Notícias




Data Inicial:
(dd/mm/aaaa)  

Data Final:
(dd/mm/aaaa)  
Título:
Palavras na Notícia:



CREF2/RS disponibiliza documento com recomendações após retorno às aulas de Educação Física nas escolas
29/07/2020
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS criou um documento com recomendações após o retorno às aulas de Educação Física nas escolas. A publicação, elaborada pela Comissão de Educação Física Escolar, está disponível para download aqui.

Levando em consideração a importância da Educação Física e a preocupação com o retorno às aulas, o documento “Recomendações de retorno às aulas presenciais de Educação Física na reabertura das escolas: COVID-19” apresenta um protocolo a ser seguido pela equipe técnica das escolas. O objetivo desta publicação é sensibilizar professores e demais membros do quadro pedagógico das unidades de ensino, no intuito de seguirem as orientações da Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde e dos demais órgãos estaduais e municipais, orientando os alunos e as suas famílias sobre as medidas de prevenção ao contágio pelo coronavírus.

“O plano de retorno às atividades diante da pandemia vai exigir cuidados específicos e, para reduzir o risco de contaminação, será preciso que a sociedade esteja plenamente engajada para aderir às novas normas de convívio social e às novas rotinas no interior das unidades de ensino”, frisa o documento. Além de diversas recomendações, a publicação ainda reúne protocolos de segurança, medidas de higienização, de proteção, de monitoramento e de avaliação, assim como outras orientações sobre o uso de máscara e sobre a dinâmica das aulas.

A Comissão de Educação Física Escolar do CREF2/RS é formada por Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), Clery de Lima (CREF 000297-G/RS), Jeane Cazelato (CREF 000003-G/RS), Miryam Brauch (CREF 006834-G/RS) e Ninon Leal (CREF 001350-G/RS).


Educação Física Escolar covid-19



Instagram do CREF2/RS promove mais três lives
26/06/2020
Fonte: CREF2/RS

Nos próximos dias, o CREF2/RS vai dar continuidade às suas lives pelo Instagram. Na terça-feira, dia 30 de junho, Alexandre Lazzarotto (CREF 002537-G/RS), Angela Harthmann (CREF 008303-G/RS) e Débora Garcia (CREF 002202-G/RS) irão abordar o tema “Mestrado Profissional e Residência em Educação Física: oportunidades de formação e intervenção”. Já na quinta-feira, dia 2 de julho, o Conselho vai receber Marc Henri Haetinger (CREF 007116-G/RS), para a apresentação “Estúdio de pilates, franquias e novas tendências”.

Por fim, na sexta-feira, dia 3 de julho, será a vez dos integrantes do Comitê Estadual da Crise da Educação Física na COVID-19 estarem reunidos e online para falar sobre “Ações do Comitê Estadual da Crise da Educação Física na COVID-19”. As transmissões iniciarão sempre às 17h.

Lazzarotto é doutor em Ciências do Movimento Humano pela UFRGS e integrou o GT de Exercício Físico do Ministério da Saúde, sendo um dos autores do livro “Recomendações para a Prática de Atividades Físicas para Pessoas Vivendo com HIV e Aids”. Atua com atividades de promoção à saúde na Reserva Nacional do Niassa, em Moçambique. No país africano, também é professor e orientador em Mestrado em Saúde Pública.

Graduada em Educação Física pelo IPA, Angela Harthmann é doutora em Ciências Cardiovasculares pela Faculdade de Medicina da UFRGS e professora universitária. Atualmente trabalha no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, no Serviço de Educação Física e Terapia Ocupacional, atuando na internação pediátrica e residência multiprofissional.

Marc Henri Haetinger possui especialização em fisiologia do exercício e em pilates. É proprietário da Health Pilates, empresa com unidades em Porto Alegre e em Caxias do Sul. Treinador e empreendedor, também é criador e CEO da Fitplus, método inovador e dinâmico que está disponível para os profissionais de Educação Física através da aquisição de franquias.

O Comitê Estadual de Crise da Educação Física na COVID-19 é composto pelo 2º vice presidente do CREF2/RS Alessandro Gamboa (CREF 001534-G/RS), pela presidente do Conselho Municipal de Desporto de Caxias do Sul Carla Pretto (CREF 006564-G/RS), pelo delegado da FIEP-RS Everton Deiques (CREF 008538-G/RS), pelo representante da ACAD Brasil Fernando Sassen, pela presidente da APEF-RS Luciane Citadin (CREF 000100-G/RS), pelo profissional e proprietário de academia Rogério Menegassi (CREF 001080-G/RS) e pelos representantes do SINPEF/RS Sílvio Silveira (CREF 001529-G/RS) e Ubirajara Brites (CREF 000416-G/RS).

Confira a programação completa:

30 de junho, terça-feira, às 17h
Alexandre Lazzarotto (CREF 002537-G/RS), Angela Harthmann (CREF 008303-G/RS) e Débora Garcia (CREF 002202-G/RS)
Mestrado Profissional e Residência em Educação Física: oportunidades de formação e intervenção

2 de julho, quinta-feira, às 17h
Marc Henri Haetinger (CREF 007116-G/RS)
Estúdio de pilates, franquias e novas tendências

3 de julho, sexta-feira, às 17h
Comitê Estadual de Crise da Educação Física na COVID-19
Ações do Comitê Estadual de Crise da Educação Física na COVID-19

7 de julho, terça-feira, às 17h
Tiago Baccon (CREF 015344-G/RS)
Desafios do treinamento online

9 de julho, quinta-feira, às 17h
Carlos Cimino (CREF 001691-G/RS)
Voleibol: da arbitragem à gestão


lives instagram comitê crise covid-19



CONFEF realiza ações em defesa dos profissionais de Educação Física durante pandemia
26/06/2020
Fonte: CREF2/RS

O Conselho Federal, assim como o CREF2/RS, está realizando diversas ações para defender a atuação dos profissionais de Educação Física durante a pandemia, em todo Brasil. Um resumo destas iniciativas está disponível na seção de notícias do site www.confef.org.br e também no Boletim Eletrônico nº 274, enviado neste mês aos profissionais registrados.

Projeto de Lei prevê medidas emergenciais para Educação Física durante pandemia

O CONFEF vem trabalhando ativamente para a aprovação de medidas que visem auxiliar os profissionais de Educação Física durante o coronavírus. Exemplo disto foi o PL 2824/2020, apresentado pelo deputado federal Felipe Carreras (PSB/PE). O projeto prevê medidas emergenciais para o setor durante a pandemia.

Dentre elas, está a complementação de um salário mínimo para os informais do setor (profissionais de Educação Física, atletas, paratletas, técnicos, preparadores físicos, árbitros e outros), limitados à renda de dois salários. Se aprovado, o setor terá ainda outro benefício: não poderá ser cortada água, energia e serviços de telecomunicações das empresas que atuam na área, durante a pandemia do COVID-19.

Ministério da Saúde contempla atividade física como atividade essencial

O Ministério da Saúde atendeu à solicitação feita pelo CONFEF para contemplar a atividade dos profissionais de Educação Física como serviço essencial. O pedido havia sido feito por meio do ofício 371/2020, enviado em abril. A articulação se deu em razão da importância da atividade física para a promoção da saúde e para a prevenção de doenças, sobretudo neste atual contexto.

Para ter validade e aplicação, o reconhecimento do Ministério da Saúde ainda precisa passar pelo aval dos Governos Estaduais. No âmbito do Rio Grande do Sul, o CREF2/RS já atua para que a medida seja transformada em projeto de lei. Mais informações sobre isto aqui.


covid-19 crise comitê



CREF2/RS promove mais duas lives no Instagram
08/05/2020
Fonte: CREF2/RS

Nas próximas semanas, o CREF2/RS vai dar continuidade às suas lives no Instagram. Na quarta-feira, dia 13 de maio, Felipe Machado (CREF 008513-G/RS) irá conversar sobre o tema “Planejamento de carreira e gestão de negócios fitness e esportivos em tempos de crise”. Já na quinta-feira, dia 14 de maio, o Instagram do Conselho vai receber Alexandre Lazzarotto (CREF 002537-G/RS), para fazer a apresentação “A atuação do profissional de Educação Física no contexto da doença”. As duas transmissões iniciarão às 17h.

Machado é gestor de Recursos Humanos, mestre em Administração pela UFRGS, consultor e professor universitário nas áreas de gestão e desenvolvimento de pessoas. Treinador comportamental, leader & executive coach, certificado pela FEBRACIS. Sócio-diretor da Mentori – Desenvolvendo Pessoas e Negócios e da Superforce Crossfit, também tem experiência nas áreas de gestão de carreira, empreendedorismo e marketing de serviços em negócios fitness e esportivos.

Já Lazzarotto é doutor em Ciências do Movimento Humano pela UFRGS e integrou o Grupo Técnico de Exercício Físico do Ministério da Saúde, sendo um dos autores do livro “Recomendações para a Prática de Atividades Físicas para Pessoas Vivendo com HIV e Aids”. Atua com atividades de promoção à saúde na Reserva Nacional do Niassa, em Moçambique. No país africano, também é professor e orientador em Mestrado em Saúde Pública. Tem experiência na área de pesquisa clínica, bioética, saúde baseada em evidências e atividade física em doenças crônicas.

Confira abaixo a lista com todas as transmissões ao vivo agendadas pelo CREF2/RS até o momento:

13 de maio, quarta-feira, às 17h
Felipe Machado (CREF 008513-G/RS)
Planejamento de carreira e gestão de negócios fitness e esportivos em tempos de crise

14 de maio, quinta-feira, às 17h
Alexandre Lazzarotto (CREF 002537-G/RS)
A atuação do profissional de Educação Física no contexto da doença

19 de maio, terça-feira, às 17h
Darlan Souza (CREF 015393-G/RS)
A progressiva retomada dos exercícios com total segurança

21 de maio, quinta-feira, às 17h
André Lopes (CREF 008061-G/RS)
Controle de carga na musculação


lives Instagram



Ministério da Saúde lança manual com orientações sobre prática de atividade física durante isolamento
08/05/2020
Fonte: CREF2/RS

O Ministério da Saúde divulgou, há poucos dias, o manual “Orientações sobre a prática de atividade física durante o período de quarentena”. O guia, em versão PDF, pode ser acessado diretamente por aqui.

