma.

O 2º Vice-presidente do CREF2/RS frisou importância da atividade física durante a epidemia do COVID-19, guardadas as devidas precauções propostas pelos órgãos de saúde. “Outras ações pleiteadas, em breve, serão linhas de crédito mais acessíveis, bem como isenções de impostos, argumentando o impacto positivo da atividade física na saúde da população, desonerando o sistema de saúde, entre outros”.


covid-19 crise comitê



Profissionais de Educação Física conquistam reconhecimento na CBO
Postado em 28/02/2020
Fonte: CREF1/RJ

Os profissionais de Educação Física foram reconhecidos pela Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), sob o código 2241-40, como “Profissional de Educação Física na Saúde”. A nova descrição foi adicionada no sistema em 17 de fevereiro deste ano. Com ela, a categoria passa a ter maior visibilidade dentro do Sistema Único de Saúde (SUS), podendo desenvolver as suas atividades com a respectiva remuneração, da mesma forma que as demais profissões da área da saúde.

Junto ao novo termo, há outras sete classificações: Avaliador Físico, Ludomotricista, Preparador de Atleta, Preparador Físico, Técnico de Desporto Individual e Coletivo (exceto futebol), Técnico de Laboratório e Fiscalização Desportiva, Treinador Profissional de Futebol. Com a inclusão da classificação número 2241-40, a descrição primária foi ampliada com a seguinte informação: “estruturam e realizam ações de promoção da saúde mediante práticas corporais, atividades físicas e de lazer na prevenção primária, secundária e terciária no SUS e no setor privado”.

Importante ressaltar que nas características do trabalho consta que “o exercício das ocupações da família requer formação superior em Educação Física, com registro no Conselho Regional de Educação Física”.

Entre as competências descritas na letra G do Código 2241-40, estão: realizar ações de promoção da saúde mediante práticas corporais, atividades físicas e lazer, que englobam realizar atendimento individual; realizar atendimento em grupos; realizar consultas compartilhadas; participar de eventos, campanhas, ações e programas de educação em saúde; promover atividades de educação permanente; promover ações em práticas integrativas e complementares; desenvolver ações de saúde nas escolas e centros culturais; promover atividades de lazer e recreação; realizar visitas domiciliares; trabalhar em rede de serviços; matriciar equipes; desenvolver ações de atividade física e práticas corporais inclusivas na saúde; estruturar ações de atividade física e práticas corporais na prevenção primária, secundária e terciária no SUS; estruturar ações de atividade física e práticas.

Sobre a CBO

A estrutura básica da CBO foi elaborada em 1977, resultado do convênio firmado entre o Brasil e a Organização das Nações Unidas – ONU, por intermédio da Organização Internacional do Trabalho – OIT, no Projeto de Planejamento de Recursos Humanos (Projeto BRA/70/550), tendo como base a Classificação Internacional Uniforme de Ocupações – CIUO de 1968.


CBO



Fiscalização do CREF2/RS realiza ação conjunta com Procon Porto Alegre
Postado em 10/01/2020
Fonte: CREF2/RS

No final de 2019, o Grupo de Agentes Fiscais do Fórum dos Conselhos Regionais e Ordens das Profissões Regulamentadas do Rio Grande do Sul (Fórum-RS) realizou mais uma ação conjunta com o Procon Porto Alegre. O CREF2/RS, em parceria com o órgão de defesa do consumidor da capital, visitou três estabelecimentos e autuou duas academias por algum tipo de irregularidade. Já o Procon notificou todas as empresas.

De acordo com a supervisora de Fiscalização do CREF2/RS Denise Candaten (CREF 017050-G/RS), a ação conjunta com o Procon é realizada regularmente e sempre traz resultados positivos não só ao Conselho, mas também aos proprietários de academia, que são orientados da melhor forma de prestarem os seus serviços, adequados às relações de consumo. Nestas visitas, o Procon Porto Alegre analisou contratos estabelecidos com clientes, anúncios publicitários e questões relacionadas à acessibilidade.


Fiscalização COF



CongregaCREF reúne profissionais e estudantes em Caxias do Sul
Postado em 11/11/2019
Fonte: CREF2/RS

No último sábado, dia 9 de novembro, o CREF2/RS realizou a quinta edição do CongregaCREF – Seminário Sul Brasileiro de Educação Física, em Caxias do Sul. O evento, pela primeira vez promovido em uma cidade fora de Porto Alegre, reuniu cerca de 50 profissionais e acadêmicos do curso de Educação Física para assistir às palestras conduzidas por Gustavo Callegari (CREF 004922-G/RS), Felipe Machado (CREF 008513-G/RS), Alex Souto Maior (CREF 004362-G/RJ) e Ivan Bagnara (CREF 005610-G/RS).

Contando com o conselheiro Alessandro Gonçalves (CREF 005863-G/RS) como mestre de cerimônias, o CongregaCREF iniciou às 9h, com um discurso de abertura feito pelo 2º vice-presidente Alessandro Gamboa (CREF 001534-G/RS). Além de agradecer a presença de todos, ele também destacou os esforços que o CREF2/RS tem feito para estar mais perto dos registrados do interior, seja com palestras ou com o CREF Serra – posto de atendimento em Caxias do Sul que foi reaberto início deste ano.

CrossFit e empreendedorismo

A primeira palestra da manhã, intitulada “AC/DC – antes do CrossFit e depois do CrossFit”, abordou os detalhes sobre esta modalidade. Além de contar um pouco sobre a história do CrossFit, criado na década de 90 nos Estados Unidos, Callegari também explicou como a sua chegada ao Brasil está mudando a prescrição do treinamento físico. “O CrossFit tinha muita resistência, porque achavam que lesionava bastante. Depois de quebrar este preconceito, a modalidade está conseguindo ter uma adesão maior do que a musculação tradicional, sendo praticado até mesmo por idosos e cadeirantes”, avaliou.

Na sequência, foi a vez de Machado fazer a apresentação “Motiva-AÇÃO! Atitudes empreendedoras unindo propósito com resultado”. Consultor de empresas e executive coach certificado pela Agência Nacional de Coaching, ele falou sobre as mais recentes inovações no mundo dos negócios, vinculadas ao conceito de gestão 4.0, e sobre a postura de liderança. “Na Educação Física, é importante que os profissionais desempenhem o papel de um agente de transformação, sempre atento ao que as novas tecnologias podem agregar. A boa comunicação é essencial no processo”, considerou.

Exercícios de força e Educação Física Escolar

Na primeira parte da tarde, os presentes puderam acompanhar a palestra "Exercícios de força para performance, prevenção de lesões e reabilitação", ministrada por Souto Maior. Pós-doutor em Fisiologia pela UFRJ e preparador físico de diversos atletas, como o jogador de futebol Vinícius Jr. e o lutador de UFC Thiago Marreta, ele trouxe para a discussão diversas análises sobre o treinamento físico e a melhor forma de aplicá-lo, aos diferentes tipos de público. “Não podemos comparar as pessoas que fazem atividade física como lazer com aqueles que são atletas de alta performance. No entanto, os exercícios que trazem os resultados mais eficientes – a maioria com pesos livres e pensados diante da funcionalidade do corpo humano – são os mesmos e deveriam ser mais indicados para todos os públicos”, explicou. Na sua apresentação, Souto Maior também trouxe exemplos daquilo que poderia ser melhor orientado pelos profissionais de Educação Física e como o domínio de todos os aspectos científicos do exercício é importante para quem atua na área.

O CongregaCREF encerrou com a palestra “Educação Física escolar: desafios da docência na contemporaneidade”, ministrada por Bagnara e dedicada para quem atua na área da Licenciatura. Pós-doutor em Educação nas Ciências, Ivan é professor do IFRS – Campus Erechim e abordou os desafios que envolvem a formação de professores e a docência na sua apresentação, atrelando estes tópicos à Base Nacional Comum Curricular e à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB 9394/96). Com grande experiência sobre este tema, Bagnara é um dos autores do livro “Educação Física Escolar: Política, Currículo e Didática” e atua como professor de Educação Física na Educação Básica há mais de 20 anos.


CongregaCREF Caxias do Sul CREF Serra



CREF2/RS realiza CongregaCREF neste sábado em Caxias do Sul
Postado em 06/11/2019
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS vai realizar neste sábado, dia 9 de novembro, a quinta edição do CongregaCREF, em Caxias do Sul. O evento, que tem o intuito de proporcionar a integração e o aperfeiçoamento dos registrados e dos acadêmicos do curso de Educação Física, contará com palestras e debates, levando ao público a vivência do conhecimento nas mais diferentes áreas da profissão.

Você ainda pode se inscrever gratuitamente no local e na hora do evento. As vagas são limitadas.

Neste ano, o CongregaCREF terá como palestrantes Gustavo Callegari (CREF 004922-G/RS), Felipe Machado (CREF 008513-G/RS), Alex Souto Maior (CREF 004362-G/RJ) e Ivan Bagnara (CREF 005610-G/RS). Confira a programação:

8h – credenciamento
9h – "AC/DC - antes do CrossFit e depois do CrossFit, como este esporte mudou a prescrição do treinamento", com Gustavo Callegari
10h45min - "Motiva-AÇÃO! Atitudes empreendedoras unindo propósito com resultado", com Felipe Machado
12h – intervalo para o almoço
13h30min – "Exercícios de força para performance, prevenção de lesões e reabilitação", com Alex Souto Maior
15h30min – "Educação Física escolar: desafios da docência na contemporaneidade", com Ivan Bagnara
17h – encerramento

Você pode conhecer os palestrantes aqui. Haverá emissão de certificado de 8 horas/aula para todos os presentes.

CONGREGACREF – V Seminário Sul Brasileiro de Educação Física – Caxias do Sul
Data e horário: 9 de novembro, sábado, das 8h às 17h
Local: Hotel Intercity Caxias do Sul – Sala Piemonte
Endereço: Avenida Therezinha Pauletti Sanvitto, 333 – Sanvitto


CongregaCREF Caxias do Sul CREF Serra



CREF2/RS realiza CongregaCREF em Caxias do Sul no início de novembro
Postado em 15/10/2019
Fonte: CREF2/RS

Em comemoração ao seu 20º aniversário, o CREF2/RS vai promover, em Caxias do Sul, no dia 9 de novembro, a quinta edição do CongregaCREF. O evento, que tem o intuito de proporcionar a integração e o aperfeiçoamento dos registrados e dos acadêmicos do curso de Educação Física, contará com palestras e debates, levando ao público a vivência do conhecimento nas mais diferentes áreas da profissão.

Você pode se inscrever gratuitamente neste link. As vagas são limitadas.

Em sua programação, o CongregaCREF terá como palestrantes Gustavo Callegari (CREF 004922-G/RS), falando sobre o tema "AC/DC - antes do CrossFit e depois do CrossFit, como este esporte mudou a prescrição do treinamento"; Felipe Machado (CREF 008513-G/RS), discorrendo sobre "Motiva-AÇÃO! Atitudes empreendedoras unindo propósito com resultado"; Alex Souto Maior (CREF 004362-G/RJ), com a apresentação "Exercícios de força para performance, prevenção de lesões e reabilitação"; e Ivan Bagnara (CREF 005610-G/RS), expondo o tema "Educação Física escolar: desafios da docência na contemporaneidade".

CONGREGACREF – V Seminário Sul Brasileiro de Educação Física – Caxias do Sul
Data e horário: 9 de novembro, sábado, das 8h às 17h
Local: Hotel Intercity Caxias do Sul
Endereço: Avenida Therezinha Pauletti Sanvitto, 333 – Sanvitto
* Haverá emissão de certificado de 8 horas/aula para todos os presentes.


CongregaCREF



Ciclo de Palestras CREF2/RS 20 Anos reúne profissionais e estudantes em Pelotas
Postado em 10/10/2019
Fonte: CREF2/RS

Na última terça-feira, dia 8 de outubro, o Conselho promoveu a segunda edição do Ciclo de Palestras CREF2/RS 20 Anos, em Pelotas. A atividade, realizada na ESEF/UFPel, reuniu cerca de 60 participantes, entre profissionais registrados e estudantes, para assistir às apresentações conduzidas por Marcelo Curth (CREF 011605-G/RS) e Felipe Machado (CREF 008513-G/RS).

A abertura do Ciclo em Pelotas foi feita pelo conselheiro do CREF2/RS e diretor da ESEF/UFPel Eduardo Merino (CREF 004493-G/RS), que saudou os presentes e salientou a importância do Conselho para o crescimento de toda a profissão. Na sequência, Curth ministrou a palestra “Empreendedorismo e Modelagem de Negócios da Educação Física”, em que apresentou um panorama do atual mercado de trabalho, os modelos de negócio existentes e as melhores oportunidades para quem quer empreender.

Doutor em Administração pela Unisinos, Curth é docente em nível de graduação e pós-graduação nas áreas de marketing e Educação Física e sócio-proprietário da Educare – Educação e Negócios, empresa especializada em consultorias em estratégias de marketing para pequenas empresas. Durante a sua apresentação, ele frisou que apenas 5% das pessoas praticam atividade física regularmente e que este dado pode servir de base para o desenvolvimento de diversas ideias. “O empreendedorismo não precisa ser apenas por necessidade, mas pode ser também por oportunidade. Há um espaço para cada modelo de negócio, não uma competição entre academias boutique e academias low cost”, explicou.

O segundo momento do evento teve a palestra “Motiva-Ação! Atitudes Empreendedoras unindo Propósito com Resultado”, ministrada por Machado. Mestre em Administração pela UFRGS, consultor e executive coach certificado pela Agência Nacional de Coaching e pelo Instituto Brasileiro de Coaching, ele falou sobre as mais recentes inovações no mundo dos negócios, vinculadas ao conceito de gestão 4.0, e sobre a importância dos profissionais adotarem uma postura de liderança dentro de suas carreiras.

Sócio-diretor da Mentori – Desenvolvendo Pessoas e Negócios, Machado também apresentou exemplos de academias e de profissionais que adotaram uma gestão correta de carreira e de ações de marketing digital que se mostraram extremamente eficazes. “Na Educação Física, assim como em qualquer outra área, é importante que os profissionais desempenhem o papel de um agente de transformação digital, sempre atento ao que as novas tecnologias podem agregar aos seus clientes. A boa comunicação e o domínio do processo de venda são essenciais nesse processo”, considerou.

O Ciclo de Palestras CREF2/RS 20 Anos ainda terá edições em Uruguaiana, Passo Fundo e Santa Cruz do Sul. As informações estão disponíveis neste link.


Ciclo 20 Anos Pelotas



CREF2/RS sorteia vaga em curso sobre treinamento de força
Postado em 25/09/2019
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS vai sortear uma vaga para o curso “Exercícios de Força para Performance, Prevenção de Lesões e Reabilitação - Teoria e Prática”, ministrado por Alex Souto Maior (CREF 004362-G/RJ). O evento ocorrerá no dia 5 de outubro, no Parque Esportivo da PUCRS, em Porto Alegre.

Para concorrer, é necessário fazer a inscrição neste link até o dia 2 de outubro. O sorteio vai ser realizado no dia 3 de outubro, na sede do CREF2/RS, a partir das 9h, pela primeira pessoa que chegar para atendimento. O resultado será divulgado no Facebook e o vencedor será comunicado por e-mail.

Todos profissionais registrados e em dia com o Conselho podem participar. O conteúdo programático da atividade e mais informações estão disponíveis na página www.convencaobrasil.com.br.

Exercícios de Força para Performance, Prevenção de Lesões e Reabilitação - Teoria e Prática
Palestrante: Alex Souto Maior (CREF 004362-G/RJ)
Data e horário: 5 de outubro, sábado, das 9h às 12h e das 13h30min às 16h30min
Local: Parque Esportivo PUCRS
Endereço: Avenida Ipiranga, 6690 - Prédios 80 e 81 - Partenon - Porto Alegre
Mais informações: www.convencaobrasil.com.br


Cursos



Ciclo de Palestras CREF2/RS 20 Anos ocorre em Pelotas no próximo mês
Postado em 19/09/2019
Fonte: CREF2/RS

Em comemoração ao seu aniversário de 20 anos, o CREF2/RS está realizando um ciclo de palestras em diversas cidades do Rio Grande do Sul. A terceira edição da atividade ocorrerá em Pelotas, no dia 8 de outubro, e vai abordar os temas “Empreendedorismo e modelagem de negócios na Educação Física”, em uma apresentação ministrada por Marcelo Curth (CREF 011605-G/RS); e “Motiva-Ação! Atitudes empreendedoras unindo propósito com resultado”, na palestra conduzida por Felipe Machado (CREF 008513-G/RS).

Com entrada gratuita para profissionais registrados e acadêmicos do curso de Educação Física, esta nova etapa do Ciclo de Palestras 20 Anos CREF2/RS vai ser realizada na UFPel/ESEF, das 19h às 21h45min. O evento terá a emissão de certificado online aos participantes e as inscrições já podem ser feitas neste link. As outras cidades que ainda vão receber o evento são Uruguaiana, Passo Fundo, Santa Maria e Santa Cruz do Sul.

Doutor em Administração pela Unisinos, Marcelo é docente em nível de graduação e pós-graduação nas áreas de marketing e Educação Física. Os seus temas de interesse são comportamento do consumidor e marketing de relacionamento. É sócio-proprietário da Educare – Educação e Negócios, empresa especializada em consultorias em estratégias de marketing para micro e pequenas empresas.

Já Felipe Mestre é mestre em Administração pela UFRGS, consultor e professor universitário nas áreas de gestão e desenvolvimento de pessoas. Educador empresarial, é leader & executive coach, certificado pela Agência Nacional de Coaching e pelo Instituto Brasileiro de Coaching. Sócio-diretor da Mentori – Desenvolvendo Pessoas e Negócios, também tem experiência nas áreas de gestão de carreira, empreendedorismo e marketing de serviços em academias.

Ciclo de Palestras 20 Anos CREF2/RS – Pelotas
Data e horário: 8 de outubro, terça-feira, a partir das 19h
Local: UFPel - ESEF
Endereço: Rua Luís de Camões, 625 – Três Vendas
Inscrições gratuitas por aqui ou diretamente no local


Ciclo 20 Anos Pelotas



CREF2/RS homenageia vencedores do Troféu Destaque 2019
Postado em 02/09/2019
Fonte: CREF2/RS

No sábado, dia 31 de agosto, o CREF2/RS promoveu a entrega do Troféu Destaque 2019. O prêmio, criado pelo Conselho como forma de comemorar o Dia do Profissional de Educação Física, celebrado em 1º de setembro, teve a sua cerimônia realizada na Praça dos Fundadores do Grêmio Náutico União, com um coquetel festivo.

Divididos em quatro categorias principais, os finalistas do Troféu Destaque 2019 foram escolhidos pelos profissionais registrados, que puderam indicar os seus favoritos por meio de uma votação aberta no site do Conselho. Todos os ganhadores foram eleitos pela Plenária e revelados durante a cerimônia. As empresas que completaram dez anos de registro ininterrupto, em 2019, também foram convidadas para a festa e receberam um certificado de homenagem pelos serviços prestados.

A cerimônia iniciou às 20h, com um discurso do presidente do CREF2/RS José Edgar Meurer (CREF 001953-G/RS). Na sua fala, ele deu boas-vindas aos presentes e reforçou a relevância do Troféu Destaque, sobretudo para a valorização da profissão. “É com grande honra que o CREF2/RS parabeniza e homenageia diversos profissionais de Educação Física nesta noite, pelo trabalho importantíssimo que desempenham para toda a sociedade”, frisou.

Homenagens especiais

Além dos quatro vencedores conhecidos durante a cerimônia, o CREF2/RS entregou outros quatro prêmios. O primeiro foi o Voto de Louvor ao profissional Juliano Mantovani (CREF 025864-G/RS), professor de Educação Física do Instituto Estadual de Educação Assis Chateaubriand, em Charqueadas. Na última semana, Mantovani ficou conhecido no Brasil inteiro por proteger os alunos da sua escola de um atentado, evitando uma grande tragédia.

Edison Cardoso (CREF 000001-G/RS), mais conhecido pelo apelido de Macaco e falecido em abril de 2018, também foi condecorado. Um dos criadores do CREF2/RS e ex-presidente da Federação Gaúcha de Basquete e da APEF, ele foi representado pelos seus dois filhos e recebeu o troféu Homenagem Especial – In Memoriam. Referência para o esporte e para a Educação Física, Cardoso obteve reconhecimento por atuar de maneira pioneira para a regulamentação e para a valorização da profissão.

O conselheiro federal Carlos Cimino (CREF 001691-G/RS), que foi o mestre de cerimônias do evento, ainda chamou ao palco Joel Pedroso (CREF 000241-G/RS), vencedor na categoria Personalidade; e Renita Dametto, homenageada com o Mérito da Educação Física. Eles receberam os seus troféus através de uma escolha feita diretamente pela Plenária. A lista completa dos ganhadores do Troféu Destaque 2019 é:

Categoria Profissional – Atuação Bacharelado:
Roberta Borges (CREF 007239-G/RS)
Graduada em Educação Física pela UFPel e pós-graduada em marketing esportivo e academias de ginástica, é proprietária da Academia VO2 Beta, em Pelotas, há 18 anos. Atua na área fitness com aulas de jump, step, local e é uma das referências em todo o Estado nas modalidades kangoo jumps, board fitness e HUGS 7.

Categoria Profissional – Atuação Licenciatura:
Josiane Fassini (CREF 013909-G/RS)
Graduada em Educação Física pela Ulbra Canoas e pós-graduada em Mídias e Educação, é professora da Escola Municipal Miguel Couto, em Nova Santa Rita. Atua com a inclusão através do projeto “Educação Física Inclusiva na EJA”, com atividades desportivas adaptadas, como goalball e vôlei sentado. É também coordenadora do projeto “A Escola da Universidade”, em parceria com o curso de Educação Física da Ulbra.

Categoria Profissional – Atuação Projetos Sociais:
Evandir Ferraz (CREF 008382-P/RS)
Conhecido pelo nome artístico Mike Júnior, é professor de street dance no Ballet Gutierres, em Porto Alegre. Pioneiro em adotar e explorar a cultura hip hop em suas aulas, há 15 anos desenvolve um projeto social no Centro Comunitário da Vila Orfanotrófio, aproximando crianças carentes da dança. É idealizador da modalidade hip hop fitness e instrutor de step nas academias Movere Fitness, HF Personal Training e Fit Academia.

Categoria Pessoa Jurídica:
Fazendo Onda (CREF 001345-PJ/RS)
Em atividade desde 202, a Fazendo Onda é uma escola de natação e academia de Igrejinha. Além de aulas de natação, hidroginástica e caminhada aquática, também desenvolve projetos de emagrecimento para grupos de pessoas com IMC acima da faixa “Obesidade 1”, com duração de seis meses e prêmios para os melhores resultados. Em quatro etapas realizadas até o momento, ajudou a eliminar mais de 620kg somente através da atividade física.

Personalidade:
Joel Pedroso (CREF 000241-G/RS)
Graduado em Educação Física pelo IPA, é oficial da reserva da Brigada Militar. Atuou grande parte da sua carreira no Corpo de Bombeiros e exerceu diversas funções, como coordenador dos salva-vidas da Operação Golfinho, diretor da Escola de Educação Física da Brigada Militar e comandante dos Bombeiros em Porto Alegre. Também foi coordenador de segurança aquática na Olimpíada e Paralimpíada do Rio de Janeiro, nas provas de remo e canoagem. Atualmente é gerente de esportes do Grêmio Náutico União e presidente da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático.

Mérito da Educação Física:
Renita Dametto
Graduada em Educação Física pela Feevale, é especialista em Treinamento Esportivo e mestre em Educação. Ex-atleta da Seleção Brasileira de handebol, foi professora rede pública de Porto Alegre, secretária de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul e presidente da FUNDERGS. Integrou o Conselho Nacional de Esporte e Lazer, o Conselho Nacional da Ciência e Tecnologia e a Câmara Técnica da Lei de Incentivo ao Esporte. Instituiu o Programa RS Educação Digital e o Programa de Apoio aos Parques Tecnológicos. Coordenou a reestruturação do CETE, o 20° Campeonato Mundial de Atletismo Máster e a Passagem da Tocha Olímpica em Porto Alegre.


Trofeu Destaque



CREF2/RS divulga finalistas do Troféu Destaque 2019
Postado em 21/08/2019
Fonte: CREF2/RS

Na manhã desta quarta-feira, dia 21 de agosto, o CREF2/RS divulgou os nomes de todos os finalistas do Troféu Destaque 2019. O prêmio, criado pelo Conselho como forma de comemorar o Dia do Profissional de Educação Física, terá a sua cerimônia de entrega realizada no dia 31 de agosto, no Grêmio Náutico União.

Divididos em quatro categorias, os finalistas listados abaixo, em ordem alfabética, foram escolhidos pelos profissionais registrados, que puderam indicar os seus favoritos por meio de uma votação aberta no site do Conselho, durante o último mês de julho. Outras duas categorias – Personalidade e Mérito da Educação Física – terão os seus ganhadores eleitos diretamente pela Plenária. Todos os vencedores do Troféu Destaque serão conhecidos somente no dia 31 de agosto.

As empresas que estão completando dez anos de registro ininterrupto, em 2019, também serão homenageadas na cerimônia. Confira os finalistas:

Categoria Profissional – Atuação Bacharelado:

Camilla Padilha da Silva Dutra (CREF 025641-G/RS)
Graduada em Educação Física pela Faculdade Sogipa, é criadora do método de treinamento Generation System e sócia-proprietária da Kangoo Top Team, empresa especializada em kangoo jumps. Atua em academias de Porto Alegre.

Roberta Anselmo Borges (CREF 007239-G/RS)
Graduada em Educação Física pela UFPel e pós-graduada em marketing esportivo e academias de ginástica, é proprietária da Academia VO2 Beta, em Pelotas, há 18 anos. Atua na área fitness com aulas de jump, step, local e é uma das referências em todo o Estado nas modalidades kangoo jumps, board fitness e HUGS 7.

Tiago Barrionuevo Proença (CREF 012034-G/RS)
Graduado em Educação Física pelo IPA, é proprietário da BPro – Treinamento Físico Funcional, em Porto Alegre. É um dos precursores da modalidade no Rio Grande do Sul e também ministra diversos cursos sobre o assunto no Brasil e no exterior.

Categoria Profissional – Atuação Licenciatura:

Anelise Reis Gaya (CREF 024009-G/RS)
Graduada em Educação Física pelo IPA, tem doutorado pela Universidade do Porto, em Portugal. Atualmente é docente da ESEFID da UFRGS e professora do Programa de Pós-graduação em Ciências do Movimento Humano. É coordenadora do Projeto Esporte Brasil e atua em várias iniciativas relacionadas à promoção da saúde nas aulas de Educação Física Escolar.

Fabiani Dias da Silveira (CREF 002949-G/RS)
Graduado em Educação Física pelo IPA, tem mais de 30 anos de experiência na Educação Física Escolar e atualmente é professor do Colégio Sinodal do Salvador, de Porto Alegre. Em Novo Hamburgo, atua também em um projeto social que fomenta o handebol em escolas municipais, formando equipes para participar de diversos campeonatos. Foi professor substituto da cadeira de handebol da ESEFID/UFRGS, de 2011 a 2012 e é o criador de um projeto de intercâmbio técnico e cultural de handebol entre o Brasil e a Áustria.

Josiane Margarete de Araújo Fassini (CREF 013909-G/RS)
Graduada em Educação Física pela Ulbra Canoas e pós-graduada pela UFRGS em Mídias e Educação, é professora da Escola Municipal Miguel Couto, em Nova Santa Rita. Atua com a inclusão através do projeto “Educação Física Inclusiva na EJA”, com atividades desportivas adaptadas, como goalball e vôlei sentado. É também coordenadora do projeto “A Escola da Universidade”, em parceria com o curso de Educação Física da Ulbra.

Categoria Profissional – Atuação Projeto Social:

Evandir Ricardo Viegas Ferraz (CREF 008382-P/RS)
Conhecido pelo nome artístico Mike Júnior, é professor de street dance no Ballet Gutierres, em Porto Alegre. Pioneiro em adotar e explorar a cultura hip hop em suas aulas, há 15 anos desenvolve um projeto social no Centro Comunitário da Vila Orfanotrófio, na zona sul de Porto Alegre, aproximando crianças carentes da dança. É idealizador da modalidade hip hop fitness e instrutor de step nas academias Movere Fitness, HF Personal Training e Fit Academia.

Rosani Oliveira Franco (CREF 005930-G/RS)
Graduada em Educação Física pelo IPA, é coordenadora do Instituto Tênis – Núcleo Porto Alegre. O projeto, que já atendeu quatro mil crianças, tem o objetivo de desenvolver o tênis e de transformar o Brasil numa potência do esporte nos próximos 20 anos, oferecendo a modalidade gratuitamente para crianças de escolas municipais e estaduais, que dificilmente teriam acesso, através de aulas regulares de Educação Física e com atividades em parques públicos.

Tânia Beatriz Rodrigues da Silva (CREF 027013-G/RS)
Graduada em Educação Física pela Universidade La Salle, atua no SESI/FIERGS como monitora de esportes. Há 14 anos também é voluntária na Associação dos Amigos do Centro Olímpico Municipal (AACOM), em parceria com a Prefeitura Municipal de Canoas, ministrando aulas de fitness e de ritmos.

