Notícias




Data Inicial:
(dd/mm/aaaa)  

Data Final:
(dd/mm/aaaa)  
Título:
Palavras na Notícia:



Reunião da Câmara da Saúde do Fórum/RS discute EAD
16/03/2017
Fonte: CREF2/RS

O vice-presidente do CREF2/RS, Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), esteve presente nesta terça-feira, dia 14, da reunião da Câmara da Saúde do Fórum dos Conselhos Profissionais do Rio Grande do Sul (Fórum/RS), realizada na sede da OAB. Entre as putas discutidas, o risco de extinção dos cargos SUSEPE, o termo de cooperação técnica dos Conselhos Profissionais com Ministério Público do RS, Observatórios Sociais e o Movimento dos Conselhos Profissionais da área da saúde contra os cursos de graduação predominantemente na modalidade EAD, entre outros.

Segundo Lauro, o MEC já autorizou 274,1 mil vagas de ensino a distância, em 11 das 14 profissões da saúde. “A Educação Física tem uma oferta de 68 mil vagas”, alerta o vice-presidente. Para seu funcionamento, os cursos EAD deveriam obedecer uma série requisitos, mas que na prática não são cumpridos, tais como: não observância às diretrizes curriculares, bem como a carga horária e sua integralização; deficiência nas avaliações; falta de capacitação dos docentes; inexistência de estágios obrigatórios e atividades laboratoriais, dentre outros. Aliados a esses elementos que não condicionam a uma formação de qualidade, há uma proposta de mudança por parte do MEC, que altera o Decreto nº 5.622/2005, comprometendo ainda mais a qualidade da formação.

“O EAD deixa de exigir o credenciamento prévio para oferta presencial; credenciamento único para oferta de graduação e de pós-graduação lato sensu; credenciamento lato sensu EAD fica restrito às escolas de governo”, explica Lauro. Já os polos de apoio presencial passam a ser criados pelas instituições de ensino, que deverão informá-los ao MEC, no prazo de 60 dias, a partir da expedição do ato interno de criação, respeitando o quantitativo anual .

Os tutores que exercem atividades compatíveis com a docência deverão ser contratados como docentes (tutores a distância) e fica prevista a possibilidade de oferta de curso EAD totalmente virtual, mas, inicialmente, somente em caráter experimental e condicionado à autorização pelo MEC, mesmo para instituições com autonomia (Art. 10). A IES somente poderá pedir curso 100% virtual após o reconhecimento do primeiro curso EAD. O que, para o vice-presidente do CREF2/RS, é um erro pedagógico, já que no ensino da Educação Física faz-se indispensáveis aulas presenciais. “É necessário um amplo debate sobre o tema do EAD, pois corremos o risco de precarizar ainda mais nosso ensino”, alerta Lauro.

FÓRUM RS - Câmara da Saúde



Reunião da Câmara da Saúde do Fórum/RS discute EAD
16/03/2017
Fonte: CREF2/RS

O vice-presidente do CREF2/RS, Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS), esteve presente nesta terça-feira, dia 14, da reunião da Câmara da Saúde do Fórum dos Conselhos Profissionais do Rio Grande do Sul (Fórum/RS), realizada na sede da OAB. Entre as pautas discutidas, o risco de extinção dos cargos SUSEPE, o termo de cooperação técnica dos Conselhos Profissionais com Ministério Público do RS, Observatórios Sociais e o Movimento dos Conselhos Profissionais da área da saúde contra os cursos de graduação predominantemente na modalidade EAD, entre outros.

Segundo Lauro, o MEC já autorizou 274,1 mil vagas de ensino a distância, em 11 das 14 profissões da saúde. “A Educação Física tem uma oferta de 68 mil vagas”, alerta o vice-presidente. Para seu funcionamento, os cursos EAD deveriam obedecer uma série requisitos, mas que na prática não são cumpridos, tais como: não observância às diretrizes curriculares, bem como a carga horária e sua integralização; deficiência nas avaliações; falta de capacitação dos docentes; inexistência de estágios obrigatórios e atividades laboratoriais, dentre outros. Aliados a esses elementos que não condicionam a uma formação de qualidade, há uma proposta de mudança por parte do MEC, que altera o Decreto nº 5.622/2005, comprometendo ainda mais a qualidade da formação.

“O EAD deixa de exigir o credenciamento prévio para oferta presencial; credenciamento único para oferta de graduação e de pós-graduação lato sensu; credenciamento lato sensu EAD fica restrito às escolas de governo”, explica Lauro. Já os polos de apoio presencial passam a ser criados pelas instituições de ensino, que deverão informá-los ao MEC, no prazo de 60 dias, a partir da expedição do ato interno de criação, respeitando o quantitativo anual .