O material, elaborado pela Coordenação-Geral de Promoção de Atividade Física e Ações Intersetoriais do Ministério, sugere algumas atividades que podem ser recomendadas à população para serem realizadas dentro do ambiente domiciliar, conforme as faixas etárias. Quanto a recomendações aos profissionais de Educação Física no contexto do COVID-19, o documento cita as publicações do Sistema CONFEF/CREFs sobre o assunto.

A Nota Técnica do CREF2/RS, com informações e medidas de prevenção quanto à disseminação do coronavírus a serem adotadas no exercício profissional da Educação Física, está disponível para consulta desde o dia 17 de março. O documento pode ser visualizado neste link.


Ministério da Saúde coronavírus covid-19



CREF2/RS disponibiliza manual de reabertura de academias em meio ao coronavirus
17/04/2020
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS, em parceria com o CREF4/SP, está disponibilizando um manual com informações de segurança para a reabertura de academias, em meio à pandemia do coronavírus (COVID-19). O documento pode ser acessado neste link e as suas diretrizes devem ser seguidas por todos os profissionais de Educação Física e empresários da área, tão logo os órgãos públicos autorizem o retorno das atividades destes estabelecimentos.

O guia informativo, construído a partir das orientações divulgadas recentemente pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial de Saúde (OMS), explica como deve ser feita a limpeza geral dos ambientes, quais são os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) que precisam ser utilizados por funcionários, personal trainers e terceirizados, e quais medidas operacionais preventivas também deverão ser tomadas, para que se evite a disseminação do COVID-19.

Outras publicações do CREF2/RS, sobre os mais variados temas relacionados à Educação Física, estão disponíveis aqui.


coronavírus COVID-19



CREF2/RS solicita inclusão da Educação Física no rol dos serviços essenciais durante coronavírus
13/04/2020
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS enviou na última segunda-feira, dia 13 de abril, um ofício ao Governo Estadual do Rio Grande do Sul, à Associação Gaúcha dos Municípios, à Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (FAMURS) e à Prefeitura Municipal de Porto Alegre solicitando a inclusão da Educação Física no rol dos serviços essenciais em meio à pandemia do coronavírus (COVID-19).

O documento, que pede a flexibilização do Decreto Estadual nº 55.154, tem o intuito de que não seja mais vedada a possibilidade de prestação dos serviços relacionados à Educação Física em academias, centros de treinamento e ao ar livre, sempre observando as normas de distanciamento social, higienização e do uso de EPI’s, conforme orientação do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual de Saúde.

Na solicitação encaminhada aos quatro órgãos, o CREF2/RS salienta os benefícios decorrentes do aprimoramento do condicionamento físico através da prática de exercícios, principalmente no contexto atípico atual. “A obtenção e a manutenção da boa saúde se faz de suma importância para a minimização das internações na rede hospitalar”, frisa. O ofício tem como base um informe da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, sobre exercício físico e coronavírus, que confirma a necessidade da prática de atividades físicas para a melhora da função imunológica, otimizando assim as defesas do organismo diante de agentes infecciosos, assim como para a redução de doenças como diabetes e hipertensão, entre outras patologias que elevam os riscos de morte diante do COVID-19.

Por fim, o documento destaca que o retorno da prestação dos serviços de Educação Física também assegura a subsistência dos profissionais de Educação Física autônomos, bem como ameniza a possibilidade de extinção, devido à inviabilidade econômica, de diversas empresas que atuam nesta área.


coronavírus COVID-19



CREF2/RS cria passo a passo do cadastro da ação O Brasil Conta Comigo
03/04/2020
Fonte: CREF2/RS

O Ministério da Saúde publicou ontem, dia 2 de abril, a Portaria 639/2020, que dispõe sobre a ação estratégica “O Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde”, voltada ao cadastramento e à capacitação de profissionais da área da saúde para o enfrentamento à pandemia do coronavírus (COVID-19) no Brasil.

A ação criará um banco de profissionais da área da saúde em todo território nacional, de caráter instrumental e consultivo, visando auxiliar gestores federais, estaduais e municipais do SUS nas ações de enfrentamento à COVID-19. O Ministério da Saúde dará a devida capacitação a estas pessoas, seguindo os protocolos oficiais e aprovados pelo Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (COE-nCOV).

O cadastro é obrigatório para todos. No entanto, ao preencher o formulário, o profissional terá a opção de escolha entre contribuir ou não nas mais diversas áreas de serviço à sociedade.

Para realizar o cadastro, é preciso seguir as seguintes etapas:

1) Acessar o link https://registrarh-saude.dataprev.gov.br;

2) Informar o CPF e o e-mail utilizado regularmente;

3) Ao enviar este primeiro formulário, a mensagem do sistema deve ser: “Acesso enviado com sucesso! Em breve você receberá um e-mail no endereço informado com o acesso ao sistema. Se necessário, verifique a caixa de spam. Agradecemos sua colaboração. Caso você não receba o e-mail em 24 horas, entre em contato com o 136”;

4) Acessar o link recebido no e-mail cadastrado, através da opção “Acessar Formulário” (Importante: este e-mail não deve ser deletado porque pode ser utilizado para atualizações e eventuais correções das suas informações pessoais);

5) Preencher o formulário com os seus dados pessoais. Clicar em confirmar;

6) Ao enviar este segundo formulário, a mensagem do sistema deve ser: “Dados enviados com sucesso! Mantenha seus dados atualizados, para isso acesse o mesmo e-mail enviado para a realização do cadastro. Agora, clique no link abaixo para participar do curso Protocolos de Manejo Clínico do Coronavírus (COVID-19). Lembre-se! A sua colaboração pode salvar vidas”;

7) Acessar e realizar o curso online. O link do curso também é enviado ao e-mail cadastrado.

Importante: você deve manter as suas informações sempre atualizadas. Mudanças de situação de emprego, especialização e eventual contágio pela COVID-19 devem ser informados.

Você também tem que responder se deseja ou não fazer parte da ação “O Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde” para o enfrentamento à COVID-19. A participação não é obrigatória.

Demais informações:

a) CPF ou e-mail já está cadastrado:
- Quando o profissional informa o CPF e o e-mail e aparece a mensagem de alerta “Este CPF ou e-mail já está cadastrado. Caso queira atualizar suas informações, procure em sua caixa de e-mails a mensagem enviada pelo Ministério da Saúde” é sinal de que o profissional já foi cadastrado anteriormente.

b) Atualização ou correção de cadastro:
- Acesse a caixa do e-mail cadastrado, procure a mensagem enviada pelo Ministério da Saúde e clique no botão “Acessar Formulário”. Você deve atualizar as informações em caso de mudanças de situação de emprego, especialização, eventual contágio pela COVID-19 e se deseja ou não fazer parte da ação.

c) Quem deve se cadastrar:
- Os profissionais de saúde com registro nos 14 Conselhos Profissionais da área da saúde (como os profissionais de Educação Física) devem realizar o cadastro na ação “O Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde”. Devido à situação de calamidade pública nacional oficialmente declarada, o cadastro é obrigatório.

d) Como será a participação dos profissionais da saúde:
- Após o preenchimento do cadastro, os profissionais deverão participar de cursos específicos, na modalidade educação a distância, sobre procedimentos para lidar com a pandemia do coronavírus (COVID-19). Devido à situação de calamidade pública nacional, oficialmente declarada, o cadastro e a capacitação são obrigatórios aos profissionais, contudo não implicam necessariamente em recrutamento. Se você colocar no cadastro que concorda em fazer parte das ações de enfrentamento ao coronavírus, ao concluir o curso, você poderá ser chamado para trabalhar em locais onde há necessidade premente. As diretrizes do recrutamento dos profissionais serão publicadas posteriormente.

e) Prazo para cadastramento:
- O prazo de cadastramento estará aberto enquanto as ações para o enfrentamento do coronavírus (COVID-19) estiverem vigentes, mas a orientação é para que o profissional faça o cadastro e a capacitação o mais breve possível.


coronavírus Ministério da Saúde



Ministério da Saúde convoca profissionais da saúde para cadastro e capacitação contra coronavírus
02/04/2020
Fonte: CREF2/RS

O Ministério da Saúde publicou nesta quinta-feira, dia 2 de abril, a Portaria 639, que dispõe sobre a ação estratégica “O Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde”, voltada ao cadastramento e à capacitação de profissionais da área da saúde para o enfrentamento à pandemia do coronavírus (COVID-19) no Brasil.

Levando em consideração a alta demanda dos serviços ambulatoriais e hospitalares do SUS, o Ministério da Saúde tem o intuito de mobilizar profissionais de Educação Física, biomedicina, enfermagem, farmácia, fisioterapia, serviço social, fonoaudiologia, medicina, nutrição, odontologia e psicologia, entre outros mais, para estarem preparados para atuar nestes locais, durante uma situação emergencial. O cadastro é obrigatório para todos. No entanto, ao preencher o formulário, o profissional terá a opção de escolha entre contribuir ou não nas mais diversas áreas de serviço à sociedade.

A campanha “O Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde” criará um banco de profissionais da área da saúde em todo território nacional, de caráter instrumental e consultivo, visando auxiliar os gestores federais, estaduais e municipais do SUS nas ações de enfrentamento à COVID-19. O Ministério da Saúde dará a devida capacitação a estas pessoas, seguindo os protocolos oficiais e aprovados pelo Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (COE-nCOV).

Os profissionais de Educação Física registrados no CREF2/RS já podem - e devem - preencher o formulário disponibilizado pelo Ministério da Saúde no link https://registrarh-saude.dataprev.gov.br.

Clique aqui e confira um passo a passo para você fazer o seu cadastro com facilidade.

Mais informações sobre a campanha “O Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde” podem ser conferidas na Portaria 639 ou nesta notícia do site do Ministério da Saúde.