Categoria Pessoa Jurídica:

Fazendo Onda (CREF 001345-PJ/RS)
Em atividade desde 2002, a Fazendo Onda é uma escola de natação e academia de Igrejinha. Além de aulas de natação, hidroginástica e caminhada aquática, também desenvolve projetos de emagrecimento para grupos de pessoas com IMC acima da faixa “Obesidade 1”, com duração de seis meses e prêmios para os melhores resultados. Em quatro etapas realizadas até o momento, ajudou a eliminar mais de 620kg somente através da atividade física.

Fit Academia (CREF 002825-PJ/RS)
Em atividade desde 2014, a Fit Academia é de Porto Alegre e conhecida pelo seu ambiente familiar. Oferece diversas atividades aos seus alunos, como grupo de corrida, treinamento funcional e yoga. Como diferenciais tem o Circuito 60+, dedicado ao público da terceira idade, e cumpre todas as normas de acessibilidade, como rampas de acesso para cadeirantes, banheiro adaptado no térreo e elevador interno.

Sublime Academia (CREF 001162-PJ/RS)
Em atividade desde 2008, a Sublime Academia é de Santa Cruz do Sul e busca contribuir para o equilíbrio físico e mental dos seus alunos, com um ambiente agradável e acolhedor. Conta com uma ampla estrutura, totalmente climatizada, com diversas opções de atividades, como pilates, treinamento funcional, musculação e outras tantas aulas coletivas, ministradas por profissionais altamente qualificados e comprometidos.


Troféu Destaque



16ª Conferência Nacional de Saúde reúne 5 mil participantes em Brasília
Postado em 12/08/2019
Fonte: CREF2/RS

Entre os dias 4 e 7 de agosto, ocorreu a 16ª Conferência Nacional de Saúde, no Parque de Exposições de Brasília (DF). O evento, que reuniu cerca de 5 mil participantes, como trabalhadores e prestadores de serviços da área da saúde, contou também com a presença do CREF2/RS, representado pelo conselheiro Clery de Lima (CREF 000297-G/RS).

Promovida pelo Ministério da Saúde e pelo Conselho Nacional de Saúde, a Conferência Nacional deste ano teve o tema central “Saúde e Democracia” e estabeleceu diretrizes para três eixos pré-definidos: “Saúde como Direito”, “Consolidação do SUS” e “Financiamento da Saúde”. O Rio Grande do Sul teve 142 delegados presentes.

De acordo com Lima, mais de 300 propostas para a melhoria do SUS foram debatidas nos quatro dias de evento, em cerca de 45 grupos de trabalhos diferentes. No eixo “Saúde como Direito”, a garantia da presença do profissional de Educação Física em equipes multiprofissionais de atendimento, no que diz respeito à área da “Saúde da Família”, foi trazida para a discussão, no sentido de incluir a atividade física nos programas de prevenção.

Lima acompanhou a 16ª Conferência Nacional de Saúde desde a sua fase estadual e considerou o resultado do evento extremamente positivo. “Com a nossa participação nos Grupos de Trabalho, defendendo o papel desempenhado pelos profissionais de Educação Física, vamos poder acompanhar de perto a implementação das propostas que incluem a atividade física nos projetos e nos programas de saúde. Avançamos em muitos pontos e agora vamos lutar para que tudo possa ser viabilizado dentro do SUS”, comentou.


Conferência Nacional de Saúde



Eduardo Bedin: quebrando barreiras e superando desafios
Postado em 17/06/2019
Fonte: CREF2/RS

"Nunca desista de seus sonhos!”. Com este pensamento sempre presente, o profissional de Educação Física Eduardo Bedin (CREF 026673-G/RS) enfrentou com leveza e bom humor todos os empecilhos que a sociedade impõe aos deficientes e, derrubando todos os preconceitos, se tornou uma das primeiras pessoas com Síndrome de Down a se formar em Educação Física no Estado, assim como o graduado pela ULBRA Guaíba Igor Becker (CREF 015310-G/RS). Eduardo nasceu em Porto Alegre há 28 anos. Em 2017, ele licenciou-se em Educação Física pela UNOPAR e, de acordo com dados do Movimento Down, portal filiado à Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down, ele é uma das 74 pessoas com Down no Brasil que cursam ou que já se formaram no Ensino Superior até 2019.

A chegada de uma criança com deficiência em uma família pode gerar situações complexas e resultantes da falta de preparo e informação adequada para lidar com os sentimentos que surgem nesse momento. Quando Eduardo nasceu, a notícia da Síndrome foi colocada de maneira chocante pelo pediatra. “Teu filho tem mongolismo! Isso não cura”, relembra sua mãe, Neuza Leite. A atitude brutal do profissional da área médica foi o pontapé inicial para que os pais enfrentassem o desafio de buscar caminhos para viabilizar uma vida de superação. “Graças ao Centro Lydia Coryat, familiares, alguns amigos, além de profissionais responsáveis e dedicados, a vida começou a acontecer”, recorda. Ela explica que Eduardo iniciou sua ambientação escolar com um acolhimento amoroso no maternal, recebendo toda a atenção das professoras.

Registrado no CREF2/RS desde maio de 2018, Eduardo sempre teve uma rotina muito ativa, trabalhando profissionalmente como auxiliar técnico de judô, ao mesmo tempo que estudava em vários cursos para aprimorar as suas habilidades. Atualmente, desenvolve atividades esportivas junto a outras pessoas com deficiências na Associação de Pais, Amigos e Pessoas com Deficiência, de Funcionários do Banco do Brasil e da Comunidade (APABB-RS). O projeto tem a coordenação de Fábio Izaguirre (CREF 005430-G/RS), judoca filiado à Federação Gaúcha de Judô (FGJ), e que trabalha de forma voluntária.

Eduardo também participa da Associação Judoística (AJURGS) e é chefe da Tropa Escoteira do Grupo Escoteiro Souza Lobo, localizado no bairro Sarandi, em Porto Alegre, além de ser membro da Associação dos Familiares e Amigos do Down (AFAD Porto Alegre), entidade a qual ele representa como suplente no Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência de Porto Alegre. De acordo com sua mãe, o trabalho voluntário tem permitido que Eduardo encare os compromissos com mais responsabilidade, notadamente com relação a horários e convivência.

Formatura e romance

Carismático e determinado, no dia da sua formatura Eduardo conquistou o coração da violonista e bailarina Florença Sanfelice, também com Síndrome de Down. Ela havia sido contratada para tocar na cerimônia, mas nessa noite ganhou também um namorado e um excelente amigo. “Estou muito apaixonado!”, é como ele mesmo se define. Os seus planos de vida incluem a independência própria e o futuro casamento.

Eduardo cursou a antiga primeira série em uma escola pública estadual e teve a felicidade contar com professoras amorosas e competentes, que o alfabetizaram e fizeram sentir-se incluído no ambiente escolar. Mas também existiram muitas experiências ruins em sua vida. “Há duas escolas de Porto Alegre das quais nem quero lembrar por serem preconceituosas e fechadas, o que me causou muito desalento”, recorda.

Quando Eduardo concluiu o Ensino Fundamental pela EJA, pois sentia-se constrangido em meio a crianças e preferia conviver com adultos, Neuza foi nomeada como assistente social para a Prefeitura de Rosário do Sul. “Ao chegar lá, as portas da Escola Estadual Plácido de Castro foram abertas, sendo imediatamente incluído no Grupo de Danças. Foi incrível! Fiz uma bela festa de formatura pensando que a vida escolar do meu filho estava sendo encerrada ali”, diz Neuza.

Mas a vida ainda reservava um grande objetivo a ser alcançado pela mãe e seu filho. “Quando fui fazer a minha matrícula para cursar Direito, o Eduardo estava junto.Ao sairmos da universidade, ele perguntou: “E a minha faculdade?” Coincidentemente estava sendo aberto o curso de Educação Física. Então cancelei a minha faculdade e investi na dele”, recorda. “O resultado felizmente foi o melhor possível. Estamos muito orgulhosos”, comemora Neuza.


Eduardo Leite Bedin



Fortunati fala no CREF2/RS sobre obras da Copa e revitalização da Orla
Postado em 07/05/2019
Fonte: CREF2/RS

Na última sexta-feira, dia 3 de maio, o CREF2/RS recebeu José Fortunati, ex-prefeito de Porto Alegre. Ele esteve no Conselho para esclarecer as obras da Copa do Mundo, além de conversar sobre a revitalização da Orla do Guaíba e o novo trecho do projeto. Fortunati foi a primeira autoridade a aceitar o convite para participar de uma série de diálogos promovidos na sede do CREF2/RS, e que pretende trazer políticos, dirigentes e esportistas que contribuem para o esporte, para a atividade física e para a profissão de Educação Física.

De acordo com ex-Prefeito, em 2008 foram abertas as candidaturas das cidades para sediar a Copa do Mundo. Assim que finalizaram as inscrições, os dados foram levados à FIFA, com previsão de oito sedes escolhidas. Fortunati afirmou que o ex-presidente Lula cometeu um equívoco ao impor 12 sedes, pois várias das cidades incluídas nesta lista não tinham tradição no futebol. O resultado foi estádios que viraram verdadeiros elefantes brancos, a exemplo de Brasília, que teve a construção da arena mais cara no país e que atualmente tem uma média de cinco mil torcedores nos jogos lá disputados.

Quando Porto Alegre acabou sendo escolhida uma das cidades-sede, a FIFA enviou à Prefeitura as exigências a serem cumpridas para que a capital gaúcha pudesse receber a Copa do Mundo. “Nós já estávamos negociando com o Sport Club Internacional, que garantiu reformar o Beira-Rio de acordo com as normas da FIFA. Porto Alegre foi a única cidade entre as 12 sedes que não injetou recursos públicos em estádios. Para tanto, nós abrimos mão dos impostos ISSQN em troca do empréstimo gratuito do Beira-Rio durante a Copa”, esclareceu.

Outra demanda da FIFA era a modernização do Aeroporto Salgado Filho, obra que foi totalmente realizada pela Infraero. A terceira exigência foi estabelecer regras de segurança. “Para isto, foi feito um processo de revitalização, que foi facilitado devido a ótima localização do estádio. Contudo, tivemos de retirar comerciantes irregulares que atuavam há muitos anos na área, além das quadras de duas escolas de samba”. Para melhorar o acesso ao estádio, foram duplicadas a avenida Beira Rio e corredores de ônibus da avenida Padre Cacique. “Isto só aconteceu porque renegociamos com o Governo Federal mais recursos no caderno de encargos da Copa, atingindo o montante de R$ 140 milhões”.

Fortunati percebeu que poderia incluir as principais obras de mobilidade da cidade em uma nova negociação. “Então, celebramos em Brasília a aprovação dos projetos de melhoramentos para avenida Tronco, Terceira Perimetral, Elevada da Rodoviária e a duplicação das avenidas Voluntários da Pátria e Severo Dullius, no valor de R$ 888 milhões”. Porém, nem tudo ocorreu como previsto. Entre as dificuldades que provocaram o atraso na entrega das obras, Fortunati enumera a descoberta de solo arenoso e de uma imensa rocha durante as escavações, a obrigação do Ministério Público de que se trocasse o turno diurno de trabalho dos operários pelo noturno, encarecendo e atrasando as obras, e uma devastadora crise econômica em nível nacional.

Revitalização da Orla do Guaíba

Em relação à revitalização da Orla do Guaíba, o ex-Prefeito explicou que os recursos iniciais foram contratados em 2016 com a Corporação Andina de Fomento, apesar de problemas havidos anteriormente com o projeto do VLT. “Ainda assim obtivemos um empréstimo de 90 milhões de dólares e contratamos o arquiteto e urbanista Jaime Lerner para realizar o projeto”. Simultaneamente em Brasília, ocorria o escândalo político da Lava Jato, que tirou o completamente o foco do Senado sobre projetos e obras no país. Mesmo assim, em um esforço da bancada de senadores gaúchos, o empréstimo foi aprovado.

O ex-Prefeito explicou que a terceira fase do projeto, que irá urbanizar a área que vai da foz do Arroio Dilúvio ao Parque Gigante, em frente ao Beira-Rio, será voltado para a atividade física. “Esta fase tem uma vocação esportiva, com 27 quadras de futebol society, infantil, poliesportiva, tênis, vôlei de praia e tênis de praia. Também terá a maior pista de skate da América Latina, além de academia ao ar livre e para a melhor idade e parque infantil”, explica.

Fortunati finalizou afirmando ser contra a extinção da Secretaria Municipal de Esportes. “Acho uma lástima que se tenha uma ideia equivocada, e muito propagada pela grande mídia, que defende pura e simplesmente a redução do número de Secretarias”. Ele também disse estar convencido que a reforma administrativa promovida pelo atual prefeito é um desastre, e afirmou que esta análise é corroborada por técnicos de vários órgãos municipais.


Fortunati



Ginástica Laboral faz 40 anos de existência no Brasil
Postado em 27/11/2018
Fonte: CREF2/RS

Em 2018, o Sistema CONFEF/CREFs, em conjunto com a sociedade brasileira, celebram os 40 anos da implantação no país da Ginástica Laboral, uma ferramenta extremamente importante para a manutenção da saúde dos trabalhadores. Tanto em nível mundial, como nacional, a evolução desta atividade esteve intimamente ligada às transformações do mundo do trabalho e às demandas relativas à saúde dos trabalhadores. O novo ritmo de produção imposto pela Revolução Industrial, que implementou linhas de produção em série, através de grandes cadeias de produção seriais, forçaram os operários a realizar diariamente milhares de movimentos repetitivos. Ao mesmo tempo que esse gigantesco desenvolvimento manufatureiro aumentou em muito a eficiência e a produtividade, gerou em contrapartida o crescimento exponencial de novas doenças laborais, como Lesões por Esforço Repetitivos (LER), Distúrbios Osteo-Musculares (DORT), além de acidentes no chão de fábrica. Este quadro preocupante alertou pesquisadores, médicos, empregadores e sindicatos ao redor do mundo para os sérios prejuízos à saúde dos trabalhadores, acarretados pela produção massiva que se estendeu pelas cidades e campos.

O afastamento do trabalho por problemas de saúde ainda é uma realidade crescente no Brasil. De acordo com o Anuário do Sistema Público de Emprego e Renda do Dieese compilado a partir de informações do Ministério do Trabalho, em 2015, foram contabilizados 181,6 mil casos de natureza diretamente relacionada ao ambiente profissional – o que representa uma alta de 25% comparado aos dez anos anteriores.

Para elaborar uma resposta aos novos problemas laborais e proporcionar um ambiente mais sadio e seguro aos trabalhadores, fez-se necessário um estudo profundo de cada seção de trabalho, do quadro funcional, dos turnos, das características da organização e dos seus diversos setores. Estava nascendo a Ginástica Laboral, que em seus primórdios era denominada “ginástica de pausa”, implantada na indústria europeia com o objetivo de dar repouso ativo aos operários por alguns períodos durante sua jornada de trabalho. A partir deste momento histórico, a ideia toma força e se dissemina pelo mundo.

No Brasil, o Rio Grande do Sul foi pioneiro oficial na implantação do programa, quando no dia 22 de novembro de 1978, tendo como protagonista a Escola de Educação Física da FEEVALE-RS, efetivou-se o primeiro contrato com uma empresa da região para a implantação de um programa de Ginástica Laboral, baseado em análises biomecânicas e estruturada pelos profissionais de Educação Física da instituição, bem como através de parcerias com o SESI da região. A data virou um marco histórico para a atividade, tanto que em vários estados do país, o dia 22 de novembro é oficialmente considerado o Dia da Ginástica Laboral, referência importante para reforças ao conjunto da sociedade sobre o valor que estes programas têm para a saúde e para a produtividade sustentável.

Como observa o conselheiro do CREF2/RS e Ergonomista do Trabalho, Alessandro Gonçalves (CREF 005863-G/RS), o atual modelo de Ginástica Laboral representa uma importante ferramenta ergonômica e exerce papel fundamental no equilíbrio entre a saúde, produtividade e qualidade de vida dos trabalhadores envolvidos nos programas. “Utilizar a Ginástica Laboral de forma estratégica, alinhada com ações de ergonomia e segurança ocupacional é um diferencial competitivo em empresas que entendem o passado, trabalham o presente e constroem o futuro”, assegura. Alessandro explica que a atuação do profissional de Educação Física frente a programas de Ginástica Laboral exige conhecimentos em diversas áreas. “Entender o contexto em que as organizações estão inseridas irá atribuir um ganho de competitividade aos profissionais, já que a função exige identificação com o sistema de trabalho das empresas clientes. Também é obrigatório conhecer as cadeias musculares, exercícios de alongamento, relaxamento e fortalecimento muscular. Além disso é preciso entender os componentes da música, a ludicidade, o equilíbrio, a propriocepção e as rotas metabólicas”, enumera.

Alessandro argumenta que a Ginástica Laboral é aplicável onde houver trabalho, pois sempre haverá riscos biomecânicos envolvidos, portanto os programas de GL têm vários ambientes para se desenvolver. Um novo mercado a ser explorado são as zonas agrícolas. “Apesar de ainda não estar muito difundida, a prática de Ginástica Laboral em ambientes rurais pode garantir aos trabalhadores e empregadores os mesmos benefícios encontrados e já mensurados nas empresas, cujas sedes encontram-se em locais urbanizados”.

É o que acontece em Américo Brasiliense (SP), onde cerca de 200 cortadores fazem diariamente Ginástica Laboral antes de começar a trabalhar. O objetivo é prevenir doenças como lesão por esforço repetitivo, que atinge com frequência os cortadores de cana. O projeto foi criado depois de uma norma regulamentadora de 2005 exigir das empresas melhoria nas condições de trabalho e ações de prevenção a acidentes de trabalho. Isso ocorre também nas grandes empresas da cadeia produtiva do frango no Rio Grande do Sul, como a Perdigão, a Doux/Frangosul e a Minuano, que oferecem uma ampla gama de benefícios assistenciais aos seus funcionários, entre eles programas de Ginástica Laboral nas suas linhas de produção.  

De fato, são os resultados quantitativos na melhora da saúde do trabalhador e do consequente aumento da produtividade, advindo do bem-estar proporcionado pelo programa, que tornaram a Ginástica Laboral em uma atividade econômica consolidada no mercado. Segundo a presidente da Associação Brasileira de Ginástica Laboral (ABGL), Cynara Cristina Pereira (CREF 068042-G/SP), o programa está implantado em inúmeras empresas de diversos segmentos por todo o país e cresce na medida em que profissionais de Educação Física tem se especializado para desenvolver os programas, a partir da publicação e da demonstração científica dos indicadores de resultados, e se fortalece quando inovações bem sucedidas são aplicadas nos ambientes corporativos. “Dados científicos informam que o passivo gerado pelas das doenças laborais, os afastamentos e o absenteísmo oneram três vezes mais a empresa que todos os custos somados de produção, aí inclusos matéria-prima, os insumos, os salários e a logística. Portanto, é muito mais inteligente investir em programas de promoção da saúde e qualidade de vida no trabalho”, avalia.

O Rio Grande do Sul, além de ter sido vanguarda na implantação da Ginástica Laboral no país, sedia empresas com sólida cultura de promoção da saúde dos trabalhadores. Um destes exemplos é o Banrisul S/A, cujo programa de Ginástica Laboral, de acordo com a conselheira do CREF2/RS e supervisora de Ginástica Laboral e Fitness do Banrisul Cláudia Lucchese (CREF 002358-G/RS), foi construído a “quatro mãos”. “Foi em 1999 que se formou uma comissão paritária de saúde, composta de membros representando os empregados indicados pelo Sindicato da categoria e membros representantes da Empresa, dando início a um projeto piloto em algumas agências, que após seis meses já tinha indicativo de expansão às mais de 500 agências do Banrisul”, constata. Cláudia esclarece que o objetivo do programa é a prevenção das Lesões por Esforços Repetitivos – LER, especificamente os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho – DORT e promoção da saúde ocupacional dos empregados da empresa.

Conforme a supervisora, desde a implantação poucas vezes ocorreram interrupções no programa. “Até porque esta atividade faz parte do acordo coletivo selado pelo Sindicato com o Banco". O maior problema, explica Claudia, se dá por conta da morosidade nas licitações públicas, acarretadas pelo formalismo no procedimento. “Importante ressaltar que por ser um programa qualitativo, o banco nunca buscou medidas de resultados em produtividade. A questão maior sempre foi a percepção subjetiva do empregado em relação ao programa. O quanto a prática da Ginástica Laboral colabora para a qualidade de vida no trabalho”, especifica. Os dados levantados entre os participantes pela supervisora demonstraram que 95% destes entendem que quando participam das atividades, sentem-se mais ativos, como menos desconfortos em relação às posturas exigidas no seu posto de trabalho. Também consideram que levantar da cadeira e mobilizar seu corpo e relaxar a mente tem sido o grande ganho com esse programa. “Hoje a média de participação no Banrisul é de 65% dos empregados. No momento, passamos novamente por um processo de licitação pública”, relata a supervisora.

Outro grande referencial para o setor é o Serviço Social da Indústria (SESI), pioneiro na área e grande divulgador da Ginástica laboral no país, constantemente reconhecida pelos serviços prestados em segurança e saúde no trabalho. Premiado com o Marca Brasil no período entre 2006 a 2017, distinção que reconheceu a excelente atuação do SESI em Ginástica Laboral, Medicina Ocupacional e Serviços para Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho (Sipat), o SESI ainda teve sua Ginástica Laboral eleita por 12 anos consecutivos como o melhor programa de GL do País.

Para o superintendente do Sesi-RS, Juliano Colombo, a Ginástica Laboral busca atuar como ferramenta de promoção de saúde do trabalhador, interagindo com a política corporativa da empresa. "Nosso objetivo é contribuir para a educação postural e adaptação funcional, além de estimular o exercício físico e o comportamento saudável. Com as ações de promoção da saúde, o Sesi-RS busca contribuir para o bem estar e o aumento da produtividade da indústria. A atividade começou no Brasil, em 1978, em parceria do Sesi gaúcho com a Feevale, com o projeto Ginástica Laboral Compensatória. Hoje atuamos com o Programa Sesi Ginástica na Empresa, em 114 companhias, alcançando cerca de 8.700 trabalhadores no estado", explica. Em todo o país, o SESI Ginástica na Empresa atende diariamente 750 mil trabalhadores de 2,5 mil indústrias.

Tendo em vista a importância da Ginástica Laboral para os trabalhadores e como mercado para os profissionais de Educação Física, o CREF2/RS irá comemorar os 40 anos da implantação da Ginástica Laboral no Brasil realizando na manhã do dia 1º de dezembro o “Workshop Ginástica Laboral: Os Desafios e Oportunidades do Mercado”. O evento, com público-alvo nos profissionais e estudantes de Educação Física, inicia às 9h, com a palestra "Como criar e comercializar programas de Ginástica Laboral" ministrada pelo conselheiro Alessandro Gonçalves (CREF 005863-G/RS). O conselheiro reforçará em sua fala a prerrogativa dos profissionais de Educação Física como protagonistas da Ginástica Laboral, bem como discorrerá como realizar um planejamento sólido para criar e comercializar programas de Ginástica Laboral. A partir das 10h30min, ocorrerá um workshop prático de execícios, com encerramento das atividades previsto para as 12h.

Workshop Ginástica Laboral: Os Desafios e Oportunidades do Mercado
Data e horário: 1º de dezembro, sábado, das 9h às 12h
Local: sala 204 da FADERGS
Endereço: av. João Pessoa, 1107, bairro Farroupilha, Porto Alegre/RS
Inscrições gratuitas e mais informações podem ser obtidas pelo site http://crefrs.org.br/eventos/laboral2018/. As vagas são vagas limitadas, e encerram no dia 29 de novembro, quinta-feira
Contato: 51-3288 0200
Organização: CREF2/RS
Apoio: FADERGS


Ginástica Laboral



Comissão de Orientação e Fiscalização apresenta números da Gestão 2015/2018
Postado em 22/11/2018
Fonte: CREF2/RS

O Estatuto do CREF2/RS prevê a organização de comissões para assessoramento do Conselho. Dentre as principais está a Comissão de Orientação e Fiscalização (COF). Formada por profissionais de Educação Física escolhidos pela Plenária, a COF tem o objetivo de orientar a fiscalização do exercício profissional, programar e supervisionar as atividades desenvolvidas pela Fiscalização e elaborar instruções para o exercício da fiscalização, atendendo aos fundamentos legais pertinentes, entre outros.

A última gestão da COF, que atuou entre os anos de 2015 a 2018, foi presidida pelo atual 2º vice-presidente do CREF2/RS, Alessandro Gamboa (CREF 001534-G/RS). Ao final deste ciclo, a Comissão está divulgando as principais ações realizadas no período e a contribuição para a sociedade e para os interesses da Educação Física.Entre muitos dados e análises, o estudo destaca as principais ações realizadas pela Comissão, apontadas abaixo:

Instrumentalização da Comissão de Orientação e Fiscalização

Apropriação das atribuições conferidas estatutariamente para a Comissão de Orientação e Fiscalização, que estava sendo realizada pelas áreas de Fiscalização e Jurídico, desonerando os departamentos e permitindo o foco nas ações de fiscalização.

Elaboração dos Pareceres COF

Após um detalhado estudo técnico da legislação, os profissionais de Educação Física, membros da Comissão, elaboram pareceres opinando pelas sanções a serem aplicadas, com a devida ciência e homologação do Plenário do CREF2/RS. Por exemplo, opinam pela orientação direta aos representantes legais das pessoas jurídicas mediante audiências.

Processo Administrativo de Fiscalização

Todo o processo fiscalizatório foi revisado e reorganizado, com a definição de procedimentos padrões e prazos, desde a visita do Agente de Fiscalização e Orientação até a aplicação de penalidades administrativas. Sendo que todas as ações cumprem o que dispõe a legislação sobre o processo administrativo no âmbito da administração pública federal.

Revisão da Legislação

A COF fez uma revisão completa da legislação que fundamenta os dispositivos da Resolução de Multas do CREF2/RS, adaptando a realidade da área.
- Encontro Sul Brasileiro das Comissões de Orientação e Fiscalização e Ética Profissional: realizado em Porto Alegre, o evento propôs o alinhamento de procedimentos entre os Conselhos de Educação Física da região sul.

Ciclo de Palestras

Eventos de orientação realizado em diferentes regiões do Rio Grande do Sul.

Treinamentos

A COF realizou capacitações dos Agentes de Orientação e Fiscalização e demais funcionários do Conselho acerca das atualizações das legislações em vigor, bem como, sobre os procedimentos adotados nas ações.

Os resultados obtidos ao longo dos 3 anos de trabalho foram positivos. Destacam-se o crescimento de 26,32% no registro de pessoas jurídicas comparado à situação de 2015. Para os membros da Comissão, este número provém da conscientização dos proprietários de estabelecimentos que trabalham com atividade física da importância do registro e da regulamentação das atividades da área.

Em relação ao número de ações de orientação e fiscalização, conforme o relatório, verifica-se que o número de visitas manteve uma média de 2.300 fiscalizações ao ano, sendo que 53% foram visitas de rotina e 47% atuaram no atendimento de denúncias. A COF reforça que 100% das denúncias recebidas pelo Departamento de Fiscalização foram atendidas.

O relatório também coloca que, proporcionalmente ao número de visitas realizadas, houve uma redução de 3% do número de flagrantes de irregularidades durante as ações fiscalizatórias, assim como, aumentou em 7% o número de oportunidades onde foi constatado que os estabelecimentos visitados funcionavam de maneira regular, ou seja, dentro do estabelecido na legislação. Isto denota que as empresas estão mais preocupadas em manter o seu funcionamento de maneira regular, atendendo as exigências legais e incorrendo, cada vez menos, em infrações.

Além disso, houve uma diminuição de 25% dos processos administrativos arquivados por erros ou falta de elementos que garantissem a sua continuidade, o que demonstra o aprimoramento e a eficiência da fiscalização como um todo, desde o preenchimento da documentação até a aplicação de sanção.

O relatório apresentado também serviu de base para o planejamento das ações da próxima gestão da Comissão de Orientação e Fiscalização. Os novos membros foram escolhidos na Plenária de outubro de 2018 do CREF2/RS, sendo que o profissional Alessandro Gamboa foi mantido como presidente da COF e, segundo ele, “a Comissão realizou um trabalho eficiente pautado no ética e na legislação, mas muito ainda há de ser feito em prol dos profissionais e dos estabelecimentos da área da Educação Física, não esquecendo da necessária defesa da sociedade, cumprindo a missão deste Conselho”.


Comissão de Orientação e Fiscalização



Chapa 2 vence eleição do CREF2/RS
Postado em 17/09/2018
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS, em atendimento ao seu Regimento Eleitoral, torna público o resultado da eleição para metade de seus membros, com mandato de seis anos, realizada na última sexta-feira, dia dia 14 de setembro. A Chapa 2 – Acorda CREF foi a vencedora, assim composta:

Membros efetivos:
Giovanni Bavaresco (CREF 001512-G/RS)
José Edgar Meurer (CREF 001953-G/RS)
Cláudio Franzen (CREF 003304-G/RS)
Luciane Citadin (CREF 000100-G/RS)
Luciane Paz (CREF 003952-G/RS)
Bruno Araújo (CREF 012860-G/RS)
Alessandro Gonçalves (CREF 005863-G/RS)
Carla Tartarotti (CREF 006564-G/RS)
Carlos Castilhos (CREF 000877-G/RS)
Rodrigo Campos (CREF 001530-G/RS)

Membros suplentes:
Roberta Pinto (CREF 004665-G/RS)
Everton Gomes (CREF 002615-G/RS)
Ninon Leal (CREF 001350-G/RS)
Any Mery Lunardi (CREF 001765-G/RS)

Mais informações sobre as Eleições 2018, assim como os números da apuração dos votos, estão disponíveis nesta página.