Os tutores que exercem atividades compatíveis com a docência deverão ser contratados como docentes (tutores a distância) e fica prevista a possibilidade de oferta de curso EAD totalmente virtual, mas, inicialmente, somente em caráter experimental e condicionado à autorização pelo MEC, mesmo para instituições com autonomia (Art. 10). A IES somente poderá pedir curso 100% virtual após o reconhecimento do primeiro curso EAD. O que, para o vice-presidente do CREF2/RS, é um erro pedagógico, já que no ensino da Educação Física faz-se indispensáveis aulas presenciais. “É necessário um amplo debate sobre o tema do EAD, pois corremos o risco de precarizar ainda mais nosso ensino”, alerta Lauro.

FÓRUM RS - Câmara da Saúde



Arrastão da Saúde leva sete conselhos profissionais a Tramandaí no último sábado
30/01/2017
Fonte: CREF2/RS

No último sábado, dia 28, a orla marítima  da praia de Tramandaí recebeu mais uma edição do Arrastão da Saúde, ação realizada durante o veraneio pelo Fórum dos Conselhos Profissionais do Rio Grande do Sul (Fórum/RS). A caminhada, com duração das 9h30min às 11h, teve início na Tenda do SESC-RS, entidade que tradicionalmente apoia o evento. O Arrastão é promovido pela Câmara da Saúde do Fórum/RS com o objetivo de incentivar a cultura da saúde na comunidade e esclarecer à população quanto a importância dos Conselhos na defesa da saúde coletiva.

Participaram cerca de 25 funcionários e conselheiros representando os Conselhos de Administração (CRA-RS), Biologia (CRBio-03), Educação Física (CREF2/RS), Fonoaudiologia (CREFONO7), Farmácia (CRF-RS), Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO-5) e Medicina Veterinária (CRMV-RS). Entre as informações e materiais repassados na ação, foram demonstradas práticas integrativas e complementares da saúde, a atuação do fonoaudiólogo no estímulo à amamentação, dicas sobre diabetes, envelhecimento ativo, a prática de atividade física para o bem-estar e a saúde, dicas para pets, vida sustentável e câncer de pele.

O vice-presidente do CREF2/RS Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS) esteve presente representando os profissionais de Educação Física. Segundo Lauro, o Arrastão traz vivo o conceito de interdisciplinaridade, como uma das ideias nucleares para consolidação da área da saúde. “Aqui podemos praticar o foco na perspectiva dos profissionais que estão com o desafio de concretizá-la na prática, entendida como uma competência que resulta de um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes”, explica.

FÓRUM RS - Câmara da Saúde



II Simpósio Fórum-RS articula ações integradas dos conselhos
07/07/2016
Fonte: CREF2/RS

Nesta quarta-feira, dia 6, foi realizado no Conselho Regional de Administração o II Simpósio Fórum-RS. O evento, promovido pela Câmara da Saúde do Fórum dos Conselhos Regionais e Ordens das Profissionais Regulamentadas do RS (Fórum-RS), teve o intuito de promover a troca de experiências entre os conselhos, a fim de aprimorar as práticas da fiscalização, a gestão da comunicação e a intergação dos seus registrados.

Segundo presidente do Fórum-RS, Antonio Palácios (CRC-RS), o grande desafio será fazer com que a sociedade tome conhecimento das atividades dos conselhos. "Afinal, fazemos exatamente o que esta Câmara tem por nome: defender a sociedade. Hoje, temos em nossos 27 conselhos 581 mil profissionais registrados, ou seja, possuimos um exercíto de profissionais habilitados atuando nas mais variadas áreas da sociedade organizada. Mesmo com tal contingente, falta ocupar um espaço maior na sociedade". De acordo com Palacios, ações têm sido postas em prática, mas com falhas de comunicação. "Precisamos que cada conselho divulgue as ações do Fórum-RS nas suas redes socias, nas sua mídias e nos seus canais de comunicação”, argumentou.

“Ações integradas na prevenção da saúde dos gaúchos” foi a apresentação que o vice-presidente do CREF2/RS e membro da Câmara da Saúde do Fórum-RS Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS) realizou no evento. “Não entendo a Educação Física como uma atividade isolada dos outros conselhos da saúde. Vemos o surgimento da Câmaras da Saúde em órgãos como a OAB e Conselho de Contabilistas, demonstrando a relevância que o tema atinge hoje”, definiu. Durante a presentação, Aguiar relatou as ações que Câmara realizou junto a comunidade, como o Arrastão da Saúde, Dia Mundial da Saúde e a aproximação com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), dentre outros.

FÓRUM RS - Câmara da Saúde



“Arrastão da Saúde” marca o sábado dos veranistas na orla de Tramandaí
19/01/2016
Fonte: CREF2/RS

Na manhã deste sábado (16), a Câmara da Saúde do Fórum dos Conselhos Profissionais do RS esteve presente na orla de Tramandaí realizando o “Arrastão da Saúde”, atividade que marcou a sexta edição do Circuito da Saúde. Representantes dos Conselhos de nutricionistas, farmacêuticos, fonoaudiólogos, profissionais de Educação Física e médicos veterinários percorreram a praia distribuindo aproximadamente 500 kits de informativos, com dicas de saúde e de prevenção de doenças.