Ministério da Saúde coronavírus



APEF/RS confirma adiamento do 46º ENAPEF
17/03/2020
Fonte: CREF2/RS

Evento apoiado pelo CREF2/RS, o 46º ENAPEF - Encontro Nacional dos Profissionais de Educação Física, que ocorreria no mês de abril, em Capão da Canoa, teve seu adiamento confirmado pela Associação dos Profissionais de Educação Física - APEF/RS. No momento, não será definida nova data para o evento. Confira o posicionamento oficial da Associação:

A APEF/RS tem acompanhado com muita atenção e responsabilidade as informações e dados sobre o COVID-19 no Brasil e no mundo, bem como as formas de transmissão e medidas mais adequadas para se minimizar riscos de contágio e conter surtos. Seguindo as orientações da Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde e da Secretaria da Saúde do Estado do RS é que a Comissão Organizadora do 46º ENAPEF, evento que atrai um número superior a 500 participantes durante os 4 dias de encontro, comunica o adiamento da data do evento, ainda sem previsão segura e responsável de nova data. Pedimos sua compreensão diante de nossa conduta, ainda mais em se tratando de profissionais das áreas da Saúde e Educação, e colocamo-nos à disposição através dos contatos: eventos@apefrs.com.br e (51)99762-5155.


coronavirus



Saiba como combater o coronavírus
13/03/2020
Fonte: CONFEF/Ministério da Saúde

Em escolas, hospitais, academias ou clubes, os profissionais de Educação Física estão em contato direto e permanente com a sociedade. A nossa categoria é, portanto, um importante agente na disseminação de informações. Confira abaixo as instruções atualizadas do Ministério da Saúde para proteger você e sua família do coronavírus, além dos seus alunos e clientes.

O que é coronavírus (Covid-19)?

O coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto no dia 31 de dezembro de 2019, após casos registrados na China. Ele provoca a doença chamada de coronavírus (Covid-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados m 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como posso me proteger?

– Lave as mãos com frequência, com água e sabão, ou higienize com álcool em gel 70%;

– Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos;

– Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas e fique em casa até melhorar;

– Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas. Ao tocar, lave sempre as mãos com água e sabão;

– Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos;

– Evite aglomerações e mantenha os ambientes ventilados.

Como o coronavírus (Covid-19) é transmitido?

A transmissão ocorre de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo (cerca de dois metros), por meio de gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, toque ou aperto de mãos, objetos ou superfícies contaminadas.

E quais são os principais sintomas?

O coronavírus (Covid-19) é similar a uma gripe. Geralmente é uma doença leve a moderada, mas alguns casos podem ficar graves. Os sintomas mais comuns são febre, tosse e dificuldade para respirar.

Para dúvidas e eventuais esclarecimentos sobre o coronavírus, contate o Disque Saúde através do telefone 136.


Coronavirus



CREF2/RS participa do 35º Congresso Internacional de Educação Física – FIEP 2020
27/01/2020
Fonte: CREF2/RS

Entre os dias 18 a 22 de janeiro, o CREF2/RS participou do 35º Congresso Internacional de Educação Física – FIEP 2020, que neste ano teve como tema principal “O Profissional de Educação Física na América Latina”. O congresso contou com 25 cursos de atualização e aperfeiçoamento, apresentação de trabalhos científicos, feira de material esportivo e outras atividades. Paralelamente aos cursos promovidos pela FIEP, também ocorreram os eventos XII Fórum de Educação Física Escolar, Seminário Paralímpico Brasileiro, IX Seminário de Atividade Física na Atenção à Saúde, III Fórum do Esporte do CONFEF e X Seminário de Direito e Legislação Desportiva.

O Congresso Internacional de Educação Física é o maior e mais importante evento da Federação Internacional de Educação Física – FIEP, sendo realizado anualmente na cidade de Foz do Iguaçu (PR), desde 1986. O Congresso é organizado por Almir Gruhn (CREF 000001-G/PR) e já recebeu mais de 55 mil participantes desde a sua primeira edição.

Os conselheiros Clery de Lima (CREF 000297-G/RS), Carla Pretto (CREF 006564-G/RS), Carlos Castilhos (CREF 000877-G/RS), Ninon Leal (CREF 001350-G/RS), Alessandro Gamboa (CREF 001534-G/RS), Ana Haas (CREF 004563-G/RS), Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), Débora Garcia (CREF 002202-G/RS), Eduardo Merino (CREF 004493-G/RS) e Claudio Franzen (CREF 003304-G/RS) representaram o CREF2/RS durante o Congresso. Também estiveram presentes no evento o vice-presidente do CREF2/RS Giovanni Bavaresco (CREF 001512-G/RS) e a presidente da Comissão de Educação Física Escolar Miryam Brauch (CREF 006834-G/RS).

Segundo Lima, o CREF2/RS pode mostrar, durante as atividades do Congresso, o papel que desempenha em defesa do profissional de Educação Física em diversos Programas de Saúde, como já ocorre em relação ao Conselho Municipal de Saúde de Santa Maria (CMS-SM). “Em Foz do Iguaçu, levamos a nossa ação para o conhecimento do Conselho Nacional de Saúde e para secretários de Educação de outros municípios”, contou. “A nossa solicitação foi de que o Sistema CONFEF/CREFs assuma esta campanha para consolidar a Educação Física na Saúde, já que o próprio Ministério da Saúde está dando uma atenção especial para o assunto”, complementou.


FIEP 2020



MPF recomenda ao Ministério da Educação suspender autorização para funcionamento de novos cursos EAD na área da saúde
10/10/2019
Fonte: Ministério Público Federal

O Ministério Público Federal encaminhou na última terça-feira, dia 8 de outubro, uma recomendação ao Ministério da Educação para que seja suspensa, imediatamente, a autorização para funcionamento de novos cursos de graduação na área da saúde na modalidade Educação a Distância (EAD). O pedido é para que esta determinação seja mantida até que seja concluída a tramitação do Projeto de Lei 5414/2016, que trata do tema, ou até que haja a devida regulamentação do art. 80 da Lei 9.394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), sobre desenvolvimento do ensino a distância.

O credenciamento de Instituições de Educação Superior exclusivamente para oferta de cursos de graduação na modalidade à distância foi autorizado pelo Decreto nº 9.057, de maio de 2017. O ato não prevê tratamento diferenciado para cursos voltados ao campo da saúde. No entanto, o ensino para essa área temática conta com diretrizes específicas e já anteriormente aprovadas pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS). A Resolução CNS 350, de junho de 2005, por exemplo, determina que a abertura de cursos no campo da saúde somente pode ser feita pelo MEC caso não haja objeção por parte do Ministério da Saúde e do próprio Conselho Nacional.

Acerca do tema, o CNS também tem publicada, desde 2016, uma resolução na qual externa posicionamento contrário à autorização de todo e qualquer curso de graduação da área da saúde ministrado na modalidade EAD. O documento aponta preocupação com os prejuízos que tais cursos podem oferecer à qualidade da formação dos profissionais, bem como os riscos que esses profissionais possam causar à sociedade, “uma vez que passam por uma formação inadequada e sem integração do ensino com a comunidade”.

Na recomendação, o Ministério Público Federal destaca que a formação de profissionais de saúde demanda uma interação constante entre trabalhadores da área, estudantes e pacientes, a fim de assegurar a integralidade da atenção, a qualidade e a humanização do atendimento prestado aos indivíduos, famílias e comunidades. Nesse sentido, é fundamental que os estudantes estejam inseridos em atividades práticas como forma de aperfeiçoar o ensino teórico.

O MPF ressalta que a formação na área da saúde não se limita a oferecer conteúdos teóricos, pois “exige o desenvolvimento de habilidades técnicas, clínicas e laboratoriais que não são passíveis de aquisição na modalidade EAD, sem o contato direto com o ser humano, visto tratar-se de componentes da formação que se adquirem nas práticas inter-relacionais”.

A recomendação cita ainda uma nota pública contra a graduação à distância na área da saúde assinada por cinquenta entidades representativas de associações nacionais de ensino, conselhos profissionais, federações e executivas estudantis. No documento, as entidades defendem que a formação de trabalhadores no campo da saúde deve ser realizada por meio de cursos presenciais, com o objetivo principal de garantir a segurança e a resolubilidade na prestação dos serviços de saúde à população brasileira.

A recomendação ao MEC se dá no âmbito de um inquérito civil que tramita na Procuradoria da República em Goiás e é assinada pela procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, e pela procuradora regional dos Direitos do Cidadão no Estado, Mariane Guimarães. O Ministério da Educação terá 30 dias para que informe as medidas adotadas para o cumprimento da solicitação ou as razões para o seu não acatamento.

Foto: Agência Brasil


EAD



16ª Conferência Nacional de Saúde reúne 5 mil participantes em Brasília
12/08/2019
Fonte: CREF2/RS

Entre os dias 4 e 7 de agosto, ocorreu a 16ª Conferência Nacional de Saúde, no Parque de Exposições de Brasília (DF). O evento, que reuniu cerca de 5 mil participantes, como trabalhadores e prestadores de serviços da área da saúde, contou também com a presença do CREF2/RS, representado pelo conselheiro Clery de Lima (CREF 000297-G/RS).

Promovida pelo Ministério da Saúde e pelo Conselho Nacional de Saúde, a Conferência Nacional deste ano teve o tema central “Saúde e Democracia” e estabeleceu diretrizes para três eixos pré-definidos: “Saúde como Direito”, “Consolidação do SUS” e “Financiamento da Saúde”. O Rio Grande do Sul teve 142 delegados presentes.

De acordo com Lima, mais de 300 propostas para a melhoria do SUS foram debatidas nos quatro dias de evento, em cerca de 45 grupos de trabalhos diferentes. No eixo “Saúde como Direito”, a garantia da presença do profissional de Educação Física em equipes multiprofissionais de atendimento, no que diz respeito à área da “Saúde da Família”, foi trazida para a discussão, no sentido de incluir a atividade física nos programas de prevenção.

Lima acompanhou a 16ª Conferência Nacional de Saúde desde a sua fase estadual e considerou o resultado do evento extremamente positivo. “Com a nossa participação nos Grupos de Trabalho, defendendo o papel desempenhado pelos profissionais de Educação Física, vamos poder acompanhar de perto a implementação das propostas que incluem a atividade física nos projetos e nos programas de saúde. Avançamos em muitos pontos e agora vamos lutar para que tudo possa ser viabilizado dentro do SUS”, comentou.


Conferência Nacional de Saúde



CREF2/RS participa da 16ª Conferência Nacional de Saúde
01/08/2019
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS vai participar da 16ª Conferência Nacional de Saúde, que será realizada de 4 a 7 de agosto, em Brasília. Organizada pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) e pelo Ministério da Saúde, o evento vai ter como tema central “Democracia e Saúde” e estima reunir mais de cinco mil pessoas. Os eixos temáticos deste ano serão "Saúde como Direito", "Consolidação dos Princípios do SUS" e "Financiamento do SUS".