Eleições



CongregaCREF reúne profissionais e estudantes para dois dias de palestras
Postado em 27/08/2018
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS realizou, nos dias 24 e 25 de agosto, o CongregaCREF – IV Seminário Sul Brasileiro de Educação Física, no Centro Universitário Metodista IPA. O evento teve como objetivo promover o conhecimento e a qualificação dos profissionais, por meio de seis palestras, abrangendo diversas áreas e abordando as conquistas e os desafios dos 20 anos de regulamentação da profissão. A mesa de abertura foi composta pela presidente do CREF2/RS Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), pelo reitor do IPA Norberto Garin, pela conselheira e presidente da Associação dos Profissionais de Educação Física do Rio Grande do Sul Luciane Citadin (CREF 000100-G/RS) e pelo conselheiro federal do CONFEF Sérgio Sartori (CREF 000003-G/RJ).

Com a palestra “20 Anos de Regulamentação da Profissão de Educação Física”, Sérgio Sartori relembrou a histórica luta pela regulamentação, que remonta aos anos 40. “A iniciativa partiu das Associações dos Professores de Educação Física, localizadas no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Juntas fundaram a Federação Brasileira das Associações de Professores de Educação Física, em 1946”, afirmou. Segundo Sartori, o gaúcho Benno Becker (CREF 001644-G/RS) coordenou a segunda fase do processo, quando foi apresentado pelo deputado federal Darcy Pozza o primeiro projeto de lei à Câmara dos Deputados. A iniciativa foi aprovada pelo Congresso Nacional em dezembro de 1989, mas vetada posteriormente pelo presidente José Sarney.

No início de 1994, a APEF-RJ retomou a luta e, por meio de um grupo de professores, lançou o Movimento Nacional pela Regulamentação do Profissional de Educação Física, no início de 1995. “Para deflagrar o processo formalmente, o deputado federal Eduardo Mascarenhas apresentou um novo projeto de lei na Câmara dos Deputados. Em 22 de outubro de 1997, foi aprovado por unanimidade e remetido à Comissão de Constituição e Justiça. Em 1º de setembro de 1998, o presidente Fernando Henrique Cardoso sancionou a Lei 9.696/98”, comemorou.

Já André Lopes (CREF 008061-G/RS) realizou uma palestra intitulada “Hipertrofia Muscular: Mitos, Verdades e Atualizações”. De forma descontraída, Lopes iniciou sua fala dando dicas de como criar e realizar projetos de sucesso baseados em novas ideias. “O atual estágio da nossa sociedade é baseado na informação, basicamente veiculada pela Internet. As pessoas passam em média 30 horas conectadas”, afirmou. De acordo com o palestrante, o que pode diferenciar o profissional de Educação Física em meio a essa abundância de estímulos é referenciar a sua proposta de trabalho através de meios científicos comprovados. “A inovação tem que ser chancelada por meio de pesquisas confiáveis”, aconselhou.

Em relação à hipertrofia muscular, André logo afirmou que muitos docentes ainda usam uma terminologia defasada em relação aos músculos. Ele também explicou que os fatores que afetam a massa muscular são a genética, a idade, o treinamento, a nutrição, o descanso e, em alguns casos, a farmacologia. André ainda disse que, com o cruzamento de metadados sobre as fibras musculares, ficou provado que um descanso maior entre as séries dão maior resultado para o treino de hipertrofia que as de descanso curto, mas a cadência de realização do movimento e o intervalo de devem ser fixos. “Caso contrário, se perde o controle da periodização”, relatou. Por fim, ele lançou um desafio ao auditório: “organize os próximos treinos de maneira que sejam progressivamente mais científicos”.

O segundo dia de evento iniciou sábado, com a primeira palestra de Fábio Padilha (CREF 000613-G/DF). Em “O Futuro do Profissional de Educação Física”, o organizador do Brasília Capital Fitness deu dicas de como se diferenciar e fazer sucesso, em um mercado extremamente competitivo. “A ideia precisa vir antes do dinheiro. Os empresários que dão certo são aqueles que tomam atitudes e que trabalham para a evolução”, frisou. Na sua fala, Padilha também elencou a proatividade, a força de vontade, a determinação e a coragem como elementos fundamentais para quem quer crescer. “Se você sabe o que precisa ser feito, não espere alguém pedir para você fazer. Simplesmente faça”, defendeu. Além de explorar cada um desses eixos, o palestrante também considerou a ambição necessária para o sucesso. “Saiba o que você quer, não diga ‘tanto faz’ ou ‘pode ser’ diante das oportunidades”, destacou.

Em um segundo momento, Padilha fez a apresentação “Tendências Mundiais do Mercado fitness”, dessa vez direcionada aos empresários e donos de academia presentes. O palestrante mostrou cases de empresas bem-sucedidas e explicou que o bom gestor é, na verdade, aquele que não deixa os problemas acumularem. “Há sempre dois caminhos: fazer dar certo, com dedicação total, ou abandonar”, declarou. Para Padilha, as qualidades necessárias para se tornar um empresário de sucesso são bem parecidas com as características de um bom um profissional: atitude, proatividade, inteligência, visão e coragem. O palestrante ainda falou sobre estratégias de negócio e sobre o relacionamento com concorrentes. No final, tirou dúvidas e destacou formatos de empresa que poderiam ser facilmente implementados no Brasil. “O índice de obesidade aqui é alto, o que significa que temos um bom nicho para ser explorado. Quem ganha dinheiro é quem é a solução do problema de alguém”, encerrou.

Já a primeira palestra da parte de sábado à tarde foi de Fabián Mariotti (CREF 011969-P/RS), mestre em Educação pela Universidade de Rosário, na Argentina, e autor de 17 livros sobre recreação. Mariotti, que trouxe o tema “A Importância do Lúdico na Educação Física Escolar” para o debate e para a reflexão, mostrou aos presentes, de maneira bastante prática, como as brincadeiras, especialmente com músicas, podem ser extremamente proveitosas aos alunos. “Os professores, de uma maneira geral, precisam ter consciência da atitude lúdica, atuando de forma menos dura nas aulas e mais abertos para aprenderem com também”, explicou. Mariotti, ao longo da sua apresentação, mostrou aos presentes as vantagens da aproximação e da interação entre as crianças nas aulas de Educação Física Escolar.

Robson Santos (CREF 021677-G/RS), pós-graduado em Reabilitação de Lesões Musculoesqueléticas e finalista do prêmio Top Trainer Brasil 2017, fez a última palestra do CongregaCREF 2018, com o título “O Profissional de Educação Física no Tratamento e Prevenção da Hérnia de Disco”. Além de classificar as diferentes fases do problema e o que é mais recomendado para combater a dor, o palestrante apresentou de forma bastante didática algumas estratégias que podem ser adotadas pelos profissionais de Educação Física diante de qualquer tipo de lesão. “O instrutor de musculação, que está lá na academia atendendo uma pessoa que tem hérnia de disco ou alguma outra enfermidade, não precisa ter medo de atender esse tipo de aluno. O que ele não pode é só montar um treino e contar as séries, tem é que analisar o aluno desde o primeiro momento e entender os seus gestos e as suas reações durante a prática”, explicou Santos.


CongregaCREF



Vereadores farão Moção de Repúdio a MP que retira recursos do esporte
Postado em 11/07/2018
Fonte: Site da Câmara Municipal de Porto Alegre

A elaboração de uma Moção de Repúdio ao texto da Medida Provisória (MP) nº 841/18 que, desde o dia 11 de junho, retira mais de R$ 541 milhões, oriundos de percentuais das apostas nas loterias federais, de projetos de incentivo ao esporte, em especial ao atletismo brasileiro, foi o encaminhamento adotado após debate sobre o tema, na tarde desta terça-feira (10/7), no encontro conjunto das comissões de Educação, Cultura, Esportes e Juventude (CECE), e de Defesa do Consumido, Direitos Humanos e Segurança Urbana (Cedecondh) do Legislativo Municipal. A reunião, por iniciativa do vereador André Carús (MDB), que sugeriu a redação do documento, contou com a presença de outros parlamentares e representantes de entidades esportivas.

Ao iniciar a discussão da pauta, Carús disse que a MP, da forma como foi apresentada não irá produzir os resultados pretendidos, que é o de reduzir a violência nas cidades a partir da transferência de boa parte dos recursos do esporte juvenil para o Fundo Nacional da Segurança. De acordo com o vereador, é preciso pressionar o governo federal para reverter a situação “com a máxima urgência, porque os danos já estão causando estragos”.

Retrocesso

Para o vice-presidente de formação de atletas do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC), Fernando Manuel de Matos Cruz, a MP retrocede em conquistas que vinham sendo obtidas desde a Lei Pelé. Disse, ainda, que da parte percentual do que é arrecadado com as loterias e destinada ao esporte, só atingiu a área de incentivo à formação de jovens para o atletismo. “O prejuízo é grande porque esses recursos vinham sendo investidos em equipamentos, como a construção de pistas atléticas, piscinas e outros; no pagamento de profissionais e no fomento à participação de atletas em competições, o que agora não é mais possível”.

Cruz explicou como o recurso, em média de R$ 40 milhões anuais, era distribuído até que a MP entrasse em vigor e zerasse os repasses de 0,5% de todos os prognósticos de loterias aos cuidados do CBC. “Ao esporte escolar cabia 5%, ao esporte universitário 10%, ao comitê paraolímpico 15%, às despesas administrativas 20% e os 50% restantes ao esporte olímpico e aos clubes”.

Luciana Miorro, coordenadora de Projetos Esportivos do Grêmio Náutico União, declarou que é grande a expectativa dos jovens atletas com a possibilidade de reversão dos efeitos da MP. “Eles estão apreensivos porque foi graças a esses recursos que muitos puderam ser incluídos no esporte”, disse. Ela exemplificou que no União, entre outras formas de investimento, foi possível revitalizar o piso de dois ginásios e equipar o departamento médico, entre outras melhorias “que refletem no preparo dos atletas para competições nacionais e internacionais”.

José Haroldo Arataca, diretor técnico e treinador da Confederação Brasileira de Atletismo (CBA), considerou que, apesar de danosa pelo seu contexto, a MP teve um resultado positivo. “Já vim aqui nesta Casa Legislativa muitas vezes e é a primeira vez que vejo a união dos representantes das entidades em defesa do esporte”. Arataca, no entanto, lamentou não ver a indignação popular. “As pessoas choram pela nossa colocação em sexto no Mundial, mas não se manifestam ao fato de estarmos na 84º posição em educação”, criticou.

Segundo o diretor da CBA, os recursos cortados atingem ainda, o esporte escolar, inviabilizando qualquer iniciativa, como os tradicionais jogos universitários. Ele elogiou a gestão dos recursos que até então eram destinados ao CBC e comparou: “a pista da Sogipa, com o controle da entidade foi construída por R$ 1,8 milhões e uma semelhante, na Ufrgs custou cerca de R$ 10 milhões”. Arataca também lembrou que parte dos recursos cortados do atletismo foram para reforçar o próprio prêmio das loterias, que aumentou recentemente de valor, e também para o futebol, por força da pressão feita pela “bancada da bola”.

Equívoco

O vice-presidente da Federaclubes, Carlos Humberto Rigon, disse que a MP é um equívoco. Além de prejudicar imediatamente aos clubes mais estruturados, como Sogipa, União e Veleiros, corta, também, o sonho das entidades menores que vinham se organizando para a aprovação de projetos junto ao CBC. Ele adiantou que o tema será um dos pontos a ser debatido no Congresso da Federaclubes que acontece em Gramado nos próximos dias 20, 21 e 22 de julho.

Lauro Aguiar, vice-presidente do Conselho Regional de Educação Física da 2ªRegião (CREF2RS) informou que o tema vem sendo tratado, também, no âmbito da Assembleia Legislativa, onde uma Audiência Pública está sendo chamada para discutir os efeitos da MP 841/18. Ele lamentou os poucos fóruns de debate e criticou a falta de realização das Conferências do Esporte. “Não somos contra a segurança pública, mas entendemos que não adianta construir presídios se não investirmos em prevenção à violência e isso se faz com iniciativas como a do incentivo da prática do esporte, assim como de investimentos em educação e cultura para os nossos jovens”.

Mauro Myskin, vice-presidente do Colégio Brasileiro de Ciência do Esporte, afirmou que a extinção da secretaria de Esportes e as políticas públicas para o setor, em Porto Alegre, foram completamente abandonadas. Ressaltou a importância da união de todos para a derrubada da MP, o que considera fundamental para a continuidade de projetos que vinham sendo desenvolvidos pelas entidades e clubes.

Leonardo Monteiro, que representou o deputado federal João Derly (Rede) ressaltou que a MP, que entrou em vigor no dia 12 de junho, tem prazo de 45 dias para ser apreciada pelo Congresso, ou passará a trancar a pauta. Ele lembrou, no entanto, que como há o recesso de julho e a contagem é interrompida, o prazo deve vencer em meados de agosto. “A solução mais rápida é a de pressão sobre o governo para que ele reveja os efeitos da MP sobre o Esporte. Fora isso, ou é esperar a votação, que pode ser pela derrubada, alteração do texto ou aprovação, ou ainda, aguardar os 120 dias para ver a MP, caso não seja apreciada em plenário, perca automaticamente os seus efeitos”.

Paulo Eduardo Barbosa Santos, presidente do Conselho Municipal de Desportos (CMD) reforçou as críticas à falta de incentivo ao esporte na capital gaúcha. Disse que o tratamento em Brasília, com a MP é semelhante ao que vem sendo destinado ao setor em um ano e sete meses do atual governo. Que o CMD perdeu recursos orçamentários, sede e, assim como os demais, qualquer apoio para o desenvolvimento do trabalho dos conselheiros.

Medida

Em suas manifestações, os vereadores presentes ao encontro, assim como o proponente da pauta, se posicionaram contra a retirada de recursos do esporte. De acordo com Cassiá Carpes (PP), o problema da falta de verbas não é diferente de quando foi presidente da extinta Fundação de Esporte e Lazer do Estado do Rio Grande do Sul (Fundergs). "Era preciso muito jogo de cintura para podermos realizar algo", justificou. João Bosco Vaz (PDT) disse que a MP coloca uma pá de cal sobre qualquer possibilidade de investimento em esporte na capital, visto que o atual governo não realiza nenhum aporte ao setor, assim como nas demais áreas, como na social, "totalmente abandonadas pelo poder público".

Na mesma linha Sofia Cavedon (PT), lamentou o desmonte do esporte na cidade. Ela ainda ressaltou que devido aos projetos do Executivo que trancam a pauta, a Moção de Repúdio não poderá ser votada com a celeridade que merece e, portanto, "o melhor é coletar as assinaturas dos vereadores para remetê-la o mais rápido ao presidente da Câmara Federal". disse. Prof. Alex Fraga (PSol) alertou que é necessário deixar clara a intenção da interrupção imediata dos efeitos da MP na Moção, visto se permanecer com seus efeitos por quatro meses, até que perca o seu valor, "irá provocar estragos que só poderão ser recuperados no ano que vem".

Para a vereadora Comandante Nádia (MDB), presidente da Cedecondh, a união de esforços em prol do Esporte é importante. Disse que os vereadores estão engajados na luta das entidades e clubes para fazer valer o desejo da comunidade esportiva brasileira. Tarciso Flecha Negra (PSD), que presidiu o encontro, destacou que o esporte é capaz de salvar a vida de muitos jovens. Ele lembrou a sua história e a importância que o setor tem para coibir a violência. Da mesma forma a vereadora Mônica Leal (PP) informou que assinará a Moção. Para ela, não se pode colocar em confronto a Segurança e o Esporte. "Cada um dos setores tem a sua importância e devem ter a atenção dos governos", declarou. O vereador Alvoni Medina (PRB), também participou do encontro.

Texto: Milton Gerson (reg. prof 6539)
Edição: Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)
Foto: Andielli Silveira/CMP


epúdio a MP que retira recursos do esporte



CREF2/RS fecha dois estabelecimentos e autua outros 21 irregulares
Postado em 04/07/2018
Fonte: CREF2/RS

Nas três primeiras semanas de junho, os agentes fiscais Departamento de Orientação e Fiscalização (DEFOR) do CREF2/RS fecharam duas academias, uma localizada no município de Alvorada e outra em Nova Santa Rita, ambas por não apresentarem nenhum profissional para assumir as atividades. Em quase 20 dias de trabalho, o DEFOR autuou 21 academias nas mais diferentes cidades do estado. Entre as infrações constatadas, seis empresas funcionavam sem registro no CREF2/RS, 14 estavam sem profissional presente no momento da visita, 10 permitiam atuação de leigos em exercício ilegal da profissão e duas academias descumpriam o Termo de Cooperação firmado com o Conselho.

Entre os dias 3 e 23 de junho, foram realizadas 60 visitas de orientação e fiscalização, tendo como resultado 23 denúncias totalmente atendidas. Os agentes autuaram 23 pessoas por alguma infração, sendo quatro profissionais atuando fora da área de formação e infringindo o Código de Ética Profissional, nove Responsáveis Técnicos descumprindo obrigações inerentes a suas funções e infringindo o Código de Ética Profissional e um diplomado atuando sem registro profissional.

Os fiscais visitaram os municípios de Porto Alegre, Cachoeirinha, Alvorada, Guaíba, Viamão, Esteio, Nova Santa Rita, Canoas e Esteio. Você pode colaborar com o trabalho da Fiscalização e encaminhar a sua denúncia ao CREF2/RS, preenchendo o formulário disponível neste link.


DEFOR



UFRGS realiza pesquisa com egressos da Residência Multiprofisisonal em Saúde
Postado em 13/06/2018
Fonte: CREF2/RS

O Instituto de Psicologia da UFRGS está realizando uma pesquisa com os profissionais de Educação Física que tiveram formação em Residência Multiprofisisonal em Saúde, entre 2005 e 2014. O questionário, vinculado ao trabalho “Residências Multiprofissionais em Saúde: onde estão os profissionais egressos e que dispositivos de cuidado em saúde mental estão produzindo?” e coordenado pela professora Vera Pasini, está aberto para a participação voluntária de todos aqueles que atendem a este pré-requisito e pode ser acessado diretamente neste link.

Ao acessar o formulário, os participantes também terão acesso ao termo de consentimento e as informações pessoais serão acessadas apenas pelos pesquisadores, sendo os resultados deste estudo avaliados e divulgados de forma coletiva, sem identificação individual. A participação é exclusiva para egressos da Residência Multiprofisisonal em Saúde. Mais informações pelo e-mail pesquisaresidenciaemsaude@gmail.com.


pesquisa residência saúde



O número de corredores de rua não para de aumentar em Porto Alegre
Postado em 23/04/2018
Fonte: CREF2/RS

Seja apenas no fim de semana ou sempre que pode, há um grupo que não para de aumentar no Brasil: o de pessoas que participam das corridas de rua. O número de corredores de rua cresceu mais de 50% nos últimos 5 anos e, atrás de tanta gente, tem gerado uma variedade enorme de pequenos e grandes negócios. Com o aumento dos adeptos desse esporte houve um significativo crescimento da mídia especializada - com revistas e sites promovendo a modalidade - e dos fabricantes voltados para esse segmento, que passaram a oferecer tênis cada vez mais modernos e arrojados, camisetas com tecnologias que melhoram a regulação térmica do corpo, e produtos similares. Também ocorreu um incremento na estrutura de apoio fornecida pelas empresas organizadoras dos eventos, que passaram a oferecer melhor suporte antes e após a prova, através de maior facilidade de pagamento das inscrições, de consulta dos resultados e até mesmo de busca de fotos dos atletas tiradas durante as competições.

Este aumento vertiginoso de esportistas também foi sentida no Rio Grande do Sul e, em especial, na capital gaúcha. Tal representatividade fez com que o Município de Porto Alegre sancionasse, em 2017, a Lei 12.225, que determina a data de 24 de abril como Dia Municipal em Homenagem Corrida de Rua. A indicação foi da Câmara Técnica de Corrida de Rua do CREF2/RS.

Segundo a presidente da Câmara, Cláudia Ramos Lucchese (CREF 002358-G/RS), o "boom" nas corridas de rua se deve a múltiplos fatores. “Hoje cada vez mais pessoas se encantam por esse esporte, que é democrático, pois teoricamente qualquer pessoa pode colocar um tênis, uma bermuda e sair para correr. E por ser uma atividade aeróbica, na maioria das vezes, podemos perceber que a evolução do condicionamento cardiorrespiratório é um dos fatores importantes nessa prática. Mas além disso, o que se percebe ainda é o prazer e a sensação de estar do indivíduo que participar de corridas”, explica. Muitos estudos relatam a liberação de hormônios do "bem", como a serotonina, quando se pratica a corrida. E esse hormônio é o grande remédio contra sentimentos de solidão e depressão.

Cláudia explica que esse esporte também proporciona a possibilidade de interagir com o meio ambiente, fazer novas amizades e com isso a sensação de pertencimento a um grupo com os mesmos objetivos. “Muitas pessoas que participam de provas de corridas de rua não buscam tanto a alta performance, e sim os benefícios acima descritos e principalmente a questão da superação, de saber que a competição é consigo mesma e isso o torna mais resiliente”, ressalta.

Mas, como todos os outros esportes, a corrida exige muitos cuidados e principalmente o acompanhamento de profissionais de Educação Físicas capacitados para que se evitem lesões importantes ou problemas cardiorrespiratórios, por exemplo. Uma pesquisa desenvolvida pela Unicamp com o objetivo de verificar a prevalência de lesões dos participantes nos corredores de rua constatou que cerca de 31% dos entrevistados relataram algum tipo de lesão. As lesões são mais recorrentes entre os que se submetem a maiores cargas de treinamento e mais participações em provas. A pesquisa indica que os corredores que vêm praticando corrida há mais tempo e que se submetem a maiores cargas de treinamento são mais suscetíveis a lesões, embora estas inferências devam ser confirmadas por outros estudos.

E é nesse sentido que a Câmara técnica de Corrida de Rua vem se reunindo periodicamente desde 2016. São profissionais de Educação Física que trazem seu conhecimento nessa área e discutem sobre quais as melhores ações para divulgar à sociedade que correr com segurança deve passar por algumas etapas como avaliação médica, avaliação física, atividades educativas e sempre com evolução de acordo com a especificidade de cada indivíduo. “Assim, muitas assessorias ou grupos de corridas têm se formado no Brasil e em nosso Estado. Sempre supervisionados por profissionais de Educação Física habilitados, o corredor tem a chance de praticar esse esporte com mais segurança e ainda evoluir na técnica e em outras competências necessárias”, avalia Cláudia.


Câmara técnica de Corrida de Rua



Formação em Licenciatura é tema do 7º Fórum de Mobilização Gaúcha pela Educação Física Escolar
Postado em 09/04/2018
Fonte: CREF2/RS

A Comissão de Educação Física Escolar do CREF2/RS realizou, no último sábado, dia 7 de abril, a sétima edição do Fórum de Mobilização Gaúcha pela Educação Física Escolar. O evento, que contou com o apoio da APEF/RS, do Sesc/RS e da Prefeitura de Torres, integrou a programação do 44º Encontro Nacional dos Profissionais de Educação Física (ENAPEF) e teve como atração uma palestra conduzida pela conselheira federal Iguatemy Martins (CREF 000001-G/PB).

Com entrada gratuita para profissionais de Educação Física e acadêmicos do curso, o 7º Fórum reuniu participantes de todo o Estado e trouxe para debate a formação em Licenciatura e como os professores podem se preparar melhor para atuar nas escolas. A mesa de abertura foi composta pela presidente da Comissão de Educação Física Escolar do CREF2/RS Miryam Brauch (CREF 006834-G/RS), pelo representante da Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul Paulo Rezende (CREF 001298-G/RS), pela presidente do CREF2/RS Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) e pela presidente da APEF/RS Luciane Citadin (CREF 000100-G/RS). Nas suas falas, todos destacaram os avanços conquistados pelo Fórum e pelo Conselho nos últimos sete anos e como esta oportunidade de aperfeiçoamento profissional é de grande valia para todos os Licenciados em Educação Física, sempre com palestras de alto nível.

Na sequência, Iguatemy iniciou a apresentação intitulada “A formação em Educação Física para atuação na Escola: preparando o professor, vivenciando a Licenciatura”. Na primeira parte da sua fala, a palestrante trouxe números referentes à quantidade de docentes presentes na Educação Básica, estimada em 2,1 milhões de pessoas, e à presença de professores de Educação Física devidamente habilitados para desempenhar esta função. “Como indica o Plano Nacional de Educação (PNE), quase 80% daqueles que atuam nas escolas têm curso superior. No entanto, um dos principais problemas não diz respeito a este dado, mas ao fato de que somente metade deles lecionam dentro da sua área específica. Apenas na Educação Física, por exemplo, há um deficit de cerca de 30% de profissionais habilitados”, pontuou.

A Educação Física Escolar, embora bem representada frente a outras disciplinas em que a ausência de professores capacitados é mais evidente, como Química, Física e Biologia, precisa capacitar melhor os seus profissionais. Os apontamentos feitos por Iguatemy ao longo da palestra, baseados em indicadores divulgados pelo Governo Federal, mostraram que o baixo capital cultural, a frágil preparação para o Magistério, a teoria descolada da formação prática e o estágio não encarado como uma ação estratégica de formação são os principais eixos que precisam ser contemplados pelos cursos de Licenciatura. “As Instituições Públicas e Privadas não estão resolvendo a questão formativa do futuro professor. A maioria das alterações curriculares feitas nas Licenciaturas, nos últimos anos, não teve uma avaliação feita do seu impacto e dos seus resultados”, salientou Iguatemy.

Na segunda parte da apresentação, Iguatemy falou sobre a intervenção profissional nas escolas e como os professores de Educação Física podem se preparar para realizar um trabalho de excelência. A palestrante destacou os seis eixos da atuação – planejar, programar, organizar, desenvolver, coordenador e lecionar conteúdos de Educação Física no Ensino Infantil, Fundamental e Médio – e como eles poderiam ser aplicados da melhor forma. “Os professores precisam colecionar, selecionar e aplicar metodologias e técnicas nas diversas faixas etárias e níveis de ensino. No entanto, a maioria dos profissionais sentem falta de capacitação adequada para fazer esta distinção”, relatou Iguatemy. “A ausência de uma sistematização ainda é algo que prejudica a evolução da Educação Física enquanto disciplina escolar e a valorização dos seus professores. O profissional precisa compreender, dentro dos cursos de Licenciatura, que não pode dar a mesma aula para alunos do 4º, do 5º ou do 6º ano. Resumidamente, não há qualidade no ensino que é engessado e igual para todo mundo”, complementou.

Para Iguatemy, a falta de clareza do que é ensinado e as expectativas de aprendizado que não são atendidos afetam não só os alunos, mas também os docentes, que no fim das contas acabam se afastando do saber pedagógico das Licenciaturas. “Os professores têm que conhecer o conteúdo daquilo que ensinam, precisam dominar todos os assuntos que são levados para as aulas de Edução Física. O principal indicador de qualidade do ensino é o capital humano, ou seja, os docentes bem formados e preparados”.


Fórum Educação Física Escolar Educação Física Escolar ENAPEF



CREF2/RS participa das reuniões da Comissão Especial de Combate à Obesidade Infanto-Juvenil
Postado em 03/04/2018
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS tem participado das reuniões da Comissão Especial de Combate à Obesidade Infanto-Juvenil, colegiado da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em sua visitas ao interior do estado O objetivo do encontro é debater sobre obesidade na infância e adolescente e os reflexos na saúde pública. Até o momento, foram visitados os municípios de Guaíba, Capão da Canoa, Portão e Gravataí. As próximas visitas serão em Lajeado, Santa Rosa, Rio Grande, Santa Maria, Caxias do Sul e Novo Hamburgo

O objetivo da Comissão é discutir com a comunidade gaúcha como a obesidade infanto-juvenil tem se tornado uma pandemia brasileira. Com o resultado das discussões será elaborado um livro com os dados referente ao consumo de alimentos industrializados, práticas de exercícios físicos e hábitos saudáveis, que será distribuído gratuitamente nas escolas públicas, municipais e particulares.

O Presidente da Comissão Especial de Combate à Obesidade Infanto-Juvenil, deputado Maurício Dziedricki, afirma que há uma consciência quanto ao exagerado tempo gasto em tela, em frente ao computador, TV, celular e videogame. “Sabemos que a insegurança da atividade física na rua e a vida corrida colaboram para isso, gerando tempo ocioso em casa e incremento do consumo calórico, contribuindo para o sobrepeso e obesidade”, afirma.

O deputado disse que “é preciso sublinhar a todos a gravidade da matéria com a qual trabalharão". Conforme ele, prognósticos mundiais apontam que o Brasil, nos próximos 10 anos, será o país com a maior concentração de obesos no mundo.

“Na maioria das vezes, são adotadas políticas de cura ou busca desta cura, mas com a doença já presente, ao passo que a lógica – de estudo, interpretação e produção – deveria ser a prevenção, muito em especial, da criança e do adolescente, no que diz respeito ao trato nutricional e atividade física”, ponderou, salientando a inatividade neste campo como fator impulsionador de doenças.

