Notícias




Data Inicial:
(dd/mm/aaaa)  

Data Final:
(dd/mm/aaaa)  
Título:
Palavras na Notícia:



""Obesidade infantil é um problema mundial"", diz especialista
17/01/2013
Fonte: Zero Hora

Um dos nomes mais representativos no que diz respeito ao estudo do sobrepeso e da obesidade infantil, o médico Richard White é clínico geral do departamento de Medicina Interna Comunitária da Clínica Mayo de Jacksonville, na Flórida. O especialista, que participou de um programa sobre as disparidades na saúde dos latinos, em San Diego, Califórnia — organizado pela Escola Estadual de Pós-Graduação em Saúde Pública e pelo Instituto Nacional dos Estados Unidos do Coração, Pulmão e Sangue — fala, na entrevista a seguir, sobre o impacto do excesso de peso nas crianças.

Vida — Quais são as principais preocupações com a obesidade infantil? Richard White — Sobrepeso e obesidade infantil se tornaram, rapidamente, um problema mundial. Nos Estados Unidos, praticamente uma em quatro crianças e adolescentes, na faixa etária de dois a 19 anos, tem problema de sobrepeso ou obesidade. Os números são ainda maiores em alguns grupos minoritários, como o latino. Entre as causas desse problema estão os anúncios publicitários eficazes de comidas que não são saudáveis, dirigidos às crianças, o maior volume de alimentos ingeridos e menor atividade física. Há uma quantidade crescente de evidências que vinculam o sobrepeso e a obesidade infantil a maior risco dessas crianças contraírem, no futuro, doenças cardíacas e diabetes. Sobrepeso e obesidade em crianças também podem complicar o controle de outros problemas de saúde, como asma, além de prejudicar a autoestima.

Vida — O peso da mãe na gravidez tem alguma ligação com a obesidade infantil? White — Sim. Existem evidências que estabelecem um relacionamento entre o ganho de peso excessivo da mãe, durante a gravidez, e maior peso da criança no nascimento. Da mesma forma, mães com sobrepeso antes de gravidez terão, mais provavelmente, filhos com sobrepeso.

Vida — O fato de uma criança ser mais pesada ao nascer aumenta a probabilidade de ela ter sobrepeso ou obesidade ao longo da infância? White — Sim. Alguns estudos têm mostrado que um peso alto no nascimento, bem como um rápido ganho de peso durante o primeiro ano de vida, são fatores de risco para o sobrepeso infantil.

Vida — Há alguma condição genética que predispõe a criança à obesidade? White — Sim. Há algumas condições genéticas associadas a um risco maior de obesidade na infância, tais como síndrome de Down e a síndrome de Prader-Willi. No entanto, a maioria dos especialistas concorda que influências genéticas, isoladamente, não explicam o aumento significativo da quantidade de sobrepeso e obesidade infantil que temos observado nas últimas duas décadas.

Vida — As crianças obesas são propensas a desenvolver doenças metabólicas e cardiovasculares? White — Sim. Há muitos estudos que já estabeleceram uma relação entre a obesidade infantil e um maior risco de desenvolver doenças metabólicas e cardiovasculares.

Vida — Quais são as estratégias essenciais para prevenir a obesidade infantil, desde o nascimento? White — A prevenção e o tratamento de sobrepeso e obesidade infantil são tarefas difíceis. Alguns fatores são importantes, como promover a amamentação materna, reduzir o consumo de comidas de alta caloria, que têm baixo valor nutritivo, ensinar os pais e as crianças a comer lanches mais saudáveis, aumentar as atividades físicas, reduzir o tempo de uso de mídias (como televisão, videogames) e tornar alimentos mais saudáveis mas disponíveis a famílias com dificuldades financeiras.

Vida — Como é possível motivar pais e filhos a praticar mais atividades físicas e a fazer escolhas alimentares mais saudáveis? White — É preciso dedicação e esforço, mas é possível. Encorajamos as famílias a dar pequenos passos em direção a mudanças em seus estilos de vida e em seus comportamentos, para premiar os sucessos que alcançam.

Preste atenção O especialista aponta que só em circunstâncias extremas é recomendada a perda de peso para crianças. Os pais devem incentivar atividades físicas por 60 minutos por dia, incluindo brincadeiras, uma medida eficaz para regular o metabolismo infantil.