Na Conferência, serão discutidas a defesa dos princípios básicos do Sistema Único de Saúde, a saúde pública como direito de todos e a democracia brasileira. Pela sua importância, a conferência se constitui em um dos mais importantes espaços de diálogo entre governo e sociedade para a construção das políticas públicas, em que a população pode contribuir ativamente para o desenvolvimento de políticas públicas.

O Rio Grande do Sul estará presente na 16ª Conferência Nacional de Saúde com 142 pessoas, entre trabalhadores e prestadores de serviços da área. Já o CREF2/RS vai estar representado pelo conselheiro Clery de Lima (CREF 000297-G/RS).


16ª Conferência Nacional de Saúde



Residência Multiprofissional é uma ótima oportunidade para o profissional de Educação Física
27/02/2019
Fonte: CREF2/RS

Os bacharéis em Educação Física têm uma excelente oportunidade de aprimoramento através da Residência Multiprofissional em Saúde. A Residência é uma pós-graduação lato sensu (Especialização), voltada para a educação em serviço e destinadas às categorias que integram a área de saúde. Trata-se de um programa de cooperação intersetorial para favorecer a inserção qualificada dos jovens profissionais da saúde no mercado de trabalho, particularmente em áreas prioritárias do Sistema Único de Saúde.

Os residentes recebem uma bolsa, no valor de no valor de R$ 3.330,43, financiada pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Educação. Entretanto, devem ter dedicação exclusiva, não podendo desenvolver outras atividades profissionais no período de realização do curso. Para ingressar em uma Residência Multiprofissional e em Saúde, o interessado deve ser aprovado na seleção pública realizada por instituições de ensino superior que oferecem essa modalidade de especialização lato sensu.Cabe frisar que, no caso da Educação Física, apenas bacharéis podem realizar a Residência.

A Residência tem duração de dois anos, com carga horária de 5.760 (cinco mil, setecentos e sessenta) horas, distribuídas em atividades teóricas/práticas, sob a forma de treinamento em serviço, equivalente a 60 (sessenta) horas/semana. O residente tem direito a uma folga semanal e a 30 (trinta) dias consecutivos de férias por ano, que podem ser fracionadas em dois períodos de 15 (quinze) dias. Os programas de Residência Multiprofissional e em Saúde são desenvolvidos da seguinte forma: 80% da carga horária total sob a forma de atividades práticas e 20% sob a forma de atividades teóricas ou teórico-práticas, contando com a supervisão de um preceptor (profissional de serviço) e um tutor (docente de instituição de ensino superior). Mais informações no Portal do MEC.


Residência Multiprofissional



CREF2/RS adere ao Outubro Rosa propondo atividade física como prevenção ao câncer de mama
18/10/2018
Fonte: CREF2/RS/INCA

Neste mês, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) lançou a campanha Outubro Rosa 2018, que tem como tema "Câncer de mama: vamos falar sobre isso?". O objetivo é fortalecer as recomendações do Ministério da Saúde para o rastreamento e o diagnóstico precoce do câncer de mama e desmistificar conceitos em relação à doença. O CREF2/RS vem se somar na luta contra a doença que é a principal causa de óbitos femininos no Brasil. Para tanto, o Conselho propõe a difusão da atividade física como uma grande aliada não só na prevenção do câncer de mama, bem como na reabilitação de paciente, se realizada sob orientação médica. Com isso, reforça uma das principais filosofias que norteiam a Educação Física, que é sempre trabalhar a saúde, bem-estar e prevenção, evitando ao máximo o surgimento de doenças por meio de uma vida saudável.

O Conselho também ressalta o trabalho essencial dos cerca de 27 mil profissionais habilitados a orientarem corretamente estes exercícios, de modo a não causarem comorbidades nos pacientes ou até mesmo agravar a doença principal. Como o câncer tem tratamento multidisciplinar, o CREF2/RS possui a clara percepção de que o caminho que levará a uma prevenção mais eficaz ao câncer de mama, evitando os sofrimentos por ele causados, passá pela maior integração das profissões da saúde, bem como dos avanços do campo científico e da divulgação na população da doença, seus sintomas

A atividade física é oficialmente reconhecida pelos órgãos oficiais de saúde como uma importante e acessível ferramenta para prevenção do câncer de mama, bem como coadjuvante em seu tratamento, Como o desenvolvimento científico e tecnológico impactaram impulsionaram alguns dos fatores que aumentam o risco da doença, como a obesidade, o sedentarismo e o sobrepeso após a menopausa, o exercício físico torna-se ainda mais imprescindível no atual momento histórico.

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos. No Brasil, estimam-se 59.700 casos novos de câncer de mama, para cada ano do biênio 2018-2019, com um risco estimado de 56,33 casos a cada 100 mil mulheres. Em 2016, aproximadamente 14 mil mulheres foram a óbito.

De acordo com dados do Diesporte (Diagnóstico Nacional do Esporte) criado pelo Ministério da Saúde, 45,9% da população brasileira é sedentária, sendo que 50,1% é representado pelo público feminino. O CREF2/RS vem travando uma batalha incessante pela preservação e manutenção dos locais públicos esportivos, bem como de seus órgãos representativos, que estão sendo ameaçados pelas políticas recessivas implantadas no país, além de lutar pela maior inserção do profissional de Educação Física nos Núcleos de Apoio a Saúde da Família (NASF), possibilitando a prevenção e manutenção, por meio da prática de atividades físicas, das populações que dependem da saúde pública no país.


Outubro Rosa 2018



CREF2/RS leva ciclo de palestras sobre regulamentação da profissão a Caxias do Sul
08/06/2018
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS realizou na última quarta-feira, dia 6 de maio, o segundo encontro do Ciclo de Palestras “20 Anos de Regulamentação da Profissão de Educação Física”, em Caxias do Sul. O evento, que ocorreu na Faculdade Anhanguera, reuniu cerca de 30 participantes, entre profissionais e estudantes. A atividade contou com duas apresentações, conduzidas pela conselheira Marcia da Cruz (CREF 007545-G/RS) e por Eduardo Remião (CREF 001855-G/RS), treinador e ex-atleta de atletismo e triatlo.

A mesa de abertura do evento foi composta por Erica Ramos, diretora da Anhanguera Caxias do Sul; Paulo Eugênio de Carvalho (CREF 004659-G/RS), secretário municipal de Esporte e Lazer; Honorino Lorencetti, presidente do Rotary Club Pérola das Colônias; e por Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), presidente do CREF2/RS. As autoridades relembraram os primórdios regulamentação, que ganhou força em todo o Brasil no final da década de 80, e os avanços que isto trouxe para todos. “Muita coisa aconteceu nos últimos 20 anos. A nossa representatividade cresceu e o nosso papel, principalmente na prevenção de diversas doenças, se tornou reconhecida por toda a sociedade”, destacou Carmen.

Na sequência, Marcia ministrou a palestra “Educação Física: Legislação e Perspectivas”. Ela apresentou uma linha do tempo sobre a regulamentação da profissão, desde a criação do Sistema CONFEF/CREFs, até as conquistas mais recentes, como a inclusão do profissional de Educação Física no Núcleo Ampliado de Saúde da Família (NASF), vinculado ao Ministério da Saúde. “O Conselho tem uma atuação muito forte, no sentido de ser o órgão que fiscaliza e normatiza a presença do nosso profissional em todas estas áreas”, comentou a Conselheira. Marcia ainda apresentou a Cédula de Identidade Profissional (CIP) aos estudantes e explicou como é o dia a dia de trabalho no CREF2/RS. “Na nossa página, é possível consultar todas as resoluções, assim como as empresas e os profissionais registrados”, acrescentou. A palestra também tratou da Lei de Estágio e da importância do trabalho de Fiscalização.

Já a segunda palestra da noite, intitulada “Treinamento Físico de Endurance e as Assessorias Esportivas”, foi ministrada por Remião e tratou de diversos assuntos relacionados às experiências profissionais do palestrante, que é técnico de corrida há mais de 25 anos. Depois de um breve histórico sobre a evolução da Educação Física, ele destacou as características das atividades de endurance e o que elas exigem dos seus praticantes. “O treinamento é individualizado. O endurance, com duração de três horas ou mais, requer uma adaptação e o profissional de Educação Física precisa estar atento a isto, respeitando todas as fases do treinamento”, explicou. Além disso, o palestrante ainda abordou os quatro pilares para uma boa técnica de corrida – equilíbrio, coordenação, descontração e eficácia – e a periodização do exercício. “É extremamente perigoso seguir os treinos propostos por revistas, por exemplo, pois elas não são elaborados levando em consideração as condições particulares dos praticantes”, comentou.

O Ciclo de Palestras “20 Anos de Regulamentação da Profissão de Educação Física” ainda terá mais uma edição em 2018. A atividade será em Pelotas, no dia 17 de outubro. Compareça!


Palestras ciclo de palestras eventos caxias do sul



Santa Maria é a primeira cidade visitada pelo ciclo de palestras sobre os 20 anos de regulamentação da profissão
11/04/2018
Fonte: CREF2/RS

A primeira cidade a celebrar os 20 anos da regulamentação da profissão de Educação Física pela Lei 9696/98 e da criação do sistema CONFEF/CREFs será Santa Maria, que receberá no dia 25 de abril o ciclo de palestras “20 anos de regulamentação da profissão de Educação Física”. O horário do evento será das 19h às 22h, no auditório da FAMES - Faculdade Metodista de Santa Maria. O ciclo, em conjunto com o CongregaCREF – Seminário Sul Brasileiro de Educação Física, estarão entre os eventos comemorativos programados pelo Conselho para celebrar o legado de duas décadas da regulamentação da profissão.

O interesse pelos exercícios físicos têm aumentado no país. Mesmo assim, dados do Ministério da Saúde demonstram uma verdadeira epidemia de obesidade, diabetes e hipertensão, todas doenças associadas ao sedentarismo que assolam a população brasileira. Diante deste quadro, cresce também a responsabilidade do CREF2/RS em demonstrar à sociedade de que a boa orientação faz a diferença, e que sob a instrução de um profissional habilitado aumenta a eficiência dos exercícios, os benefícios dos praticantes e previne problemas de saúde, garantindo bem-estar e melhoria da qualidade de vida. Imbuídos desta missão, o Conselho percorrerá o interior do estado promovendo um diálogo aberto e democrático com a sociedade, estudantes, profissionais e docentes sobre os 20 anos da regulamentação da profissão de Educação Física, suas conquistas e seus desafios.