Nas audiências, são convidados a participar representações das secretarias estaduais de Educação e Saúde; secretarias municipais destas pastas; prefeituras municipais; Câmaras de Vereadores; os conselhos regionais de Educação Física, Nutrição, Psicologia e Medicina; conselhos municipais de Saúde e Educação; coordenadorias regionais de Educação e Saúde; Conselhos Tutelares e Conselhos de Pais e Mestres.

Segundo a presidente Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), as visitas são uma importante oportunidade de firmar parcerias com os órgãos públicos para promover a atividade física. "Cerca de 33% das crianças e adolescentes estão com sobrepeso ou obesas. Ou seja, uma em cada três crianças tem esta doença. A obesidade implica em várias outras sequelas, sejam psicológicas, como exclusão da criança, ou agressões, via bullyng. Isto pode causar sérios traumas que deveriam ser evitados com atividade física e uma alimentação saudável".


CREF2 RS participa das reuniões da Comissão Especial de Combate à Obesidade Infanto-Juvenil



CREF2/RS apresenta projeto de combate à obesidade infantil ao deputado Maurício Dziedricki
Postado em 27/02/2018
Fonte: CREF2/RS

A presidente do CREF2/RS Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) e o vice-presidente do CREF2/RS Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS) visitaram ontem (27/02) o gabinete do deputado estadual Maurício Dziedricki (PTB). Eles estavam acompanhados do presidente mundial dos Professores de Educação Física Sem Fronteiras da FIEP, Almir Grunh (CREF 000001-G/PR), e do delegado regional da FIEP, Everton Deiques (CREF 008538-G/RS). Também estava presente à reunião o vereador do município de Guaíba, Everton Silva Gomes (CREF 002615-G/RS). Carmen e Lauro foram apresentar o projeto de inserção da população infantojuvenil nas academias registradas ao CREF2/RS, visando combater a obesidade nesta faixa etária.

Segundo Lauro, o Brasil é segundo país em número de academias, com centenas de milhares de frequentadores. "Contudo, temos poucos dados referentes aos resultados obtidos pela atividade física referentes à obesidade e ao sobrepeso. A academia poderia ser um ponto de referência para articularmos projetos de saúde", explicou. Para Lauro, atualmente as pessoas buscam um posto de saúde, sendo ali tratados e atendidos. "Se tivéssemos dados das doenças associadas ao sedentarismo na infância e juventude, teríamos subsídios para tratá-los em academias", raciocina.

O vice-presidente afirmou que o projeto prevê o credenciamento de academias em programas do Ministério da Saúde e secretária da Saúde do estado. Com isto, analisa Aguiar, pretende-se oportunizar avaliações com foco no grau elevado de obesidade. “Tudo isto integrado às demais profissões da saúde. Conseguiríamos, então, uma visão sistêmica na saúde no estado, em uma ação validada pelo Ministério da Saúde, o que permitiria uma coleta de dados regional, valorizando cientificamente a importância da atividade física no combate à obesidade infantojuvenil”.

Segundo a presidente do CREF2/RS, já existe um projeto semelhante em Minas Gerais. "Lá, a secretaria de Esportes e Saúde criou uma bolsa saúde que cadastra algumas academias registradas no CREF mineiro". Carmen explicou que a secretaria paga cerca de R$70,00 por criança obesa. Com este valor, ela passa a fazer atividade três vezes por semana em uma academia cadastrada. “Este estabelecimento tem obrigação de gerar relatórios sobre suas condições físicas. Esta ação é a garantia de que esta criança não será o obeso de amanhã”. Carmem complementou que o projeto operou de 2012 a 2015, abrangendo 93 municípios, e que o secretário de Esportes e Saúde de Minas Gerais está à disposição para colaborar na consolidação do projeto gaúcho.

O deputado Maurício Dziedricki, que é presidente da Comissão Especial de Combate à Obesidade Infanto Juvenil na Assembleia Legislativa, mostrou-se interessado com o projeto, pois na sua concepção, as crianças atualmente despendem um tempo exagerado em frente a tela de TV, computadores, smartphones e videogames. Dziedricki afirmou que aliado ao sedentarismo, existe um excesso de oferta de carboidratos, refrigerantes, fast food, farináceos e gorduras trans, que contribuem para o sobrepeso e obesidade, uma das doenças crônicas não transmissíveis mais comuns na infância, podendo gerar hipertensão, problemas cardíacos e diabetes tipo 2, dentre outras doenças. "Existe um prognóstico de que nos próximos dez anos o Brasil será o país com a maior número de obesos do mundo. Frente a este diagnóstico assustador, na maioria das vezes são adotadas políticas de cura ou busca desta cura, mas com a doença já presente, ao passo que a lógica deveria ser a prevenção, muito em especial da criança e do adolescente, no que diz respeito ao trato nutricional e atividade física”, ponderou. "Este projeto vem ao encontro de uma solução preventiva contra esta epidemia", concluiu.

Dia Estadual dos Profissionais de Educação sem Fronteiras

Em outro momento da reunião, o presidente mundial Professores de Educação Física Sem Fronteiras da FIEP, Almir Grunh apresentou o trabalho da organização ao deputado, e colocou a pretensão de tornar, por força de lei, o dia 20 de abril a data comemorativa dos Professores de Educação Física Sem Fronteiras no Rio Grande do Sul. Já o delegado regional da FIEP, Everton Deiques, explicou que de 15 a 22 de setembro de 2019 serão comemorados os 70 anos de existência da organização, quando serão recepcionadas delegações de todos o Brasil e do estrangeiro. “Gostaríamos de contar com apoio da Casa do Povo para recepcionar as delegações nestas comemorações”, explicou o delegado.

Segundo o deputado, a Assembleia Legislativa, via de regra, produz muito mal sua legislação no que se refere à vida da sociedade gaúcha. “Precisamos enxugar o número de leis , pois há excesso de legislação, fazendo com que exista um represamento de leis importantes para o estado.”, ressaltou. “Contudo”, prosseguiu o deputado, “muitas vezes não se reconhece uma simples positivação de uma data comemorativa e a sua inclusão no calendário de eventos de estado”. Para exemplificar sua fala, Dziedricki argumentou que Porto Alegre já dera uma bela lição ao criar a Lei que instituiu o Dia do Profissional de Educação Física, de autoria do ex-vereador Professor Garcia (CREF 000002-G/RS). “Colocarei a proposta da criação da data comemorativa à apreciação dos meus pares e faço questão de apoiar às comemorações dos 70 anos de existência dos Professores de Educação Física Sem Fronteiras”, finalizou.

Foto: Pablo Vini Fotografia


Obesidade infantil



CREF em Revista analisa as novas modalidades de atividade física no RS
Postado em 21/02/2018
Fonte: CREF2/RS

A nova edição do CREF2/RS em Revista já pode ser lida em PDF no site do Conselho. Neste número, o leitor pode ser informar melhor sobre a história de quem aderiu as modalidades de atividade física que chegaram ao país nos últimos anos e de quem criou metodologias e treinamentos diferenciados, que aos poucos vêm chamando a atenção pelos resultados alcançados.

O profissional Tiago Proença (CREF 012034-G/RS) conta como sua academia de Treinamento Funcional se tornou referência no segmento e Michelle Scalon (CREF 008668-G/RS) analisa o crescimento do Pilates em todo o Rio Grande do Sul. A Revista traz também, entre outros conteúdos, os números sobre as fiscalizações efetuadas, bem como a ação conjunta do DEFOR e a Polícia Civil que interditou academias irregulares no interior do estado.

A Revista é enviada às pessoas jurídicas registradas. Os profissionais que desejarem receber um exemplar via correio podem solicitar através do e-mail contato@crefrs.org.br.


CREF2 RS em Revista



Vice-presidente do CREF2/RS faz palestra sobre Personal Trainer Corporativo no 33º Congresso da FIEP
Postado em 12/01/2018
Fonte: CREF2/RS

O presidente da Câmara Técnica de Ginástica Laboral e Atividade Física na Empresa e vice-presidente do CREF2/RS, Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), realizará a palestra “Personal Trainer Corporativo” no 33º Congresso da Federação Internacional de Educação Física – FIEP 2018, em Foz do Iguaçu na próxima terça-feira, dia 16, a partir das 19h. O Congresso é o maior e mais importante evento da FIEP, realizado anualmente no mês de janeiro na cidade de Foz do Iguaçu/PR, de forma ininterrupta desde o ano de 1986, tendo recebido mais de 55 mil participantes desde a sua primeira edição.

O vice-presidente explicou que os objetivos do Personal Trainer Corporativo são, principalmente, realizar consultoria, assessoria e atendimento à empresa que na compreensão das relações de produção, processo e organização do trabalho. “Com isto, o Personal Corporativo pode oferecer diagnósticos voltados à saúde, educação, esporte e lazer dos trabalhadores”, analisa. O resultado, segundo Lauro, é a promoção de uma atividade física mais adequada àquela realidade. “A expertise do Personal Trainer Corporativo engloba a capacitação e habilitação profissionais necessárias ao entendimento dos processos de trabalho e dos fatores de risco que determinam perigo à saúde e podem gerar acidentes, além de doenças ocupacionais”, resume.


FIEP



CREF2/RS participa do lançamento da Comissão Especial contra a Obesidade Infantojuvenil
Postado em 29/11/2017
Fonte: CREF2/RS

Na manhã desta quarta-feira, dia 29 de novembro, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul realizou a cerimônia de instalação da Comissão Especial contra a Obesidade Infantojuvenil. A sessão, que contou com a presença de deputados e de vereadores de diversos municípios do Estado, teve também com a participação do vice-presidente do CREF2/RS Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS).

O deputado estadual Maurício Dziedricki, presidente da Comissão, destacou a contribuição de diversas entidades durante a sua fala. O CREF2/RS, que contribuiu ativamente em todas as reuniões e audiências públicas que antecederam a criação do grupo, foi lembrada. “O Brasil, nos próximos anos, deverá ser o país com a maior concentração de obesos no mundo”, salientou o Deputado. “Com a contribuição de todas as entidades aqui presentes, queremos que a Assembleia participe ativamente no que diz respeito à obesidade infantil, com protagonismo para combater esta grande epidemia”.

Para Aguiar, a atuação da Comissão Especial contra a Obesidade Infantojuvenil deverá contribuir para a melhora da saúde de toda a população e, diante dos prováveis resultados positivos, vai poder chegar também à esfera nacional, com a criação de diversas políticas públicas a respeito deste tema. “A inatividade física é um fator de surgimento de diversas doenças e precisa ser um dos nossos focos de ação. As taxas de obesidade entre o público infantil só irão reduzir com um trabalho bastante eficaz de prevenção”, declarou.


Assembleia Legislativa obesidade infantil



CongregaCREF reúne profissionais e acadêmicos para debater temas da Educação Física
Postado em 28/08/2017
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS realizou no último sábado, dia 26 de agosto, o CongregaCREF – III Seminário Sul Brasileiro de Educação Física. O evento, que ocorre desde 2015 e integra as comemorações pela passagem do Dia do Profissional de Educação Física, celebrado em 1º de setembro, reuniu profissionais registrados e acadêmicos do curso, para assistir palestras e para debater diversos temas relacionados à profissão.

A abertura do evento, feita pela presidente Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), destacou as conquistas recentes do Conselho e o crescimento da Educação Física, em todo o Brasil, nos últimos anos. “No momento, o CREF2/RS está engajado para garantir a presença do profissional de Educação Física no Sistema Único de Saúde, de maneira permanente. Para que isto ocorra, nós precisamos estar unidos, orgulhosos e conscientes de que representamos uma grande profissão”, comentou.

Na sequência, o CongregaCREF teve a sua primeira palestra, chamada “Gestão no Esporte: Os Desafios do Profissional de Educação Física Contemporâneo”, ministrada por Antônio Cimirro (CREF 004716-G/RS), instrutor dos cursos CBF Academy e docente no Ensino Superior. Além de apresentar o cenário do esporte mundial, ele salientou que no Brasil tem um grande potencial de crescimento na área. “O mercado fitness teve um aumento de 22% somente em 2016, atingindo a marca de 2% do PIB”, pontuou. “Os grandes esportistas são experts em vender a nossa profissão e precisamos aproveitá-los desta forma, para que possamos movimentar 40 bilhões de reais todos os anos – como os países desenvolvidos fazem – e gerar mais de 300 milhões de empregos”.

A gestão esportiva, o planejamento e a execução de projetos também foram assuntos abordados por Alexandre Greco (CREF 004204-G/RS), na segunda palestra do CongregaCREF. Consultor de academias e empreendedor digital, Greco falou sobre a evolução das ferramentas digitais ao longo do tempo e reforçou a necessidade que os profissionais de Educação Física têm de estarem sempre antenados a tudo o que surge de novo. “Nós não podemos ter receito de utilizar e de gerar conteúdo em plataformas como Youtube, Facebook e Instagram. Quem está aproveitando estes espaços deixados em aberto, mostrando como a Educação Física pode mudar a vida das pessoas para melhor, está tendo sucesso”.

Os assuntos mais atuais do dia a dia da profissão também ganharam repercussão na apresentação de Fabio Saba (CREF 000007-G/SP), sócio-diretor da IHRSA Fitness Brasil e diretor-executivo da Saba Consultoria. Dando exemplos de um bom marketing para profissionais de Educação Física e para academias, o palestrante resumiu que a excelência do serviço prestado na área da atividade física depende muito mais do envolvimento dos profissionais com as pessoas do que com os esportes. “Não podemos ficar presos somente aos aspectos estéticos. Quem foi que disse que uma academia não pode contratar um profissional com sobrepeso?! Na nossa área, não pode haver preconceito e sempre há uma parcela da população que se identifica com este tipo de profissional, não com os sarados”, explicou.

O encerramento do CongregaCREF foi com uma mesa-redonda sobre obesidade infantil, que contou com a presença de Miria Burgos (CREF 001566-G/RS), conselheira federal e professora da UNISC; e Roberto da Costa (CREF 000137-G/SP), pós-doutor em Ciências do Movimento Humano pela UFRGS. Em uma conversa com a participação da plateia, os palestrantes mostraram os principais resultados de suas pesquisas sobre o tema, que revelaram que cada vez mais crianças estão desenvolvendo doenças como hipertensão e diabetes, típicas da vida adulta. “As crianças ficam cerca de sete horas pro dia em frente a telas, como computador e televisão, e o sedentarismo é o grande fator para o aumento do risco de doenças crônicas”, frisou Costa. “A gente viu que a atividade física regular, além de melhorar a aptidão física e corrigir eventuais problemas de postura, também implica diretamente na melhora da saúde desta parcela da população”, complementou Miria.


CongregaCREF



Ação da Polícia Civil em parceria com o CREF2/RS interdita quatro academias em Canoas
Postado em 18/08/2017
Fonte: CREF2/RS

Na manhã de ontem, dia 17 de agosto, a Polícia Civil, em parceria com o CREF2/RS e com diversos outros órgãos de defesa da sociedade, como o Inmetro, o Procon e a Vigilância Sanitária, realizou uma grande ação conjunta, em Canoas. Com o objetivo de coibir crimes contra o meio ambiente e contra o consumidor, os agentes de fiscalização do Conselho e do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) interditaram quatro academias, que funcionavam de maneira totalmente irregular no município. Além destes estabelecimentos, quatro pessoas também foram autuadas por exercício ilegal da profissão.

De acordo com o delegado e diretor do Deic Rodrigo Bozzetto, a ação conjunta também visitou supermercados, farmácias e postos de gasolina. Ao todo, duas pessoas foram presas em flagrante por furto de energia elétrica e aproximadamente 1,2 toneladas de alimentos impróprios para o consumo foram apreendidas.

Já para Fernanda Rodrigues (CREF 009604-G/RS), coordenadora do Departamento de Fiscalização e Orientação do CREF2/RS, a parceria com a Polícia Civil foi muito produtiva e ampliou as possibilidades de atuação do Conselho. “Os nossos agentes fiscais têm, muitas vezes, dificuldades para entrar em alguns locais mais afastados. A união de forças com a Polícia Civil e com os demais órgãos de fiscalização facilitou a nossa tarefa de defender a sociedade e nos trouxe resultados extremamente satisfatórios”, comentou. Ela também confirmou que o CREF2/RS e o Deic deverão realizar novas visitas conjuntas em breve.


Fiscalização DEFOR Polícia Civil Canoas



CREF2/RS divulga vencedores do sorteio Convenção Brasil 2017
Postado em 01/06/2017
Fonte: CREF2/RS

O Conselho sorteou, entre terça e quinta-feira, dias 30 de maio e 1º junho, respectivamente, 21 vagas para os cursos do Convenção Brasil deste ano. A programação completa do evento, que irá ocorrer de 8 a 11 de junho, no Parque Esportivo da PUCRS (Avenida Ipiranga, 6690 – Prédio 81), está disponível aqui.

Todos os vencedores estão sendo contatados por e-mail e deverão responder a mensagem, confirmando presença. No dia de cada curso, os nomes dos contemplados estarão no estande de credenciamento será necessária a apresentação de um documento de identidade com foto para a realização da inscrição, de forma totalmente gratuita.

Confira os vencedores:

Curso Fitness nº 01: “Personal Premium: Treinamento & Gestão”
Cristiane Ribeiro Braga (CREF 016623-G/RS)

Curso Fitness nº 06: “Treinamento de Boxe Feminino”
Cristiane Russo Ferreira (CREF 008628-G/RS)

Curso Gestão nº 14: “Coordenador: Talento para Ser Líder”
Fabio de Souza Lucio (CREF 024469-G/RS)

Curso Wellness nº 18: “Funcional Dance”
Eduardo Fagundes da Silva (CREF 025161-G/RS)

Curso Wellness nº 21: “Exercício Físico na Empresa: um Negócio Rentável para Todos”
Felipe Benevides (CREF 009974-G/RS)

Curso Wellness nº 26: “Lesões no Fitness e no Esporte”
Elisandra Souza Soares dos Santos (CREF 022177-G/RS)

Curso Esporte nº 30: “Treinamento de Corrida: do Iniciante ao Campeão”
Isabel Cristina da Silva Cunha (CREF 016468-G/RS)

Curso Fitness nº 02: “Boxe Funcional”
Jonata Cesar Macagnan Teles (CREF 013206-G/RS)

Curso Fintess nº 10: “A Base do Levantamento de Pesos para o CrossTraining e Treinamento Funcional”
Monalize Cândido Pacheco (CREF 024642-G/RS)

Curso Gestão nº 15: “Como Evitar os 10 Erros Fatais na Gestão”
Mayara Machado Rodrigues (CREF 022385-G/RS)

Curso Wellness nº 19: “Workshop de Liberação Miofascial”
Leandro da Silva Pereira (CREF 023175-G/RS)

Curso Wellness nº 22: “Mat Pilates Original”
Aline Cerqueira Gomes (CREF 009127-G/RS)

Curso Acqua nº 32: “Hidro Acqua Performance: Treinamento Aquático Aplicado no Desempenho Motor”
Fernando Mattos Fernandes (CREF 009640-G/RS)

Curso Fitness nº 4: “Kettlebell: do Fitness ao Treinamento Físico Funcional”
Fátima Aparecida Cunha de Almeida (CREF 012736-G/RS)

Curso Fitness nº 12: “Treinamento Feminino”
Caroline Maria Mielke (CREF 024633-G/RS)

Curso Gestão nº 17: “Empreendedor Fitness Digital”
Vivian Escoteguy Pereira (CREF 020474-G/RS)

Curso Wellness nº 20: “A Avaliação Física Pode Melhorar seus Resultados”
Aline Duarte da Silveira (CREF 023181-G/RS)

Curso Wellness nº 24: “Ginástica Laboral: Oficinas Práticas, Planejamento e Inovação de Programa”
Luális Alves (CREF 024359-G/RS)

Curso Esporte nº 28: “Inovação no Futsal e Futebol”
Ariel Da Forno Mastella (CREF 024116-G/RS)

Curso Nutrição nº 33: “Nutrição e Treinamento Esportivo: Estratégia para Alta Performance”
Glaciane Girardello (CREF 011330-G/RS)


Convenção Brasil



CREF2/RS sorteia 21 cursos da Convenção Brasil 2017
Postado em 16/05/2017
Fonte: CREF2/RS

O Conselho vai sortear, a partir do dia 30 de maio, 21 vagas para alguns dos cursos que serão oferecidos na Convenção Brasil deste ano, entre os dias 8 e 11 de junho, no Parque Esportivo da PUCRS (Avenida Ipiranga, 6690 – Prédio 81). As inscrições já estão abertas e podem participar todos os profissionais com registro ativo e em dia com suas obrigações estatutárias. Pessoas Jurídicas com Responsável Técnico ativo também estão aptas a concorrer. Clique aqui e confira o regulamento completo.

Para participar, é necessário apenas preencher o formulário disponível neste link e selecionar os cursos de interesse (pode ser mais de um – não há limite no número de inscrições). Os profissionais que forem contemplados com uma das vagas serão automaticamente excluídos dos próximos sorteios. Em www.convencaobrasil.com.br, é possível conferir os dias e os horários de cada atividade. Há em disputa uma vaga para cada curso.

As inscrições serão encerradas sempre às 12h do dia anterior ao sorteio de cada curso e os sorteios serão realizados a partir de terça-feira, dia 30 de maio, na sede do CREF2/RS. Confira as datas de sorteio e os respectivos cursos:

30 de maio:
Curso Fitness nº 01: “Personal Premium: Treinamento & Gestão”
Curso Fitness nº 06: “Treinamento de Boxe Feminino”
Curso Gestão nº 14: “Coordenador: Talento para Ser Líder”
Curso Wellness nº 18: “Funcional Dance”
Curso Wellness nº 21: “Exercício Físico na Empresa: um Negócio Rentável para Todos”
Curso Wellness nº 26: “Lesões no Fitness e no Esporte”
Curso Esporte nº 30: “Treinamento de Corrida: do Iniciante ao Campeão”

31 de maio:
Curso Fitness nº 02: “Boxe Funcional”
Curso Fintess nº 10: “A Base do Levantamento de Pesos para o CrossTraining e Treinamento Funcional”
Curso Gestão nº 15: “Como Evitar os 10 Erros Fatais na Gestão”
Curso Wellness nº 19: “Workshop de Liberação Miofascial”
Curso Wellness nº 22: “Mat Pilates Original”
Curso Esporte nº 27: “Brincadeiras e Jogos”
Curso Acqua nº 32: “Hidro Acqua Performance: Treinamento Aquático Aplicado no Desempenho Motor”

1º de junho:
Curso Fitness nº 4: “Kettlebell: do Fitness ao Treinamento Físico Funcional”
Curso Fitness nº 12: “Treinamento Feminino”
Curso Gestão nº 17: “Empreendedor Fitness Digital”
Curso Wellness nº 20: “A Avaliação Física Pode Melhorar seus Resultados”
Curso Wellness nº 24: “Ginástica Laboral: Oficinas Práticas, Planejamento e Inovação de Programa”
Curso Esporte nº 28: “Inovação no Futsal e Futebol”
Curso Nutrição nº 33: “Nutrição e Treinamento Esportivo: Estratégia para Alta Performance”


Convenção Brasil



Práticas Integrativas e Complementares é um novo campo para profissionais de Educação Física
Postado em 15/05/2017
Fonte: CREF2/RS

A construção da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS (PNPIC) iniciou-se a partir do atendimento das diretrizes e recomendações de várias conferências nacionais de saúde e das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Em junho de 2003, representantes das associações nacionais de Fitoterapia, Homeopatia, Acupuntura e Medicina Antroposófica reuniram-se com o então ministro da Saúde, ocasião em que, por solicitação dele, foi instituído um grupo de trabalho, coordenado pelo Departamento de Atenção Básica, da Secretaria de Atenção à Saúde (SAS), e pela Secretaria-Executiva, com a participação de representantes das secretarias de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos e de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde, do Ministério da Saúde (MS); Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); e associações brasileiras de Fitoterapia, Homeopatia, Acupuntura e Medicina Antroposófica, para discussão e implementação das ações, no sentido de elaborar-se a política nacional.

Em setembro de 2003, o grupo gestor responsável pela ordenação dos trabalhos e formulação da política nacional definiu, entre outras coisas, a criação de quatro subgrupos de trabalho, respeitando as diversas áreas, em virtude das especificidades de cada uma delas. Como estratégia de elaboração da política, o grupo gestor elaborou um plano de ação a ser adotado pelos subgrupos para, posteriormente, a ser consolidado em documento técnico único relativo à política nacional.

Em 2006 foram criadas no Brasil as Políticas Nacionais de Práticas Integrativas Complementares, partindo da orientação da O.M.S., para fortalecer ações e serviços de PICS (Práticas Integrativas e Complementares) na rede de atenção à saúde e comunidade. A M.T.C. (Medicina Tradicional Chinesa), através de um modelo transdisciplinar foi acrescentado a essas práticas, aqui no Brasil, e abrindo possibilidades aos profissionais de Educação Física para atuação tanto em empresas, comunidades, escolas, academias de rua, NASF (Núcleo de Apoio a Saúde da Família) entre outros.

Marco Aurélio Scharcow (CREF 002463-G/RS) foi um dos profissionais de Educação Física que aderiram às novas modalidades. “Na minha prática e convivência na Educação Física, tive a felicidade de conhecer pessoalmente o criador do método “Lian Gong” em 18 terapias, uma prática corporal elaborada na década de 70 pelo Dr. Zhuang Yuan Ming, médico ortopedista da Medicina Tradicional Chinesa que viveu em Shangai na China”, explica.

Marco afirma que esta prática foi escolhida pelo governo de Shangai para ser amplamente divulgada para a população e o Dr. Zhuang, o seu criador, recebeu o prêmio de “Pesquisa Cientifica de Resultado Relevante”. “O Doutor Zhuang, uniu conhecimento da MTC – Medicina Tradicional Chinesa e a Moderna Medicina Ocidental, com as artes guerreiras e os antigos exercícios terapêuticos”.

Segundo Scharcow, o objetivo principal do Lian Gong em 18 Terapias é a de tratar e prevenir dores no corpo, inúmeros problemas osteosmusculares, articulações, etc. hoje tão freqüente nas condições da vida moderna, além de atuar nas disfunções dos órgãos internos e problemas respiratórios. São exercícios preventivos e curativos, cujas práticas põe em movimento o “Chi” (energia vital) através dos meridianos, em especial ao “Zhen Chi” ou “Chi Verdadeiro” no organismo, termos encontrados nos fundamentos da MTC, Medicina Tradicional Chinesa, que diz “Quando o Zhen Chi esta pleno no interior do corpo humanos fatores negativos não podem invadir”. A prática ajuda na circulação do sangue, dissolve aderências e inflamações dos tendões. Restaura a movimentação natural, melhorando a resistência e a vitalidade do organismo. O sistema completo do Lian Gong em 18 terapias é composto de 3 partes, totalizando 54 exercícios.


Práticas Integrativas e Complementares



CREF2/RS participa de audiência pública sobre a obesidade infantojuvenil na Assembleia Legislativa
Postado em 05/05/2017
Fonte: Agência de Notícias/ALRS

A presidente do CREF2/RS, Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) esteve presente na noite desta quarta-feira (3), na audiência pública conjunta na Assembleia Legislativa para debater a obesidade na infância e na adolescência e os reflexos na saúde pública. A proposição foi do deputado Maurício Dziedricki (PTB), que coordenou o encontro. Ao final do debate, foi criado um grupo permanente de trabalho para dar prosseguimento à discussão do tema, propondo ações concretas, como a criação ou modificação de leis.

O parlamentar explicou que a questão surgiu em 2016, quando disputou a eleição municipal, e se deparou com a questão da reincidência de pessoas no sistema de saúde pública por falta de cuidados relacionados à alimentação saudável e inatividade física. Por isso, apresentou, este ano, o PL 40 2017, que cria o cadastro de obesidade infantojuvenil nas escolas de ensino fundamental e médio do Rio Grande do Sul.

A presidente Carmen Masson lembrou que de todas as áreas da saúde apenas o profissional da Educação Física trabalha realmente com a saúde, pois as demais tratam da doença. Ressaltou que apenas 33% da população brasileira realiza atividades físicas regulares e criticou iniciativas que discutem retirar a disciplina de Educação Física dos currículos escolares. Lembrou também que a atividade física traz benefícios à saúde se bem orientada, defendendo como fundamental a orientação do profissional da área. Ainda destacou que é preciso adequar as atividades físicas à idade da criança.

O professor Roberto Costa, da Faculdade de Desenvolvimento do RS (Fadergs), apresentou dados de estudos acadêmicos e públicos sobre a obesidade na infância e na adolescência. Entre eles, os do Sistema de vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde. Segundo as informações apresentadas, de 2016, o RS tem 54,9% de prevalência de obesidade. Conforme o Programa Nacional de Saúde do Escolar, de 2015, o sobrepeso e a obesidade estão presentes em 31,5% dos adolescentes de 13 a 17 anos no país e, na Região Sul, essa prevalência chega a 38,4%.

O presidente da Fundação de Saúde de Canoas, Fernando Ritter, defendeu leis que obriguem e estimulem os gestores municipais a executarem ações para prevenir a questão. “O grande problema de quem está na gestão é o tempo que ações de prevenção levam para trazer resultados. Eles só vão ser sentidos em gerações futuras, mas é preciso começar agora”, salientou.