Na ação estiveram presentes o vice-presidente do CREF2/RS Lauro Ubirajara Barboza de Aguiar (CREF 002782-G/RS) e a conselheira Débora Rios Garcia (CREF 002202-G/RS). Segundo Lauro, este tipo de evento é uma excelente oportunidade para reforçar a importância dos Conselhos Profissionais na proteção dos serviços prestados à população. “Esta caminhada ajuda a esclarecer a diversidade da atuação dos Conselhos e o nosso compromisso com a saúde integral, a cidadania e a qualidade de vida”.

FÓRUM RS - Câmara da Saúde



Encontro reúne Câmara da Saúde do Fórum/RS, Defensoria Pública e representante da saúde suplementar
21/07/2015
Fonte: CREF2/RS

O CREF2/RS esteve presente, nesta segunda-feira (20), na reunião ampliada da Câmara da Saúde do Fórum dos Conselhos Regionais e Ordens das Profissões Regulamentadas do RS (Fórum/RS), realizada na sede da Defensoria Pública do Estado, com a participação de representante da saúde suplementar. Na pauta, debateu-se políticas públicas de prevenção e promoção da saúde, a inclusão e ampliação da oferta de serviços oferecidos por profissionais da saúde, promovendo a multidisciplinariedade, interdisciplinaridade e transdisciplinaridade nos planos de saúde, bem como a oferta de práticas integrativas e complementares destes, além do direito do consumidor na escolha de serviços e profissionais disponibilizados, entre outros temas.

Durante o evento, Enir Madruga de Ávila, defensor público e subdirigente do Núcleo de Defesa da Saúde (NUDS) da Defensoria Pública, avaliou que atualmente a Defensoria Pública trata as consequências, e não as causas dos problemas da saúde. "A cultura da receita médica com força de lei lotou os fóruns com ações de saúde. Vemos casos em que pessoas têm condições de pagar o medicamento, mas pelo meio judicial obrigam que o Estado o faça, prejudicando as pessoas carentes. Temos que abandonar estas práticas paternalistas e diminuir consideravelmente a judicialização da saúde”, ressalta.

A presidente do CREF2/RS Carmen Masson (CREF 001910-G/RS) avaliou que a construção da Câmara da Saúde demonstrou o quanto há de desconhecimento por parte de um profissional da saúde em relação a área de atuação de outra profissão da mesma área. “Quando comecei a dialogar com os fonoaudiólogos, percebi que eu atribuía equivocadamente várias de suas incumbências à prática médica”. Carmen também ressaltou o trabalho multidisciplinar como uma característica da prevenção e da promoção da saúde. "Somente as práticas integradas e complementares darão resultado na área da saúde. Cabe enfatizar que dados científicos demonstram que de cada dólar investido em atividade física, reduz-se 4,2 dólares em potenciais gastos na saúde".

Carmem Franco, vice-presidente do Conselho Regional de Nutricionistas (CRN2), ressaltou que o grande objetivo dos conselhos é a proteção da sociedade por meio do efetivo serviço profissional, e não a mera ação corporativa, como muitas vezes é veiculado. "Por isto, acho importante os conselhos mostrarem tanto suas ações como suas limitações, trazendo luz as questões de fundo da nossa saúde. Isto pode proporcionar economia aos cofres públicos, o que vem a ser um argumento muito convincente para adesão dos governantes".

Já o representante da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (CASSI-RS), Everton Silva, afirmou que mesmo após 12 anos de atuação em forma de autogestão, a operadora ainda tem dificuldades em identificar espaços de atuação dos profissionais. "A questão da interdisciplinariedade propriamente dita ainda é complexa, e nos deparamos cotidianamente com ela”, explica. Silva trouxe dados de pesquisas que demonstram que cerca de 70% dos usuários dos serviços de saúde respeitam a prescrição médica, mas apenas 40% obedecem a orientação do médico para modificar hábitos não saudáveis. "Sabendo que a prescrição médica é lei e detém todo um peso cultural inculcado, o que sobra para as prescrições dos nutricionistas ou terapeutas ocupacionais? Esta autoridade é que tem que ser balanceada", pondera.

Na ocasião, o conselheiro do CREF2/RS Lauro Aguiar (CREF 002782-G/RS) afirmou que não resta opção aos trabalhadores da saúde que não seja a união, mesmo que na forma de cooperativas. "Existe uma cultura no Brasil em que os médicos, engenheiros e advogados são sobrevalorizados. Temos que mostrar a sociedade e aos outros profissionais a nossa centralidade na questão da promoção da saúde e na prevenção de doenças. Vamos estreitar laços com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e traçar estratégias para enfrentar os problemas da saúde no país”.

Também estiveram presentes à reunião representantes dos conselhos profissionais de Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia e Psicologia.

FÓRUM RS - Câmara da Saúde