Em Santa Maria, haverá duas palestras. A primeira, como início às 19h, será ministrada por Alessandro Gamboa (CREF 001534-G/RS), tendo como tema "Educação Física: legislação e perspectivas". Alessandro é graduado em Educação Física pelo IPA. Possui pós- graduação em Administração e Marketing Esportivo, pela Universidade Gama Filho, e em Ciências do Esporte, pela PUC-RS. Atua como personal trainer e realiza consultoria em diversas academias. É conselheiro do CREF2/RS desde 2015 e integra a Comissão de Orientação e Fiscalização do Conselho.

A segunda palestra da noite terá início às 20h40min, com o tema "A importância da atividade física na formação do ser humano: desafios do profissional de Educação Física", ministrada por Marcia Rohr da Cruz (CREF 007545-G/RS). Marcia é graduada em Educação Física pela UCS e bacharel em Administração pela Unisinos. Possui pós-doutorado em Administração e atua no Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção e em Administração da UCS. É conselheira do CREF2/RS desde 2015 e faz parte de diferentes Comissões e Câmaras Técnicas do Conselho, relacionadas à Educação Física Escolar, Fiscalização, Finanças, Planejamento Estratégico e ao Esporte Educacional.

Após Santa Maria, as próximas cidades visitadas pelo ciclo de palestras serão Caxias do Sul, no dia 6 de junho, no Auditório da Anhanguera, e Pelotas, em 17 de outubro, no Auditório da UFPEL.

Ciclo de palestras “20 anos de regulamentação da profissão de Educação Física” - Santa Maria

Data: 25 de abril, quarta-feira, das 19h às 22h Local: Auditório da FAMES - Faculdade Metodista de Santa Maria Endereço: Rua Dr. Turi, 2003 - Santa Maria Carga horária: 4 horas. O evento terá a emissão de Certificado online aos participantes Inscrições gratuitas até o dia 23/04/2018 pelo site http://crefrs.org.br//eventos/ciclo_santa_maria/


Ciclo de palestras “20 anos de regulamentação da profissão de Educação Física



CREF2/RS percorre o interior com o ciclo de palestras “20 anos de regulamentação da profissão de Educação Física”
23/03/2018
Fonte: CREF2/RS

Em comemoração aos 20 anos da regulamentação da profissão de Educação Física pela Lei 9696/98 e da criação do sistema CONFEF/CREFs, o CREF2/RS lança o ciclo de palestras “20 anos de regulamentação da profissão de Educação Física”, que percorrerá os municípios de Santa Maria, Caxias do Sul e Pelotas durante os meses de abril, junho e outubro. O ciclo, em conjunto com o CongregaCREF – Seminário Sul Brasileiro de Educação Física, estarão entre os eventos comemorativos programados pelo Conselho para celebrar o legado de duas décadas da regulamentação da profissão.

A Educação Física, desde que virou uma profissão regulamentada em 1998, vem conquistando espaço ano após ano. Se antes a imagem do profissional de Educação Física era associada ao professor da disciplina nas escolas, ou a instrutores nas academias de ginástica e clubes, hoje a visão das atribuições desse profissional é mais ampla: a de um especialista também capacitado e qualificado na promoção da saúde, seja de crianças, jovens, adultos ou idosos.

O interesse pelos exercícios físicos também tem aumentado no país. Mesmo assim, dados do Ministério da Saúde demonstram uma verdadeira epidemia de obesidade, diabetes e hipertensão, todas doenças associadas ao sedentarismo que assolam a população brasileira. Diante deste quadro, cresce também a responsabilidade do CREF2/RS em demonstrar à sociedade de que a boa orientação faz a diferença, e que sob a instrução de um profissional habilitado aumenta a eficiência dos exercícios, os benefícios dos praticantes e previne problemas de saúde, garantindo bem-estar e melhoria da qualidade de vida. Imbuídos desta missão, o Conselho percorrerá o interior do estado promovendo um diálogo aberto e democrático com a sociedade, estudantes, profissionais e docentes sobre os 20 anos da regulamentação da profissão de Educação Física, suas conquistas e seus desafios.

Ciclo de palestras “20 anos de regulamentação da profissão de Educação Física”

Santa Maria
Data: 25 de abril, quarta-feira, das 19h às 22h
Local: FAMES – Faculdade Metodista de Santa Maria

Caxias do Sul
Data: 6 de junho, quarta-feira, das 19h às 22h
Local: Auditório da Anhanguera

Pelotas
Data: 17 de outubro, quarta-feira, das 19h às 22h
Local: Auditório da UFPEL

Instituições apoiadoras

- FAMES – Faculdade Metodista de Santa Maria
- Universidade Anhangüera
- Universidade Federal de Pelotas (UFPel)


20 anos da regulamentação da profissão de Educação Física



CREF2/RS apresenta projeto de combate à obesidade infantil ao deputado Maurício Dziedricki
27/02/2018
Fonte: CREF2/RS

A presidente do CREF2/RS Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) e o vice-presidente do CREF2/RS Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS) visitaram ontem (27/02) o gabinete do deputado estadual Maurício Dziedricki (PTB). Eles estavam acompanhados do presidente mundial dos Professores de Educação Física Sem Fronteiras da FIEP, Almir Grunh (CREF 000001-G/PR), e do delegado regional da FIEP, Everton Deiques (CREF 008538-G/RS). Também estava presente à reunião o vereador do município de Guaíba, Everton Silva Gomes (CREF 002615-G/RS). Carmen e Lauro foram apresentar o projeto de inserção da população infantojuvenil nas academias registradas ao CREF2/RS, visando combater a obesidade nesta faixa etária.

Segundo Lauro, o Brasil é segundo país em número de academias, com centenas de milhares de frequentadores. "Contudo, temos poucos dados referentes aos resultados obtidos pela atividade física referentes à obesidade e ao sobrepeso. A academia poderia ser um ponto de referência para articularmos projetos de saúde", explicou. Para Lauro, atualmente as pessoas buscam um posto de saúde, sendo ali tratados e atendidos. "Se tivéssemos dados das doenças associadas ao sedentarismo na infância e juventude, teríamos subsídios para tratá-los em academias", raciocina.

O vice-presidente afirmou que o projeto prevê o credenciamento de academias em programas do Ministério da Saúde e secretária da Saúde do estado. Com isto, analisa Aguiar, pretende-se oportunizar avaliações com foco no grau elevado de obesidade. “Tudo isto integrado às demais profissões da saúde. Conseguiríamos, então, uma visão sistêmica na saúde no estado, em uma ação validada pelo Ministério da Saúde, o que permitiria uma coleta de dados regional, valorizando cientificamente a importância da atividade física no combate à obesidade infantojuvenil”.

Segundo a presidente do CREF2/RS, já existe um projeto semelhante em Minas Gerais. "Lá, a secretaria de Esportes e Saúde criou uma bolsa saúde que cadastra algumas academias registradas no CREF mineiro". Carmen explicou que a secretaria paga cerca de R$70,00 por criança obesa. Com este valor, ela passa a fazer atividade três vezes por semana em uma academia cadastrada. “Este estabelecimento tem obrigação de gerar relatórios sobre suas condições físicas. Esta ação é a garantia de que esta criança não será o obeso de amanhã”. Carmem complementou que o projeto operou de 2012 a 2015, abrangendo 93 municípios, e que o secretário de Esportes e Saúde de Minas Gerais está à disposição para colaborar na consolidação do projeto gaúcho.

O deputado Maurício Dziedricki, que é presidente da Comissão Especial de Combate à Obesidade Infanto Juvenil na Assembleia Legislativa, mostrou-se interessado com o projeto, pois na sua concepção, as crianças atualmente despendem um tempo exagerado em frente a tela de TV, computadores, smartphones e videogames. Dziedricki afirmou que aliado ao sedentarismo, existe um excesso de oferta de carboidratos, refrigerantes, fast food, farináceos e gorduras trans, que contribuem para o sobrepeso e obesidade, uma das doenças crônicas não transmissíveis mais comuns na infância, podendo gerar hipertensão, problemas cardíacos e diabetes tipo 2, dentre outras doenças. "Existe um prognóstico de que nos próximos dez anos o Brasil será o país com a maior número de obesos do mundo. Frente a este diagnóstico assustador, na maioria das vezes são adotadas políticas de cura ou busca desta cura, mas com a doença já presente, ao passo que a lógica deveria ser a prevenção, muito em especial da criança e do adolescente, no que diz respeito ao trato nutricional e atividade física”, ponderou. "Este projeto vem ao encontro de uma solução preventiva contra esta epidemia", concluiu.

Dia Estadual dos Profissionais de Educação sem Fronteiras

Em outro momento da reunião, o presidente mundial Professores de Educação Física Sem Fronteiras da FIEP, Almir Grunh apresentou o trabalho da organização ao deputado, e colocou a pretensão de tornar, por força de lei, o dia 20 de abril a data comemorativa dos Professores de Educação Física Sem Fronteiras no Rio Grande do Sul. Já o delegado regional da FIEP, Everton Deiques, explicou que de 15 a 22 de setembro de 2019 serão comemorados os 70 anos de existência da organização, quando serão recepcionadas delegações de todos o Brasil e do estrangeiro. “Gostaríamos de contar com apoio da Casa do Povo para recepcionar as delegações nestas comemorações”, explicou o delegado.

Segundo o deputado, a Assembleia Legislativa, via de regra, produz muito mal sua legislação no que se refere à vida da sociedade gaúcha. “Precisamos enxugar o número de leis , pois há excesso de legislação, fazendo com que exista um represamento de leis importantes para o estado.”, ressaltou. “Contudo”, prosseguiu o deputado, “muitas vezes não se reconhece uma simples positivação de uma data comemorativa e a sua inclusão no calendário de eventos de estado”. Para exemplificar sua fala, Dziedricki argumentou que Porto Alegre já dera uma bela lição ao criar a Lei que instituiu o Dia do Profissional de Educação Física, de autoria do ex-vereador Professor Garcia (CREF 000002-G/RS). “Colocarei a proposta da criação da data comemorativa à apreciação dos meus pares e faço questão de apoiar às comemorações dos 70 anos de existência dos Professores de Educação Física Sem Fronteiras”, finalizou.