A reitora da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Lucia Pellanda, defendeu que se invista na prevenção primordial, aquela feita antes da população desenvolver os fatores de risco. “É muito mais efetivo fazer uma campanha para as crianças não começarem a fumar do que tentar fazer os adultos deixarem de fumar”, exemplificou.

A presidente do Conselho Regional de Nutrição, Jacira Conceição dos Santos, lembrou que há uma legislação, de 2009, que obriga escolas públicas a terem um profissional da nutrição, mas o governo do Estado, até agora, não incluiu o cargo de nutricionista nas escolas. Segundo Jacira, além de cuidar da alimentação, o profissional é responsável pela educação alimentar. Lembrou que não apenas na família ocorra a alimentação inadequada, citando cantinas de escola e festas de recreação onde alimentos industrializados e bebidas açucaradas são oferecidas.

Foto: Pablo Santos


Audiência Pública sobre a obesidade infantojuvenil



Obesidade cresce 60% no Brasil e colabora para maior prevalência de hipertensão e diabetes
Postado em 24/04/2017
Fonte: Ministério da Saúde

O brasileiro está mais obeso. Em dez anos, a prevalência da obesidade passou de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016, atingindo quase um em cada cinco brasileiros. Os dados inéditos, divulgados na última semana, fazem parte da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), realizada pelo Ministério da Saúde. O resultado completo da pesquisa está aqui.

Segundo a pesquisa, o crescimento da obesidade é um dos fatores que pode ter colaborado para o aumento da prevalência de diabetes e hipertensão, doenças crônicas não transmissíveis que piora a condição de vida do brasileiro e podem até matar. O diagnóstico médico de diabetes passou de 5,5% em 2006 para 8,9% em 2016 e o de hipertensão de 22,5% em 2006 para 25,7% em 2016.

Excesso de peso e obesidade

A obesidade aumenta com o avanço da idade. Mas mesmo entre os mais jovens, de 25 a 44 anos, atinge indicador alto: 17%. Excesso de peso também cresceu entre a população. Passou de 42,6% em 2006 para 53,8% em 2016. Já é presente em mais da metade dos adultos que residem em capitais do país.

A pesquisa também mostra a mudança no hábito alimentar da população. Os dados apontam uma diminuição da ingestão de ingredientes considerados básicos e tradicionais na mesa do brasileiro. O consumo regular de feijão diminuiu 67,5% em 2012 para 61,3% em 2016. E apenas um entre três adultos consomem frutas e hortaliças em cinco dias da semana. Esse quadro mostra a transição alimentar no Brasil, que antes era a desnutrição e agora está entre os países que apresentam altas prevalências de obesidade.


Vigitel obesidade



CREF2/RS fecha uma academia e autua seis estabelecimentos na última semana de março
Postado em 10/04/2017
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS divulgou o resultado das fiscalizações realizadas na última semana de março. As ações do Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) do Conselho, efetuados entre os dias 26 de março a 1º de abril, resultaram no fechamento de uma academia localizada em Novo Hamburgo, por não possuir nenhum profissional para assumir as atividades.

O DEFOR também atendeu completamente sete denúncias e autuou seis estabelecimentos, por uma ou mais infrações. Dentre estas, duas academias não possuíam da empresa, três funcionavam sem profissional presente no momento da visita, além de três estabelecimentos permitirem a atuação de leigos ou estagiários sem o TCE - Termo de Compromisso de Estágio.

Em seu serviço interno, houve 77 atendimentos, 26 novas denuncias foram protocoladas através de formulário no ato e 40 denúncias foram encaminhadas para a a Comissão de ética Profissional – DCE. Também foram emitidas 11 notificações a empresas e pessoas físicas que não se regularizaram


DEFOR



CREF2/RS participa de encontro em Brasília para debater EAD
Postado em 02/03/2017
Fonte: CREF2/RS

O vice-presidente do CREF2/RS, Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), participou no dia 24 de fevereiro do Encontro das Profissões das Áreas da Saúde para debater o EAD na Graduação. A programação traçou um panorama dos cursos EAD em Saúde no Brasil e fez o compartilhamento de experiências no enfrentamento do EAD, alinhando o posicionamento das instituições de ensino superior (IES) sobre o tema, além de encaminhar e definir estratégias comuns.

Segundo Lauro, as IES estão se tornando unidades de negócios onde os acadêmicos serão capacitados e as suas experiências obtidas pela tela do computador. “Atualmente são 25 EAD com 333 polos no país em Educação Física, perfazendo 68.869 vagas”, contabiliza. Para Aguiar, resta saber como serão a qualidade do ensino e a absorção dos formandos, bem como o resultado desse ensino e a preservação e o cuidado com o ser humano.

“Contamos com o apoio do Conselho Nacional de Saúde (CNS) para atuar na formação de recursos humanos na área da saúde”, afirma Aguiar, que aposta na articulação do CNS com o Ministério de Educação para a autorização e reconhecimento de cursos de graduação nesta modalidade. No caso da Educação Física, o vice-presidente do CREF2/RS afirmou que o curso EAD deve contar obrigatoriamente com aulas presenciais. “Como a profissão envolve muito o contato humano, devemos contar com aulas presenciais nestes cursos, mesmo sendo ministrados à distância”.


EAD



Vice-presidente do CREF2/RS palestra no 32º FIEP 2017
Postado em 17/01/2017
Fonte: CREF2/RS

O vice-presidente do CREF2/RS, Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), apresentou, nesta segunda-feira, dia 16, o projeto Integração dos países da América Latina na Promoção da Saúde através da Educação Física no Trabalho no 32º Congresso Internacional de Educação Física - FIEP 2017 -, em Foz do Iguaçu (PR) na Faculdade UDC/Colégio Dinâmica. Lauro reforçou em sua fala que a Ginástica Laboral no continente latino-americano apresenta-se de forma ampla e diversa no âmbito da formação profissional, mas com uma produção científica ainda pequena e pouco difundida entre os especialistas da área. "O valor da Ginástica Laboral - que não pode ser confundida com os outros projetos de qualidade de vida, também reforça a importância da orientação do Profissional de Educação Física para que os resultados positivos sejam alcançados", explicou.

O Congresso Internacional de Educação Física - FIEP, conhecido também como Congresso FIEP, é o maior e mais importante evento da Federação Internacional de Educação Física - FIEP, realizado anualmente no mês de janeiro na cidade de Foz do Iguaçu (PR), de forma ininterrupta desde o ano de 1986. O 32º Congresso encerra-se amanhã, dia 18. A FIEP, fundada no dia 2 de Julho de 1923 em Bruxelas (Bélgica), já realizou mais de 100 congressos internacionais em inúmeros países de todos os continentes e continua estudando a concepção de Educação Física, os meios para o esporte, as técnicas e as formas de ensino e a formação de professores.


FIEP



CREF2/RS comemora Dia Estadual da Ginástica Laboral com evento na Assembleia Legislativa
Postado em 23/11/2016
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS, por meio da sua Câmara Técnica de Ginástica Laboral e Atividade Física na Empresa, com o apoio do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, realizou ontem, dia 22, no Plenarinho da Assembleia Legislativa do estado, o evento “Ginástica Laboral, Atividade Física na Empresa e o Trabalho Seguro”. O objetivo foi divulgar e consolidar a atuação do profissional de Educação Física como protagonista nas atividades de prevenção da saúde do trabalhador. A data foi escolhida pois, em 22 de novembro de 1978, foi formalizado o primeiro contrato de Ginástica Laboral no Brasil, firmado pelo SESI/RS e a faculdade de Educação Física da FEEVALE, sendo posteriormente transformada em Dia Estadual da Ginástica Laboral pela Lei 14.418, de autoria do Deputado Estadual Adilson Troca.

O evento foi marcado pelo lançamento do livro “Ginástica Laboral: Prerrogativa do profissional de Educação Física”, escrito por especialistas ligados ao Sistema CONFEF/CREFs, e também pela entrega do Prêmio de Reconhecimento à Prestação de Serviço de Ginástica Laboral e Atividade Física na Empresa à SER – SAÚDE, EDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO, empresa que atua desde 1990 no mercado. A premiação foi recebida pelo sócio da SER, Marco Aurélio Scharcow (CREF 002463-G/RS). Ao final do evento, foi realizada a palestra “A atuação do profissional de Educação Física na promoção da saúde do trabalhador”, ministrada Rony Tschoeke (CREF 004979-G/PR), conselheiro do CREF9/PR e autor de diversos livros sobre o tema.

Segundo o vice-presidente do CREF2/RS e presidente da Câmara Técnica de Ginástica Laboral e Atividade Física na Empresa, Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), o livro Ginástica Laboral: Prerrogativa do profissional de Educação Física” foi escrito por cinco conselhos e coordenado pelo presidente do CREF9/PR Eduardo Branco (CREF 000009-G/PR) e membros e profissionais da Câmara Técnica do SESI. “E também é resultado de muitas parcerias que fizemos, como o Procom, MP, Polícia Civil e agora, fechando com chave de ouro, com o Tribunal Regional de Trabalho da 4ª Região, onde tive a felicidade de conhecer desembargador Raul Sanvicente, e ele falou uma coisa certa: a Ginástica Laboral é apenas uma ferramenta para entrarmos na empresa, existem outros programas de atividade física que podem ser utilizados”. Para tanto, completou Lauro, “este livro que estamos lançando vai mostrar os parâmetros para implantar um programa de Ginástica Laboral”.

Adriano Soares da Silva, analista da Gerência de Produção do SESI, explicou que existe um trabalho árduo para que os ambientes de trabalho sejam saudáveis. “E a Ginástica Laboral é um dos serviços que nós oferecemos. Hoje não vemos o profissional de Educação Física apenas para alongar e reforçar a musculatura. Nós cremos que ele é o promotor de saúde dentro do ambiente de trabalho, pois é a pessoa com conhecimentos para educar ou reeducar o trabalhador na atividade física”, avaliou. Silva disse que SESI trabalha de forma articulada, com o profissional de Educação Física atuando junto a fisioterapeutas, nutricionistas e assistentes sociais, sempre pensando na melhor estratégia apara atender as empresas.

O desembargador do TRT4, Raul Sanvicente, gestor do programa Trabalho Seguro, instituído pelo Tribunal Superior do Trabalho, afirma que o programa representa uma face diferente do que é o dia a dia do Judiciário Trabalhista, onde o juiz aguarda as demandas e julga, devolvendo para a sociedade uma sentença. “Este programa seria como se o juiz saísse do gabinete e fosse conviver com a sociedade pró-ativamente para o desenvolvimento de uma cultura de prevenção”, avalia. O desembargador afirmou que o Tribunal humildemente se junta e reconhece todas estas iniciativas em prol de hábitos saudáveis, “pois sabemos que há muitos anos profissionais de Educação Física se dedicam ao assunto”.

Esse programa, continua Sanvicente, “funciona através de parcerias com várias instituições, e é muito enriquecedor estender esta parceria ao CREF2/RS”. O desembargador explicou que busca nesta interação com a sociedade a efetividade do programa, pois o Tribunal sempre ressalta que não adianta apenas formalidade. "Penso que com a parceria com o CREf2/RS, que deve se dar em março, após os trâmites burocráticos, vamos conhecer melhor a Ginástica Laboral, podendo levar esclarecimentos aos juízes e aos servidores em relação a esta atividade.

A presidente do CREF2/RS, Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), ressaltou a trajetória de lutas que o Conselho vem desenvolvendo ao longo do tempo, mobilizando inclusive o CONFEF para expandir a ideia. "Com isto, organizamos este livro, que pode parecer, em uma passada rápida, algo simbólico, mas tem um peso muito significativo, pois nos abre espaço de representatividade da Ginástica Laboral em nível federal". Carmen explicou que a Ginástica Laboral é encargo do profissional de Educação Física e tem como objetivo a prevenção de doenças, sendo a forma mais efetiva e barata de investimento na saúde. "Pesquisas mostram que toda pessoa sedentária tem 100% de chances de ter problemas cardíacos. Se ela fizer atividade física regularmente baixa esta probabilidade para 66%. Está na hora de investirmos na atividade física e desafogarmos os hospitais brasileiros”.

A Atuação do Profissional de Educação Física na promoção da saúde do trabalhador

O Conselheiro do CREF9/PR Rony Tschoeke (CREF 004979-G/PR) afirmou em sua palestra que, depois da folha de pagamento, o segundo maior custo das empresas atualmente são com planos de saúde."Ou seja, a sinistralidade é cada vez maior, com as pessoas recorrendo em massa aos planos de saúde, fazendo exames mais complexos e com isto tem onerado tanto as operadoras quantos as empresas que têm que pagar por estes custos".

Rony afirmou que uma pergunta intrigante e recorrente nas pesquisas sobre saúde é "por que você não faz atividade física regularmente?". A resposta invariavelmente é falta de tempo. "O que seria compreensível, se as pessoas não afirmassem nestas mesmas pesquisas que assistem TV em média de 12 a 14 horas por semana", explica Rony, alertando que são recomendados 150 minutos de atividade física por semana.

"Será que a culpa é do progresso?", questiona Rony. "Se formos pensar nas três revoluções industriais, podemos constatar houve mudanças significativas na vida das pessoas. Hoje vivemos a quarta Revolução Industrial, que traz a realidade virtual. Isto trará efeitos para nossas vidas, tanto é que o Fórum de Davos já incluiu qualidade de vida em seus debates".

O conselheiro afirma que a Ginástica Laboral tem um papel muito importante no atual momento histórico, e que o desafio é aprender a ensinar os trabalhadores a serem fisicamente mais ativos. "Temos que unir esforços distintos em uma estratégia integrada de promoção de saúde", ressalta, lembrando que já em 2005, a Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde, realizada em Bangkok, afirmava que o setor privado tem a responsabilidade de assegurar a saúde dos seus empregados, suas famílias e comunidades.

Rony ponderou que os profissionais de Educação Física tem que ser um pouco mais sedutores no marketing social. "Transformando a atividade física não em obrigação, mas sim em um desejo. Para isto, é necessário utilizar cinco pilares: engajamento dos líderes, criar pertencimento, ética e buscar as ações que têm trazido melhores resultados e sustentabilidade", definiu.


Câmara Técnica de Ginástica Laboral e Atividade Física na Empresa



CongregaCREF reúne profissionais e estudantes para debater diversas áreas da Educação Física
Postado em 30/08/2016
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS realizou, no último sábado, dia 27 de agosto, a segunda edição do CongregaCREF – Seminário Sul Brasileiro de Educação Física. O evento, que integra as comemorações do Conselho pelo Dia do Profissional de Educação Física, ocorreu no auditório do CRO/RS, em Porto Alegre, e contou com a presença de profissionais registrados e de estudantes para debater as diversas áreas da profissão. A abertura do evento foi feita pela presidente Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), que reiterou o sucesso de público do CongregaCREF, pelo segundo ano consecutivo, e saudou todos aqueles que compareceram para assistir às palestras.

A primeira apresentação foi feita por Rodrigo Gonçalves Dias (CREF 059988-G/SP), pesquisador da Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício do Instituto do Coração (InCor), em São Paulo, e primeiro profissional de Educação Física a vencer o Prêmio Jovem Cientista, promovido pelo CNPq, em 2012. A palestra “Genética, performance física humana & doping genético: o senso comum versus a realidade científica” abordou as suas investigações científicas mais recentes e tentou explicar como funciona o rastreamento de genes para a descoberta de novos “fenômenos do esporte”, algo tão em evidência nos dias de hoje por causa da Olimpíada. “O nosso trabalho envolveu os melhores atletas do atletismo brasileiro e comparou o desempenho de todos com pessoas comuns. A conclusão que chegamos é que há mais ou menos 200 pessoas com potencial para serem esportistas espetaculares no nosso país e que ainda não foram descobertas”, revelou Dias.

Além de explicar os detalhes do seu trabalho, o pesquisador também contextualizou os avanços que a Educação Física teve – e ainda pode ter – desde o surgimento do projeto Genoma, na década de 90. “Os estudos genéticos deixaram claro que a responsividade ao treinamento é diferente de pessoa para pessoa, não segue um padrão que pode ser aplicado da mesma forma a todos os atletas. Ou seja, não podemos simplificar algo tão complexo como o organismo humano, precisamos aprender e relacionar as particularidades de cada estrutura muscular aos diversos genes que compõem o DNA de cada um destes indivíduos”, explicou.

Com espaço para perguntas da plateia e transmissão online, que permitiu que profissionais e acadêmicos de todo o Estado acompanhassem as palestras dos seus computadores em casa, o CongregaCREF prosseguiu com a conselheira federal do CONFEF Elisabete Laurindo (CREF CREF 002036-G/SC), que falou sobre o papel do profissional de Educação Física na escola. Além de apresentar os consensos internacionais da UNESCO e de inserir a Educação Física aos direitos fundamentais de todas as pessoas, Elisabete mostrou quais são os indicadores de qualidade na educação e explicou como o ambiente escolar, a prática pedagógica e as condições de trabalho dadas aos profissionais que atuam nestes locais interferem nesta equação. “O Brasil está entre os países mais obesos do mundo e precisamos nos apropriar da Educação Física escolar como forma de promover a saúde das crianças”, defendeu.

A Conselheira também trouxe para discussão o atual momento vivido pela Educação Física escolar, em que há a busca pela consolidação do profissional de Educação Física neste ambiente. “O livro Recomendações para a Educação Física Escolar, publicado pelo CONFEF e distribuído às escolas de todo o Brasil, veio para conscientizar todos dos benefícios da atividade física e de como é importante uma qualificação adequada para atuar na área, com comportamento ético e materiais adequados”.

Depois, quem deu continuidade ao CongregaCREF foi a professora da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança (ESEFID) da UFRGS Anelise Gaya (CREF 024009-G/RS). A palestra “O papel da Educação Física na promoção da saúde na escola” abordou um pouco do seu trabalho com o projeto de pesquisa Esporte Brasil, que busca avaliar e dar um novo sentido aos indicadores de aptidão física, saúde, obesidade e de outras doenças, com ênfase na população infantojuvenil. “30% das crianças tem obesidade e sobrepeso e a atividade física na escola poderia ter uma função primordial no sentido contrário a estes dados alarmantes”, explicou. “Os profissionais de Educação Física da escola precisam se dar conta deste quadro e trabalhar de maneira consciente, sabendo que existe um período crítico para o desenvolvimento motor das crianças e que este precisa ser bem aproveitado, para que não haja nenhum comprometimento”, complementou.

Como salientou Anelise durante a sua palestra, os dados coletados pelo Projeto Esporte Brasil nos últimos anos mostram ainda que 60% das crianças em idade escolar não cumprem o mínimo de atividade física proposto pela Organização Mundial da Saúde. “O que descobrimos é que muitas delas não brincam, não têm recreio e ou são atendidas de maneira correta pelas aulas de Educação Física. O sedentarismo é uma das principais causas de morte no Brasil e esta realidade no ambiente escolar é bastante preocupante, já que muitas doenças que eram vistas somente em adultos, como o diabetes tipo II e hipertensão, já estão aparecendo em crianças e gerando outras complicações”, revelou.

A conclusão, compartilhada com todos os presentes que lotavam o auditório do CRO/RS, é que a escola deveria oferecer mais momentos para a prática de atividade física, com pelo menos 45 minutos de duração, duas vezes por semana. “Não podemos privar o desenvolvimento das crianças, sobretudo da forma que só o esporte proporciona”, contou Anelise. As aulas de Educação Física escolar, além de precisarem de um planejamento mais eficaz, necessitam a adoção de novas estratégias, para que os hábitos de vida sejam modificados desde cedo. “Há bons projetos ocorrendo nas escolas, sobretudo fora do país, que podem servir de exemplo. O Projeto Esporte Brasil, por exemplo, tem contribuído na interpretação dos padrões de crescimento e, com isto, oportunizado o planejamento de ações diferenciadas e auxiliado os professores de Educação Física na avaliação dos seus alunos”, concluiu.

O CongregaCREF foi encerrado pela palestra “Gestão de academia”, ministrada por Rogério Menegassi (CREF 001008-G/RS), proprietário da academia Athlética, localizada em Porto Alegre, e ex-presidente da Associação das Academias do Rio Grande do Sul (ACAD RS). Há mais de 30 anos atuando na área, Menegassi conversou com os presentes sobre esta área e tirou as dúvidas daqueles que tem a intenção de abrir, futuramente, o seu próprio negócio. “As opções para as academias cresceram muito nos últimos anos. A piscina, antigamente, era aproveitada somente para aulas de natação e hoje há uma infinidade de modalidades e de atividades que podem ser exploradas e ofertadas aos alunos”.

Além disto, Menegassi apresentou um pequeno panorama sobre a evolução da ginástica em academias, explicou algumas estratégias adotadas pela Athlética e salientou que muitos adultos são resistentes a aderir a um programa de treinamento porque não tiveram uma boa experiência com a atividade física quando eram jovens, numa época em que a profissão de Educação Física ainda não era regulamentada. “Na nossa área, ninguém poderá inventar algo totalmente inédito, porque as modalidades são variações e vêm de uma mesma base. O que os profissionais de academia realmente precisam fazer é tentar tornar as suas aulas cada vez mais prazerosas para os alunos, para que eles se transformem em clientes fiéis, tenham resultados e que reconheçam os benefícios que só podem ser proporcionados pela Educação Física em suas vidas”.


CongregaCREF eventos



CREF2/RS abre edital para contratação de estandes em eventos relacionados à Educação Física
Postado em 26/07/2016
Fonte: CREF2/RS

O Conselho divulgou na tarde de ontem, dia 25 de julho, o edital para locação de espaço para estandes em eventos relacionados à área da Educação Física. As inscrições, que podem ser feitas até o dia 26 de agosto, deverão obedecer os termos da Resolução CREF2/RS nº 103/2016.

Entre as predeterminações, os interessados devem incluir na sua proposta o fornecimento de uma mesa e três cadeiras para estandes de até 4 m2 e de duas mesas e seis cadeiras para espaços maiores que isto. O requerimento, disponível neste link, deverá ser entregue ao CREF2/RS devidamente preenchido e assinado, contendo os dados do evento, como nome, local, data, público-alvo (perfil e quantidade estimada); âmbito de abrangência uma descrição das atividades propostas, com os seguintes documentos anexados: mapa da feira onde estarão localizados os estandes, com metragem e posição; relação de preços de cada estande, bem como a disponibilidade compra; e demais materiais de divulgação.

A solicitação também deverá conter a certidão de regularidade dos profissionais de Educação Física envolvidos com o evento que atuem forem do Estado. Este documento será fornecido pelo CREF2/RS para os profissionais estejam registrados no Rio Grande do Sul.

Os requerimentos deverão ser entregues pessoalmente na sede do CREF2/RS ou enviados pelos Correios, já que não serão aceitas solicitações enviadas por e-mail ou por qualquer outro meio eletrônico. Os eventos, posteriormente selecionados, deverão se encontrar regulares através da apresentação dos seguintes documentos: inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do Ministério da Fazenda (CNPJ), regularidade relativa à Seguridade Social e ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e certidão negativa de débitos inadimplidos perante a Justiça do Trabalho.

Os resultados deste Edital serão divulgados até o dia 12 de setembro. Clique aqui para mais informações.


Edital Estandes Eventos



Câmara Técnica de Corrida de Rua realiza pesquisa com profissionais da área
Postado em 24/06/2016
Fonte: CREF2/RS

Com o objetivo de planejar as suas ações de acordo com as necessidades apontadas por aqueles que vivenciam o dia a dia da área, a Câmara Técnica de Corrida de Rua do CREF2/RS está fazendo uma pesquisa com os profissionais que trabalham com corrida de rua. O questionário, aberto à participação de quem atua com a modalidade, pode ser acessado aqui.

Com cinco perguntas de respostas rápidas e fáceis, o formulário pede a opinião dos profissionais que atuam com a corrida de rua sobre as necessidades relacionadas à rotina de trabalho e ao treinamento de corrida e ainda pede uma avaliação sobre os eventos realizados no Rio Grande do Sul, ao que se refere à hidratação oferecida durante a prova, segurança, escolha do local e valores de inscrição. O resultado desta pesquisa irá auxiliar as ações futuras da Câmara.

A Câmara Técnica de Corrida de Rua do CREF2/RS é presidida pela conselheira Cláudia Lucchese (CREF 002358-G/RS) e realiza encontros mensais na sede do Conselho, em Porto Alegre. A próxima reunião está marcada para o dia 1º julho e todos os profissionais interessados estão aptos para participar. Mais informações nesta página ou pelo e-mail secretaria@crefrs.org.br.


Corrida de Rua Câmaras Técnicas



Câmara de Educação Física Escolar avalia 5º Fórum de Mobilização Escolar
Postado em 07/06/2016
Fonte: CREF2/RS

A Câmara de Educação Física Escolar do CREF2/RS realizou reunião nesta última sexta-feira (3), com a presença da presidente Miryam Brauch (CREF 006834-G/RS), e dos conselheiros João Guilherme Queiroga (CREF 000839-G/RS ), Marcia Rohr da Cruz (CREF 007542-G/RS), Leila Castilho Iabel (CREF 000113-G/RS) e do convidado Francisco Carlos Lemes de Menezes (CREF 00075-G/RS).

Na ocasião, foi apresentado um relato sobre o 5º Fórum de Mobilização Escolar, evento que teve um público de cerca de 130 pessoas e local que atendeu as expectativas em relação à infraestrutura. A participação da Comissão no Enapef foi considerada significativa e o resultado das fichas de avaliação distribuídas durante o evento classificaram com muito bom os itens organização, apresentação e expectativas atendidas. Como sugestões para próximas edições, que os eventos sejam realizadas em turno integral.

Durante a reunião, professor Menezes apresentou o 7º Encontro do Professor de Educação Física, organizado pela CRE de São Leopoldo e apoiado pela Unisinos. Segundo Menezes, está prevista a presença de professores da rede municipal e estadual, e estendeu o convite de participação à Comissão.


Câmara de Educação Física Escolar



Módulo I do Curso Introdução ao Crossfit é no próximo sábado
Postado em 23/05/2016
Fonte: CREF2/RS

No próximo sábado, dia 28, das 14h às 20h, ocorrerá o Curso Introdução ao Crossfit - Módulo I. O evento será realizado no Superforce Crossfit, localizado na rua Dom Diogo de Souza, nº 380, bairro Cristo Redentor, em Porto Alegre. O curso é indicado para quem pretende entender e melhorar o desempenho no Crossfit ou para quem deseja aprender como usar o Crossfit em suas rotinas de treinamento ou na de alunos. Haverá demonstração da metodologia do Crossfit, adaptações, quem pode praticá-lo, quando implementar intensidade, quais os tipos de exercícios, a busca por resultados, alimentação apropriada e os nove movimentos funcionais do Crossfit. Os profissionais registrados no CREF2/RS têm 10% de desconto na inscrição.

Curso Introdução ao Crossfit - Módulo I
Data: sábado, 28, das 14h às 20h
Local: Superforce Crossfit
Endereço: rua Dom Diogo de Souza, 380, Cristo Redentor, Porto Alegre
Inscrições e informações pelo fone (51) 3015-9331
Os profissionais registrados no CREF2/RS têm 10% de desconto na inscrição


Eventos



DEFOR fecha 16 academias em abril
Postado em 16/05/2016
Fonte: CREF2/RS

Durante o mês de abril, o Departamento de Fiscalização e Orientação (DEFOR) fechou 16 academias e autuou 76 pessoas, sendo 38 delas por exercício ilegal da profissão ou pela falta do Termo de Compromisso de Estágio. Ao total, foram 147 estabelecimentos autuados e foi verificada a falta de registro em 59 PJs, resultado de 272 visitas em 44 municípios.

Em relação às atividades fiscalizatórias internas do mês de abril, houve 81 denúncias protocoladas, 93 justificativas/defesas protocoladas, 46 notificações enviadas por não regularização das infrações, 41 Processos Administrativos de Fiscalização abertos por infrações não regularizadas, 20 Cartas de Fiscalização com aviso de Ação Civil Pública para empresas não registradas, 38 Convocações para audiências e assinaturas de 33 Termos de Cooperação pelas empresas.


DEFOR



ESEFID/UFRGS realiza projeto em parceria com a Câmara de Saúde do CREF2/RS em escola de Porto Alegre
Postado em 10/05/2016
Fonte: CREF2/RS

A ESEFID/UFRGS, em parceria com a Câmara Técnica de Saúde do CREF2/RS, vai realizar um projeto-piloto na Escola Estadual de Ensino Básico Presidente Roosevelt, no bairro Menino Deus, em Porto Alegre. Intitulada “Esporte e Saúde na Escola”, a atividade tem o intuito de promover a saúde da população infantil, através da prática de modalidades esportivas durante as aulas de Educação Física escolar.

Coordenado pelos professores Adroaldo Gaya (CREF 002280-G/RS) e Anelise Gaya, o projeto vai iniciar agora em maio, com a avaliação física e da saúde dos alunos da escola. “As coletas vão começar neste mês para, posteriormente, iniciarmos a intervenção nas aulas de Educação Física”, explica Anelise. Com duração prevista de seis meses, a ideia deste piloto é, como salienta a professora da UFRGS, redefinir a Educação Física escolar para a promoção da saúde. “Queremos que, com aulas mais bem estruturadas, a comunidade escolar dê a devida importância para a Educação Física, como um fator imprescindível para uma vida mais saudável”.

