Notícias




Data Inicial:
(dd/mm/aaaa)  

Data Final:
(dd/mm/aaaa)  
Título:
Palavras na Notícia:



CREF2/RS é contrário a projeto de Marchezan que entrega parques à iniciativa privada
04/04/2019
Fonte: CREF2/RS

Nesta quarta-feira, dia 3 de abril, o presidente do CREF2/RS José Edgar Meurer (CREF 001953-G/RS) levou o apoio do Conselho aos vereadores, líderes de associações de parques, praças e equipamentos esportivos públicos, bem como dos seus usuários, que lutaram no plenário da Câmara Municipal de Porto Alegre para barrar o Projeto 1330/18, que propõe entregar à iniciativa privada a administração das praças e dos parques urbanos de Porto Alegre por até 35 anos.

Em sua proposta, o prefeito Nelson Marchezan autoriza a cobrança de ingresso pela concessionária para acesso às áreas fechadas dos parques urbanos em que tenham sido realizados "investimentos substanciais" pelo concessionário. Além disso, poderão ser objeto de exploração publicitária o mobiliário e demais equipamentos integrantes da concessão.

Para o presidente do CREF2/RS, um possível cenário em que espaços públicos de lazer e atividade física, reconhecidos como locais promotores de saúde e bem-estar coletivos, sejam cercados e tenham acesso restrito apenas a pagantes, além de uma afronta aos cidadãos de Porto Alegre, é um crime contra a saúde da população, em especial contra os mais pobres, que já sofrem com a crise econômica, péssimos serviços públicos, altíssimo desemprego e violência desenfreada.

Os alvos principais da proposta do Executivo são o Parque da Harmonia, a Redenção e o Parque Chico Mendes, mas outros espaços públicos, como o Arariboia, conhecido por desenvolver atividades sociais, poderão ser fechados para a população. Ao todo, nove parques e 637 praças da cidade podem ser concedidas à iniciativa privada. "Isto afetará a formação das futuras gerações de porto-alegrenses. Em especial, dos mais desassistidos. Veremos a violência crescer, a epidemia do sedentarismo e do consumo de drogas se agravarão. As praças e parques sempre foram do povo, e assim devem permanecer”, declara Meurer. A votação da polêmica acabou transferida para a próxima segunda-feira, dia 8 de abril.

Privatização de Parques e Praças Públicas