Foto: Pablo Vini Fotografia


Obesidade infantil



Práticas Integrativas e Complementares é um novo campo para profissionais de Educação Física
15/05/2017
Fonte: CREF2/RS

A construção da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS (PNPIC) iniciou-se a partir do atendimento das diretrizes e recomendações de várias conferências nacionais de saúde e das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Em junho de 2003, representantes das associações nacionais de Fitoterapia, Homeopatia, Acupuntura e Medicina Antroposófica reuniram-se com o então ministro da Saúde, ocasião em que, por solicitação dele, foi instituído um grupo de trabalho, coordenado pelo Departamento de Atenção Básica, da Secretaria de Atenção à Saúde (SAS), e pela Secretaria-Executiva, com a participação de representantes das secretarias de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos e de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde, do Ministério da Saúde (MS); Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); e associações brasileiras de Fitoterapia, Homeopatia, Acupuntura e Medicina Antroposófica, para discussão e implementação das ações, no sentido de elaborar-se a política nacional.

Em setembro de 2003, o grupo gestor responsável pela ordenação dos trabalhos e formulação da política nacional definiu, entre outras coisas, a criação de quatro subgrupos de trabalho, respeitando as diversas áreas, em virtude das especificidades de cada uma delas. Como estratégia de elaboração da política, o grupo gestor elaborou um plano de ação a ser adotado pelos subgrupos para, posteriormente, a ser consolidado em documento técnico único relativo à política nacional.

Em 2006 foram criadas no Brasil as Políticas Nacionais de Práticas Integrativas Complementares, partindo da orientação da O.M.S., para fortalecer ações e serviços de PICS (Práticas Integrativas e Complementares) na rede de atenção à saúde e comunidade. A M.T.C. (Medicina Tradicional Chinesa), através de um modelo transdisciplinar foi acrescentado a essas práticas, aqui no Brasil, e abrindo possibilidades aos profissionais de Educação Física para atuação tanto em empresas, comunidades, escolas, academias de rua, NASF (Núcleo de Apoio a Saúde da Família) entre outros.

Marco Aurélio Scharcow (CREF 002463-G/RS) foi um dos profissionais de Educação Física que aderiram às novas modalidades. “Na minha prática e convivência na Educação Física, tive a felicidade de conhecer pessoalmente o criador do método “Lian Gong” em 18 terapias, uma prática corporal elaborada na década de 70 pelo Dr. Zhuang Yuan Ming, médico ortopedista da Medicina Tradicional Chinesa que viveu em Shangai na China”, explica.

Marco afirma que esta prática foi escolhida pelo governo de Shangai para ser amplamente divulgada para a população e o Dr. Zhuang, o seu criador, recebeu o prêmio de “Pesquisa Cientifica de Resultado Relevante”. “O Doutor Zhuang, uniu conhecimento da MTC – Medicina Tradicional Chinesa e a Moderna Medicina Ocidental, com as artes guerreiras e os antigos exercícios terapêuticos”.

Segundo Scharcow, o objetivo principal do Lian Gong em 18 Terapias é a de tratar e prevenir dores no corpo, inúmeros problemas osteosmusculares, articulações, etc. hoje tão freqüente nas condições da vida moderna, além de atuar nas disfunções dos órgãos internos e problemas respiratórios. São exercícios preventivos e curativos, cujas práticas põe em movimento o “Chi” (energia vital) através dos meridianos, em especial ao “Zhen Chi” ou “Chi Verdadeiro” no organismo, termos encontrados nos fundamentos da MTC, Medicina Tradicional Chinesa, que diz “Quando o Zhen Chi esta pleno no interior do corpo humanos fatores negativos não podem invadir”. A prática ajuda na circulação do sangue, dissolve aderências e inflamações dos tendões. Restaura a movimentação natural, melhorando a resistência e a vitalidade do organismo. O sistema completo do Lian Gong em 18 terapias é composto de 3 partes, totalizando 54 exercícios.


Práticas Integrativas e Complementares



CREF2/RS participa de audiência pública sobre a obesidade infantojuvenil na Assembleia Legislativa
05/05/2017
Fonte: Agência de Notícias/ALRS

A presidente do CREF2/RS, Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) esteve presente na noite desta quarta-feira (3), na audiência pública conjunta na Assembleia Legislativa para debater a obesidade na infância e na adolescência e os reflexos na saúde pública. A proposição foi do deputado Maurício Dziedricki (PTB), que coordenou o encontro. Ao final do debate, foi criado um grupo permanente de trabalho para dar prosseguimento à discussão do tema, propondo ações concretas, como a criação ou modificação de leis.

O parlamentar explicou que a questão surgiu em 2016, quando disputou a eleição municipal, e se deparou com a questão da reincidência de pessoas no sistema de saúde pública por falta de cuidados relacionados à alimentação saudável e inatividade física. Por isso, apresentou, este ano, o PL 40 2017, que cria o cadastro de obesidade infantojuvenil nas escolas de ensino fundamental e médio do Rio Grande do Sul.

A presidente Carmen Masson lembrou que de todas as áreas da saúde apenas o profissional da Educação Física trabalha realmente com a saúde, pois as demais tratam da doença. Ressaltou que apenas 33% da população brasileira realiza atividades físicas regulares e criticou iniciativas que discutem retirar a disciplina de Educação Física dos currículos escolares. Lembrou também que a atividade física traz benefícios à saúde se bem orientada, defendendo como fundamental a orientação do profissional da área. Ainda destacou que é preciso adequar as atividades físicas à idade da criança.

O professor Roberto Costa, da Faculdade de Desenvolvimento do RS (Fadergs), apresentou dados de estudos acadêmicos e públicos sobre a obesidade na infância e na adolescência. Entre eles, os do Sistema de vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde. Segundo as informações apresentadas, de 2016, o RS tem 54,9% de prevalência de obesidade. Conforme o Programa Nacional de Saúde do Escolar, de 2015, o sobrepeso e a obesidade estão presentes em 31,5% dos adolescentes de 13 a 17 anos no país e, na Região Sul, essa prevalência chega a 38,4%.

O presidente da Fundação de Saúde de Canoas, Fernando Ritter, defendeu leis que obriguem e estimulem os gestores municipais a executarem ações para prevenir a questão. “O grande problema de quem está na gestão é o tempo que ações de prevenção levam para trazer resultados. Eles só vão ser sentidos em gerações futuras, mas é preciso começar agora”, salientou.

A reitora da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Lucia Pellanda, defendeu que se invista na prevenção primordial, aquela feita antes da população desenvolver os fatores de risco. “É muito mais efetivo fazer uma campanha para as crianças não começarem a fumar do que tentar fazer os adultos deixarem de fumar”, exemplificou.

A presidente do Conselho Regional de Nutrição, Jacira Conceição dos Santos, lembrou que há uma legislação, de 2009, que obriga escolas públicas a terem um profissional da nutrição, mas o governo do Estado, até agora, não incluiu o cargo de nutricionista nas escolas. Segundo Jacira, além de cuidar da alimentação, o profissional é responsável pela educação alimentar. Lembrou que não apenas na família ocorra a alimentação inadequada, citando cantinas de escola e festas de recreação onde alimentos industrializados e bebidas açucaradas são oferecidas.

Foto: Pablo Santos


Audiência Pública sobre a obesidade infantojuvenil



Obesidade cresce 60% no Brasil e colabora para maior prevalência de hipertensão e diabetes
24/04/2017
Fonte: Ministério da Saúde

O brasileiro está mais obeso. Em dez anos, a prevalência da obesidade passou de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016, atingindo quase um em cada cinco brasileiros. Os dados inéditos, divulgados na última semana, fazem parte da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), realizada pelo Ministério da Saúde. O resultado completo da pesquisa está aqui.

Segundo a pesquisa, o crescimento da obesidade é um dos fatores que pode ter colaborado para o aumento da prevalência de diabetes e hipertensão, doenças crônicas não transmissíveis que piora a condição de vida do brasileiro e podem até matar. O diagnóstico médico de diabetes passou de 5,5% em 2006 para 8,9% em 2016 e o de hipertensão de 22,5% em 2006 para 25,7% em 2016.

Excesso de peso e obesidade

A obesidade aumenta com o avanço da idade. Mas mesmo entre os mais jovens, de 25 a 44 anos, atinge indicador alto: 17%. Excesso de peso também cresceu entre a população. Passou de 42,6% em 2006 para 53,8% em 2016. Já é presente em mais da metade dos adultos que residem em capitais do país.

A pesquisa também mostra a mudança no hábito alimentar da população. Os dados apontam uma diminuição da ingestão de ingredientes considerados básicos e tradicionais na mesa do brasileiro. O consumo regular de feijão diminuiu 67,5% em 2012 para 61,3% em 2016. E apenas um entre três adultos consomem frutas e hortaliças em cinco dias da semana. Esse quadro mostra a transição alimentar no Brasil, que antes era a desnutrição e agora está entre os países que apresentam altas prevalências de obesidade.


Vigitel obesidade



CREF2/RS defende Secretaria Municipal de Esportes, Recreação e Lazer na Câmara de Vereadores de Porto Alegre
22/12/2016
Fonte: CREF2/RS

Na manhã desta quinta-feira, dia 22 de dezembro, o vice-presidente do CREF2/RS Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS) esteve na Câmara Municipal de Porto Alegre para buscar o apoio dos vereadores contra a proposta de extinção da Secretaria Municipal de Esportes, Recreação e Lazer (SME). A votação está prevista para ocorrer hoje à tarde e os representantes do Plenário receberam uma carta, que apresenta os motivos para a continuidade do trabalho da SME e os benefícios que são proporcionados pelo órgão para toda a sociedade. O texto na íntegra segue abaixo:

O Conselho Regional de Educação Física da 2ª Região (CREF2/RS), representando cerca de 10 mil profissionais de Educação Física e 800 empresas registradas apenas em Porto Alegre, vem ratificar a importância da manutenção da Secretaria Municipal de Esportes, Recreação e Lazer (SME), que tem sido referência na execução e na propagação de políticas públicas de esporte e de lazer, constituindo significativos programas e projetos na área do esporte escolar e da saúde.