O projeto “Esporte e Saúde na Escola” tem o apoio do CREF2/RS, que pretende levar os resultados, depois de mensurados, para os profissionais de todo o Rio Grande do Sul. “Esta é a primeira vez que o Conselho se envolve com um projeto deste porte. A nossa intenção é ampliar este piloto para aplicá-lo em todo o Estado, para que se torne uma referência e para que a comunidade em geral entenda o papel dos profissionais de Educação Física neste contexto”, complementa Débora Garcia (CREF 002202-G/RS), presidente da Câmara Técnica de Saúde do CREF2/RS.

No sábado, dia 21 de maio, será realizada uma primeira reunião com os professores e os pais dos alunos da Escola Presidente Roosevelt, para apresentar o projeto. Os profissionais de Educação Física que se interessarem pelo “Esporte e Saúde na Escola” podem entrar em contato diretamente pelo telefone (51) 9924-2909 ou pelo e-mail anegaya@gmail.com. Mais informações também podem ser obtidas pela página www.ufrgs.br/proesp.


Câmara Técnica de Saúde PROESP Esporte e Saúde na Escola



Base Nacional Curricular é tema do 5º Fórum de Educação Física Escolar
Postado em 02/05/2016
Fonte: CREF2/RS

Na tarde da última sexta, dia 29 de abril, a Comissão de Educação Física Escolar do CREF2/RS realizou a 5ª edição do Fórum de Mobilização Gaúcha pela Educação Física Escolar. O evento, que integrou a programação do 42º Encontro Nacional dos Profissionais de Educação Física (ENAPEF), reuniu cerca de 100 pessoas na Casa de Cultura Erico Verissimo, em Capão da Canoa, para assistir à palestra da conselheira federal Iguatemy de Lucena Martins (CREF 000001-G/PB). O tema principal foi a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Doutora em Ciências do Desporto pela Universidade do Porto (Portugal) e docente da Universidade Federal da Paraíba por mais de 30 anos, Iguatemy é a representante do CONFEF no Ministério da Educação para a avaliação dos cursos de graduação. Com larga experiência sobre o assunto, ela apresentou os conceitos da BNCC e os seus pilares de sustentação. “O programa orienta a formulação do projeto político-pedagógico das escolas e sinaliza os percursos de aprendizagem e desenvolvimento dos estudantes ao longo da Educação Básica”, explicou. A importância da discussão foi comprovada pelos números apresentados por Iguatemy durante a palestra: no Brasil há mais de 190 mil escolas de Educação Básica e mais de dois milhões de professores atuando nestes locais.

Com a proposta de orientar a formação dos professores e reorganizar os materiais didáticos, a BNCC pretende, em longo prazo, diminuir as desigualdades educacionais entre todos os Estados do Brasil. “Ao definir o que é essencial ao ensino, as expectativas de aprendizagem e os critérios de qualidade ganham transparência e podem dar objetividade à avaliação dos resultados educacionais”, salientou Iguatemy. “A Base Nacional Curricular tem o desafio de unir diferentes culturas educacionais em um modelo único”, complementou.

Além da apresentação destes conceitos, o Fórum também trouxe para debate o espaço ocupado pela Educação Física na BNCC. Estruturada dentro da área das linguagens, a disciplina tem o objetivo de compreender a amplitude da cultura corporal do movimento. “O problema desta definição é que se enquadram muitas coisas. A caracterização da nossa área não está errada, mas está complexa demais. Acredito que falte um pouco de clareza para universalizar a qualidade na Educação Física Escolar”, avaliou a conselheira. No final da palestra, Iguatemy também falou sobre os esforços do CONFEF para recolocar em tramitação, no Congresso Nacional, o projeto de lei 116/2013, que busca garantir, em todas as etapas da Educação Básica, a Educação Física ministrada exclusivamente por licenciados na área.

Antes da palestra, o Fórum teve as falas de Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) e do deputado estadual Tiago Simon. A Presidente do Conselho reiterou a importância do evento aos longos dos anos, por elaborar e distribuir a Carta Gaúcha de Educação Física Escolar e por colocar em evidência, sobretudo aos olhos das autoridades públicas, a importância da Educação Física Escolar. “Por causa da Comissão de Educação Física Escolar do CREF2/RS, temos no Rio Grande do Sul um projeto de lei, de autoria do deputado Tiago Simon, para tornar obrigatória as demandas do PLC 116/2013 no nosso Estado. Isto mostra o quanto estamos trabalhando, nos coloca à frente e evidencia a luta de todos os nossos profissionais”, destacou.

A Comissão de Educação Física Escolar é formada pelos profissionais Miryam Brauch (CREF 006834-G/RS), Márcia da Cruz (CREF 007542-G/RS), Leila Iabel (CREF 000113-G/RS) e João Guilherme Queiroga (CREF 000839-G/RS).


Educação Física Escolar ENAPEF



CONFEF divulga nota de repúdio ao projeto de lei que permite a atuação de ex-atletas como técnicos esportivos
Postado em 11/04/2016
Fonte: CONFEF

O Conselho Federal de Educação Física – CONFEF, apresenta à sociedade brasileira e à categoria dos Profissionais de Educação Física do Brasil o seu repúdio ao Projeto de Lei do Senado nº 522/2013, de autoria do senador Alfredo Nascimento (PR-AM), que dispõe sobre as relações de trabalho do técnico ou treinador profissional de modalidade desportiva coletiva e revoga a Lei nº 8.650, de 20 de abril de 1993, que trata apenas do exercício da profissão de treinador de futebol. No seu trâmite legislativo, o PLS 522/2013 recebeu emenda do senador Romário (PSB-RJ) que amplia as possibilidades de atuação como técnicos a atletas ou ex-atletas da modalidade em que pretendam atuar, desde que comprovem no mínimo cinco anos de atividade.

O CONFEF reafirma que os mais de 400 mil profissionais de Educação Física habilitados no Brasil atuam em todos os níveis do Esporte, desde a iniciação até o alto rendimento, nas diferentes modalidades esportivas. Para adquirirem as competências técnico-científicas necessárias para intervir nesta dimensão do exercício profissional, esses profissionais são obrigados a cumprir uma jornada acadêmica mínima de 3.200h e quatro anos, conforme normas do Ministério da Educação e da Lei 9696/98.

Para a sociedade, é importante reafirmar que a prática esportiva, qualquer que seja ela, só terá o seu verdadeiro alcance – físico, educativo e social, quando orientada por profissionais egressos de cursos específicos, com uma sólida formação. Assim, não se deve confundir exigência de qualidade com reserva de mercado, no que se aplica a máxima do CONFEF: exercício profissional em Educação Física, a boa formação faz a diferença!

O CONFEF reafirma o apreço de toda a categoria pelos ex-atletas e se empenha para que lhes seja assegurado o reconhecimento e o agradecimento de todos os brasileiros pelos esforços e resultados esportivos alcançados. Contudo, o exercício profissional na área do Esporte pressupõe o aprendizado de teorias, de procedimentos técnicos, de competências específicas e a prática de estágios em ambientes próprios, sob orientação e supervisão, além da responsabilidade profissional ditada por um código de ética.

Em pleno Século XXI, constata-se a urgência do Brasil avançar na garantia de direitos sociais aos ex-atletas, assegurando-lhes uma vida digna ao final do seu percurso esportivo. Igualmente, o Brasil também precisa admitir definitivamente os avanços técnicos e científicos que estão na base das experiências exitosas dos processos de iniciação, desenvolvimento e aprimoramento do Esporte, o que demanda a necessidade de formação superior específica para entender, discernir e aplicar esses conhecimentos. Ao desconsiderar essas premissas, o PLS 522/2013 não só coloca em risco a saúde da sociedade como também compromete o futuro do esporte nacional. São crianças e jovens cujas experiências esportivas estarão sob a orientação de pessoas sem a devida qualificação profissional. Pois só a experiência como atleta não torna o indivíduo apto a desempenhar tais atividades.

O CONFEF entende como inadequado o PLS 522/2013, que demonstra desconhecimento das atribuições desta categoria profissional. O PLS também desconsidera a Carta Internacional da Educação Física, Atividade Física e Esporte da UNESCO, documento de caráter internacional que expressa a necessidade de que as pessoas que assumem responsabilidade profissional pela Educação Física e pelo Esporte devam ter a formação e as qualificações adequadas.

Como fica demonstrado, a democratização de acesso a qualquer atividade socialmente importante, não pode ser garantida sem que se resguarde a qualidade do exercício profissional. Dessa forma, o Conselho Federal de Educação Física compromete-se a lutar para que o PLS 522/2013 não seja aprovado e convoca os profissionais de Educação Física e a sociedade a se manifestarem junto aos autores e relatores do projeto, ponderando sobre a inviabilidade desta iniciativa.


CONFEF



Presidente do CREF2/RS realiza palestra no Fórum da Saúde e Bem-Estar
Postado em 24/03/2016
Fonte: CREF2/RS

Nesta quarta-feira (24), na Amrigs, a presidente do CREF2/RS Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) proferiu a palestra "Sedentarismo: o Mal do Século" no Fórum de Saúde e Bem-Estar, evento que integrava a Exposul Saúde. Em um clima descontraído, Carmen iniciou sua fala questionando a plateia sobre os atuais conceitos da saúde. "Quem aqui se acha saudável? Atualmente, saúde não é apenas ausência de doença, envolve bem-estar físico, emocional, espiritual e familiar. Dentro desta perspectiva, temos fatores políticos, econômicos e sociais. Então, é provável que estejamos todos, de alguma forma, doentes", afirmou.

“Na vida moderna, percebemos os sinais do sedentarismo desde a tenra idade”, alertou a presidente. "A inatividade é uma constância desde a infância. Infelizmente, as crianças só têm contato com a Educação Física Escolar a partir do sexto ano. Até a 5ª série, é o pedagogo que ministra a atividade física. O resultado disto são adolescentes com pouca coordenação física, o que acarreta prejuízos até em áreas cognitivas", disse Carmen.

A presidente explicou que o sedentarismo é definido pela falta de atividade física. “Ou seja, é aquele indivíduo que gasta pouca energia, e depende diretamente da queima calórica do indivíduo”. Carmen ressaltou um dos resultados da epidemia de sedentarismo. "Vemos cada vez mais crianças com doenças de adulto. Portanto, um dos melhores atos que os pais podem praticar por seus filhos é colocá-los em contato com a atividade física o mais cedo possível", afirmou.

“A boa notícia é a capacidade curativa da atividade física”, comemorou a presidente, apresentando dados que comprovam o auxílio da atividade física na recuperação de pacientes de câncer e outras doenças graves. “Além disso, reduz estresse, depressão, sintomas da menopausa e TPM”. Carmen concluiu sua palestra argumentando: “Se a saúde pública está um caos, e a atividade física aliada a uma boa alimentação promovem a saúde, aumentam a qualidade de vida e previnem várias doenças, nossa tarefa é convencer a sociedade e os gestores públicos que podemos ter uma solução muito mais fácil e barata aos problemas da nossa população”.


Exposul Saúde



11ª Semana de Prevenção das LER debate prevenção e atividade física
Postado em 01/03/2016
Fonte: CREF2/RS

Com o intuito de conscientizar a população quanto à importância do combate às lesões por esforços repetitivos (LER) e aos distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT), foi realizada, na manhã de hoje, a abertura da 11ª Semana de Prevenção das LER, no auditório da FDRH. O evento, promovido pelo gabinete do vereador Professor Garcia (CREF 000002-G/RS) com o apoio do CREF2/RS, faz parte do calendário oficial de Porto Alegre desde de 2004, quando foi instituída a lei 9.504, em referência ao Dia Internacional do Combate às LER/DORT, celebrado em 28 de fevereiro.

Com o tema “Três Visões para um Futuro Melhor”, a atividade iniciou com uma mesa formada por Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), presidente do CREF2/RS; Débora Garcia (CREF 002202-G/RS), 1ª secretária do Conselho; e por demais representantes de entidades que lidam diretamente com o dia a dia do trabalhador, como a Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Rio Grande do Sul (FTIA-RS) e a Força Sindical. No seu discurso, Carmen salientou o compromisso que todas as instituições presentes têm, sobretudo o CREF2/RS, com a prevenção de doenças. “Ainda precisamos quebrar alguns paradigmas. A prevenção, com a prática de atividade física, não é vista com a devida importância”, relatou. “O exercício físico é uma das melhores formas de promover a saúde, por isto que defendemos tanto a Ginástica Laboral (GL) no ambiente das empresas, para prevenir lesões”.

Dividida em três partes, a 11ª Semana de Prevenção das Ler teve, no painel intitulado “Prevenção: Custo ou Investimento?”, a participação de Tony Izaguirre (CREF 002462-G/RS), membro da Câmara Técnica de Ginástica Laboral e Atividade Física na Empresa do CREF2/RS. Com a presença de especialistas em temas como ergonomia e segurança do trabalho, esta primeira apresentação foi importante para mostrar como a Ginástica Laboral pode ser determinante na prevenção das LER e na qualidade de vida dos trabalhadores. “Há casos em que, com a atividade física sendo feita dentro na empresa, o número de atendimentos ambulatoriais caiu bastante”, explicou Tony. “Ou seja, os resultados da GL compreendem uma melhora na vida das pessoas e a redução dos custos com assistência médica”.

A 11ª Semana de Prevenção das LER, que continua na tarde desta terça-feira, também se estende pela manhã de quarta-feira, dia 2 de março. O Guia da Ginástica Laboral, lançado recentemente pelo CREF2/RS e distribuído a todos os presentes no evento, pode ser baixado em PDF aqui.


LER Ginástica Laboral



CREF2/RS e CRO/RS firmam convênio e estabelecem parceria
Postado em 22/01/2016
Fonte: CREF2/RS

A presidente do CREF2/RS, Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), e o presidente do Conselho Regional de Odontologia (CRO/RS), José Maria Holderbaum (CRO/RS 7193), reuniram-se na sede do CRO/RS nesta quarta-feira (20), dando início a um processo de aproximação entre as duas entidades, com o objetivo de firmar convênio cujo objeto é o assessoramento mútuo e outros benefícios. Os dois conselhos representam mais de 45 mil profissionais em todo o Estado e atuam na promoção da saúde.

Segundo Holderbaum e Masson, a partir dessa parceria, espera-se uma ampla troca de conhecimento entre as autarquias. "Assessoramentos, cursos e treinamentos serão fornecidos por ambas as partes a partir de agora. Esperamos contribuir com nossas experiências e colher bons resultados desse acordo colaborativo", assegurou Holderbaum.


Convênios



Projeto Qualificação da Gestão de Academias tem segunda edição em 2016
Postado em 07/12/2015
Fonte: CREF2/RS

O gestor de Projetos de Saúde e Bem-Estar do SEBRAE/RS, Antônio de Pádua Melo Júnior, apresentou nesta segunda-feira (07), na sede do CREF2/RS, os dados referentes ao Projeto Qualificação da Gestão de Academias de Porto Alegre de 2015. Segundo Pádua, cerca de 60 academias de Porto Alegre e da Região Metropolitana receberam capacitação técnica, todas elas registradas no Conselho. “O projeto teve como objetivo promover o acesso ao mercado e auxiliar a gestão empresarial das academias”, afirma. A ação é resultado de uma parceria com a Associação das Academias do Rio Grande do Sul (ACAD), CREF2/RS e o SEBRAE/RS.

A presidente do CREF2/RS, Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), afirmou que convênio será mantido em 2016, e apontou a pouca informação sobre gestão com que os novos alunos saem da universidade como empecilho ao sucesso de muitos empreendimentos."Dados mostram que a maioria das academias que fecham são administradas por profissionais de Educação Física, o que demonstra nosso desconhecimento sobre gerenciamento de negócios", constata. Para o vice-presidente do CREF2/RS, Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), ações como a do SEBRAE/RS desenvolvem no profissional de Educação Física um novo olhar sobre o mercado. “Projetos como este auxiliam, por exemplo, na precificação dos serviços e no cálculo e aumento de percentuais de lucro”.


SEBRAE RS



Talk show com transmissão online marca Dia da Ginástica Laboral na segunda-feira
Postado em 18/11/2015
Fonte: CREF2/RS

No dia 23 de novembro, o CREF2/RS celebrará o Dia da Ginástica Laboral com o talk show “O Profissional de Educação Física como protagonista na Ginástica Laboral”. O evento, com inscrições gratuitas, é organizado pela Câmara Técnica de Ginástica Laboral e Atividade Física na Empresa e será realizado no Plenário Ana Terra da Câmara dos Vereadores de Porto Alegre, e trará especialistas que tratarão sobre os temas mais atuais da área. As atividades começam às 14h30min, e a transmissão online a partir das 15h. No Rio Grande do Sul, o Dia da Ginástica Laboral foi instituído em 02/01/2014, pela Lei Estadual 14.418/2014, em uma ação promovida pelo CREF2/RS, com apoio do Deputado Estadual Adilson Troca, que inclui o dia 22 de novembro no calendário de eventos oficiais do Estado. Em Porto Alegre, a Lei que instituiu a data é de autoria do vereador Professor Garcia (CREF 000002-G/RS), também conselheiro do CONFEF.

Segundo o presidente da Câmara de Ginástica Laboral e Atividade Física na Empresa, Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), o Rio Grande do Sul é pioneiro na implantação do programa de Ginástica Laboral no país, tanto na universidade como nas empresas, com perspectivas de mercado promissoras. “No início da década de 70, a Escola de Educação Física FEEVALE, localizada em Novo Hamburgo (RS), publicou uma proposta de exercícios baseados em análises biomecânicas, Educação Física Compensatória e recreação", recorda. Em 1979, a mesma entidade, em convênio com o SESI/RS, elaborou e executou o projeto de Ginástica Laboral em cinco empresas do Vale do Rio dos Sinos. Atualmente, centenas de empresas praticam o programa com seus colaboradores.

Aguiar ressalta que estatísticas atuais apontam que cerca de quatro milhões de brasileiros são submetidos a tratamento em razão de dores provocadas pela postura incorreta no trabalho e pela pressão diária de situações competitivas. “A Ginástica Laboral tenta tratar destes problemas com exercícios físicos, dinâmicas de grupo, técnicas de relaxamento, atividades lúdicas e recreativa, aplicados no ambiente da empresa e dentro do horário de trabalho, com duração média de 10 a 15 minutos”, explica. Dentre os resultados esperados, afirma Aguiar, estão diminuição da fadiga e a quebra da monotonia no trabalho, compensação do excessivo uso ou a inatividade de grupos musculares, tudo isto em prol da qualidade de vida do trabalhador, criando um novo estilo de vida que pode se estender as suas famílias.


Ginástica Laboral



CREF2/RS participa da Semana Estadual de Fiscalização Conjunta
Postado em 10/11/2015
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS esteve presente, ontem à tarde (9), na reunião do Grupo de Agentes Fiscais (GAF) do Fórum dos Conselhos Regionais e Ordens das Profissões Regulamentadas do Rio Grande do Sul (Fórum-RS), que definiu os primeiros detalhes da ação que será realizada, no final do mês, durante a Semana Estadual de Fiscalização Conjunta. O encontro contou também com a participação dos Conselhos Regionais de Administração, Biomedicina, Farmácia, Fonoaudiologia, Medicina Veterinária, Nutricionistas, Psicologia e Química.

A coordenadora do Departamento de Fiscalização e Orientação do CREF2/RS, Fernanda Rodrigues (CREF 009604-G/RS), adianta que, além da participação dos Conselhos, a fiscalização terá ainda o apoio do PROCON estadual e dos respectivos PROCONs municipais de todas as cidades que receberão estas ações. "Na reunião, nós discutimos a forma como a fiscalização conjunta será feita, analisando as datas que cada Conselho tem disponíveis", conta. "O CREF2/RS confirmou a sua participação e, nos próximos encontros, vamos definir o roteiro e quais outros Conselhos estarão com a gente".

Everton Borges, assessor de relações institucionais do Fórum-RS e coordenador do GAF, também destacou a grande adesão dos Conselhos à Semana Estadual de Fiscalização Conjunta e que, com a união de todos, as ações certamente trarão resultados ainda mais positivos. O grupo vai voltar a se reunir nas próximas semanas.


Fiscalização Fórum-RS



Comitê da Rio 2016 abre inscrições para revezamento da tocha olímpica em Porto Alegre
Postado em 01/10/2015
Fonte: CREF2/RS

Estão abertas as inscrições para quem quiser participar do revezamento da tocha olímpica na cidade. O evento, confirmado pelo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, deverá ser realizado, na capital gaúcha, em julho de 2016. A organização prevê um passeio pelas ruas.

Os interessados têm até o dia 15 de outubro para se inscrever pelos sites www.rio2016.com.br/tochaolimpica, www.issoeouro.cocacola.com.br, www.quemseatreve.com.br e www.revezamentobra.com.br. Além de preencher o formulário, é necessário enviar um texto, explicando o motivo pelo qual deve ser um dos escolhidos. Para aumentar as chances, é possível enviar a mesma história para todas estas páginas e sugerir outras pessoas.

As indicações passarão por uma avaliação do Comitê Organizador do Revezamento da Tocha Olímpica e de parceiros do evento. O resultado deve ser divulgado até o dia 29 de fevereiro de 2016.

O prefeito José Fortunati destacou a participação de Porto Alegre no revezamento da chama como uma oportunidade de os moradores vivenciarem a Olimpíada de 2016. “É um evento muito importante para o país que, como a Copa do Mundo de 2014, vai fazer com que as atenções no mundo inteiro se voltem para o Brasil. O fato de Porto Alegre se integrar à programação faz com que as pessoas vivam de forma mais intensa esta experiência”, afirmou.

Em Porto Alegre, a chama deve ser conduzida por um roteiro de cerca de 20 quilômetros, percorrendo pontos importantes, mas que ainda está sendo definido pelos organizadores. Cem pessoas conduzirão a tocha. No final do percurso, será realizada uma celebração festiva. No Rio Grande do Sul, a tocha passará também por Passo Fundo, Santa Maria, Pelotas e Caxias do Sul.


Tocha Olímpica Olimpíadas Jogos Olímpicos



Resultado da eleição do CREF2/RS é homologado e Chapa 1 é vencedora
Postado em 28/09/2015
Fonte: CREF2/RS

O resultado da eleição do CREF2/RS foi divulgado hoje, no Diário Oficial da União (DOU). A Chapa 1, Cresce CREF, foi a vencedora com 2.475 votos, 91% do total recebido.

Os 14 membros eleitos representam metade do Plenário - composto por 28 conselheiros - e terão mandato de seis anos. São eles: Giovanni Bavaresco (CREF 001512-G/RS), Eduardo Merino (CREF 004493-G/RS), Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), Alexandre Greco (CREF 004204-G/RS), Ana Maria Haas (CREF 004563-G/RS), Sonia Waengertner (CREF 007781-G/RS), Rosa Pacheco (CREF 000059-G/RS), Leomar Tesche (CREF 000129-G/RS), Débora Garcia (CREF 002202-G/RS) e Alessandro Gamboa (CREF 001534-G/RS).

Os suplentes são: Felipe Martinez (CREF 003930-G/RS), Marcia da Cruz (CREF 007542-G/RS), Cláudia Lucchese (CREF 002358-G/RS) e Clery de Lima (CREF 000297-G/RS). Entre os objetivos da Chapa, que assumirá em outubro, estão a defesa da Educação Física e a valorização da profissão em todos os segmentos da sociedade.


Eleições 2015



CREF2/RS entrega livros sobre Educação Física Escolar à Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre
Postado em 24/09/2015
Fonte: CREF2/RS

Nessa quarta-feira (23), o CREF2/RS realizou a entrega oficial do livro “Recomendações para a Educação Física Escolar” à Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre (SMED). Os exemplares, editados pelo Sistema CONFEF/CREFs, serão repassados às 55 escolas municipais de ensino fundamental da capital. Na ocasião, a presidente do CREF2/RS, Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), e a presidente da Câmara Técnica de Educação Física Escolar, Miryam Brauch (CREF 006834-G/RS), apresentaram as propostas contidas na publicação à Eliane Meleti, chefe de gabinete da secretária Municipal de Educação Cleci Jurach.

A presidente do CREF2/RS ressaltou importância da aprovação da lei nº 11.585 do vereador professor Garcia (CREF 000002-G/RS), que tornou obrigatória a formação em curso superior de Licenciatura em Educação Física para a docência da disciplina nas escolas de ensino, como um marco na luta pela Educação Física Escolar no país. “Sancionada pelo prefeito de Porto Alegre José Fortunati, essa legislação deve ser reforçada e propagada para outras cidades do Rio Grande do Sul e do Brasil. Vemos nela um grande ganho para a educação e para a defesa da formação do profissional de Educação Física”.

Carmen explicou que a publicação do CONFEF/CREFs é resultado de intensos debates realizados pela Comissão de Educação Física Escolar do CONFEF em seminários, fóruns e congressos, que identificaram a falta de um documento referencial que desse conta, de maneira objetiva, das questões relacionadas a este campo do saber. “O livro foi desenvolvido por meio de uma proposta democrática, e se constitui em um instrumento norteador para a intervenção responsável e qualificada no ambiente profissional”, afirmou.

“Vamos enviar essa publicação às escolas com ofício recomendando seu estudo”, disse Eliane Meleti, enfatizando que o Ensino Fundamental e Médio do município já possuem professores graduados em Educação Física. “A valorização dos profissionais é prioridade da gestão. A lei cumpre o papel de sacramentar o trabalho que já vem sendo realizado no município, além de incentivar novas experiências nesse sentido. Na educação infantil, desde 2013, a Prefeitura vem nomeando profissionais de Educação Física”, acrescentou.

Segundo Miryam Brauch, o livro foi desenvolvido por meio de uma proposta democrática, com a colaboração de todos os CREFs. “Os Conselhos historicamente têm se esforçado em cooperar na atualização dos profissionais de Educação Física e na elaboração e apresentação de projetos de lei que garantam aos alunos acesso às aulas de Educação Física Escolar ministradas por profissional habilitado”.

Foto: Guga Stefanello/Divulgação PMPA


Educação Física Escolar



CREF2/RS lança publicação da Ginástica Laboral
Postado em 11/09/2015
Fonte: CREF2/RS

A publicação da Ginástica Laboral do CREF2/RS já está sendo distribuída gratuitamente na sede do Conselho e disponibilizada para download aqui. Produzida pela Câmara Técnica de Ginástica Laboral e Atividade Física na Empresa do CREF2/RS, a edição aborda, com textos objetivos, temas como o conceito da Ginástica Laboral, finalidades e resultados esperados, etapas mínimas para aplicar o programa, além de questões éticas e de qualificação. O documento foi resultado de reuniões, pesquisas e de experiências práticas realizadas pelos profissionais ligados à Ginástica Laboral e tem como objetivo sensibilizar a sociedade, empresários e profissionais de Educação Física para os benefícios proporcionados pela atividade.

Segundo o presidente da Câmara, Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), a publicação reflete o atual momento vivido pela Ginástica Laboral no Estado. "Há alguns anos, nossos serviços eram privilégio de grandes organizações. Hoje, empresas de qualquer porte, independente do número de empregados, podem adotar o programa adequado à sua realidade. Esta nova conjuntura, aliada aos esforços da Câmara, propiciou a presente edição”. O secretário da Câmara Tony Izaguirre (CREF 002462-G/RS) ressaltou que as informações divulgadas na publicação traduzem a importância da Ginástica Laboral como promotora da saúde do trabalhador. “Este documento é uma forma de qualificar os profissionais de Educação Física e, em contrapartida, garantir o bem-estar e a qualidade de vida do trabalhador”.


Ginástica Laboral



CongregaCREF reúne profissionais e estudantes para discutir atividade física e saúde
Postado em 04/09/2015
Fonte: CREF2/RS

Para comemorar o Dia do Profissional de Educação Física, celebrado todos os anos em 1º de setembro, o CREF2/RS realizou o CongregaCREF – Seminário Sul Brasileiro de Educação Física. O evento, realizado entre os dias 28 e 29 de agosto, no auditório da AMRIGS, reuniu profissionais e estudantes para discutir temas relacionados à atividade e à saúde.

Além da mesa-redonda "Multidisciplinaridade na Saúde", com os conselheiros Leomar Tesche (CREF 000129-G/RS), Carlos Cimino (CREF 001691-G/RS) e representantes do CREFITO5 e do CRN-2, o CongregaCREF contou com diversas palestras. A primeira, ministrada Alexandre Lazzarotto (CREF 002537-G/RS), trouxe para discussão a atuação do profissional de Educação Física nas doenças crônicas. De acordo com o integrante do GT Exercício Físico do Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, este tipo de enfermidade representa 72% dos óbitos no Brasil e o exercício é a forma mais barata de prevenção. "O treinamento melhora a capacidade cardiorrespiratória e outros fatores. O profissional de Educação Física tem muitas possibilidades de atuação", destacou.

O primeiro dia (28) contou ainda com a palestra de Elio Carravetta (CREF 002980-G/RS), que foi antecedida pela abertura oficial do evento. No discurso, a presidente Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) destacou que o Seminário era uma demanda dos profissionais registrados e que, através do aperfeiçoamento, é possível construir uma profissão e um Conselho mais forte. Carravetta, com quase 20 anos de experiência no Departamento de Preparação e Reabilitação Física do Sport Club Internacional, falou sobre a relação entre a gestão esportiva e a saúde. Ele destacou que o Estado hoje tem 5 milhões de sedentários e que o esporte, sem bem gerido, pode mudar hábitos. "Os profissionais de Educação Física podem assumir o papel de protagonista neste processo, implementando e massificando programas esportivos", pontuou.

