Notícias




Data Inicial:
(dd/mm/aaaa)  

Data Final:
(dd/mm/aaaa)  
Título:
Palavras na Notícia:



8ª Semana de Prevenção das LER tem início
28/02/2013
Fonte: CREF2/RS

Teve início hoje, dia 28, na Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do RS (FTIA/RS) a 8ª Semana de Prevenção das LER. O objetivo do evento é a conscientização da sociedade sobre os problemas causados pelas lesões de esforço repetitivo, que oneram o serviço de saúde pública e prejudicam a qualidade de vida dos trabalhadores. Durante os dias 28 e 29, estarão sendo feito o resgate da história das LER, a atuação dos órgãos públicos nesta questão, a fiscalização, a reabilitação e a prevenção das doenças relacionadas.

Segundo o vereador Professor Garcia, autor da lei que estipulou a Semana de Prevenção das LER, doenças por esforço repetitivo são hoje uma problema em nível mundial, e que só o Brasil gasta por ano cerca de três bilhões no seu tratamento, direcionando uma quantia ínfima deste montante na sua prevenção. “Temos que cada vez mais inverter este processo, pois a prevenção proporciona muito mais benefícios com menos custo”. Garcia disse que no ano passado ingressou na Câmara dos Vereadores de Porto Alegre com um projeto que cria o Dia da Ginástica Laboral, celebrado no dia 22 de novembro. “Também fizemos o resgate do dia 7 de novembro de 1978, data em que o SESI e a Feevale fizeram o primeiro convênio com o Ministério do Trabalho propondo ginástica laboral nas fábricas. Portanto, neste ano completamos 35 anos desta atividade no RS”.

O Presidente do CREF2/RS, Eduardo Merino, lembrou na ocasião as palavras do pedagogo Paulo Freire: “É o oprimido que vai conseguir humanizar as relações entre as pessoas, em especial quanto ao opressor”, explanou. Merino destacou que o trabalhador tem que ter saúde não apenas para gerar mais valia, mas sim para ter qualidade de vida. “Para poder chegar em casa, junto com seus familiares, tendo uma vida afetiva completa e feliz”. Ele lembrou a pesquisa realizada em 2004, junto ao trabalhadores públicos, que demonstrou que os professores são a categoria que mais tem afastamentos do trabalho. “Cada profissão tem suas particulares que vão interferir na saúde do indivíduo”.