Desde a sua criação nos anos 1920, a SME vem cumprindo o seu papel institucional com excelência, cuja função para a sociedade porto-alegrense é fundamental e imprescindível, gerando ações que oportunizam a prática da atividade física e do esporte, nas suas mais diversas modalidades e dimensões, além de fomentar a formação de novos profissionais de Educação Física.

Através do esporte e do exercício físico, a população de Porto Alegre tem demonstrando uma grande melhora na sua qualidade de vida, mesmo diante de números preocupantes apresentados em 2016 pelo Ministério da Saúde, em que relaciona 50% da população brasileira ao sobrepeso e a algum tipo de doença relacionada à obesidade, como hipertensão e diabetes. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, para cada R$ 1,00 investido em esporte e em atividade física são poupados outros R$ 5,00 em saúde.

Diante desse quadro, somente com a permanência da SME será possível desonerar a Prefeitura e os postos de saúde, solidificando as políticas públicas das quais a sociedade vem sendo beneficiada por meio do esporte e da atividade física. O CREF2/RS, seguro de contar com o vosso apoio na busca constante dos interesses da sociedade, está à disposição para esclarecer eventuais questionamentos.


Porto Alegre



CREF2/RS pleiteia vaga para profissionais de Educação Física no Conselho Estadual de Saúde
24/08/2016
Fonte: ALRS

Na manhã de hoje, dia 24 de agosto, a presidente do CREF2/RS Carmem Masson (CREF 001910-G/RS) compareceu à reunião ordinária da Comissão de Saúde e Meio Ambiente, da Assembleia Legislativa. A visita teve como objetivo pleitear uma cadeira no Conselho Estadual de Saúde para os profissionais de Educação Física, conforme preconiza a portaria 256/2013, do Ministério da Saúde.

“Há tempos buscamos garantir a participação da Educação Física no Conselho Estadual, pois somos profissionais que atuam na área da saúde, com ênfase na prevenção e no combate ao sedentarismo, que atinge cerca de 70% da população urbana no Brasil, conforme dados do IBGE”, justificou. A Presidente argumentou ainda que a atuação dos profissionais da Educação Física têm sido decisiva na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis e na promoção da saúde do trabalhador.

Também presente no encontro, o vice-presidente Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS) solicitou ainda o apoio dos deputados para a atualização do Código Sanitário do Rio Grande do Sul, que já tem 44 anos de existência. Segundo ele, a alteração da lei é necessária para adequá-la às mudanças sociais, econômicas e tecnológicas que ocorrem no campo da saúde, responsáveis pela adoção de novos conceitos, definições e processos de trabalho.

A reunião foi comandada pelo vice-presidente da Comissão de Saúde Tarcísio Zimmermann (PT). O deputado afirmou que considera os dois pleitos feitos pelo CREF2/RS, em nome dos profissionais de Educação Física, legítimos. A Assembleia se comprometeu em dar andamento a estas questões e Zimmermann ressaltou, no entanto, que a mudança do Código Sanitário requer a vontade política do Poder Executivo.

Foto: Vinicius Reis/ALRS


Conselho Estadual de Saúde Saúde



Esclarecimento sobre a vacinação da gripe para profissionais de Educação Física
09/05/2016
Fonte: CREF2/RS

Nem todos os profissionais de Educação Física têm direito a se vacinar contra a gripe nos postos de saúde. Embora o profissional de Educação Física seja considerado um profissional da área da saúde, como determina a Resolução nº 218/97 do Conselho Nacional de Saúde, a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe não especifica entre os grupos prioritários o profissional da área da saúde, mas sim o “trabalhador da saúde”.

Na conceituação da Campanha, o “trabalhador da saúde” é considerado qualquer trabalhador que atue nos serviços públicos e privados de saúde, nos seus diferentes níveis de complexidade, como, por exemplo, postos de pronto atendimento, ambulatórios e hospitais. Neste grupo, estão médicos, nutricionistas, profissionais de Educação Física, recepcionistas, pessoal de limpeza, seguranças e motoristas de ambulâncias, entre outros mais.

Em ocasiões anteriores, o Sistema CONFEF/CREFs notificou o Ministério da Saúde, com o objetivo de incluir os profissionais de Educação Física neste grupo prioritário de vacinação. No entanto, pelos fatores expostos acima, a solicitação não foi aceita. Mais informações podem ser encontradas neste link.


Vacinação Gripe



CongregaCREF reúne profissionais e estudantes para discutir atividade física e saúde
04/09/2015
Fonte: CREF2/RS

Para comemorar o Dia do Profissional de Educação Física, celebrado todos os anos em 1º de setembro, o CREF2/RS realizou o CongregaCREF – Seminário Sul Brasileiro de Educação Física. O evento, realizado entre os dias 28 e 29 de agosto, no auditório da AMRIGS, reuniu profissionais e estudantes para discutir temas relacionados à atividade e à saúde.

Além da mesa-redonda "Multidisciplinaridade na Saúde", com os conselheiros Leomar Tesche (CREF 000129-G/RS), Carlos Cimino (CREF 001691-G/RS) e representantes do CREFITO5 e do CRN-2, o CongregaCREF contou com diversas palestras. A primeira, ministrada Alexandre Lazzarotto (CREF 002537-G/RS), trouxe para discussão a atuação do profissional de Educação Física nas doenças crônicas. De acordo com o integrante do GT Exercício Físico do Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, este tipo de enfermidade representa 72% dos óbitos no Brasil e o exercício é a forma mais barata de prevenção. "O treinamento melhora a capacidade cardiorrespiratória e outros fatores. O profissional de Educação Física tem muitas possibilidades de atuação", destacou.

O primeiro dia (28) contou ainda com a palestra de Elio Carravetta (CREF 002980-G/RS), que foi antecedida pela abertura oficial do evento. No discurso, a presidente Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) destacou que o Seminário era uma demanda dos profissionais registrados e que, através do aperfeiçoamento, é possível construir uma profissão e um Conselho mais forte. Carravetta, com quase 20 anos de experiência no Departamento de Preparação e Reabilitação Física do Sport Club Internacional, falou sobre a relação entre a gestão esportiva e a saúde. Ele destacou que o Estado hoje tem 5 milhões de sedentários e que o esporte, sem bem gerido, pode mudar hábitos. "Os profissionais de Educação Física podem assumir o papel de protagonista neste processo, implementando e massificando programas esportivos", pontuou.

No segundo dia (29), o CongregaCREF contou com as palestras de Ricardo Catunda (CREF 000001-G/CE), intitulada "Atividade física na Escola"; Áderson Loureiro (CREF 000038-G/RS), chamada "Academia e seus profissionais, promotores da saúde ou não!;" e Paulo Rodrigo da Silva (CREF 002076-G/RS), intitulada "Anabolizantes na academia: qual é o papel do profissional de Educação Física?". Com transmissão ao vivo pela Internet, o público pode acompanhar também de casa estes debates, que tiveram como tópicos principais as metodologias e estratégias da Educação Física Escolar, a inserção dos profissionais no mercado fitness e formas de combater o uso de anabolizantes para fins exclusivamente estéticos.

Os dados mais curiosos apresentados foram o crescimento de 133% no número de academias no Brasil e que o uso de anabolizantes é maior do que o uso de crack em nosso país. Para Catunda, as dificuldades de hoje não estão relacionadas à forma como a Educação Física é ministrada, sobretudo nas escolas. O que é preciso é reforçar que a atividade física pode mudar e salvar vidas. "Não há como prescrever atividade física sem uma avaliação prévia. Por atender públicos distintos, precisamos conhecer os alunos, em primeiro lugar. Sem isso, ao invés de promover a saúde, podemos ser responsáveis por problemas graves", complementou Oliveira.

O resultado do CongregaCREF, totalmente gratuito para os profissionais registrados no CREF2/RS foi considerado extremamente positivo. De acordo com a Presidente, a ideia agora é aperfeiçoar e incrementar o Seminário para a sua segunda edição, já no ano que vem.


CongregaCREF



Prefeitura de Porto Alegre promove Dia Mundial da Saúde e da Atividade Física nesta quarta-feira
13/04/2015
Fonte: CREF2/RS

Em parceria com Ministério da Saúde e com o Governo do Estado, a Prefeitura de Porto Alegre realiza, nesta quarta-feira (15), ação comemorativa ao Dia Mundial da Saúde e da Atividade Física, celebrados oficialmente em 6 e 7 de abril, respectivamente. A atividade será gratuita, das 10h às 18h, no Largo Glênio Peres, no centro da cidade.

A Câmara da Saúde do Fórum dos Conselhos Regionais e Ordens das Profissões Regulamentadas do Estado do Rio Grande do Sul (Fórum-RS) também vai participar do evento. No espaço destinado ao CREF2/RS, serão concedidas informações à população sobre a importância da atividade física e do exercício orientado por profissional habilitado. Além disso, outras atividades vão completar a programação, como apresentação de teatro e aulas de alongamento, dança e ginástica terapêutica.

Dia Mundial da Saúde e da Atividade Física
Quarta-feira, dia 15 de abril
Horário: das 10h às 18h
Local: Largo Glênio Peres (em frente ao Mercado Público), no centro de Porto Alegre




Prática de atividade física no Brasil aumenta 11%
05/05/2014
Fonte: Portal Brasil/Ministério da Saúde

O percentual de pessoas que praticam atividades físicas durante o tempo livre passou de 30,3% para 33,8% nos últimos cinco anos, revelou a pesquisa Vigitel 2013 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônica). Isso representa um crescimento de 11% no número de pessoas que no tempo livre praticam exercícios. "O aumento da atividade física é um fator determinante para uma sociedade mais saudável", comentou o ministro da Saúde, Arthur Chioro. Os dados da pesquisa Vigitel foram divulgados pelo Ministério da Saúde na última quarta-feira (30).

Esse aumento é expressivo e estatisticamente significativo: 11% entre 2009 e 2013 é muito", afirma Deborah Malta, diretora da Coordenação-Geral de Doenças e Agravos Não Transmissíveis (CGDANT) do Ministério da Saúde. Apesar de os homens praticarem mais exercícios - 41,2% praticam atividades no seu tempo livre -, as mulheres tiveram um aumento maior nesses cinco anos, passando de 22,2% para 27,4%.