No segundo dia (29), o CongregaCREF contou com as palestras de Ricardo Catunda (CREF 000001-G/CE), intitulada "Atividade física na Escola"; Áderson Loureiro (CREF 000038-G/RS), chamada "Academia e seus profissionais, promotores da saúde ou não!;" e Paulo Rodrigo da Silva (CREF 002076-G/RS), intitulada "Anabolizantes na academia: qual é o papel do profissional de Educação Física?". Com transmissão ao vivo pela Internet, o público pode acompanhar também de casa estes debates, que tiveram como tópicos principais as metodologias e estratégias da Educação Física Escolar, a inserção dos profissionais no mercado fitness e formas de combater o uso de anabolizantes para fins exclusivamente estéticos.

Os dados mais curiosos apresentados foram o crescimento de 133% no número de academias no Brasil e que o uso de anabolizantes é maior do que o uso de crack em nosso país. Para Catunda, as dificuldades de hoje não estão relacionadas à forma como a Educação Física é ministrada, sobretudo nas escolas. O que é preciso é reforçar que a atividade física pode mudar e salvar vidas. "Não há como prescrever atividade física sem uma avaliação prévia. Por atender públicos distintos, precisamos conhecer os alunos, em primeiro lugar. Sem isso, ao invés de promover a saúde, podemos ser responsáveis por problemas graves", complementou Oliveira.

O resultado do CongregaCREF, totalmente gratuito para os profissionais registrados no CREF2/RS foi considerado extremamente positivo. De acordo com a Presidente, a ideia agora é aperfeiçoar e incrementar o Seminário para a sua segunda edição, já no ano que vem.


CongregaCREF



CREF2/RS realiza entrega de livros sobre Educação Física Escolar na Secretaria Estadual de Educação/RS
Postado em 05/08/2015
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS realizou, na terça-feira (04), a entrega oficial do livro “Recomendações para a Educação Física Escolar” à Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande do Sul (SEDUC). Os exemplares, editados pelo Sistema CONFEF/CREFs, serão repassados às 30 Coordenadorias Regionais de Educação (CREs), que, por sua vez, encaminharão às 2.558 escolas que integram a rede estadual de ensino. Na ocasião, a presidente do CREF2/RS, Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), a presidente da Câmara Técnica de Educação Física Escolar, Miryam Brauch (CREF 006834-G/RS), e a conselheira Eliana Alves Flores (CREF 002649-G/RS) apresentaram as propostas contidas na publicação ao secretário-adjunto de Educação Luís Antônio Alcoba de Freitas, à diretora pedagógica da SEDUC, Leila Maria Schaan e ao diretor-adjunto de Logística e Suprimento da SEDUC, João Miguel Wenzel.

Segundo a presidente do CREF2/RS, a publicação é resultado de intensos debates realizados pela Comissão de Educação Física Escolar do CONFEF em seminários, fóruns e congressos, que identificaram a falta de um documento referencial que desse conta, de maneira objetiva, das questões relacionadas a este campo do saber. “O livro foi desenvolvido por meio de uma proposta democrática, e se constitui em um instrumento norteador para a intervenção responsável e qualificada no ambiente profissional”, afirma.

Carmen ressalta que a integração com a SEDUC é fundamental para que a Educação Física Escolar se consolide como instrumento de promoção da saúde e da cidadania. “A responsabilidade pela implantação deste currículo nas escolas não é papel exclusivo dos professores. É necessário que os gestores percebam o valor intrínseco da Educação Física. Portanto, o apoio demonstrado pela Secretaria é de grande importância nesta luta”, analisa.

De acordo com o secretário-adjunto da Educação do Rio Grande Sul, Luís Antônio Alcoba de Freitas, a doação dos livros “Recomendações para a Educação Física Escolar” para a rede estadual de ensino proporcionará muitos benefícios aos estudantes. “O material será muito útil para o desenvolvimento dos alunos, servindo como incentivo à prática de atividades físicas e, assim, colaborando com a saúde corporal e mental das nossas crianças”, argumenta.

Miryam Brauch assinala que o Conselho historicamente tem se esforçado em cooperar na atualização dos profissionais de Educação Física e na elaboração e apresentação de projetos de lei que garantam aos alunos acesso às aulas de Educação Física Escolar ministradas por profissional habilitado. “Esse livro é um trabalho corajoso, que reflete sobre os motivos que justificam a obrigatoriedade deste tema como componente curricular. Ele também aponta direções diante da complexa realidade enfrentada pela educação hoje”.

Foto: Evandro Oliveira/Seduc RS


Educação Física Escolar



Encontro reúne Câmara da Saúde do Fórum/RS, Defensoria Pública e representante da saúde suplementar
Postado em 21/07/2015
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS esteve presente, nesta segunda-feira (20), na reunião ampliada da Câmara da Saúde do Fórum dos Conselhos Regionais e Ordens das Profissões Regulamentadas do RS (Fórum/RS), realizada na sede da Defensoria Pública do Estado, com a participação de representante da saúde suplementar. Na pauta, debateu-se políticas públicas de prevenção e promoção da saúde, a inclusão e ampliação da oferta de serviços oferecidos por profissionais da saúde, promovendo a multidisciplinariedade, interdisciplinaridade e transdisciplinaridade nos planos de saúde, bem como a oferta de práticas integrativas e complementares destes, além do direito do consumidor na escolha de serviços e profissionais disponibilizados, entre outros temas.

Durante o evento, Enir Madruga de Ávila, defensor público e subdirigente do Núcleo de Defesa da Saúde (NUDS) da Defensoria Pública, avaliou que atualmente a Defensoria Pública trata as consequências, e não as causas dos problemas da saúde. "A cultura da receita médica com força de lei lotou os fóruns com ações de saúde. Vemos casos em que pessoas têm condições de pagar o medicamento, mas pelo meio judicial obrigam que o Estado o faça, prejudicando as pessoas carentes. Temos que abandonar estas práticas paternalistas e diminuir consideravelmente a judicialização da saúde”, ressalta.

A presidente do CREF2/RS Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) avaliou que a construção da Câmara da Saúde demonstrou o quanto há de desconhecimento por parte de um profissional da saúde em relação a área de atuação de outra profissão da mesma área. “Quando comecei a dialogar com os fonoaudiólogos, percebi que eu atribuía equivocadamente várias de suas incumbências à prática médica”. Carmen também ressaltou o trabalho multidisciplinar como uma característica da prevenção e da promoção da saúde. "Somente as práticas integradas e complementares darão resultado na área da saúde. Cabe enfatizar que dados científicos demonstram que de cada dólar investido em atividade física, reduz-se 4,2 dólares em potenciais gastos na saúde".

Carmem Franco, vice-presidente do Conselho Regional de Nutricionistas (CRN2), ressaltou que o grande objetivo dos conselhos é a proteção da sociedade por meio do efetivo serviço profissional, e não a mera ação corporativa, como muitas vezes é veiculado. "Por isto, acho importante os conselhos mostrarem tanto suas ações como suas limitações, trazendo luz as questões de fundo da nossa saúde. Isto pode proporcionar economia aos cofres públicos, o que vem a ser um argumento muito convincente para adesão dos governantes".

Já o representante da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (CASSI-RS), Everton Silva, afirmou que mesmo após 12 anos de atuação em forma de autogestão, a operadora ainda tem dificuldades em identificar espaços de atuação dos profissionais. "A questão da interdisciplinariedade propriamente dita ainda é complexa, e nos deparamos cotidianamente com ela”, explica. Silva trouxe dados de pesquisas que demonstram que cerca de 70% dos usuários dos serviços de saúde respeitam a prescrição médica, mas apenas 40% obedecem a orientação do médico para modificar hábitos não saudáveis. "Sabendo que a prescrição médica é lei e detém todo um peso cultural inculcado, o que sobra para as prescrições dos nutricionistas ou terapeutas ocupacionais? Esta autoridade é que tem que ser balanceada", pondera.

Na ocasião, o conselheiro do CREF2/RS Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS) afirmou que não resta opção aos trabalhadores da saúde que não seja a união, mesmo que na forma de cooperativas. "Existe uma cultura no Brasil em que os médicos, engenheiros e advogados são sobrevalorizados. Temos que mostrar a sociedade e aos outros profissionais a nossa centralidade na questão da promoção da saúde e na prevenção de doenças. Vamos estreitar laços com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e traçar estratégias para enfrentar os problemas da saúde no país”.

Também estiveram presentes à reunião representantes dos conselhos profissionais de Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia e Psicologia.


FÓRUM RS - Câmara da Saúde



Business Conference aborda avaliação física e gestão administrativa na Convenção Brasil
Postado em 15/06/2015
Fonte: CREF2/RS

Uma parceria do CREF2/RS com a Convenção Brasil 2015 proporcionou gratuitamente neste sábado (13), na PUCRS, o evento Business Conference, levando aos profissionais de Educação Física e às Pessoas Jurídicas as palestras "Avaliação Física no Contexto das Academias", ministrada pelo conselheiro federal do CONFEF Emerson Garcia (CREF 000046-G/MG); e "Saúde Financeira: Alerta Máximo", realizada por Christian Munaier (CREF 041884-P/SP), sócio-consultor da 4GOAL e colunista do canal ESPN. O intuito do evento foi o aprimoramento da gestão das academias, já que dados da Associação da Academias do RS (ACAD RS)indicam que 90% dos proprietários não têm formação na área de gestão administrativa, bem como a aproximação do profissional de Educação Física com o mundo dos negócios e com suas entidades representativas institucionais.

Conselheiro do CONFEF, doutorado pela Universidade da Florida (EUA) e atualmente professor da Universidade Federal do Maranhão, Garcia iniciou seu trabalho com a avaliação física na década de 70, junto à seleção de esquiadores dos EUA, por ocasião do seu trabalho de mestrado. Ele explicou em sua palestra que nesta época o conceito de avaliação física era muito difuso no Brasil. "Trouxe esta experiência para o país nos meados daquela década, implantando primeiramente em uma academia em Belo Horizonte. Foi um período em que a experiência se deu principalmente no sudeste brasileiro”. Mesmo passados mais de 40 anos, o conselheiro ainda vê um nicho que as academias não exploram: a estrutura de atendimento ao esporte. “No Maranhão, tentamos suprir isto com uma parceria entre a UFMA e o Governo do Estado para atender a população. A evolução foi grande, pois já temos exames modernos como a termografia, usada na detecção de lesões".

“Para normatizarmos avaliação física, o CONFEF criou a nota técnica N° 002/2012, com o título “A avaliação física em programas de exercícios físicos e desportivo”, disse Garcia, explicando que a divulgação da nota derivou da demanda de muitas prefeituras por atestados médico para todos praticantes de exercício físico, pelo descaso de alguns profissionais, pela falsa sensação que os mesmos tinham de que o atestado iria isentá-los de suas responsabilidades e de diversos questionamentos ao CONFEF sobre as competências do profissional de Educação Física. As informações contidas nesta nota se fundamentam nas diretrizes do Colégio Americano de Medicina Esportiva (ACSM) e no livro “Recomendações sobre condutas e procedimentos do Profissional de Educação Física na atenção básica à saúde”, publicado pelo CONFEF em 2011.

Segundo a nota, a avaliação física é um procedimento essencial do trabalho do profissional de Educação Física e objetiva reunir elementos para fundamentar a sua decisão sobre o método, tipo de exercício e demais procedimentos a serem adotados para prescrição de exercício físico e desportivo. Este procedimento deve ser amplo e sistemático e de acordo com os objetivos e as características do beneficiário, pode ser composta por anamnese completa, análise dos fatores de risco para coronariopatia, classificação de risco, verificação dos principais sintomas ou sinais sugestivos de doença cardiovascular e pulmonar, medidas antropométricas, testes neuromotores, avaliação metabólica, avaliação cardiorrespiratória e avaliação postural.

Garcia também debateu as mortes de três jovens ocorridas recentemente em academias de Florianópolis. “Um médico avaliou os acontecimentos como exceções, fatos inevitáveis. Contudo, verificou-se que as academias estavam com várias irregularidades no seu funcionamento. Ou seja, se acontecer uma fatalidade, e estivermos totalmente na legalidade, não haverá brecha legal para sermos penalizados". Quanto a casos de óbito em academia, o conselheiro disse que seria sempre prudente a realização de exames toxicológicos nos corpos, o que muitas vezes não é permitido pela família.

Outro fenômeno interessante abordado pelo conselheiro foi o aumento da procura de atividade física indicada por médicos. “Até 2011, o número de pessoas que buscavam atividade física por indicação médica era muito pequeno. Hoje, há 69% de indicação médica. Temos, porém, uma demanda muito diferente. Por exemplo: duas pessoas de mesma idade com 5% de gordura e VO2 diferentes”. O conselheiro aprova a exigência do exame médico, mas admite a falta de médicos como empecilho para atender os pacientes. "Se todos as pessoas que demandarem atividade física exigirem atestados, as filas não iriam ter fim", quantifica.

Já Christian Munaier alertou para a pouca troca de informações no mercado de fitness e pela gestão financeira amadora das academias. “Qual o percentual que vocês destinam à folha de pagamento, com os devidos aprovisionamentos? Quando temos estes dados, temos um bom checkup econômico. A questão da gestão financeira começa com o entendimento de tudo o que está a nossa volta”, analisa. O consultor previu o cenário econômico nacional com retração do PIB e do consumo em relação a 2014. “Ao mesmo tempo, o mercado de atividades físicas está aumentando. Até bem pouco tempo, tínhamos 1,8% de cada brasileiro fazendo atividade física orientada. Em 2014, nós dobramos este número, com 30.767 empresas atuando no segundo maior mercado no mundo. Já os EUA são os primeiros, com 50 milhões de praticantes de atividades físicas”, avalia.

Munaier vê nosso mercado como incipiente, com um longo caminho a percorrer para se tornar maduro. Ele sugeriu o incremento dos eventos realizados nas academias, especialmente nos momentos com baixa expectativa econômica, visando aumentar a rentabilidade. “Sua empresa também pode ser uma importante plataforma de divulgação de outras empresas”, exemplificou. “Em época de pouca procura por nossos serviços, temos que estimular os clientes a comprar planos de mais longa duração, para que possamos ter uma melhor programação. Fica o questionamento: qual a última campanha que as academias fizeram em conjunto para estimular a prática atividade física de forma orientada? Nós temos um mercado sedentário”, sentencia.

Por fim, Munaier propôs tornar a avaliação física como uma ferramenta estratégica no aumento da receita e da segurança do seu cliente. “Transforme esta avaliação em algo desejável pelo cliente, apresentando o profissional de Educação Física com o o indicado para orientá-lo a alcançar seus objetivos, por meio dos seus conhecimentos técnicos, embasamentos científicos, bem como uma atitude humanística na transmissão de conhecimento", incentivou Christian. Ele orienta aos seus gestores que incluam a avaliação física dentro de um pacote de serviços das academias chamado orientação para resultado. "Criem produtos em torno deste poderoso instrumento de trabalho. Mensurem o índice de reavaliações e novas consultas nutricionais. Tenham sempre em vista um indicador de performance", concluiu.


Convenção Brasil Business Conference



Nova edição do Conexão CREF apresenta o papel do Conselho para acadêmicos da Univates
Postado em 19/05/2015
Fonte: CREF2/RS e Univates

Com o objetivo de possibilitar aos acadêmicos dos cursos de Educação Física conhecer as funções desempenhadas pelo Conselho Regional de Educação Física, a Univates recebeu, na noite desta segunda-feira (18), mais uma edição do Conexão CREF. A palestra "O papel do Conselho: questões legais, éticas e valorização profissional” foi ministrada pela presidente do CREF2/RS, Carmen Masson (CREF 001910-G/RS); pela coordenadora do Departamento de Fiscalização e Orientação, Fernanda Rodrigues (CREF 009604-G/RS); e pela assessora jurídica do Conselho, Cristiane Costa.

No início do evento, Carmen ressaltou que a regulamentação da profissão foi resultado de muita luta, na qual ela mesma esteve envolvida por anos. Após exibirem um vídeo institucional do Conselho, a presidente explicou que, diferente de um sindicato, a função do CREF2/RS é regulamentar a profissão e fiscalizar sua execução. “Temos alguns processos éticos contra maus profissionais. São coisas que acabam denegrindo a profissão e não podemos deixar que isso aconteça”, destacou ela.

De acordo com Carmen, a cidade de Porto Alegre foi a primeira do Brasil a ter uma lei que exige a obrigatoriedade da Educação Física em todas as séries da Educação Básica. “Estamos em uma luta pela obrigatoriedade da Educação Física em todo o país. Está para ser votada no Congresso Nacional”, comentou. Recentemente, os representantes dos Conselhos realizaram uma caminhada em Brasília para criar uma frente parlamentar nacional. Muitos deputados estão aderindo à ideia e defendendo a pauta no Congresso. Ao exibirem um vídeo feito na caminhada, Carmen destacou que “essa é uma das funções do conselho: trabalhar para ampliar o campo de atuação”.

Cristiane e Fernanda aproveitaram o evento para também tirar as dúvidas que muitos acadêmicos têm sobre a atuação profissional. Elas explicaram o que é necessário para o registro e como a Lei do Estágio é regulamentada para a Educação Física. "O acompanhamento de um profissional habilitado é obrigatória em tempo integral. Além disto, é vedada qualquer cobrança de valores aos estudantes", frisou Cristiane. No fim da palestra, foi explicado aos estudantes da Univates que alunos da Licenciatura não podem estagiar em academias e que acadêmicos não podem atuar como personal trainer. "Para ser personal, só com a devida formação", salientou Fernanda.




Resultado final do processo seletivo do CREF2/RS é homologado
Postado em 30/03/2015
Fonte: CREF2/RS

O processo seletivo pelo CREF2/RS, realizado em janeiro, teve o seu resultado final homologado na última sexta-feira (27). As relações dos candidatos aprovados para cada cargo, em ordem de classificação e em ordem alfabética, já estão disponíveis no site da Fundatec e podem ser acessadas aqui.




CREF2/RS e Vigilância Sanitária fiscalizam em Tramandaí
Postado em 23/01/2015
Fonte: CREF2/RS

Na quarta-feira, dia 21 de janeiro, CREF2/RS e Vigilância Sanitária (VISA) realizaram ação de fiscalização conjunta em Tramandaí. Nos estabelecimentos visitados, foram verificadas as presenças de alvará sanitário, profissional de Educação Física no local e certificado de registro junto ao Conselho. Fernanda Rodrigues (CREF 009604-G/RS), coordenadora do Departamento de Fiscalização e Orientação, destaca que a parceria entre CREF2/RS e VISA obteve resultado positivo em Tramandaí e que continuará em outros municípios.




Troféu Mérito Esportivo premia destaques de 2014 em Caxias do Sul
Postado em 18/12/2014
Fonte: Prefeitura de Caxias do Sul

A Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria do Esporte e Lazer (SMEL) e do Conselho Municipal do Desporto (CMD), realizou na segunda-feira (15) a entrega do Troféu Mérito Esportivo 2014. A presidente do CREF2/RS Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) esteve presente na cerimônia, que teve como objetivo homenagear personalidades e entidades esportivas caxienses que se destacaram durante o ano.

Para Jó Arse, secretário municipal do Esporte de Lazer, a cidade pode ser intitulada a capital estadual do esporte. "Se somados os resultados dos JIRGS 2014, Caxias do Sul seria a grande campeã. Isso é a comprovação de todo trabalho realizado e dedicação dos profissionais que são disseminadores do esporte caxiense".

A premiação, com troféus e certificados, foi entregue em sete categorias: Educacional, Especial, Base, Rendimento, Técnico, Comunitário e Administrativo. A escolha foi feita a partir de indicação dos nomes pelos representantes das entidades que compõem o CMD. A lista completa com os vencedores pode ser acessada aqui.

Foto: Morgana Perini/Prefeitura de Caxias do Sul




CREF9/PR lança Guia da Ginástica Laboral para o Empresário
Postado em 11/12/2014
Fonte: CREF9/PR

O CREF9/PR apresentou, no V Fórum Brasileiro de Ginástica Laboral, o Guia da Ginástica Laboral para o Empresário. A coletiva de imprensa sobre o lançamento do documento, que aborda as competências, as perspectivas e a legalidade no âmbito da Ginástica Laboral (GL), foi realizada ontem (10), em Curitiba.

O Guia tem o intuito de orientar os empresários para a correta contratação de programas de GL, que ofereçam segurança ao trabalhador e resultados. "Com ele, cobrimos uma lacuna no mercado da Ginástica Laboral", contou Rony Tschoeke, conselheiro do CREF9/PR e um dos idealizadores do documento. "Os profissionais de Educação Física são os grandes protagonistas da Ginástica Laboral, os únicos habilitados por lei a planejar e dinamizar a GL. As empresas fora da legalidade precisam ser orientadas e conscientizadas para colocarem em práticas programas que realmente tragam benefícios aos seus colaboradores e resultados para a empresa", completou.

Dedicado aos empresários, gerentes de RH e demais responsáveis pela contratação de programas de GL, o Guia do CREF9/PR explica o que pode ser esperado da Ginástica Laboral, o papel e o diferencial do profissional de Educação Física e todos os aspectos que darão segurança para o empresário, prestadores e colaboradores. O guia tem download gratuito aqui e versão online neste link.




Conselho e Vigilância Sanitária atuam juntos em Pelotas
Postado em 19/11/2014

No último dia 6 de novembro, CREF2/RS e Vigilância Sanitária (VISA) realizaram ação de fiscalização conjunta em Pelotas. Todos os 25 estabelecimentos visitados foram autuados pela VISA por não possuírem alvará sanitário e pelo Conselho pela ausência de profissional de Educação Física no local, exercício ilegal da profissão e pela falta de certificado de registro junto ao CREF2/RS.

Fernanda Rodrigues (CREF 009604-G/RS), coordenadora do Departamento de Fiscalização e Orientação, destacou que "foi solicitada a suspensão das atividades nos locais visitados" e que "agora realizaremos os devidos encaminhamentos internamente". Após o prazo concedido para regularização, os estabelecimentos que não cumprirem as determinações da lei, "correm o risco de punições mais severas", frisou. Com total de 34 documentos lavrados, entre autos de infração, termos e relatórios de visitas, a parceria entre CREF2/RS e Vigilância Sanitária obteve resultado positivo em Pelotas e continuará em outros municípios.




CREF2/RS em Revista: a gravidade da obesidade infantil
Postado em 18/11/2014

Reportagem publicada originalmente no CREF2/RS em Revista nº 7. A publicação pode ser lida na íntegra aqui.

A obesidade é considerada hoje uma epidemia. De acordo com pesquisa publicada pela revista científica Lancet, em maio deste ano, aproximadamente 2,1 bilhões de pessoas estão acima do peso no mundo inteiro. O número não para de crescer e já é motivo de preocupação entre os cientistas. Se em 1980 eram "apenas" 875 milhões de indivíduos nesta faixa, a instituição norte-americana National Survey Data prevê que em 2030 51,1% da população do planeta – porcentagem estimada em cerca de 4 bilhões de seres humanos – será formada por pessoas com excesso de peso.

"A obesidade está relacionada com as maiores pandemias modernas, como depressão, alguns tipos de câncer, diabetes e doenças cardiovasculares", salienta Amélio Matos, médico do Instituto de Diabetes e Endocrinologia do Rio de Janeiro, no documentário "Muito Além do Peso". Se os números atuais e a perspectiva para o futuro já são motivo de atenção entre os adultos, o quadro se torna ainda mais preocupante quando é avaliada apenas a população infantil. No Brasil, em 1989, 4,1% dos meninos de 5 a 9 anos foram classificados como obesos, segundo pesquisa realizada pelo IBGE. Os dados do mesmo estudo, feito em 2008 e 2009, apontaram que 16,6% desta população apresentava o mesmo problema. O índice registrou, portanto, que a obesidade infantil aumentou 300% só nos últimos 20 anos. Por quê?

"A obesidade é o distúrbio mais comum na infância hoje e, na minha opinião, o fato de ter aumentado tanto nos últimos anos está associado às mudanças no estilo de vida da população", avalia Rafael Gambino (CREF 009460-G/RS), professor de Educação Física da Prefeitura Municipal de Esteio e mestre em Ciências do Movimento Humano. "A má alimentação e o consumo exagerado de alimentos hipercalóricos, associada às rotinas apressadas das famílias, são fatores responsáveis pelo excesso de peso e colaboram para agravar o problema", completa.

E não é só isso. As crianças deixaram de brincar como antigamente e praticar esportes. Para elas, hoje em dia, o lazer é muito mais sinônimo de computador e videogame do que de atividade ao ar livre. "O exercício físico ficou em segundo plano, porque falta espaços apropriados, há violência e falta de segurança. Além disto, os pais não têm tempo para levar os filhos para brincar", explica Fabiani da Silveira (CREF 002949-G/RS), professor de Educação Física dos colégios Farroupilha e Sinodal do Salvador, ambos em Porto Alegre. "A atividade física deve andar paralela às demandas diárias, como a escola. Uma não exclui a outra, muito pelo contrário. O estudo e o exercício físico são fundamentais para a formação de nossas crianças".

ATIVIDADE FÍSICA NO AMBIENTE ESCOLAR

A rotina apressada dos pais passa para a escola parte da responsabilidade de incentivar a prática de atividade física e de tornar isto frequente no dia a dia das crianças. "O professor de Educação Física tem que mostrar que exercício é importante para a vida toda. A base da saúde está relacionada a ter hábitos saudáveis", explica Luiz Fernando Kruel (CREF 002211-G/RS), professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e coordenador do Grupo de Pesquisa em Atividades Aquáticas e Terrestres (GPAT)."O único profissional da área da saúde que atua regularmente junto às crianças em idade escolar é o profissional de Educação Física. Muitos não se dão conta disto", reforça.

Para muitas crianças, a aula de Educação Física é o único momento da semana em que é praticado algum tipo de exercício. Por isto, "o professor deve estimular o interesse do aluno com aulas dinâmicas, intensidades adequadas e, principalmente, promovendo a inclusão das crianças com sobrepeso e obesidade nas aulas", defende Adriane Vanni (CREF 003918-G/RS), professora do curso de Educação Física da URI – Campus Erechim. Kruel vai mais além e mostrar que a situação é ainda mais complexa. "Para elas, a obesidade pode ser só um problema estético e social, mas no contexto escolar atrapalha muito. Os estudos mostram que compromete o desempenho em aula e as crianças acabam sendo marginalizadas também. A questão do bullying é muito presente e precisa ser bem administrada em aula", explica.

Por esta perspectiva, o profissional de Educação Física passa a ser mais do que apenas o professor responsável pela disciplina. "Ele deve ser o ponto central deste processo, deixando claro para o aluno os benefícios da prática esportiva a favor da saúde e contra os problemas ocasionados pelo sedentarismo e pela obesidade", salienta Bettega Lopes (CREF 020725-G/RS), pesquisador e mestre em Fisiologia. "O papel da Educação Física é estimular nas crianças o gosto pela prática, de formas e maneiras diversas, contemplando o maior número de estímulos diferentes. A vida saudável e equilibrada decorre da boa iniciação que, basicamente, começa na escola com o profissional da área", complementa Silveira.



DOENÇAS DE ADULTOS

O GPAT, em trabalho feito em 2009, avaliou a evolução de crianças com sobrepeso, de sete a dez anos de idade, da rede municipal de Porto Alegre. O índice piorou com o passar do tempo, quando a amostra atingiu a faixa de 11 a 14 anos. "Elas saíram da infância e foram para a adolescência em quadro muito preocupante. O nível de obesidade, que era 25%, passou a ser 50% grave", relata Kruel. A síndrome metabólica, que era antes considerada doença apenas de idosos, passou a ser vista, pela primeira vez, também entre as crianças. "Nós começamos a achar alguns dados alarmantes. Além de hipertensos, a concentração de insulina no sangue ficava em 22,5 mg/DL, quando o normal é de aproximadamente 10 mg/dL. Isto sobrecarrega o pâncreas de maneira assustadora, levando ao que podemos classificar como diabetes tipo 2".

Como é possível perceber, os números apresentados relataram problema de saúde muito grave. A criança, já hipertensa, começa a ter resistência à insulina, o que passa a configurar quadro de síndrome metabólica na adolescência. Das crianças obesas analisadas pelo GPAT, 51% já tinham três ou mais fatores de risco. Se o ponto de corte é diminuído para um, a taxa passa a ser superior a 90%. "A gente não vê ninguém tratando isto. Nem na escola, que seria responsabilidade da Secretaria de Educação, nem nos postos de saúde", critica Kruel. "O que seria ideal? O trabalho conjunto para reverter este quadro. A gente percebe que estas crianças são todas sedentárias. A aula de Educação Física não é adaptada para que têm obesidade", complementa.

Para Kruel, o que é preciso diminuir são os problemas causados pelo sedentarismo. Não há dúvidas de que os fatores de risco podem ser amenizados com atividade física. "A importância do profissional de Educação Física é muito grande, principalmente daquele que atua na escola", explica. "O que a gente vê é a criança obesa que, por causa do bullying e de outras coisas, abandona a atividade física e passa a ser ainda mais sedentária. Nós tivemos conquista muito grande, principalmente em Porto Alegre, quando foi aprovada lei municipal que obriga a presença do profissional de Educação Física nas séries iniciais. Nós temos agora que dar um passo adiante e oferecer formação adequada e especializada para este profissional, para que ele saiba lidar com isto".

Por mais que a criança passe boa parte do dia na escola, a responsabilidade pelo combate à obesidade precisa ser estendida também aos pais, que devem se portar como exemplo. "Os adultos precisam, com urgência, rever suas posturas frente a estas questões básicas que fazem parte da formação inicial das crianças", analisa Silveira. "Prevenir é a palavra-chave. Oferecer estrutura básica, como boa alimentação e acompanhamento médico, além de espaços para brincadeiras, convívio social e exercício físico, é contribuição fundamental que deve vir de casa". "A família é a base para a mudança no estilo de vida. A criança que vive em ambiente onde todos agem de forma desregulada e desregrada tende a se incluir nesta rotina", complementa Gambino.

ALIMENTAÇÃO

Não é só o sedentarismo que preocupa os pesquisadores e profissionais de Educação Física. A alimentação das crianças também tem sido objeto de estudo de nutricionistas. "O que mais assusta é a oferta inadequada e precoce de doces, guloseimas e alimentos com alto teor de sódio e gordura, como salgadinhos, bolachas recheadas e sucos artificiais", analisa Ana Carolina Terrazan (CRN2 8330), nutricionista da Clínica Nutriossoma e especialista em Nutrição Infantil. "Em muitos casos, as famílias demoram a entender que a alimentação correta desde o princípio, ou seja, desde a gestação, é fundamental para a saúde da criança", complementa.

A nutricionista Camila Vargas (CRN2 8264) acredita que o ambiente escolar colabora também de outra maneira no controle da obesidade infantil. "A escola poderia inserir a disciplina de Educação Nutricional desde as séries iniciais. Trabalhos educativos que envolvam o tripé nutrição, saúde e doença pode conscientizar e elucidar a importância de se manter bons hábitos alimentares", defende. "É possível criar formas de incentivar isto, buscando envolver a criança no contexto da alimentação saudável, sempre associando à atividade física".



POSSÍVEIS SAÍDAS

Há diversas alternativas para amenizar – ou até mesmo solucionar – o problema da obesidade infantil no país. "Acredito, que o primeiro passo, antes de tudo, é pensarmos de que forma isto pode ser contido, para não nos depararmos mais com esta realidade que a cada dia é mais frequente", explica Lopes. O estímulo da prática esportiva é consenso entre todos os profissionais de Educação Física. "Não só em casa, mas também nas escolas, como forma de instituir hábitos e costumes mais sudáveis, como forma de prevenção aos inúmeros problemas que são consequência do sedentarismo", complementa.

Além disto, o combate à obesidade não pode começar apenas quando o aparecimento de doenças cardiovasculares, como a hipertensão, se torna quadro inevitável. "A questão que penso ser mais pertinente é: como prevenir?", alerta Silveira. "As nossas crianças necessitam de muito mais atenção em todos os aspectos, afinal, elas não são responsáveis por elas mesmas", complementa. A opinião é compartilhada por Gambino. "A principal prevenção é a manutenção do peso que, no caso das crianças, deve se dar com alimentação adequada associada à prática de atividade física regular. As crianças precisam se movimentar".

Para Ana Carolina, é possível criar formas de incentivar a boa alimentação também entre os pais. "Informação é sempre a melhor estratégia e mostrar os resultados também é importante. Os familiares gostam muito de ver que o esforço e as mudanças realmente fizeram diferença", explica. A conscientização dos pais é importante também na visão de Kruel, já que muitos não conseguem enxergar o problema dos filhos. "Em nossa pesquisa, das 213 mães que tinham filhos obesos, só 50 os viam nesta condição. Muitas classificaram como normal ou abaixo do peso", revela. "Os adultos, geralmente, têm dificuldade de aceitar que a criança precisa emagrecer. Nós temos notado isto. Em alguns casos, só a criança querer não é suficiente. Ela não possui tanta independência para saber o que é certo e o que é errado e decidir o que ela vai ou não fazer".

Outra coisa que deve mudar é a percepção de que atividade física para fazer efeito precisa ser difícil. "A criança obesa não tem que sofrer", considera Kruel. "Se o profissional de Educação Física souber dosar a carga do exercício, é possível ter atividade eficiente sem sofrimento. Desta forma, começa a ter aderência ao programa e os resultados definitivamente aparecem". Para Kruel, o caminho seria procurar atividades de baixo impacto e que sejam prazerosas. "Apesar de muitos já serem adolescentes, eles querem algo lúdico, que não seja aquela coisa monótona de ir para a academia. Ou seja, tem que ser uma atividade que eles se sintam brincando", conclui.

Para Rafael Gambino, é importante também que todas as crianças tenham a oportunidade de experimentar várias modalidades, individuais e coletivas, para decidir com qual se identifica. A atividade física pode ser competitiva, mas precisa ser aquela que a criança quer praticar. "Ela precisa explorar e experimentar todos os jogos e esportes. A criança precisa ser estimulada e participar o máximo possível de vivências motoras até que consiga se identificar e optar pela que mais desperta interesse", avalia. Para a aderência, a criança tem que sentir vontade e não ser obrigada a participar. "Os pais não podem considerar que a sua vontade será a mesma de seu filho. Os profissionais de Educação Física devem oferecer aos alunos a mais diversificada oportunidade de movimentos. Quando a criança optar por uma, de forma espontânea, não tenho dúvidas de que ela dará continuidade por longo período".

O último alerta fica para os pais. "Os adultos estão atrás das demandas do momento. Muitos acreditam que estar numa boa escola, que invista no lado cognitivo e ensine uma língua estrangeira, já é suficiente para a formação básica. Nós, profissionais de Educação Física, sabemos que isto é importante, mas só parte do contexto todo", comenta Silveira. "A prática de atividade física formativa e saudável, o investimento em alimentação correta e o acompanhamento da saúde é o que deve ser feito. As instituições responsáveis pelo trabalho com crianças necessitam desenvolver projetos para que os pais possam perceber que toda esta formação de base será fundamental para o futuro longe da obesidade".

PARA ASSISTIR: MUITO ALÉM DO PESO



O documentário "Muito Além do Peso" foi lançado em novembro de 2012, com objetivo de criar amplo debate sobre a qualidade da alimentação das crianças brasileiras e os efeitos da comunicação dirigida a elas. O filme, dirigido por Estela Renner, é reflexo do trabalho do Instituto Alana, organziação que busca sensibilizar e mobilizar a sociedade sobre os problemas decorrentes do consumismo na infância. "O documentário mostra que as crianças desconhecem o que é alimentação saudável, aprendem a comer de forma equivocada desde muito", conta a nutricionista Camila Vargas.

A obra mergulha no tema da obesidade infantil ao discutir porque 33% das crianças brasileiras pesam mais do que deviam. As respostas envolvem a indústria alimentícia, a publicidade, o governo e a sociedade de modo geral. Com histórias reais e chocantes, de crianças com menos de dez anos que já apresentam quadros graves de diabetes, hipertensão e colesterol, o filme promove interessante discussão sobre o tema, dando voz a especialistas do mundo todo. "Quando se fala de obesidade infantil, vemos que as crianças não brincam mais na rua, las ficam com só seus polegares em iPhones e iPods. Elas não se exercitam mais", comenta William Dietz, um dos entrevistados pelo documentário. Ele é diretor da Divisão de Nutrição, Atividade Física e Obesidade do Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos.

"Muito Além do Peso" pode ser assistido aqui.




CREF2/RS tira dúvidas sobre atividade física no Dia do Desafio 2014
Postado em 28/05/2014
Fonte: CREF2/RS

Com objetivo de estimular a prática de atividades físicas, o Dia do Desafio 2014 é realizado hoje, simultaneamente em diversas cidades pelo Brasil. Em Porto Alegre, o evento tem ampla programação e conta também com a participação do CREF2/RS. O Departamento de Fiscalização (DEFOR) está na Praça Montevidéu, em frente ao Paço Municipal, para dar informações sobre a prática esportiva, bem como esclarecimentos sobre todo o trabalho realizado pelo Conselho.

De acordo com o SESC, responsável pela organização do evento, é esperado público de 3 a 5 mil pessoas somente nas atividades realizadas em frente à Prefeitura e ao Mercado Público, ambos localizados no Centro Histórico da cidade. Euclides Erlin 50 anos, é um dos participantes do Dia do Desafio 2014. "Eu trabalho de noite e quase nunca tenho tempo para fazer exercício. Estou achando tudo muito legal por aqui, é um incentivo para as pessoas praticarem atividade física", contou.

Em parceria com as prefeituras e o Governo do Estado, o Dia do Desafio está presente em todos os 497 municípios gaúchos, com atividades variadas e relacionadas às áreas de saúde, esporte, lazer, educação e cidadania. Nas áreas montadas no Centro Histórico de Porto Alegre, por exemplo, as pessoas são convidadas a praticar, por, pelo menos 15 minutos, qualquer tipo de exercício físico. Há estandes com esteiras, tênis de mesa e jogos que estimulam o movimento do corpo.

Realizada desde 1997, a disputa do Dia do Desafio é em forma de confronto entre duas cidades de mesmo porte. O município que mobilizar mais pessoas vence. Neste ano, Porto Alegre enfrenta Garulhos pela segunda vez. Em 2012, a capital gaúcha foi a vencedora, com 46,55% da população envolvida, contra 31,39% da cidade paulista. O resultado do Dia do Desafio 2014 deve ser anunciado nos próximos dias.




II Seminário de Educação Física Escolar movimenta abertura da Convenção Brasil
Postado em 16/05/2014
Fonte: CREF2/RS

Na tarde desta quinta (15), o CREF2/RS realizou o II Seminário de Educação Física Escolar. A atividade, ministrada pelo professor Lúcio Rogério dos Santos (CREF 000001-G/DF), abriu a programação de cursos e debates da 21ª Convenção Brasil.

Também conselheiro do CONFEF e Secretário Executivo da Frente Parlamentar Mista da Atividade Física para o Desenvolvimento Humano no Congresso Nacional, Lúcio Rogério trouxe para discussão assuntos como regulamentação da profissão, valorização da Educação Física nas escolas e Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (9394/96). "O professor de Educação Física é o principal agente para desenvolvimento da capacidade cognitiva e motora dos alunos", ressaltou. O palestrante destacou ainda que a mudança cultural que houve após criação dos Conselhos Federais foi importante. "A Educação Física é hoje um componente obrigatório nas escolas".

O convidado - que tem ampla experiência e trabalhos realizados em creches, berçários, jardins de infância e escolas de Ensino Fundamental e Médio das redes públicas e privadas do Rio de Janeiro e de Brasília - falou também sobre a necessidade que os professores têm de conscientizar os alunos e a comunidade de que a Educação Física é essencial no ambiente escolar. "As pessoas precisam e dependem muito de nós", destacou.

Lúcio Rogério reservou espaço para mostrar aos presentes como a Lei 9394/96 trouxe certo retrocesso logo na sua implementação. "A LDB nasceu sem a obrigatoriedade da Educação Física nas escolas", explicou. A disciplina, no entanto, é entendida hoje de maneira diferente. "A Educação Física é obrigatória em todos níveis, e devem ser sempre ministradas por licenciados habilitados. É garantia da melhor formação do cidadão brasileiro", analisou.

A palestra encerrou com lembrança de que bom trabalho nas escolas tem resultado valioso para sociedade e também para toda categoria. "O bom trabalho aumenta o percentual de pessoas que vão valorizar a Educação Física e, assim, procurar acompanhamento orientado no futuro". A presidente Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) e a presidente da Câmara de Educação Física Escolar Miryam Brauch (CREF 006834-G/RS) finalizaram o Seminário com entrega da Carta Gaúcha da Educação Física. Escolar a Lúcio Rogério dos Santos.




DEFOR palestra no IV Seminário de Fiscalização Profissional
Postado em 25/04/2014
Fonte: CREF2/RS

O Departamento de Fiscalização e Orientação do CREF2/RS participou, hoje pela manhã, do IV Seminário de Fiscalização Profissional. O evento, promovido pelo Fórum dos Conselhos Regionais e Ordens das Profissões Regulamentadas do Rio Grande do Sul, contou na sua abertura com o painel "Inserção dos Conselhos e Ordens no Sistema Nacional de Defesa do Consumidor". Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), vice-presidente do Conselho, e Fernanda Rodrigues (CREF 009604-G/RS) coordenadora do DEFOR, palestraram no Seminário.

Na abertura do evento, o presidente da Câmara de Vereadores de Porto Alegre Professor Garcia (CREF 000002-G/RS) reafirmou a importância do Seminário para todos os Conselhos, já que a fiscalização tem missão de garantir a segurança e o bem-estar da sociedade, bem como o exercício legal das profissões regulamentadas. O Vice-Presidente do CREF2/RS também pontuou a responsabilidade social dos Conselhos, na defesa da cidadania e da ética dos inscritos.

Fernanda Rodrigues aproveitou o painel para apresentar os objetivos do CREF2/RS, os procedimentos de fiscalização do DEFOR e dados relativos à atividade no ano passado, que contabilizou 2.411 visitas em todo o Estado. A Coordenadora destacou a importância do trabalho em equipe, "para atingir número maior de locais e diferentes áreas de atuação", e salientou como parcerias com a Brigada Militar, SMIC e Vigilância Sanitária foram eficientes. "O importante é trabalhar em conjunto, para conseguir ir mais além e alcançar melhores resultados na defesa da sociedade", concluiu.

O painel contou ainda com depoimentos de Alcebiades Santini, presidente do Fórum Estadual de Defesa do Consumidor, Cristiano Aquino, diretor do Procon RS, e a mediação de Roberto Canquerini, presidente do Conselho Regional de Farmácia do Rio Grande do Sul. No final, os palestrantes responderam as perguntas do público, formado por fiscais, conselheiros das Comissões de Ética e Fiscalização, assessores jurídicos e representantes jurídicos do Legislativo e da Câmara de Vereadores.




CREF2/RS participa de Encontro dos Conselhos e Ordens das Profissões
Postado em 24/04/2014
Fonte: CREF2/RS

O Fórum dos Conselhos Regionais e Ordem das Profissões Regulamentadas do Rio Grande do Sul realiza, hoje e amanhã, o 1º Encontro dos Conselhos e Ordens das Profissões Regulamentadas da Região Sul e o IV Seminário de Fiscalização Profissional. A abertura do evento, na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, contou com a presença de Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), presidente do CREF2/RS.

Na abertura do evento, a Presidente destacou a importância do Encontro, que tem o intuito de dar visibilidade e credibilidade para as atividades de todos os Conselhos. "O objetivo é a união de forças em prol da sociedade. Juntos podemos atingir um resultado melhor", salientou Carmen Masson.

Dedicado às Diretorias e funcionários dos Conselhos, bem como a assessores jurídicos e contábeis, fiscais e representantes do Legislativo e da Câmara de Vereadores, o Encontro discute, entre outros temas, a atuação do Tribunal de Contas da União junto aos Conselhos e ações para padronização da fiscalização. Ao todo, 23 Conselhos participam do Encontro.

Flávio Koch, presidente do Fórum dos Conselhos e Ordens das Profissões Regulamentadas do Rio Grande do Sul frisou a importância do evento para todos os Conselhos, que reafirmam os compromissos com a fiscalização, a defesa das profissões e com a sociedade. "Queremos fortalecer o trabalho e aproximar os Conselhos, através de ações conjuntas", completou.

O CREF2/RS participa amanhã do IV Seminário de Fiscalização Profissional. O evento, que em 2014 tem o tema "Fiscalização Integrada em Benefício da Sociedade", contará, às 9h30, com o painel "Inserção dos Conselhos e Ordens no Sistema Nacional de Defesa do Consumidor". Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), vice-presidente do Conselho, e Fernanda Rodrigues, Coordenadora do Departamento de Fiscalização e Orientação serão os palestrantes, entre outros.

Mais informações em http://gestor.kinghost.net/forum/seminario/inicial.php




Obesidade infantil aumenta 300%
Postado em 16/04/2014
Fonte: Fonte: Bem Estar/G1

Prestem atenção nestes números: em 1989, no Brasil, 4,1% dos meninos de 5 a 9 anos foram classificados como obesos, segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares, realizada pelo IBGE. Os dados da mesma pesquisa, realizada em 2008 e 2009, apontaram que 16,6% dos meninos desta faixa de idade estavam obesos. Estes números registraram, portanto, um aumento de aproximadamente 300% nos índices de obesidade em meninos de 5 a 9 anos no Brasil. Isso mesmo: um aumento de 300%! O mesmo em relação às meninas: a taxa de obesidade aumentou de 2,4% em 1989 para 11,8%  em 2008: quase 5 vezes mais!

Por isso podemos perguntar: o que está acontecendo? Por que as crianças estão mais obesas?

Neste começo de século XXI, o estilo vida de todos, inclusive e principalmente o das crianças, mudou. E não foi pouco. As mulheres entraram para valer no mercado de trabalho. Até ai, tudo certo. Só que o tempo ficou mais curto e muito mais corrido para todos. Consequência: a alimentação também entrou nesta “correria”. Não é  à toa que surgem os “fast-foods” que vieram para resolver o problema da pressa. As prateleiras dos supermercados oferecem também uma gigantesca variedade de alimentos prontos e processados, produzidos para facilitar a vida corrida de todos. Resultado: a alimentação saudável perdeu espaço nas refeições das famílias.

Paralelamente, nas grandes cidades, a violência urbana “confinou” as crianças dentro de casa. Atividades simples como andar de bicicleta, jogar bola na rua, subir em árvores, correr ou brincar ao ar livre tornaram-se raras no dia a dia das crianças. O espaço físico disponível diminuiu. As brincadeiras de “esconde -esconde”, “pega-pega” ou de  pular muros e obstáculos, passaram a ser realizadas com apenas 2 dedos, uma vez que agora acontecem virtualmente nas telas dos tablets, televisores, computadores ou celulares. Resultado: menos atividade física!

Alimentação rápida com menor qualidade e maior carga calórica e atividade física restrita produzem um resultado conhecido de todos: aumento de peso!

Bem, até aí nenhuma novidade. Isso todos sabemos. E mais ainda: sabemos também como fazer para solucionar esta situação. Fácil, não é? Aumentar a atividade física e melhorar a qualidade da nutrição das crianças em casa e na escola. Mas... Se sabemos as causas e temos a solução, vale perguntar: por que a obesidade infantil esta de fato aumentando neste início de século XXI?

A resposta desta pergunta merece uma reflexão interessante. As famílias não estão conseguindo mudar seu estilo de vida. Uma criança obesa em casa é problema de todos. Pais e filhos devem, juntos, alterar seus hábitos de alimentação, de atividade física e de rotina de vida. A criança deve participar ativamente das decisões e sempre que possível ser instigada a sugerir as mudanças que julgar mais relevantes. As escolas também poderiam, de uma forma geral, contribuir e orientar suas cantinas a venderem produtos com boa qualidade nutricional.

Imagem: Creative Commons




Conselheiro Cimino presente na abertura da Semana Estadual da Ciência, Tecnologia e Inovação 2013
Postado em 21/10/2013
Fonte: CREF2/RS

O Conselheiro do CREF2/RS Carlos Alberto Cimino prestigiou a cerimônia de abertura da Semana Estadual da Ciência, Tecnologia e Inovação 2013, realizada dia 18 de outubro no ginásio Poliesportivo do La Salle Canoas. A Semana tem por objetivo a mobilização da população, em especial crianças e jovens, em torno de temas e atividades de Ciência e Tecnologia, valorizando a criatividade, a atitude científica e a inovação. Busca popularizar o tema da ciência e da tecnologia e inovação, destacando a importância para a vida da sociedade e para o desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul, assim como contribuir para que a população possa conhecer e discutir os resultados, a relevância e o impacto das pesquisas científicas e tecnológicas e suas aplicações.




CREF2/RS e SMIC iniciam fiscalização conjunta em Porto Alegre
Postado em 10/09/2013
Fonte: CREF2/RS

O Conselho Regional de Educação Física do RS (CREF2/RS) e a Secretaria Municipal de Indústria e Comércio de Porto Alegre (SMIC) realizaram, no dia 21 de agosto, a primeira ação conjunta em nove academias da cidade. A ação teve como objetivo fiscalizar a conduta ética e técnica das academias e seus profissionais e as condições de higiene e funcionamento dos estabelecimentos, assim como coibir o comércio irregular de produtos.
A parceria entre os órgãos vem sendo alinhavada desde 2012, tendo como motivação a necessidade de fiscalização para regular a prestação de serviços na área das atividades físicas. Nesse ano de trabalho estratégico, restou evidenciada a grande quantidade de irregularidades nos estabelecimentos, como falta de documentação, exercício ilegal e ausência de profissional habilitado na orientação das atividades.
Durante a ação, estiveram presentes o secretário adjunto da SMIC, José Peres, o Presidente do CREF2/RS, Eduardo Merino (CREF 004493-G/RS), e fiscais de ambos órgãos. Segundo o Presidente do CREF2/RS, o resultado da primeira fiscalização conjunta foi a interdição de dois estabelecimentos por ausência de Profissional de Educação Física e a notificação de estabelecimentos, pela SMIC, devido à falta de documentação. O Secretário Adjunto da SMIC, José Peres, declarou que toda a Secretaria está de parabéns, e agredeceu especialmente esta nova parceria com o CREF2/RS, principalmente pelos resultados obtidos na ação fiscalizatória, e declarou que pretende estreitar esta parceria e todas estas ações, tornando-as efetivas, eficiente e eficazes.
O CREF2/RS e a SMIC estão elaborando novo roteiro para dar continuidade à parceria entre as instituições. A previsão é de que uma nova fiscalização se dará ainda este ano.




Presidente do CREF2/RS defende a prevenção de doenças ao celebrar o Dia Mundial da Saúde
Postado em 04/04/2013
Fonte: Assessoria de imprensa AL/RS

O período da Tribuna Popular desta quinta-feira (4) foi ocupado pelo presidente do Conselho Regional de Educação Física da 2ª Região (Cref/RS), Eduardo Merino, que representou os conselhos das profissões de saúde regulamentadas. Ele falou sobre o Dia Mundial da Saúde, celebrado em 7 de abril desde 1948, quando foi criada a Organização Mundial da Saúde. Realizada no início da sessão plenária da primeira quinta-feira de cada mês, a Tribuna Popular permite a representantes de entidades da sociedade civil a realização de pronunciamentos na tribuna do Legislativo, pelo tempo de 10 minutos.

Merino informou que, este ano, o tema central do Dia Mundial da Saúde é a hipertensão arterial e o objetivo é reduzir o número de infartos do miocárdio e acidentes vasculares cerebrais (AVCs). Segundo ele, um em cada três adultos sofre de hipertensão, uma em cada três pessoas que sofre da doença desconhece que é hipertenso, e só um em cada três hipertensos trata a doença.

O presidente do Cref/RS também falou dos hábitos da atual sociedade que contribuem para que as pessoas adoeçam, como a ansiedade e o estresse, a má alimentação e o sedentarismo. “Podemos dizer que há um desacordo entre as ações que buscam a saúde e os resultados, demonstrados principalmente pelos dados epidemiológicos. É um modelo de saúde que trata a doença e que não privilegia a prevenção, que é muito mais barata e conta com o benefício da manutenção da qualidade de vida das pessoas”.

Conselhos profissionais

O orador da Tribuna Popular ainda destacou a importância dos conselhos das profissões da saúde regulamentadas na proteção da sociedade para que as pessoas possam ter o serviço prestado com qualidade e segurança. “Temos o Fórum dos Conselhos do Rio Grande do Sul, que representa 600 mil profissionais, especificamente em torno de 250 mil profissionais da saúde, que cuidam de milhões de vidas”.

Ele ainda citou três desafios a serem enfrentados para promover a saúde e o bem-estar da sociedade: a questão do enfoque multiprofissional e interdisciplinar no tratamento das doenças; a mudança do modelo que privilegia o tratamento da doença e não a prevenção; e a formação dos profissionais de saúde.

Encerrando seu discurso, Merino manifestou apoio ao Projeto de Lei 245 2011, do deputado Carlos Gomes (PRB), que tramita na Assembleia Legislativa. A proposição torna obrigatória a exigência, nos concursos públicos do Estado do Rio Grande do Sul, do registro nos respectivos conselhos profissionais.




Estudo aponta que é preciso estar ativo o dia inteiro para manter a boa forma
Postado em 25/02/2013
Fonte: Zero Hora

Você seguiu direitinho as recomendações do médico (e da Organização Mundial de Saúde): 30 minutos de exercício físico por dia, de segunda a sexta. Está satisfeito consigo mesmo, tem saúde garantida, correto? Não completamente.

Um estudo novo da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) sugere que uma pessoa que se exercita apenas nesses poucos minutos, mas passa o resto do dia sentado ou realizando atividades que não demandam muito movimento, tem as mesmas condições de saúde de alguém que não faz exercício nenhum, mas fica zanzando de um lado para o outro o dia todo.

Até 10 anos atrás, a ciência se fixava somente nos benefícios do tempo do exercício físico — aquele vôlei, futebol, academia, corrida e caminhada, todos esportes de grande intensidade, mas que consomem somente de 5% a 8% do tempo acordado de uma pessoa. O restante da boa forma vem das atividades corriqueiras do dia a dia: cozinhar, passear com o cachorro, se levantar da mesa do trabalho para pegar um cafezinho, caminhar até a padaria para comprar pão etc.

Na última década, países como Austrália, Estados Unidos e Inglaterra têm fixado sua atenção no que as pessoas fazem fora do horário de praticar esportes. No Brasil, há alguns estudos que relatam o tempo que adolescentes ficam na frente do computador, da televisão e do videogame, mas ainda não havia um perfil completo de como as pessoas se movimentam rotineiramente: deslocamentos, lazer, trabalho e estudo.

Em tese de mestrado, Grégore Mielke, pesquisador do comportamento sedentário da UFPel, apresentou um estudo feito com quase 3 mil moradores de Pelotas, mas que pode ser aplicado na população de outras cidades de médio porte. Os resultados são surpreendentes: 10% dos entrevistados passam 12 horas ou mais por dia sentados. E quanto mais velha for a pessoa, menor será o comportamento sedentário.

O próprio conceito de sedentarismo muda:

— É possível que uma pessoa pratique muita atividade física, mas seja sedentária. Se ela ficar sentada na maior parte do tempo, sem se movimentar e só se exercitar meia hora por dia, pode ser considerada sedentária. E isso pode se reverter em uma pior condição de saúde — avalia Mielke.

Sedentarismo, portanto, significa se movimentar pouco durante o dia. E outra coisa, bem diferente, é ser fisicamente ativo. Assim, Mielke dividiu os entrevistados em quatro grupos:

1. Fisicamente ativos e não sedentários
2. Fisicamente ativos e sedentários
3. Fisicamente inativos e não sedentários
4. Fisicamente inativos e sedentários.

Os integrantes dos grupos 2 e 3 teriam os mesmos gastos energéticos durante o dia. Mas antes de cancelar a academia, preste atenção ao que diz Mielke:

— Eu gosto de fazer uma analogia: comer muita fruta ou verdura não anula os efeitos de comer muita gordura. O que eu quero dizer com isso é que os caminhos metabólicos para o gasto energético são diferentes e não se deve abandonar nenhum hábito que seja saudável para o organismo. O problema é que se tomou que 30 minutos de atividade física seriam uma cápsula de saúde e a pessoa não precisaria fazer mais nada. E isso não é verdade.




Obesidade pode aumentar risco de esclerose múltipla em crianças e adolescentes
Postado em 06/02/2013
Fonte: Portal iSaúde.net

Probabilidade de desenvolver a doença neurológica foi quase quatro vezes maior entre as meninas extremamente obesas.Crianças e adolescentes obesas têm mais risco de desenvolver esclerose múltipla (EM) em comparação com aquelas com peso normal, de acordo com pesquisadores do Kaiser Permanente of Southern California, nos EUA.

O estudo sugere que a relação é maior entre as meninas, mas não prova que o excesso de peso na infância causa esclerose, doença neurológica em que a camada protetora ao redor das fibras nervosas quebra, diminuindo os sinais que viajam entre o cérebro e o corpo.

""Ao longo dos últimos 30 anos, a obesidade infantil triplicou. Em nosso estudo, o risco de esclerose pediátrica foi maior entre adolescentes moderadamente e extremamente obesos, sugerindo que a taxa de casos pediátricos da doença é susceptível de aumentar, conforme a epidemia de obesidade infantil continua a crescer"", afirma a autora do estudo, Annette Langer-Gould.

Langer-Gould e seus colegas identificaram 75 crianças e adolescentes diagnosticados com esclerose múltipla pediátrica entre as idades de 2 e 18 anos. Eles documentaram o IMC antes do aparecimento dos sintomas. As crianças com a doença foram comparadas com 913.097 crianças que não têm esclerose.

Todos os participantes foram agrupados em categorias de peso de peso normal, sobrepeso, obesidade moderada e obesidade extrema. Um total de 50,6% das crianças com esclerose estava com sobrepeso ou obeso, comparado a 36,6% das crianças sem a doença.

Os resultados mostraram que o risco de desenvolver esclerose era mais do que uma vez e meia maior para as meninas com excesso de peso do que as meninas que não estavam acima do peso, cerca de 1,8 vezes maior em meninas moderadamente obesas em comparação com meninas de peso normal e quase quatro vezes maior entre as meninas extremamente obesas. A mesma associação não foi encontrada em meninos.

""Mesmo que a esclerose pediátrica continue a ser rara, nosso estudo sugere que os pais ou responsáveis de adolescentes obesos devem prestar atenção a sintomas como formigamento e dormência ou fraqueza nos membros, e levar as crianças a consultas médicas"", conclui Langer-Gould.