O principal programa do Ministério da Saúde para a promoção de atividades físicas tem sido a Academia da Saúde. Criado em 2011 a partir de experiências municipais, o programa hoje conta com 491 polos funcionando e 3.234 espaços em construção. "O SUS tem dado uma importância significativa para a Academia da Saúde, mostrando a necessidade de criar uma estrutura dentro da rede de Atenção à Saúde que pense na prática de atividade físicas", explica Thaís Silva, coordenadora do programa Academia da Saúde.

O coordenador da Academia da Saúde da cidade Recife (PE), Leonardo Delgado, relata ter percebido um crescimento no interesse das pessoas em participar do programa. "No começo, nós tínhamos cerca de 20 polos e hoje são 40", ressalta. Ele diz que quando uma comunidade vê outros locais com esse serviço, eles também pedem para implementar a Academia da Saúde no seu próprio bairro.

Leonardo acredita que a sociedade de uma maneira geral está mais consciente em relação aos benefícios das atividades físicas e tem priorizado mais a prevenção na saúde. "Há um aumento quantitativo e um aumento do conhecimento da população sobre a atividade física. Hoje isso está mais latente, sai mais na mídia, a população busca mais", completa o profissional de Educação Física.

Academia da Saúde

Para estimular a prática de exercícios físicos nas cidades brasileiras, o Ministério da Saúde incentiva municípios a implantar polos com infraestrutura, equipamentos e quadro de pessoal qualificado para a orientação de atividade física e de lazer e modos de vida saudáveis. Nos polos, os participantes têm acesso a práticas corporais e atividade física com orientação, promoção de atividades de segurança alimentar e nutricional, promoção da alimentação saudável; práticas artísticas e culturais (teatro, música, pintura e artesanato), práticas integrativas e complementares, educação em saúde e mobilização da comunidade.




Ministério da Saúde revela que 50,8% dos brasileiros têm excesso de peso
30/04/2014
Fonte: G1

O Brasil manteve o índice da população acima do peso em 2013 em relação a 2012, segundo a pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), do Ministério da Saúde.

O estudo, divulgado nesta quarta-feira (30), indica que 50,8% dos brasileiros estão acima do peso ideal, e destes, 17,5% são obesos. O índice é praticamente o mesmo da pesquisa anterior, que apontou que 51% da população tem excesso de peso, sendo que 17,4% eram obesos. "Esses dados são de praticamente todas as capitais brasileiras, é um dado generalizado de estabilização", disse o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Jarbas Barbosa.

A pesquisa Vigitel de 2012, baseada em dados de 2011, apontava que 48,5% da população tinha excesso de peso. Em 2006, primeiro ano avaliado pela pesquisa, esse índice era de 43%.

Homens mais gordos

De acordo com o levantamento, os homens têm mais excesso de peso do que as mulheres - 54,7% contra 47,4%. Segundo Jarbas, quanto maior a escolaridade, menor a taxa de obesidade e excesso de peso. "Isso indica que sobrepeso não é uma situação imutável e nós podemos mudar essa realidade com políticas públicas e mudança de comportamento também", explica. Apesar dos índices de obesidade, a pesquisa apontou aumento na quantidade de praticantes de atividade física e de consumidores de frutas e hortaliças.

Como apontou o Ministério da Saúde, a frequência de atividade física em tempo livre aumentou de 30,3% para 33,8% nos últimos 5 anos. Além disso, 19,3% dos homens e 27,3% das mulheres comem cinco porções por dia de frutas e hortaliças, quantidade recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). "É importante trabalhar para essa redução de excesso de peso, com o objetivo de evitar doenças como diabetes e alguns tipos de câncer", apontou Jarbas. "Para nós, que essas informações nos dão um norte", disse o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

Fumantes

O levantamento apontou ainda que 11% da população brasileira se declarou fumante em 2013, 1% a menos que o índice Vigitel de 2012. Além disso, nos últimos 8 anos, caiu em 28% o número de fumantes entre a população brasileira acima de 18 anos.

Foto: LG Rodrigues/G1




José Fortunati é homenageado pelo CREF2/RS
29/04/2014
Fonte: CREF2/RS

O prefeito de Porto Alegre José Fortunati recebeu, hoje pela manhã, a diretoria do CREF2/RS. A reunião, que contou com a presença da presidente Carmen Masson (CREF 001910-G/RS), do 1º vice-presidente José Edgar Meurer (CREF 001953-G/RS), do 2º vice-presidente Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), da 2ª secretária Sonia Waengerther (CREF 007781-G/RS) e da 1ª tesoureira Miryam Brauch (CREF 006834-G/RS), serviu para homenagear o Prefeito pela sanção da lei nº 11.585, que torna obrigatória a formação em Licenciatura em Educação Física para o ensino da disciplina nas escolas de nível fundamental do município.

"O ato é a convicção que temos da necessidade de uma boa formação de base", declarou Fortunati. Carmen Masson, que entregou para o prefeito o diploma de Amigo da Educação Física Escolar, salientou a importância da norma, bem como a iniciativa do município em fazer da lei, pioneira entre as capitais do Brasil, um exemplo para outras cidades e prefeitos. "O Conselho é um parceiro de Porto Alegre na defesa da sociedade e na fiscalização da profissão e da ética", destacou.

A Presidente e a conselheira Miryam Brauch também entregaram ao Prefeito a Carta Gaúcha da Educação Física Escolar, que visa a mobilização de profissionais no sentido de garantir a obrigatoriedade da atividade nas escolas. A lei nº 11.585 é reforço valioso para os objetivos da Carta e para a promoção da Educação Física. "O sedentarismo é a maior causa dos problemas cardiovasculares. A ideia é conscientizar a população da importância da atividade física, sobretudo nas escolas", avaliou Carmen Masson.

O vice-presidente Lauro Aguiar encerrou o encontro com a sugestão de aproximar o Ministério da Saúde e as prefeituras para a promoção do bem-estar e da vida saudável. "A lei nº 11.585, levada para a Frente Nacional de Prefeitos, vai incentivar os municípios a organizarem projetos em nome da atividade física", concluiu.




Comissão de Ensino Superior articula encontro de coordenadores de IES
09/01/2014
Fonte: CREF2/RS

A Comissão de Ensino Superior e Formação Profissional do CREF2/RS reuniu-se no dia 09/01 para articular o próximo encontro de coordenadores dos cursos de Educação Física das Instituições de Ensino Superior do estado, com realização em maio. O tema escolhido para ser debatido foi a evasão universitária nos cursos de Educação Física e especialidades. Segundo o Presidente do CREF2/RS, Eduardo Merino, existem mais de 300 especialidades nos cursos de Educação Física, muitos deles de conteúdo semelhante. A ideia é organizá-los em suas denominações, para evitar o cruzamento de cursos, fortalecendo o ensino e a Profissão. Este processo já foi iniciado pelo CONFEF, que consolidou as áreas utilizando os critérios do Ministério da Saúde, separando-as em Saúde Mental, Coletiva, de Família e de Educação Física Escolar.




Edital de chamada de experiências para o Laboratório de Inovação em Manejo da Obesidade nas Redes de Atenção à Saúde do Sistema Único Saúde (SUS)
18/07/2013
Fonte: CREF2/RS

O Ministério da Saúde, por meio da Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição /DAB/SAS/MS, com a cooperação técnica da OPAS/OMS Brasil, convida os interessados a participarem do Laboratório de Inovação em Manejo da Obesidade nas Redes de Atenção à Saúde do SUS. Os laboratórios de Inovações são espaços de produção/identificação de inovações e de gestão do conhecimento, a partir da análise de práticas, processos, ferramentas, programas e políticas inovadoras na área da saúde. Foi desenvolvido como uma proposta metodológica para produzir, qualificar, sistematizar e divulgar as inovações em saúde, buscando incentivar a produção e adoção de inovação. A validade deste edital terá prazo de 90 dias a contar da data de sua publicação. Sua divulgação será realizada no site do Ministério da Saúde/SAS/DAB (www.saude.gov.br/dab) e no Portal da Inovação na Gestão (www.apsredes.org).




Educação Física está oficialmente na Classificação Brasileira de Ocupações.
09/04/2013
Fonte: CREF2/RS

Após contatos junto ao Ministério da Saúde, capitaneados pelo NESCON/Faculdade de Medicina UFMG, informamos que o Profissional de Educação Física já se encontra oficialmente inserido na área de Saúde, no que tange à C.B.O. – Classificação Brasileira de Ocupações. A Portaria nº 256 do Ministério da Saúde, de 11 de março de 2013, “Estabelece novas regras para o cadastramento das equipes que farão parte dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família(NASF) Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES).”

In literis:

Art. 6º Fica incluído, na Tabela de Classificação Brasileira de Ocupações utilizada no SCNES, a CBO provisório 2241-E1 - PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FISICA NA SAÚDE




Encontro Nacional de Profissionais de Educação Física começa quinta em Tramandaí
19/03/2013
Fonte: CREF2/RS

Tramandaí irá sediar, entre os dias 21 a 24 de março, o 39º Encontro Nacional dos Profissionais de Educação Física, o 23º Congresso Científico de Educação Física e o 2º Fórum de Mobilização Gaúcha pela Educação Física Escolar.

No evento, serão apresentados trabalhos como a recreação dentro e fora do ambiente escolar, em que o professor Cleber Junior, do Paraná, propõe uma nova visão para recreação de crianças e adolescentes, fora dos moldes que atualmente geram sedentarismo. Também serão abordados no 39º Enapef temas como o treinamento aquático para populações especiais, a promoção de um estilo de vida ativo para pessoas com deficiência, práticas inclusivas na escola, esportes de aventura na educação física escolar, rugby: do educacional ao alto rendimento, kettlbell e treinamento em suspensão, e muitos outros.

A presença obrigatória do Profissional de Educação Física nas séries iniciais do Ensino Fundamental será o tema do 2º Fórum de Mobilização Gaúcha pela Educação Física Escolar, realizado no dia 23. Apesar do longo histórico de lutas pela inclusão do Profissional especializado, estudos indicam que atualmente cerca de 300 mil crianças estão excluídas do processo de iniciação esportiva no Estado pela não obrigatoriedade do Profissional de Educação Física do 1º ao 5º ano das séries iniciais. Aliado a este dado, pesquisas do IBGE e do Ministério da Saúde apontam para um aumento do sedentarismo e da obesidade infantis, comprometendo a saúde pública do País.